História My Little Hybrid - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Híbrido, Hybrid, Jikook, Jimin, Jungkook
Exibições 504
Palavras 1.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Chegay
Ahn ahn, chegay
Parey
Bom, já tem um tempo que eu tô com essa fanfic na cabeça, mas quem disse que eu tenho coragem de postar?
*****Lembrando aqui*****
O Jimin é menor e mais novo que o Jancu
Só isso mesmo
Tchauzãooo

Capítulo 1 - The Little Hybrid


Acordo com o barulho alto do despertador, que eu só não quebro por que é o meu próprio celular. Estava na hora de ir para a faculdade, que na minha opinião parece muito mais uma prisão de segurança máxima. Me levanto num pulo antes que Taehyung comece a gritar que já está na hora de ir para a faculdade.

Percebo que levantei tarde demais quando ouço batidas fortes na porta de meu quarto:

– Jungkook?! Está na hora de ir para a faculdade, garoto! Se apresse que eu não tenho o dia todo! – e as batidas se cessam junto aos gritos.

Agradeço aos céus silenciosamente, mas logo sigo até o banheiro fazer minhas necessidades. Começo a me despir e vou para o box. Tomo meu banho bem rápido e saio. Me xingo mentalmente ao perceber que havia esquecido a toalha. Bufo algumas vezes antes de gritar para Taehyung:

– Taehyung! – grito o máximo que posso, pois sei que o som sairia abafado pela porta do meu quarto estar fechada.

– Que foi, criança?! – berra de volta

– Pode trazer minha toalha pra mim, por favor?! Eu esqueci!

– Tô indo! – grita e eu posso ouvir seus pés batendo fortemente contra os degraus da escada, abrindo a porta de meu quarto e depois a do meu guarda-roupas. Ele aparece na porta do banheiro tampando seus olhos e taca a toalha na minha cara.

– Obrigado – falo e vejo ele fazer um joinha com a mão, saindo logo em seguida.

– Vê se não demora, hein! – grita de dentro do quarto.

Me seco rapidamente e vou até o meu guarda-roupas, retirando de lá um moletom preto e uma calça jeans. Me visto numa velocidade que eu nem sabia que era possível e calço meu Vans preto. Pego meu celular e meu fone a mochila ao lado da porta. Desço as escadas enquanto conecto meu fone em meu celular e vejo o Kim largado no sofá assim que chego na sala.

– TaeTae, vamos? – chamo sua atenção e ele assente com a cabeça, se levantando em seguida.

Ele pega a chave de nosso apartamento em cima da mesa e vai até a porta, destrancando-a. Vejo ele ir até o sofá de novo, voltando, dessa vez, com sua mochila. Solto uma risadinha nasal e ele sorri pequeno, também achando graça da situação. Saímos juntos do prédio descendo as escadas após ver que o elevador iria demorar. Descemos alguns lances de escadas – mais precisamente, 6. E sim, eu já contei uma vez, mas isso não vem ao caso – e logo estávamos no térreo. Sorrimos para o porteiro e o mesmo abriu o portão para nós, eu o fecho novamente e começamos a andar a passos rápidos até a faculdade.

Resolvemos pegar um atalho e passar por um beco que havia por ali. Enquanto passávamos por aquele lugar escuro e silencioso até o momento, eu ouvia um choro baixinho que a cada passo, ficava mais próximo de nós. Olho para Taehyung, que estava com a mesma expressão que a minha, certamente; confusa e curiosa.

– Está ouvindo este choro também? – pergunto tentando descobrir de que canto vinha.

Taehyung olhava algum canto ali perto e tinha, agora, uma expressão surpresa em seu rosto.

– Taehyung?! – chamo ficando a sua frente e ele me olha. Em sua cara de alien havia um semblante espantado. - TaeTae, está me escutando? – lhe balanço pelos ombros.

– A-ali... – fala baixinho e aponta em alguma direção atrás de mim.

– Onde? – me viro e vejo um latão de lixo. – Não estou vendo, Tae.

– No cantinho... Tem algo ali, ou melhor, alguém – continua olhando pra lá, mas agora curioso. – Me deixe ir lá ver, Jeon.

– Não, Tae. Deixa que eu vá lá – deixo seus ombros e ele acena com a cabeça, confirmando.

Caminho lentamente até o latão de lixo e vejo uma pequena sombra se encolher mais, assim que percebe que eu estou indo em sua direção. Ele sai de trás do latão e eu posso ver um pouco de seu rosto. Cabelos castanhos e... Orelhas?! O que é isso, Senhor? Um poste de luz que, até então estava apagado, se acende e eu posso ver um garoto com uma expressão assustada. Ele realmente tinha orelhas, e que eram da mesma cor de seus cabelos.

O garoto olha para mim e vejo seu rabo – que eu não tinha visto até agora – ficar reto, como se esperasse que eu fosse o atacar, ou algo do tipo. Suas mãos estão trêmulas e seu olhar contém medo. A cada passo meu em sua direção, são dois seus para trás. 
 

– Calma, gatinho... – Ergo minha mão em sua frente e ele me olha receoso, ainda com medo. – Calma, bichano. Não vou te machucar, muito pelo contrário. Eu vou te proteger, não se preocupe.

– J-jimin não p-pode conf-fiar em qua-alquer p-pessoa... – fala bem baixinho abaixando seu olhar, se eu não estivesse próximo, certamente não o ouviria.

– Quem é Jimin? Jimin é seu nome? – pergunto me abaixando para ficar do seu tamanho. Ele confirma com um aceno de cabeça. Olho para trás e vejo que Taehyung observava tudo em silêncio. Me viro para o pequeno à minha frente – Por que você não pode confiar em qualquer pessoa? – questiono calmo e baixo para não assustá-lo mais ainda.

– Jimin j-já sofreu m-muito... – ergue sua cabeça para mim novamente. – Os a-antigos d-donos de Jimin batiam n-nele... – estica seus braços e seu pescoço, me dando a visão de cortes e locais roxos. Vejo um em especial que se semelhava a um chupão. Toco e ele estremece.

– Você tinha donos? E, dói esse lugar? – pergunto apertando o local do chupão. Ele nega com a cabeça. – Por que você tinha donos, Jimin?

– Jimin é u-um hí-íbrido q-que foi v-vendido para d-ois c-caras muito ma-maus...

– O que é um híbrido? – franzo o cenho reconhecendo a palavra de algum lugar.

– Ji-jimin não s-sabe be-em...

– E o que eles faziam com você, gatinho? – toco sua orelha machucada e ele geme de dor. – Oh, me desculpe...

– Eles ba-atiam n-no Jimin...

– Só isso? – pergunto tocando o chupão novamente e ele cora.

– E e-les... eles... f-faziam c-oisas fe-eias com Jimin... 

– E por que está sozinho neste beco, gatinho? – peço acariciando seu rosto com alguns machucados.

– J-jimin fu-fugiu... – olho em seus olhos e vejo perdição nos mesmos.

Sinto um sentimento de dó do pobre gatinho/menino e penso em levá-lo para casa. Não sei o que Taehyung vai pensar quando souber que irei levar um menino-gato para casa. Mas foda-se, gostei deste gatinho eu estou o levando para casa.

O pego no colo passando meus braços por suas costas e pernas e vejo o mesmo estremecer e me olhar confuso.

– O q-que e-está fa-fazendo? J-jimin n-em s-abe s-seu nome...

Sorrio em conforto para o menor em meus braços e sua expressão de medo se suaviza.

– Meu nome é Jungkook, Jimin. E eu vou te levar para a minha casa, onde poderei cuidar melhor de você.
 


Notas Finais


E aí? Gostaram pouco, mais ou menos, muito, ou odiaram mesmo?
Espero que tenha agradado a, pelo menos, maioria
Obrigada por ler
Kisses *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...