História My Little Brother - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Liam Payne, Zayn Malik
Tags Brother, Harry Styles, Liam Payne, Little, Perrie Edwards, Smut, Zayn Malik, Ziam
Exibições 104
Palavras 1.514
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - VI. I Love You


A luz do sol passava pela janela translúcida do quarto de Liam batendo diretamente na cama. Zayn estava pronto para tampar o rosto com os lençóis quando as lembranças da noite passada o invadiram. O ômega suspirou feliz, mesmo que envergonhado e virou a cabeça para trás, onde Liam estava deitado e também acordado.

- Que horas são? – Zayn se espreguiçou.

- A hora exata de você sair daqui. – O alfa disse com raiva.

- Mas Liam, eu...

- Já chega, Zayn. Apenas vista-se e saia logo daqui.

Zayn era uma mistura de confusão, humilhação e tristeza. Não podia acreditar que depois de tudo o que fizeram Liam o trataria daquela forma. Não, aquilo só podia ser um pesadelo e logo o ômega acordaria com um beijo do seu agora alfa. Liam fora tão carinhoso consigo, não podia acreditar que estava sendo rejeitado agora. Não depois do que fizeram ontem.

- Por que você está fazendo isso? – Perguntou baixo enquanto se enrolava em um lençol.

- Estou fazendo o que deve ser feito.

- Mas eu pensei que...

- Pensou o que? Que fazendo essa loucura de deitar nessa cama comigo me faria mudar de ideia? Pois se enganou completamente, mocinho.

Zayn encolheu os dedos do pé e apertou os olhos numa tentativa de segurar as lágrimas. Quando falou, Liam só o entendeu por ainda estarem próximos, mesmo que o ômega já estivesse de pé:

- Você se arrependeu, não foi?

- O que você acha? Não se faça de ingênuo, Zayn!

- Eu fiz isso porque te amo! – O ômega levantou a voz tirando forças de onde não sabia ter.

Acabou voltando a sentar-se na cama, sem conseguir segurar o choro dessa vez.

- Me ama? – Liam riu, mas seu riso não era dotado de humor algum e sim de amargura e sarcasmo. – Não existe amor, meu bem. O que existe é desejo, interesse e sexo. E essa conversa acaba por aqui, estou voltando para NY o quanto antes.

Zayn ficou sem palavras por um momento, incrédulo com a frieza do alfa. Não podia acreditar que tudo acabaria assim. Queria se xingar por estar arrependido de ter feito o que fez na noite passada e queria xingar Liam por tamanha insensibilidade. Talvez Liam realmente não fosse o alfa certo, talvez o visse como alguém bom por estar apaixonado. Vai ver tudo não passava de uma ilusão de uma cabecinha jovem e oca.

- E quanto a Thomas?

- Eu me virei lá sem você, posso fazê-lo de novo. Fique tranquilo, você pode ficar com o apartamento e eu vou te deixar um cheque.

- Pelos serviços? Eu não sou um prostituto, Liam!

- Não seja ridículo, Zayn.

- Não quero o seu dinheiro.

- Eu estou quebrando o seu contrato de trabalho, só vou pagar o que lhe devo.

- Não quero a droga do seu dinheiro! – Zayn gritou e bateu com as mãos em punho na cama.

- Não seja tão teimoso. Agora vá para o seu quarto e durma.

Zayn riu com escárnio e ele voltou a gritar:

- Dormir? Você quer que eu durma?

- Zayn, se acalme, está bem? Não vai te faltar nada.

- E eu já disse que não quero o seu dinheiro! Vou embora daqui, não quero nada seu. – O ômega gritou antes de sair correndo do quarto.

 

٭٭٭٭٭٭

 

Zayn saiu do apartamento naquela manhã mesmo, com apenas uma mala, pouco dinheiro – visto que não aceitara o cheque de Liam –, e uma tristeza imensa dentro do peito. O ômega fora embora sem sequer despedir-se de Thomas e agora não sabia mais o que fazer.

Enquanto isso Liam se via desesperado e confuso com as últimas palavras que ouvira de Zayn. Não era cego, muito menos burro e tinha ciência da paixonite que o ômega demonstrava para consigo, desde a adolescência, mas amor? Liam não acreditava.

Aprendera há anos atrás que não existia amor além do que sua mãe o dispensava, e vivera muito bem assim desde então.

Mas aí aquele ômega petulante se joga em sua cama, se entrega de forma completamente inconsequente, quando Liam lhe dera a oportunidade de desistir, e na manhã seguinte ainda diz amá-lo.

Liam até tentou mantê-lo no apartamento, nem que fosse por mais algumas horas até que entrassem em algum acordo, mas Zayn se mostrara irredutível. Também pudera, depois de todas as palavras trocadas no quarto. O ômega poderia amá-lo, mas tinha seu orgulho e honra.

“Se é pela sua mãe pode ficar tranquilo. Não vou contar a ela e você nem precisa me pagar por isso!” Foi o que Zayn disse antes de sair pela porta no momento em que Liam fazia seu último apelo. “Adeus.”

Agora, sentado em seu sofá de couro com a cabeça apoiada nas mãos entre os joelhos, Liam pensava no que fazer. E quando Tommy desse falta do ômega? Ele já era tão apegado à Zayn... E o próprio alfa também.

E havia Karen, o que diria para a mãe? O aniversário de Zayn seria daqui alguns dias e sua mãe provavelmente o procuraria. Deus, Liam tinha consciência de que se a mãe sonhasse com aquilo seus dias na terra estariam contados. E com toda razão! Arrependimento lhe batia em cheio, mas também não era como se pudesse simplesmente aceitar o amor que Zayn dizia ter por si.

- O amor não existe. – Murmurou.

“Fiz isso porque te amo!” A voz fraca e desesperada do ômega soava em sua mente para castigá-lo um pouco mais.

O que fizera, afinal? Precisava de tempo para pensar e talvez de alguém para conversar, Liam pensava.

 

٭٭٭٭٭٭

 

A cena já foi vista antes. Liam experimentava a sensação de dejavu enquanto sentado numa mesa do mesmo restaurante em que trouxera Zayn. Sua companhia, porém, ao invés do belo ômega, agora era constituída por uma também bela alfa.

- Você fez o que? – Sophia disse em tom de repreensão.

- Eu não podia lidar com o que ele queria me dar, Sophia. Eu te disse desde o começo que não poderia fazer isso.

- E o expulsou de casa? Você tem noção do que fez? Do que podem fazer a um ômega sozinho nessa cidade suja?

- Eu não o expulsei, pelo contrário.

A moça riu com escárnio, atraindo a atenção de outros clientes para si.

- Claro que não, apenas o tratou como se ele fosse um prostituto, Liam.

- Foi assim que ele se comportou ao deitar nu em minha cama! E pare de dar escândalo, por favor. Não te chamei aqui pra isso. – O alfa disse envergonhado olhando para os lados.

- Oh, agora você sente vergonha? Porque na hora de deflorar um rapaz e depois abandoná-lo a própria sorte você não teve, Payne!

- Não foi bem assim, Sophia, você sabe muito bem que eu...

- Que você o que? – A morena interrompeu. – Que já sofreu muito e não está pronto? Oh, coitadinho de você! Por favor, você é um alfa ou o que?

Sophia pausou se inclinando na mesa e olhando bem nos olhos do outro alfa em desafio.

- Fazem três anos, Liam! Três anos! Quando vai parar de sentir pena de si mesmo? Quer saber, você não merece esse garoto. E sabe por que? Porque você é um merda!

- Não te dei o direito de me insultar.

- Só estou dizendo a verdade. Pode me demitir se quiser, mas saiba que eu só quero o seu bem. – A mulher disse irritada pegando em sua taça de vinho para dar um gole grande.

Liam segurou em sua mão vazia.

- Me desculpe. Eu já entendi que estou errado, eu só não sei se posso...

- Assumi-lo? Agir como uma pessoa honrada? O que você acha que sua mãe vai pensar disso, Liam?

- Não tem a ver com assumir, mas com aceitar os sentimentos dele. Eu não sinto o mesmo.

- Oh, não sente? Então por que estava tão incomodado no Natal quando te liguei e você reclamou de Zayn com outro alfa? Por que tem feito o possível para demorar na empresa desde que Zayn saiu à noite pela primeira e única vez? Por que o olha como um idiota, Liam?

- Eu ainda não sei, okay? Pode ser só ciúme de irmão.

- E os olhares?

- Todos olham pra ele assim. Ele é um ômega jovem, belo e tem um cheiro maravilhoso.

- Não foi desejo que vi em você, Liam. E no fundo você sabe disso.

Liam deu de ombros num movimento brusco e nervoso.

- Que seja, um encantamento, desejo, tesão, chame do que quiser.

- Paixão.

O alfa riu amargo.

- Não seja estúpida.

- O único alfa estúpido aqui é você. Olha Liam, eu precisei perder para entender os meus sentimentos e você acompanhou, foram quase dois anos de decadência e bebedeira até que ela me aceitasse de volta, não quero que isso aconteça com você.

- Eu sei que se preocupa, agradeço por isso.

- Agradeça fazendo o que digo. E faça antes que seja tarde demais. – A mulher recomendou em tom de ordem.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...