História My Little Bunny - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jennie, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Exibições 153
Palavras 2.973
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


KEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
VOLTEI MEU POVO
TO DEMORANDO PARA POSTAR, EU SEI
NÃO MATEM A TIA, SIM?
OBGA, DND
Bom, espero que gostem
Boa leitura a todos

S2

Capítulo 6 - Chapter Six


Fanfic / Fanfiction My Little Bunny - Capítulo 6 - Chapter Six

- Pov. Chanyeol ON –

Sexta-feira, 09 de Novembro.

Casa do Chanyeol, 22h41min.

Chanyeol – Seu sorriso me encanta, Baby.. - Falo, antes de selar nossos lábios -

           Retiro meus lábios dos seus e o encaro, vendo que o mesmo faltava virar um tomate de tão vermelho.

           Olho para o lado, onde não se encontrava ninguém. Mihail já se retirou.

Chanyeol – Vou tomar banho - Falo olhando-o - Daqui a pouco suba e faça o mesmo - Ordeno para que o mesmo faça -

            Vou em direção aos degraus e começo a subi-los. Baekhyun ira ficar aqui em baixo pelo jeito.

...

           Estava quase entrando em meu quarto quando ouço a companhia tocar. Suspiro frustrado e saio do quarto, indo em direção à escada.

         Começo a descer a escada lentamente e paro no meio das mesmas. Vejo Baekhyun parado no começo da escada olhando para a porta, onde se encontrava uma mulher.

           Lindsay!

Lindsay – Quero falar com o Chanyeol, sou a namorada dele. - Ela fala séria, encarando Baekhyun -

            Vejo Lindsay entrar na casa sem pedir licença, para variar, e a mesma me ver.

Lindsay – Channie, Meu amor.. Sua gatinha veio te visitar.

            Lindsay volta sua atenção ao Ômega e começa a encara-lo, o mesmo apenas se afasta um pouco.

Chanyeol – Lindsay.- Digo firme, descendo as escadas -

Lindsay – Amor, quem é ele? O que ele faz aqui?

Chanyeol – Ele se chama Baekhyun, Lindsay - Me aproximo - E está aqui, porque agora é meu Ômega.

Lindsay – Então você me trocou? É isso, Channie? - Ela fala com um biquinho -

Chanyeol – Eu não lhe troquei.. Quero dizer.. Eu-..

Lindsay – Hm, bom mesmo.. - Ela me interrompe e se encosta em meu peito -

Chanyeol – Baekhyun, suba.. Preciso falar com ela.

Baekhyun – S-sim, Chanyeol.

            Vejo Baekhyun subir as escadas, já com os olhos marejados, rapidamente e ir em direção ao quarto.

            Pela primeira vez, senti meu coração se quebrar em milhões de pedaços. Ver Baekhyun chorando para mim é um castigo.

Lindsay – E a gente bebê? Nós não vamos nos divertir?  - Ela pergunta, fazendo minha atenção voltar para ela -

Chanyeol – Lindsay, O que faz aqui?

Lindsay – Vim ver meu namorado, ué.

Chanyeol – Lindsay, vá embora. E, pela milésima vez, não sou mais seu namorado.

Lindsay – Eu sei que você me quer... Sei disso.. Todos sabem.

                 A garota se aperta a mim, fazendo com que eu sinta seu cheiro azedo de limão.

            Ela se apoia em meus ombros e vai até o ‘pé’ da minha orelha, me fazendo me arrepiar, abre a boca e assopra em meu ouvido, fazendo-me arrepiar-me.

Lindsay – Eu sei que você está louco para foder alguém, Park Chanyeol. Por que não me fode?

Chanyeol – Lindsay, sai.

                Ela suspira frustrada e se afasta.

                Confesso que estou com a maior vontade de foder alguém, mas.. Ah, estou enlouquecendo.

              Lindsay desce sua mão lentamente e calmamente por meu corpo e para em cima ‘daquele lugar’, onde começa a massagear meu membro por cima da calça jeans que eu estava usando.

                 Eu não consigo resistir... Não consigo.

                 Pego Lindsay nos braços como um saco de batata e subo as escadas em direção ao meu quarto.

                 Perdão, Baekhyun.

                 Perdão.

- Pov. Baekhyun ON -

                Subo rapidamente as escadas e vou em direção ao quarto, com os olhos totalmente cheios de lágrimas..

“Não, não vou entrar nesse quarto...” – Penso

                Mudo meu caminho rapidamente e entro no banheiro ao lado do quarto, fechando e trancando a porta logo em seguida.

                Ouço a porta do quarto se abrir e fechar rapidamente, com um estrondo. Ouço a voz da mulher e de Chanyeol.

                O que vão fazer? Oh, não..

                ...

          Depois de um tempo ouvindo os dois, ouço gemidos, gemidos altos e ‘calorosos’ vindos do quarto.

          Minha vontade é de sumir e nunca mais voltar, nunca!

           Devia ter pedido ajuda quando pode, mas agora.. Ah, agora eu quero mesmo é morrer.

            ...

           Saio do banheiro e desço as escadas rapidamente. Meus olhos já estavam começando a arder, por causa do tanto de lágrimas que desciam.

               

         Quando acabo de descer as escadas, me deparo com Mihail limpando a sala, a mesma percebe minha presença e vem até mim.

Mihail – Aah, Bebê, não fique assim... O que aconteceu?

            Mihail me abraça, mas não era um simples abraço, e sim um abraço amoroso e reconfortante.

            Precisava tanto disso, Mihail.

 

Mihail – Eles estão transando, não é?

Baekhyun – S-sim.. - solto um soluço choroso - Por quê? Por que EU tenho que viver aqui?.. Ele disse que me amava.. Ele disse, Mihail..

Mihail – Olha - ela me afasta de seu corpo - Que tal você ir comigo na estufa lá fora?

Baekhyun – Mas o Chanyeol-..

Mihail – Vamos logo, vai ser rápido, e afinal, ele está com aquela... espécime de baleia não identificada. - Ela fala revirando os lindos olhos -

            Rapidamente, Sou puxado por Mihail até os fundos da Mansão onde fica a estufa.

Mihail – Espero que você goste da estufa! - Ela abre a porta-

               Ela abre totalmente a porta, fazendo com que eu visse o quanto Chanyeol tinha ‘poder’.

            Há um grande campo nos fundos da casa, cheio de arvores e partes com pequenos chalés. Mais ao fundo, há um pequeno chalé velho, um pouco destruído.

         O que dizer sobre a estufa? Maravilhosa! Ela é grande, muito grande, toda decorada. Suas paredes são feitas de vidro transparente, seu piso é de madeira e há flores por toda parte. É até difícil imaginar que nessa casa vive um homem como Chanyeol.

Baekhyun – Mihail... - coloco a mão na boca - Essa estufa é linda!

Mihail – - ri - Não é? Eu sempre cuidei muito bem dela para que a mesma não ficasse feia, foi uma promessa a senhora Park.

Baekhyun – Então fez um ótimo trabalho, muito bom. - sorrio -

Mihail – Obrigada, pequeno.

            A senhora Park simplesmente tem bom gosto.

            Começo a andar pela estufa, que por sinal era bem grande, e vejo uma flor.. Preta?

Baekhyun – Mihail, essa flor é realmente preta? - aponto para a flor -

Mihail – Oh, sim. Ela é uma flor de descendência Holandesa (Não é verdade genteney), se chama Petúnia Preta. Muitos falam que ela fica viva assim quando um amor entre duas pessoas está ativo, mas é só mais uma lendinha.

Baekhyun – É bonita.. Muito bonita.

Mihail – Sim.

            Afasto-me um pouco de onde estava e começo a procurar mais flores “coloridas”. Está tudo tão quieto.

            ...

            Sinto alguém puxar meu braço e me viro para sua direção.

            É Chanyeol.

Baekhyun – C-chanyeol..

Chanyeol – O que faz aqui fora, baby? - O encaro. Ele ainda tem coragem de me chamar assim? -

Baekhyun – (Então ele não viu que eu estava com a Mihail, Hm..) N-nada, Daddy..

Chanyeol – Nada?

Baekhyun – Só queria tomar um ar e ver as plantas.

Chanyeol – Você não tem a minha permissão para fazer isso. Entre!

Baekhyun – S-sim, Daddy.. ( Por que ele está assim?)

            Vou em direção à porta, mas sou puxado pelo pulso por trás.

Chanyeol – Você viu quem está aqui, não é?

Baekhyun – Sim.

Chanyeol – Eu... Só... A gente só estava conversando.

Baekhyun – Claro, conversando na linguagem dos gemidos, foi? Deixe-me ir Chanyeol, só isso. - Me viro -

Chanyeol – Baekhyun, espera.. - Ele fala um pouco alto -

Baekhyun – Está tudo bem... Eu não ligo.

Chanyeol – O que? Hey, Baekhyun!

            Entro na casa, ignorando tudo que ele falava e vou em direção à cozinha o mais rápido que consigo, Mihail estava lá, sei que estava.

            Chego até a mesma e a vejo.

Mihail – Pequeno.. - Ela cochicha - Está tudo bem? Oh..

Baekhyun – S-sim - uma das lágrimas que eu tanto estava segurando, escorre por meu rosto -

Mihail – Oh, meu bebê.. - Ela me abraça - Está tudo bem.. Vou pegar o kit de primeiros socorros, fique aqui, sim?

Baekhyun – Para que?

Mihail – Olhe em sua perna. - diz e sai da cozinha, indo atrás do kit -

            Olho para minha perna. Havia um corte em minha coxa, um corte pequeno, porém estava sangrando. Talvez eu tenha raspado em uma flor com espinhos.

            Mihail entra novamente na cozinha, mas agora ela estava com o kit em suas mãos.

Mihail – Sente-se na cadeira, pequeno.

            Sento-me em uma das cadeiras que estavam ali e vejo Mihail vir em minha direção com um algodão e um remédio, ou melhor, uma pomada.

Mihail – Vai arder um pouco, tudo bem?!

Baekhyun – O-okay.. - Falo meio receoso. Eu ODEIO me machucar e depois ter que passar remédio -

            Mihail pega o algodão, que por sinal devia ter algum tipo de remédio, e passa em meu corte.

Baekhyun – Aigo, aigo. – cochicho, sentindo o corte arder -

Mihail – Pronto, pronto.. Já foi - Ela fala por fim, antes de passar a pomada e colocar um band-aid no corte -

Baekhyun – Obrigada, Mihail. - Falo por fim e logo sorrio -

Mihail – Sempre ao seu dispor.

            Mihail sai da cozinha com o kit e me deixa ali sentado. Acho bom eu tomar um banho, se bem que ainda tenho que esperar o remédio fazer efeito no corte para depois tira-lo na água.

            ...

           Vejo a tal mulher, Lindsay, entrar na cozinha apenas de sutiã, calcinha e uma espécime de camisola transparente, o que me deixa vermelho. Ela, por sua vez, me encara enquanto vinha até a minha direção.  

Lindsay – Olá, vadiazinha linda do Chanyeol.

Baekhyun – ... (O que? Vadia? Quem ela acha que é?) A-ah..

Lindsay – Não vai me responder? Quer que eu conte para o Chanyeol que a vadia dele está me tratando com falta de respeito?

Baekhyun – Como? Vadia dele...? N-não me chame assim!

Lindsay – É, ele te comprou para isso, para você ser a vadia de estimação dele. - Ela ri -  

Baekhyun – ...

Lindsay – Você é muito calado.- ela revira os olhos -  Me diga seu nome.

Baekhyun – Baekhyun, Byun Baekhyun.

Lindsay – Hm,.. bom, não quero você perto do que é meu, ou seja, não quero ver você perto do Chanyeol. Afinal, quem gostaria de ficar perto de um lixo igual você? Não sei como ele não tem nojo de você. Você é um Ômega nojento..

Baekhyun – (Será um prazer.) Entendo.

Lindsay – Bom, então bye bye, vadia. - Ela sai toda sorridente -  

            Espero a mulher sair da cozinha e desabo no chão, deixando varias lágrimas saírem pelos meus olhos.

            Então, por que você me comprou Chanyeol? Por quê? Para eu virar sua vadia particular? Foi isso?

            Eu só queria voltar para minha casa.. Ver meus pais, amigos, primos, professores.

                ...

           

            Levanto-me do chão após a queda e vou em direção as escadas, talvez se eu subir para o meu quarto..

            Quando chego a mesma me deparo com uma Mulher sentada nos degraus. Aproximo-me um pouco e a mesma me olha.

? – Você...

            A garota se levanta e vem em minha direção.

? – Eu te conheço... Seu nome é Baekhyun, Não é?

Baekhyun – S-sim.

? – AI MEU DEUS!

            A garota me abraça fortemente, com vontade. Sinto a camisa que eu usava ficar molhada em certa parte, ela deve estar chorando.

            Afasto seu corpo do meu e olhos em seus olhos, estavam cheios de lágrimas.

? – - sorri - Que bom que você está bem... Ele não te machucou...

Baekhyun – Não chore, por favor...

            Passo meu dedo por onde a lágrima havia passado em seu rosto, ela apenas sorri.

? – Você não se lembra de mim?..

Baekhyun – Me desculpe, mas eu não te conheço.

? – Estranho..

No mesmo momento em que disse que não a conhecia, a mesma deixa uma expressão triste dominar seu rosto.

? – Sou Ketylline, prazer.

Baekhyun – Como?

Ketylline  – Ketylline - ri - É meio difícil pronunciar..

Baekhyun – Prazer.. - sorrio -

            Sinto que conheço a garota de algum lugar..

Ketylline  – Você sabe onde está meu irmão?

Baekhyun – Irmão?

Ketylline  – Sim, o Chanyeol.

Baekhyun – A-ah.. Está lá em cima.

Ketylline – Está tudo bem? Aconteceu alguma coisa?

Baekhyun – N-não, estou bem!

            Ketylline começa a me olhar de cima a baixo, o que ela está fazendo? Sua expressão muda de calma para chocada.

            O que ela está olhando? ...

Ketylline – Ai meu deus = ela cochicha -  O que ele fez?

            Comecei a olhar meu corpo, não havia nada no mesmo. O que ela está pensando?

Ketylline – Ele te machucou? Bateu? Maltratou? Decepcionou?

Baekhyun – - abaixo a cabeça - Ele só me deixou magoado...

Ketylline – Por que magoado? - Ela cruza os braços -

Baekhyun – Ele disse que me amava e tudo, mas trouxe uma mulher aqui, ela por sua vez dizia ser sua namorada...

Ketylline – Aish, eu vou bater nele! Aposto que aquela vadia ta aqui, vou aproveitar e bater nela também.

            Ketylline começa a subir as escadas rapidamente, por impulso, começo a subir as escadas também. Não posso a deixar entrar naquele quarto. 

Baekhyun – Ketylline!

            A mesma para.

Baekhyun – Por favor, deixe seu irmão...

Ketylline – Por que eu faria isso?

Baekhyun – Por favor... - falo manhoso -

Ketylline – Aish, ta bom.

            Ela vem em minha direção.

Ketylline – É melhor você me explicar tudo.

            Descemos as escadas e Ketylline me puxa para o jardim. Quando saímos da casa, eu paro.

Ketylline – O que foi?

Baekhyun – Não posso sair da casa...

Ketylline – Agora você pode, vem.

            Ketylline volta a me puxar pelo jardim, que dava acesso a parte mais isolada do campo que havia visto.

            Deparo-me com um portão fechado que dava a  parte isolada do jardim.

Ketylline – Talvez ele brigue comigo, mas vale à pena tentar... - ela cochicha -

            Ela abre o portão e entramos na parte separada do jardim.

             Aquele lugar... É lindo!

            Ali havia uma mesa cinza em formato circular e duas cadeiras brancas.

            Andamos até a mesa com as cadeiras e Ketylline me pede para sentar-me.

Ketylline – Sente-se.

            Sento-me e ela se senta logo em seguida.

Ketylline – Vamos, me conte.

            Talvez eu deva falar...

~ 25 Minutos depois ~

Ketylline – EU NÃO ACREDITO QUE ELE FEZ TUDO ISSO.

Baekhyun – Por favor, fale baixo..

Ketylline – Me desculpe, mas... Aish, estou com raiva.

Baekhyun – Eu só queria voltar para casa, sabe...

Ketylline – E você vai, mas me conte uma coisa...

Baekhyun – O que..?

Ketylline – Você não se lembra de Chanyeol?

Baekhyun – Não.

Ketylline – Como será que você esqueceu? Aconteceu alguma coisa nesses anos?

Baekhyun – Bom, minha irmã se casou, meus pais viajaram para Nova York e eu... bom... sofri um pequeno acidente.

Ketylline – É isso! - Ela fala um pouco alto - O acidente pode ter feito você se esquecer dele!

Baekhyun – É... Talvez.

Ketylline – Olha, eu vou cuidar muito bem de você, okay?

Baekhyun – Certo.. - sorrio -

Ketylline – Não ligue muito para o jeito do Chanyeol, ta? Ele mudou muito... Ele não era assim..

            Ela abaixa a cabeça, suspirando baixo.

Baekhyun – O que aconteceu?

Ketylline – Há um ano e meio, nossos pais morreram em um acidente. Chanyeol, por sua vez, ficou totalmente diferente. Hoje, ele trata os empregados com desprezo, não sorri mais, vive irritado, ficou bipolar, bate em todo mundo... Ah, como eu queria o antigo Chanyeol.. - Ela faz uma pausa - Hoje em dia ele trás prostitutas para casa, junto dos amigos idiotas que ele tem.

Baekhyun – Meus pêsames, Ketylline..

Ketylline – Obrigada, Baekhyun. Bom, uma coisa que o acalma, é a estufa.

Baekhyun – Por quê?

Ketylline – Nossa mãe sempre nos trazia aqui... Esse lugar é um local de lembranças boas...

Baekhyun – Esse lugar está um pouco sujo, na verdade.. Está sem cuidados.. - falo olhando em volta -

Ketylline – Sim... Eu queria tento arrumar esse lugar.

Baekhyun – Por que não arruma?

Ketylline – Chanyeol.

Baekhyun – Ele não quer?

Ketylline – Ele, simplesmente, não quer muda nada.

Baekhyun – Entendo.

Ketylline – Entende?

Baekhyun – Sim - sorrio fraco - Ele só tem amor por esse lugar.

Ketylline – ... - sorri - Sim..

Baekhyun – Ele não quer mudar nada, pois para ele esse local é mais do que sagrado.

Ketylline – Vamos reformar nós dois?

Baekhyun – O que?

Ketylline – É! Para que fique igual era! Esse jardim está sem cor... Sem vida.

Baekhyun – Bom... Se você quiser.

Ketylline – EU QUERO!

            Kety rapidamente se levanta e vem até mim. Levanto-me e a mesma me abraça.

Ketylline – Obrigada.

Baekhyun – De nada, Kety.

Ketylline – Hm, acho que estamos esquecendo que aqui vive meu irmão.

Baekhyun – Ele não via permitir que você fique comigo.

Ketylline – Ele não manda em mim.

            Sou puxado por Kety para fora do jardim fechado e a mesma me leva para dentro de casa.

            ...

         Quando chegamos à sala nos deparamos com Chanyeol sentado no sofá e Lindsay em seu colo assistindo TV. Chanyeol parece irritado e pensativo, já Lindsay.. Parece uma.. Digamos.. Putinha.

             Eles nos olham.

Chanyeol – Ketyie, o que faz aqui há essa hora? Não devia estar no colégio? – Chanyeol arqueia uma sobrancelha -

Ketylline – O que ELA faz aqui? - aponta para Lindsay -

Lindsay – Vim ver meu namorado.

Ketylline – Eu não falei com você, putinha de segunda classe.

            Eu podia ver, podia ver a expressão de raiva que predominava no rosto de Ketylline.

Chanyeol – O que estava fazendo junto a ele?

Ketylline – Não é da sua conta, Park Chanyeol.

Chanyeol – Ketylline, não sou qualquer pessoa para falar assim comigo.

            Chanyeol havia alterado seu tom de voz, estou começando a ficar com medo.  Coloco-me atrás do corpo de Ketylline.

Ketylline – Está tudo bem, pequeno, suba para o meu quarto e não saia de lá.

            Passo rapidamente por Chanyeol, sua expressão era de raiva e tristeza, e subo as escadas em direção ao quarto de Ketylline.

            ...

            Quando chego em frente ao seu quarto entro e fecho a porta.

*Quebra de tempo*

            Ouço e porta abrir e me levanto, já que estava sentado sobre a cama, na esperança de ser Ketylline.

            Chanyeol entra no quarto e vem em minha direção, com um olhar sério.

Chanyeol – Eu falei para você que não era para sair de casa, não é?.. Vou precisar conversar seriamente com você, Byun Baekhyun. Acho que preciso te ensinar a obedecer às pessoas a sua volta, não acha?

                      Não...


Notas Finais


- NADA PARA DECLARAR -


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...