História My Little Cat Girl - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Hetero, Híbrido, Jimin
Visualizações 144
Palavras 4.006
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieee
Bem aqui vão as desculpas pelo capítulo que vem a seguir.
Eu sei que vocês estão gostando das cenas supercute dessa fanfic, mas infelizmente não terá nada de fofo nesse capítulo (eu acho, depende da visao de cada um)
Eu não queria postar um capítulo apenas com safadeza, mas eu não pude evitar, foi mais forte do que eu kkk
Sinto muito se o capítulo não lhes agradar, se esse for o caso peço que ignore esse capítulo pq não tem praticamente nada de importante que você precise prestar atenção.
Eu juro que pensei em fazer um outro capítulo, mas como eu já tinha feito esse fiquei com dó de apagar. Espero que as pessoas que tenham gostado comentem para eu saber. Não tenha vergonha ^-^ eu juro que não mordo e nem sou ignorante. Irei ler cada palavra com muito carinho :3
Desculpe pelos erros ♡

Capítulo 12 - O banho mais longo


Fanfic / Fanfiction My Little Cat Girl - Capítulo 12 - O banho mais longo

Ela não podia estar mais feliz. Jimin estava ao seu lado dormindo tranquilamente, agarrado ao seu corpo enquanto murmurava palavras sem nexo algum. Passou a mão pelos cabelos lisos e macios de Jimin vendo-o sorrir mesmo dormindo, ela sorriu também, tirando a franja do mesmo do caminho dos seus olhos. Ela estava feliz porque Jimin finalmente havia falado que a amava, o amor dos dois era mútuo. Suas dúvidas sumiram após a noite que passaram juntos. Só em pensar naquilo os pelos de Mi-Cha se arrepiavam e um sorriso maior brotava em seu rosto. A mesma se ajeitou na cama encarando as pálpebras de Jimin, seu cabelo preto bagunçado, seus braços musculosos agora com arranhões e suas bochechas incrivelmente rosadas. Jimin conseguia ser maravilhoso até daquele jeito.

Olhando ele daquele jeito tão fofo até a fazia esquecer da dor presente em seu íntimo. Não era uma dor forte, mas era incômoda. Pressionou suas pernas uma nas outras sentindo aquela dor ficar maior, mas não ao ponto de fazê-la chorar, Jimin tinha sido o mais carinhoso possível e fez de tudo para ser o menos dolososo possível, com aquele simples ato ela ficava cada vez mais feliz, esquecendo totalmente daquela dor.

Depois de alguns minutos olhando aquele rostinho rosado de Jimin o viu se mexer na cama, virando seu corpo ficando de costas para ela. Naquele momento ela se assustou. Jimin estava com as costas e ombros praticamente rasgadas por suas unhas. Levou a mão aos lábios totalmente espantada, era possível ver o desconforto de Jimin, ele se encolhia na cama ao sentir o frio passar por suas costas feridas. Ela ainda não conseguia acreditar que havia feito aquilo, ela sabia que suas unhas eram grandes e não devia ter exagerado ao apertar Jimin como se fosse o lençol de sua cama. Se levantou da cama percebendo sua nudez obtendo uma cor avermelhada em suas bochechas. Lembranças frescas passavam por sua cabeça, seus toques, beijos, estocadas… Tudo estava tão fresco. Rolou seus olhos pelo quarto procurando alguma peça de roupa para vestir o mais rápido possível, ela estava com vergonha, vergonha de Jimin acordar e ver seu corpo nu novamente. Andou até sua calcinha jogada no chão, sentindo seu íntimo doer um pouco novamente, estava sendo chato caminhar com aquela dorzinha, ela queria se sentar o mais rápido possível. Pegou a peça íntima e a vestiu, agora procurando por alguma camisa, decidiu pegar a camisa que já usava de Jimin e a vestiu em seguida. Levou as mãos a cintura pousando-as ali, pensando em alguma forma de desinfetar as feridas de Jimin. Uma lembrança passou por sua cabeça como um filme e a fez sorrir, ela lembrou dos dias que se machucava quando mais nova e a mãe de Jimin passava álcool em seus machucados e depois brigava com ela, sentia falta daquilo, ela era como uma mãe para ela.

Deslizou as mãos de sua cintura até tocar a camisa que usava, apertando-a. As feridas nas costas de Jimin estavam a incomodando e ela queria tratar daquilo o mais rápido possível. Foi até o banheiro procurando pelo álcool medicinal até encontrá-lo atrás do espelho. Ela sorria com aquilo, era tão estranho puxar o espelho e ver pequenas prateleiras atrás, aquilo era fantástico para Mi-Cha, mesmo sendo algo estranhamente normal. Foi até o armário de Jimin procurando agora pelo algodão, ela não iria apenas derrubar o álcool em cima de suas costas como sua mãe fazia. A senhora Park não era tão delicada assim, como castigo por ter aprontado ela despejava o líquido sobre o machucado e não permitia você de fazer careta, aquilo era para aprender a nunca mais se machucar para não passar por aquilo novamente.

Achou o algodão e sorriu aliviada por finalmente encontrar. Correu até a cama de Jimin e sentou-se sobre o começo de suas costas - que não estavam machucadas - e virou a ponta do recipiente já aberto no algodão, molhando-o pela metade. Puxou um pouco o lençol de Jimin deixando suas costas expostas para ela. Olhar para aqueles braços musculosos, as costas com as curvas perfeitas, sua pele brilhante e macia a fez se sentir a gata mais sortuda do pedaço.

Ele era lindo, ele era apenas dela.

Balançou a cabeça retornando ao foco, levou o algodão e tocou em suas feridas dando várias batidinhas pela região. Ela deu um pequeno pulo ao ver Jimin acordar assustado.

— Mi-Cha? — sussurrou com os olhos semicerrados virando seu rosto para vê-la em cima de seu corpo.

— B-bom dia. — ela estava envergonhada, não queria admitir mas, era uma situação estranha aquela.

— O que faz ai em cima? — falou brincalhão agora apoiando seu rosto na própria mão, encarando-a.

— Estava apenas… Suas costas… — disse meio embolado desviando os olhos dos dele.

— Minhas costas? — se virou na cama junto com Mi-Cha ficando de barriga pra cima, mas a mesma não se moveu tanto, ela continuava em cima dele so que em seu colo.

— Jimin! — Mi-Cha o repreendeu ao sentir que suas palavras foram totalmente ignoradas por ele.

— Hm? — ajeitou um pouco os cabelos bagunçados olhando risonho para sua gatinha, ela era fofa com raiva.

Ela olhou no olhos de Jimin, pensando no que diria. Ela não sabia o porquê, mas era difícil dizer que estava tentando tratar das feridas causadas por ela mesma.

— O que é isso na sua mão? — disse ainda com o sorriso na cara. Era de manhã e por incrível que pareça ele estava apenas um pouco cansado, mas ele não conseguia ficar sério olhando para Mi-Cha, e toda fez que ouvia sua voz seu cansaço parecia ir aos ares.

— É um algodão. — disse ainda envergonhada tentando escondê-lo.

Jimin a olhou um pouco sério, mas ainda tinha um pequeno sorriso em seus lábios devido a sua gatinha estar em seu colo, sentada onde não devia e ainda com os botões da camisa mal abotoados.

— Por que estava passando esse algodão em minhas costas?

— Bem… — desviou seus olhos novamente e se mexendo meio desconfortável. — Eu machuquei suas costas ontem,  e eu apenas queria tratar dos arranhões.

Jimin sorriu abertamente fazendo seus olhos praticamente sumirem, ela era fofa demais, se preocupava com pequenos arranhões que para Jimin não eram nada.

— Não precisa minha linda. — levantou suas costas do colchão e passou a suportar seu peso com suas mãos.

— Precisa sim. — fez um bico manhoso olhando Jimin com as sombrancelhas juntas.

— Tá, mas primeiro vamos tomar um banho, depois vamos fazer isso.

Ela pensou um pouco ainda com os lábios formando um bico.

— Tudo bem.

Jimin sorriu e concordou com a cabeça, encarando os lábios de sua gatinha enquanto levava sua mão para os cabelos da mesma iniciando um carinho.

— Mas antes, eu quero meu beijo de bom dia.

Ela não apresentou nenhuma relutância, invés disso ela inclinou seu corpo com um sorriso fofo nos lábios, fechando os olhos e esperando ansiosamente para que ele a beijasse. Ela adorava quando Jimin iniciava o beijo e também assim, ela poderia entender através daquele ato como ele queria o beijo. Mesmo ele pedindo pelo beijo ela queria que ele desse a iniciativa.

Jimin continuou acariciando os fios de Mi-Cha observando seu rosto sereno e seus olhinhos fechados. Ela era linda demais para ele.

Aproximou seu rosto devagar ainda olhando com cuidado cada pedaço de seu rosto, e só naquele momento ele percebeu algo que a deixou mais linda aos seus olhos.

Ela tinha sardas, bem claras, quase impercebível aos olhos.

Ele sorriu ao perceber aquele pequeno detalhe. Tirou a atenção que tinha em seus cabelos e desceu a mão até chegar em seu rosto e passou acariciar acima de sua bochecha com o polegar.

Mi-Cha relaxou a expressão que tinha no rosto com os olhos ainda fechados, aquele simples carinho era tão bom, ela queria ficar presa naquele momento por horas, apenas apreciando-o. Aquilo não parou até mesmo quando Jimin tocou seus lábios com os dele, iniciando um ósculo calmo e delicado, nenhum dos dois estavam com pressa, eles queriam apenas apreciar o momento.

Jimin tirou sua outra mão que o sustentava na cama e a levou até a cintura de Mi-Cha, dando um leve aperto naquela região. Aquilo era para ser apenas um beijo, era o que Mi-Cha pensava mas não demorou muito para que Jimin aprofundasse mais. Ele virou a cabeça fazendo suas bocas se encaixarem perfeitamente, levou sua mão que antes acariciava suas sardas claras e subiu novamente para seus cabelos, enrolando alguns de seus fios em seus dedos. De pouco em pouco seus corpos foram ficando mais quentes, o beijo foi ficando mais intenso, eles não conseguiam se controlar - principalmente Jimin.

— Mi-Cha… — sussurrou seu nome mais como um gemido.

A voz rouca de Jimin fez os pelos de Mi-Cha se eriçarem, um arrepio gostoso correu por todo seu corpo.

Separou suas bocas por um curto período de tempo para recuperar o oxigênio que foi roubado por Jimin. Abriu os olhos para olhar Jimin, seus olhos brilhavam e a encaravam com ternura, seus lábios estavam entreabertos e extremamente inchados e vermelhos, aquela era uma cena muito excitante. Era bom sentir a respiração quente e rápida em seu queixo, era bom estar ali sentindo seus beijos e carícias. Mais uma vez ela queria que aquilo nunca acabasse, ela queria sempre estar ao lado de Jimin, pois tinha certeza que apenas ao seu lado e apenas com ele, sentiria aqueles sentimentos e sensações maravilhosas. Ele, sem conseguir segurar por mais tempo voltou a beijá-la, mas dessa vez com a presença de sua língua.

Ele mais uma vez apertou a sua cintura, agora ouvindo um arfar por parte de Mi-Cha, eles estavam ultrapassando o beijo de bom dia, mas estava sendo difícil parar. Jimin envolveu seu pequeno corpo com seus braços fortes e aproximou mais seu corpo ao dele. Mi-Cha passou a mão por suas costas esquecendo totalmente que estavam machucadas, mas aquilo não incomodou Jimin já que ela fazia carinho naquela região, que era até gostoso. Ela se afastou com poucos centímetros de sua boca.

— Jimin…— chamou pelo mesmo com dificuldade, sua voz estava rouca e baixa mas ele conseguiu ouvir perfeitamente.

— Hum? — ele agora beijava seu pescoço.

Ela não conseguiu responder, tentou dizer algo, mas sua voz não saia. Ela apenas mexeu seu quadril desconfortávelmente, tinha algo em baixo daquele lençol que a incomodava. Ela não sabia o que era, várias coisas passavam por sua mente, mas nada se assemelhava àquilo. Por pura curiosidade ela desceu uma de suas mãos que estavam nas costas de Jimin e finalmente pegou naquilo por cima do lençol. Por consequência Jimin gemeu rouco e mordeu os lábios com força. Mi-Cha observou aquela cena com um ponto de interrogação no meio da testa, ainda segurando “aquilo” na mão.

— Eu estou adorando a sua mão. — Jimin sussurrou perto de seu ouvido e o mordeu em seguida, respirando pesado.

Ao ouvir aquilo Mi-Cha soltou o membro de Jimin que mudou sua expressão safada para uma pidona. Totalmente envergonhada ela tapou seu rosto com as mãos não conseguindo olhar Jimin, que agora ria com a vergonha da menina.

— Mi-Cha. — segurou seus pulsos com delicadeza sem tirá-las de seu rosto e beijou as costas de cada uma de suas mãos. — Vamos tomar um banho, hm?

Ela concordou com a cabeça, mas não se movia do lugar. — Hey. — a chamou calmamente com um sorriso no rosto.

Com as mãos ainda segurando os pulsos de Mi-Cha Jimin fez um carinho com o polegar em um pedido mudo para que ela não ficasse com vergonha. Entendendo o que Jimin queria dizer, ela tirou as mãos do rosto e encarou-o com os lábios precionados e vermelha como um pimentão.

— Desculpa.

— Está tudo bem, meu anjo. — beijou o topo de sua cabeça. — Fica aqui, vou encher a banheira.

Mi-Cha concordou e saiu de cima de Jimin, vendo-o se levantar da cama ainda nu. Novamente a vergonha lhe atingiu e tapou o rosto novamente. Jimin riu mais uma vez antes de ir em direção ao banheiro.

•••

Não demorou muito para que o barulho de água parasse e a voz de Jimin estivesse presente chamando-a para que ela adentrasse o cômodo. Naquele momento seus olhos se arregalaram, não havia caido a ficha que eles tomariam banho juntos. JUNTOS! Compartilhariam do mesmo espaço naquela banheira consideravelmente grande. Deu uma rápida olhada para sua camisa e a apertou, a possibilidade de ficar nua diante dos olhos de Jimin a envergonhou totalmente. Mesmo ele tendo visto todo seu corpo noite passada.

— Não vai vir? — Jimin apareceu no batente da porta ainda nu.

Mi-Cha deu uma rápida olhada no corpo de Jimin e prendeu seus olhos ali, completamente em transe. Faltava morrer de vergonha, mas ela não conseguia tirar seus olhos de cada parte de seu corpo. Continuava sendo lindo demais para não se apreciar.

Ela concordou com a cabeça agora com os olhos fixos em seu abdômen definido, contando cada gominho que ele possuia. Ela não entendia porque fazia aquilo, mas não conseguia evitar.

Jimin sorriu convencido com o olhar de sua gatinha, ela realmente parecia adorar o que via. Passou a mão por seus cabelos um pouco suados e chamou-a com o dedo indicador. Ela sentiu que sua cabeça iria explodir, ou simplesmente teria um infarto. Ela então se levantou da cama como se estivesse mesmo hipnotizada e andou em direção à Jimin, que ainda tinha o sorriso no rosto. Assim que ela chegou perto, ele entrelaçou seus dedos nos dela e levou-a até a banheira.

— Vai entrar vestida?

— Ahm? — Mi-Cha estava meio abalada, saber que tomaria banho junto à ele era tão vergonhoso, mas não parecia uma idéia tão ruim assim. — Ha.

Ao perceber que ainda estava vestida Mi-Cha levou as mãos aos botões da camisa e tentou desabotoar, mas o olhar de Jimin sobre seus dedos a incomodou. Ele já estava sentado na banheira e olhava atentamente cada movimento seu, e esperava ansiosamente para que ela entrasse logo. Assim que terminou a camisa deslizou facilmente pelo corpo se Mi-Cha, logo fez o mesmo com sua peça íntima, que também deslizou por entre suas pernas. Jimin olhava aquela cena com os olhos brilhantes e não disfarçada estar adorando a visão.

Ela, extremamente envergonhada sob o olhar de Jimin resolveu entrar logo naquela banheira, ficando por trás de seu corpo. Jimin suspirou em negação, ele queria que ela ficasse em sua frente, mas ela queria ficar ali, para poder ensaboar finalmente seus machucados.

Antes de passar o sabonete - no qual já havia pegado na saboneteira da parede - observou as costas de Jimin ainda preocupada. Na verdade, aquilo não era nada, apenas tinha alguns arranhões, mas eram pequenos. Finalmente pegou o sabonete e passou em suas costas ensaboando com delicadeza. Jimin só sabia sorrir e aproveitar aquele carinho especial em suas costas, aquilo era tão bom.

Ela passou a saboar cada pedaço de suas costas e ombros com todo o cuidado do mundo, como se Jimin fosse um bebê frágil em seu primeiro banho.

— Mi-Cha. — Jimin tirou sua atenção e parou o que fazia.

— Oi?

— Aqui também. — apontou para frente de seu corpo.

Mi-Cha não entendeu de primeira, por também não conseguir enxergar direito já que as costas largas de Jimin atrapalhavam sua visão. Tombou um pouco cabeça e pode ver Jimin apontando para seu abdômen. Com toda a inocência do mundo ela passou a mão naquela região passando a saboa-la também, não dando conta que ele poderia fazer aquilo facilmente ele mesmo. Além daquilo, a tentação de tocar seus gominhos era grande, e por isso não pode resistir.

— Um pouco mais baixo também. — Jimin sussurrou com a voz falha tamanha sua rouquidão.

Mi-Cha concordou com a cabeça sem imaginar as intenções travessas de Jimin. Passou um pouco do sabão na mão e levou até onde Jimin havia dito.

— Aqui? — perguntou saboando quase no fim de sua barriga.

Jimin negou com a cabeça. A mesma estava levemente tombada. Ele estava totalmente relaxado, era como se as mãos dela funcionassem como entorpecentes.

— Aqui?

Jimin novamente negou com os olhos fechados.

— Aonde? — falou com calma em sua voz. Ela estava realmente disposta.

— Aqui. — Jimin segurou sua mão e a desceu lentamente até chegar onde ele queria.

Quando Mi-Cha tocou aquela parte do corpo de Jimin o ponto de interrogação surgiu novamente. Ela não sabia o que era aquilo e por pura curiosidade passou a mão por aquela extensão. Ao finalmente perceber Mi-Cha arregalou os olhos e engoliu um seco tentando tirar a mão o mais rápido possível dali, mas Jimin a impediu. Ele prendeu sua mão com delicadeza em seu falo e a encarou por cima dos ombros com um bico. Às vezes Jimin era muito estranho, e ela não conseguia entendê-lo, parecia ter várias personalidades fundidas, e estava conhecendo a de um bebê pidão.

— Continua, por favor.

Ela olhou para aquele rosto e não pode resistir, parecia que o jogo havia virado. Mesmo relutante e pensativa ela resolveu continuar com sua mão ali. Se Jimin gostava ela queria proporcionar mais daquele sentimento para ele, assim como o mesmo havia feito com ela.

Ela olhou para a sua mão e se perguntou o que ele queria com ela ali, ela não conseguia entender. Jimin percebendo que ela não fazia nada então resolveu ajuda-lá. Segurou a sua mão junto a dele e a deslizou pelo seu falo já rijo, em seguida subiu até a sua glande.

— Desse… Jeito. — ditou ofegante tirando sua mão e apenas observando Mi-Cha continuar com os movimentos.

Sua cabeça mantiasse baixa, olhando a mão de Mi-Cha subir e descer, aquilo era tão excitante mas tão errado. Ele sabia que estava praticamente abusando da inocência de sua menina, mas ele não conseguia negar, ele precisava daquilo desde quando acordou, sua ereção chegava a doer. Ele tentou se segurar o máximo possível, mas quando ela passou a mão pelo seu abdômen e encostou ali ele não pode aguentar, ele precisava mais daquela mão lhe tocando.

— Isso… Continua a-assim… — sua voz estava falha, sua garganta estava seca, seu peito subia e descia de forma rápida.

Mi-Cha obdeceu olhando as expressões de Jimin, suas bochechas estavam rosadas, sua boca entreaberta para soltar gemidos baixos e sófregos. Ela não podia negar, estava com vergonha mas olhar Jimin daquele jeito era incrível. Saber que ele estava gostando daquilo lhe deixou feliz.

— M-mais r-rápido… Agora… — pediu pousando sua cabeça na curvatura do pescoço de Mi-Cha, com cuidado para não colocar muito peso ali.

Mi-Cha obdeceu novamente acelerando os movimentos com a sua mão. Naquele banheiro só se escutava o barulho da mão de Mi-Cha batendo na água cada vez que descia a mesma e os gemidos de Jimin, qual ele não conseguia mais segurar.

Seu membro era quente e chegava a pulsar na mão de Mi-Cha, era uma sensação boa, era bom tocar no membro de Jimin.

Não demorou muito para que um gemido rouco fosse solto por Jimin e seu gozo voasse para fora da banheira sujando o chão. Ele virou sua cabeça ainda pousada no pescoço de Mi-Cha e olhou em seus olhos. Ela estava vermelha como um tomate e pressionava os lábios uns nos outros. Ela estava nervosa e era possível ver seus músculos tensos. Percebendo aquilo Jimin depositou um beijo demorado em seu pescoço e acariciou seu braço. Ele ainda se sentia culpado pelo que fez, e o sentimento veio mais forte após ter finalmente gozado.

— Me desculpe. — ditou baixo dando vários beijinhos pela extensão de seu pescoço.

— J-Jimin. — o surpreendou ao chamá-lo repentinamente desviando totalmente do seu pedido de desculpas. Aquilo incomodou Jimin, ela parecia com dor.

— O que foi meu anjo? — disse preocupado arrumando sua postura, ficando totalmente virado para ela. — Você está bem? — passou a mão por seu rosto sentindo-o quente.

— E-eu me sinto estranha.

Jimin franziu a testa tentando entender aquilo. Apenas entendeu quando Mi-Cha passou a tentar cruzar as pernas. Aquilo fez Jimin sorrir travesso, era como se o arrependimento tivesse ido embora.

— Vem, senta aqui. Eu vou fazer isso passar. — pegou Mi-Cha pela cintura e a colocou sentada na ponta da banheira que era mais grossa e virada para a parede.

Suas costas encostaram na parede gelada arrepiando todo seu corpo, ela estava tão excitada que até o arrepio gelado era gostoso.

Jimin se ajoelhou entre suas pernas e tocou seus joelhos com delicadeza com o objetivo de abri-las, mas Mi-Cha não pareceu entender o que ele faria entre elas.

— O que e-está fazendo?

— Eu tenho certeza que você tem idéia. Você quer… — olhou para seus olhos e Mi-Cha mordeu os lábios de vergonha. Seus lábios tocaram a pele sensível de suas duas coxas, dando vários beijos demorados e fracas sucções. — não quer?

Mi-Cha tapou seu rosto e concordou com a cabeça. Jimin sorriu satisfeito e separou suas pernas, sentindo-a tentando fechar por impulso.

— Relaxe… — pediu calmamente.

Mi-Cha concordou novamente e amoleceu suas pernas 

— Hm… Molhadinha. — tocou seu clitóris com o dedo indicador fazendo Mi-Cha estremecer. — E não refiro pela água da banheira.

Ela tirou as mãos do rosto e apertou a borda da banheira sentindo Jimin asoprar seu íntimo. Ao Jimin aproximar sua boca de vez ela não pode segurar seus gemidos.

— Deliciosa… — sussurrou contra seu sexo. Aquela palavra fez Mi-Cha ficar cada vez mais molhada.

Jimin não se reconhecia, ele estava mais safado mas era impossível de evitar.

— J-Jimin... — sussurrou com a voz baixa segurando seus cabelos macios.

Ela se contorcia e tentava a todo custo fechar as pernas, mas Jimin não deixava de jeito nenhum. Suas coxas chegavam a ficar com a marca de suas mãos por causa da força que Jimin usava para separá-las. Jimin contornou seu clitóris com a língua e o chupou com maestria. Ela não conseguia aguentar e puxou os cabelos de Jimin com força, mas ele não parecia ter se importado, ele ainda estava com o foco todo nela.

Depois de alguns minutos seu corpo amoleceu e finalmente havia se desmanchado na boca de Jimin. Ele terminou seu “trabalho” dando vários beijos estalados pelas coxas de Mi-Cha, que observava-o com os olhos semicerrados e a boca entreaberta. Ele subia cada vez mais com os beijos, passando pela barriga, peito, pescoço até chegar em sua boca, deixando um selinho demorado.

— Você é ótima. — sussurrou perto de seu ouvido sentindo Mi-Cha se arrepiar. — Vem aqui. — segurou sua mão e a fez levantar - meio bamba pelo recente orgasmo - e contornar a banheira até sentar-se na frente de Jimin.

O mesmo deu vários beijos pelo pescoço de Mi-Cha e pela sua clavícula. Ela permanecia de olhos fechados ouvindo aqueles sons molhados produzidos pelos lábios de Jimin.

— Já que você… — deu um beijo demorado em sua nuca e a abraçou por trás. — foi uma boa menina… — deu outro beijo estalado em seu pescoço. — irá ganhar uma recompensa. — Deu um outro beijo e acariciou sua cintura.

— Que recompensa? — disse risonha por consequência de seus beijos que faziam cosquinhas.

— O que você quiser. — cessou os beijos pousando sua cabeça no ombro de Mi-Cha, ainda com os braços envoltos de sua cintura.

Ela pensou um pouco ainda meio abobada, mas conseguiu pensar em algo que realmente ela queira.

— Vai trabalhar hoje?

— Não. — negou com os olhos fechados sentindo o cheiro do seu cabelo.

— Sério? Então eu quero que você passe o dia inteiro comigo. — disse animada batendo palminhas.

Jimin ficou sorridente depois daquilo. Ele concordou com a cabeça e passou a abraçá-la com mais um pouco de força.

— Ok, então vamos tomar nosso banho.

Mi-Cha riu, ela tinha esquecido totalmente daquilo.

— Está bem. 


Notas Finais


Olá novamente aqui em baixo. Peço desculpas pelo tanto de palavras, eu acho que me empolguei um pouquinho kkk
Vocês gostam de capítulos grandes como esse ou preferem eles mais curtinhos? Eu começei a achar que poucos gostam do tamanho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...