História My Little Light - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Cece Drake, Darren Wilden, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Spencer Hastings
Exibições 18
Palavras 3.666
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Voltei, pessoal! ❤❤ Espero que gostem!

Capítulo 8 - Omissões


Fanfic / Fanfiction My Little Light - Capítulo 8 - Omissões

Após sua mãe descobrir as mensagens anônimas que recebia, a loira teve que fugir todas as vezes que se encontrava com a ela. Mesmo com a implicância de Jéssica, continuou a sair com Spencer, sabia que a menina nunca lhe machucaria ou faria algo do tipo. Aproveitou o final do verão com as amigas, apesar de receber algumas ameaças de A, não se importou, estava feliz ao lado de sua sereia e estava passando por algumas transformações em seu corpo. Os enjôos pareciam piorar a cada semana e Alison teve que se esconder toda vez que se sentia mal, pois Spencer já estava suspeitando de algo. Conversava de vez em quando com CeCe, que sempre perguntava do bebê. Alison começou a se frustrar quando notou algumas calças a incomodando, definitivamente era tudo novo para ela.

As semanas passaram rápidas e o final de Agosto logo chegou. As aulas haviam voltado e tudo parecia normal por enquanto. Andava pelos corredores da escola como uma verdadeira rainha, adorando ver todos olhando para seu grupo. As meninas se encontravam na biblioteca fazendo seus devidos deveres, Alison caminhava pelos corredores em busca de um livro, poucas pessoas sabiam que ela amava ler. Estava em uma área específica e sorriu ao encontrar um livro de gravidez, olhando ao redor para se certificar que ninguém a flagraria, começou a ler. Procurou a página onde se identificava. 11 semanas de gestação. Sorriu ao ler as frases que provavelmente mostravam como seu bebê estava em formação.

"[...] Os órgãos vitais do bebê - fígado, rins, intestinos, cérebro e pulmões - estão completamente formados e a funcionar (à exceção dos pulmões que ainda precisam de amadurecer e que só funcionarão com o nascimento) [...]"

Tentou imaginar cada palavra, a última vez que tinha dado atenção ao assunto sobre seu filho foi quando passeava com CeCe pelas ruas de Cape May. Seria a primeira vez que pesquisava sobre a formação e a saúde do bebê.

"[...]Consegue bocejar, sugar e engolir... "

Talvez quando bocejasse, seu filho estaria a imitando. Alison sentia muito sono, algo anormal ela diria. Sua sede duplicou e até teve que mudar de escova de dentes, pegou uma mais macia, pois sua gengiva estava muito sensível ultimamente, igual várias outras partes de seu corpo. Era estranho passar por todas essas mudanças e não poder pedir conselhos ou conversar com ninguém sobre, a não ser CeCe, mas era raramente.

- Alison? - Uma voz a tirou de sua concentração ao livro em suas mãos, em um rápido movimento, fechou-o. Virou para ver Emily parada timidamente perto dela.

- Oi. - Sorriu para o jeito doce da morena, que se aproximou tentando espiar o que estava segurando.

- O que está lendo?

A loira balançou a cabeça sorrindo, enquanto guardava o livro em sua bolsa.

- Uma pesquisa. - Alison voltou a procurar um livro de Biologia para seu dever de mais tarde. - Terminou a lição?

- Eu vim te pedir ajuda sobre isso. - Emily sorriu.

A loira virou-se para a amiga, dando-lhe atenção.

- Claro. O que é?

A morena se aproximou, mostrando seu caderno para Ali.

- Sei que você é ótima em Biologia. Essas questões são sobre Anatomia e Fisiologia Humana e não estou entendo essa pergunta. - Emily fez uma expressão confusa, enquanto Alison analisava onde ela estava apontando.

A loira sorriu a coincidência.

- Sobre gravidez? Está com vergonha de perguntar sobre isso?

As bochechas da morena ficaram vermelhas imediatamente. Esse lado tímido encantava a menina a sua frente cada vez mais.

- Eu nunca tive experiência alguma sobre sexo... - Emily sussurrou, com a cabeça baixo.

- Isso não é vergonha nenhuma, Em. - Seu sorriso doce só aparecia para sua menina, ela era tão linda. - Pode me perguntar o que quiser, não precisa ser tímida.

Alison puxou a amiga para se sentar no chão do corredor entre as penteadeira repletas de livros com ela.

- É que... - A voz da morena falhou e a loira pegou em sua mão como incentivo à continuar. - Ben tentou avançar nosso relacionamento ontem.

Apesar de doer, Ali pensou nos melhores conselhos para sua sereia, não queria que ela passasse por uma experiência sem compreender por completo, como aconteceu consigo mesma.

- É o que você quer? - Perguntou olhando atentamente para os olhos castanhos a sua frente.

Emily suspirou.

- Eu não sei. - Admitiu. - Dói?

Alison apertou a mão morena contra a sua, sentia insegurança na voz da garota e talvez somente isso respondia sua pergunta.

- Um pouco. - Omitiu, afinal com ela doeu muito, mas logo passou. - Não tem que fazer nada que não queira, Emily.

- Na verdade me sinto insegura. - Seu olhar abaixou novamente, isso significava que estava com vergonha. - Sobre meu corpo.

- O que tem ele? - Estreitou o olhar.

- Eu o acho tão defeituoso, eu sinto vergonha, talvez Ben não g..

- Pode ir parando! - Alison a interrompeu, levantando seu queixo para olhá-la. - Emily, meu amor, você é linda. Seu corpo é maravilhoso...

A morena abaixou a cabeça, porém a mão da loira a puxou novamente.

- Dane-se o que pensarem. - Continuou. - Sempre acham defeito em tudo, apesar que eu acho seu corpo perfeito. - As bochechas da garota voltaram a ficar vermelhas. - Nunca duvide da sua beleza. Você é linda, sereia...

A loira foi interrompida pelos lábios macios da morena, que invadiu sua boca apaixonadamente. A loira sentiu Emily morder seu lábio inferior, pedindo passagem, Ali cedeu lentamente, soltando um pequeno gemido ao sentir sua sereia invadir-lhe febrilmente. Suas línguas brincavam longamente, apreciando cada gosto. Alison levou suas mãos para o rosto de Emily, puxando-a para mais perto. Os lábios se conectavam com perfeição, cada movimento era saciável, seus lábios estavam em sincronia e explorando cada canto da boca uma da outra. O barulho do sinal do fim do intervalo interrompeu, levando Alison dá um ultimo selinho em sua menina. Descansou suas testas uma contra a outra, coladas, braços na cintura, mão no pescoço. Ficaram assim, recuperando-se aos poucos. Emily descansou a cabeça no ombro da loira, que a envolveu em seu colo, aproximando-a quanto possível.

- É necessário irmos? - A morena sussurrou.

Ali sorriu, dando um beijo na testa de sua menina. Sua vontade era ficar assim com ela por um bom tempo. Depois que aceitou sua gravidez e começou a compreender que seu filho estaria no caminho de A ela querendo ou não, começou a aceitar a ideia de ter Emily para si. Continuaria proteger a sereia, só que desse vez sua menina estaria ao seu lado.

Alison virou o rosto de modo que seus lábios se tocaram levemente. Emily traçou sua mão para o pescoço da loira, puxando-a para mais perto, intensificando o beijo. Mordendo levemente o lábio inferior da garota, que afastou-se. Sem entender, a morena levantou a cabeça tentando analisá-la. Alison apontou com a cabeça para Hanna que se aproximava do corredor onde elas estavam.

- Ah, vocês estão ai. - A garota parecia impaciente. - Spencer me mandou só para confirmar que vocês irão pra casa dela essa noite.

- Estaremos lá. - Alison sorriu.

Assim que Hanna deu meia volta, a loira puxou Emily para se levantar com ela. A menina não parava de encará-la.

- O que?

- Nada é que... - Em começou a sorrir, porém voltou a ficar séria novamente, sua expressão mudou-se para uma receosa com seu jeito tímido. - Você não se afastou.

A loira a olhava com um olhar de desculpa, sentia-se culpada, o olhar receoso de sua sereia, como se ela fosse sumir ou deixá-la a qualquer momento a matava por dentro. Seus braços a envolveram em um abraço apertado, depositando leves beijos no rosto de Emily.

- Nunca mais.

Sem esperar, afastou-se do abraço da amiga e a puxou consigo.

- Aonde estamos indo? - A morena sorriu, enquanto estava sendo puxada.

- Estamos atrasada, Emily. - Alison acenou para a biblioteca vazia e começou a acelerar o passo.

- E desde quando você se importa? - A garota não podia deixar de caçoar do pequeno desespero da loira por estar atrasada.

- Desde que minha mãe me chantageou em troca da permissão pra ir dormir na casa dos Hastings. - Bufou.

  - Mas a Spencer é sua vizinha. Ela pode te vigiar.

Alison parou ao chegar ao corredor, sua próxima aula era de Inglês junto com Spencer. Desde que sua mãe insultou a garota, ficou desconfortável ao seu lado, porém sabia que ela não a faria mal. Quando pediu a Jéssica para dormir na casa dos Hastings, só faltou a mulher ter um infarto. Assim que negou, Alison recorreu ao seu pai, que apoiou e disse que se resolveria com a esposa mais tarde. No final, ficou combinado que a menina poderia ficar com Spencer, porém nada de problemas para os pais.

- É complicado...

- O que é complicado, Ali? - Emily a puxou, para encará-la.

Não queria contar a Emily, não era porque não confiava, mas tinha coisas que era melhor sua sereia não saber para seu próprio bem. Não sabendo como sair dessa conversa, apenas virou-se e deu um leve selinho em sua menina, correndo para a sala em seguida.

A morena sorriu ao ver os lindos cachos loiros de Alison balançar conforme o corpo se movimentava. Aquele corpo perfeito que as meninas da escola invejavam. Emily já teve a honra de ter visto aquela pele nua, tocado em lugares nada arriscado, afinal, Alison nunca a deixou ir tão longe. Por incrível que pareça, aos seus olhos apaixonados, o corpo da menina parecia melhor, seus seios pareciam ter crescido e sua beleza, evoluiu para espetacular. Talvez sua paixão por Alison DiLaurentis estava ficando um pouco excessiva. Assim que não tinha mais a amiga em sua visão, enquanto andava em direção a aula de História, sorriu ao pensar que dormiria no mesmo lugar que sua paixão. Ansiava por isso há semanas.

                               ***

Não demorou para o fim da aula, cada uma seguiu seu rumo para suas casas, preparando-se para mais uma noite do pijama, um de seus momentos favoritos juntas. Na casa dos DiLaurentis, um acontecimento raro, todos estavam presentes. Jason não saia de seu quarto, provavelmente não fazia nada de bom, principalmente a sua saúde. Enquanto Jéssica fazia o jantar, Alison saia do banheiro enrolada a uma toalha, trancou-se em seu quarto e pegou o pijama que havia deixado em cima de sua cama. Vestiu sua calça longa branca com detalhes violetas, usar roupas confortáveis seria uma ótima opção a partir de agora. Quando levantou os braços para deslizar a parte de cima do conjunto, seus olhos brilharam ao ver uma pequena curva em seu estômago.

Era uma coisa mínima, mas como conhecia bem seu corpo, identificou um pequeno crescimento ali. Sorriu e voltou a terminar de vestir-se, seu bebê estava crescendo e uma parte de seu ser já estava ansiosa para vê-lo, mesmo sendo tão arriscado. Ouviu um barulho vindo da casa vizinha, aproximou-se da janela para ver Hanna derrubando alguns pratos dos Hastings. Spencer estaria surtando em poucos minutos. Alison riu e voltou para frente do espelho, penteando seu cabelo em um rabo de cavalo. Depois de calçar meias e suas pantufas brancas, vestiu uma jaqueta jeans e saiu do quarto. Despediu-se dos pais e atravessou o jardim a caminho da casa dos Hastings.

Quando entrou na cozinha, encontrou Spencer bufando enquanto varria os cacos de vidro, enquanto Hanna correu para trás de Alison.

- Ela vai me matar, Ali. - A loira riu, observando os olhos de Spencer sair faíscas.

- Minha vontade e pegar seus rosto e fazer carinho contra os cacos de vidro.

Os olhos de Hanna se arregalaram e ela apertou-se mais a Alison. Os braços apertados da amiga contra seu estômago estava começando a machucar, mas ela não podia de rir do desespero da menina.

- Nossa, Alison. Depois fala de mim, você deve ter comido tanto que seu estômago está até inchado.

Hanna também percebeu a pequena colisão, isso fez seu coração acelerar rapidamente.

- Spencer... - Virou-se para a morena, que a analisava com um olhar curioso, principalmente em direção a sua barriga. - Quer ajuda pra matar a Hanna?

Um sorriso de ambos espantaram a garota, que correu para o andar de cima. Alison moveu-se para pegar a pá e entregar a morena.

- Onde estão as meninas? - A loira sentou-se, observando Spencer jogar os cacos no lixo.

- Estão vindo com a comida.

Alison reparou o olhar da amiga sobre ela, sabia que Spencer estava se segurando para não perguntar nada e ela agradecia cada minuto sem as perguntas da garota. Mas era de total desconfiança Spencer Hastings não argumentar.

- Quer vinho, Ali? Sei que você adora.

Realmente. Alison era a primeira a apresentar o álcool nas festas de pijama, sabia muito bem que a amiga estava tentando tirar alguma informação.

- Acho que já tomei o suficiente hoje, não quero abusar.

Spencer assentiu. Jogar com Alison era desperdício, ninguém ganhava. A morena pegou um copo e encheu de vinho.

- Bom, hoje eu quero abusar. - Virou o copo rapidamente.

- Uau, vamos com calma, Spencer. - Alison olhava para a amiga sorrindo. - O que deu em você?

Enchendo o copo novamente, levou a boca como fez na primeira vez. A loira arregalou os olhos, geralmente era ela que bebia assim e não Spencer.

- Problemas.

Alison a analisou, a amiga expressava ansiedade, talvez a bebida era um escape para ela não voltar a tomar seus remédios. A menina saiu do banco e andou até a amiga, pegando o copo de sua mão.

- Se quer se distrair, que seja com um refrigerante. - Spencer hesitou, tentando puxar o copo novamente. - Por favor, Spencer.

Um pouco surpresa com a atitude "gentil" de Alison, deixou-a se afastar com o vinho. Antes que pudesse falar qualquer coisa, Aria e Emily chegaram com a comida, junto com Hanna que desceu as escadas para se certificar que estava limpo. A sala estava inundada de risadas, fofocas sobre a escola, sobre os meninos. Esse era o passatempo preferido do grupo. Após jantarem, as meninas arrumaram seus colchões no quarto de Spencer. Aria levantou a ideia para assistirem filmes de terror, típico da garota. Depois de algumas exitarem, aceitaram e Hanna implorou para dormir agarrada com alguém, Emily logo foi deitando ao lado de Alison, o que resultou Aria dormir com a garota medrosa.

- Gente, vamos trocar de filme? - Sussurrou, em meio a parte silenciosa do filme. Cobriu os olhos com as cobertas, esperando o susto que logo viria a tona.

Emily imitou Hanna, cobrindo seus olhos no peito de Alison. A loira a abraçou, sentindo a respiração de sua menina contra sua pele.

- Não, agora que está ficando interessante. - Spencer se mantinha com os olhos arregalados, agarrada ao travesseiro.

- Meu Deus, Hanna. Se você me apertar mais um pouco... - Aria fora interrompida pelo barulho que veio da televisão e Hanna, que pulou em seu colo, agarrando seu pescoço. - Ok, morri.

Spencer ria da cara da menina baixinha.

- Alguém tira essa besta de cima de mim. - Aria tentava respirar, ainda sentindo o peso de Hanna. - Alison, troca de dupla comigo.

- Não! - Emily respondeu rapidamente, agarrando a loira. Todas se viraram para a morena, surpresas com a resposta rápida e desesperada da garota.

Alison sorriu, pensando em uma resposta para livrar sua sereia dessa situação.

- Emily, nós sabemos que a Aria é bem espaçosa, mas não precisa dessa reação toda.

Aria estava vermelha, tanto por vergonha, tanto por estar sufocada. Spencer relaxou e levantou-se, puxando Hanna de cima da menina.

- Vamos, Han. Pode dormir comigo.

- Sério? - A loira sorriu.

Vendo que a atenção saiu de Emily, Alison encostou sua cabeça junto com ela, tendo a morena deitada contra seu pescoço. Beijou a pele bronzeada de sua face, puxando a coberta para cobri-las. Suas mãos pousaram na cintura da menina, fazendo círculos com o dedo. Deslizando para baixo da blusa e parando sobre o estômago febril de Emily. Acariciando delicadamente a pele de sua sereia.

- Obrigada.

- Eu não iria trocar de qualquer forma, mas você podia disfarçar um pouco, né meu amor? - Brincou suavemente, balançando seus corpos, do modo que fazia Emily cair no sono.

A morena deu um beijo suave na loira, antes de dormir. Alison permitiu-se deixar os olhos abertos, admirando a beleza de sua menina. Acariciando sua bela face com muito carinho, enquanto depositava beijos uma vez o outra. Deitou a cabeça na de Emily, abraçando-a. Não Demorou e o sono a consumiu.

                              ***

Dormir nos braços de Emily, transparêcia proteção, carinho e uma noite de sono completa. Estava em paz em meio madrugada, onde todos dormiam e a grande casa dos Hastings estava silenciosa.

O mesmo motivo de sempre roubou sua paz. O celular vibrando. Uma mensagem. Alison hesitou ao terminar de ler. Estava assustada, olhou ao redor mas todas dormiam. Dessa vez ela não poderia pensar somente por ela, não estava sozinha mais. Saiu dos braços da morena, indo em direção a porta do quarto. Seu coração gritava para ela parar, para não dar ouvidos a mensagem que recebeu, seu corpo tremia a cada passo que dava até sair da casa. Agarrou seu casaco jeans, a noite estava fria ou ela estava muito quente. Parou em frente a porta, suspirando e buscando seu lado Alison DiLaurentis para se proteger do que a aguardava. Seguiu as instruções da mensagem e saiu.

                              ***

Doía. Cada palavra doía. Uma discussão que afetou seu psicológico. Lágrimas desciam dolorosamente pelo seu rosto, embrulhando o sangue causado por ele. Aquele covarde. Ele ousou dar-lhe um soco. Alison queria ter revidado, mas pela primeira vez ouviu o berro de sua mente, se revidasse estaria iniciando uma briga feia. Ela não poderia brigar, sua gestação ainda era muito sensível. Seus olhos ardiam de ódio por aquela silhueta, que andava para longe com um sorriso de vitória. Aquele imbecil da praia não iria parar de persegui-la, ele a achou e agora com certeza não estava segura. Darren Wilden. Seu pior erro. Caminhou de volta para dentro. Estava com medo, as coisas não estavam mais no controle. Ela tinha que sair dali, de Rosewood. Olhou para sua casa pra ter certeza que ninguém havia visto, andou lentamente e abriu a porta. Olhos cabisbaixos, suas mãos leves tomaram cuidado para não fazer barulho ao fechar. Ouvio um barulho atrás de si e levando em conta que já havia se assustado demais por essa noite, virou-se calmamente para se deparar com a Sra. Hastings em frente a geladeira.

- Alison. - Suspirou, parecendo aliviada por não ser nenhum assaltante. - Onde estava? Pensei que estava dormindo com as outras no quarto da Spencer.

A garota cruzou os braços, primeira vez sentia-se tímida.

- Tive que sair. - Disse, dando alguns passo.

- Para que? - A mulher aproximou-se, o suficiente para perceber o lábio sangrando. - O que aconteceu com a sua boca? Está sangrando.

Alison não havia dado tanta importância ao machucado, porém agora sentia a dor invandir. Moveu sua mão até o lábio.

- Devo ter me machucado em um galho, enquanto ia para casa. - A garota andava em direção às escadas. Sentia que cada palavra que dizia, derramava lágrimas descontroladas. - Posso subir, por favor?

- Por que teve que ir a sua casa as três da manhã? - Verônica aproximou-se, preocupada.

- Sra. Hastings, por favor. Não posso falar sobre isso. - Não queria mentir, mas também não queria falar. Sua mão vagou de sua boca, para sua barriga, em um sinal de proteção.

- Deixe-me pegar um pouco de gelo para a sua boca. Fique ai.

A mulher andou até a geladeira rapidamente. Enquanto Alison encostou seu corpo a mesa, com os olhos cheios de lágrimas, sua mente voltada ao acontecimento de minutos atrás, da frieza e do medo que sentiu. Seu corpo ainda tremia e nenhum momento ousou tirar sua mão de sua pequena curva. Verônica voltou com um saquinho de gelo em mãos.

- Aqui está.

Alison pegou, tentando controlar suas mãos trêmulas, não passando despercebida pelos olhos da mulher.

- Andou brigando com alguém? - Sua voz preocupada preencheu a garota.

Sua vontade era contar. Desabafar. Tirar esse peso de suas costas e não ter que resolver tudo sozinha. Mas não podia. Sua mente lhe dizia para aguentar mais um pouco. Seus olhos respondeu com toda a verdade que podia, mas seus lábios apenas disse:

- Sra. Hastings, se disser aos meus pais, só irá piorar as coisas. - Suas respostas omitidas a destruía por dentro. - Promete que não dirá nada?

Marés de rios sobre a linda face pálida da loira, misturando-se ao vermelho do sangue. O medo com o tremor. Aquele momento resumia-se a misturas obscuras. Seus olhos suplicavam a mulher a sua frente, Verônica a analisava, preocupada. Seu lado materno a invadiu.

- Vem aqui. - Puxou a menina em um abraço acolhedor.

Alison relaxou, sentindo o carinho de Verônica, que alisava suas costas enquanto a puxava para mais perto. A loira descansou a cabeça em seu ombro, desejando estar sendo abraçada por sua mãe. Fechou os olhos, concentrando-se em se acalmar, pensou em seu bebê. Não podia fraquejar agora, tinha que ser forte. Não colocaria ambos em perigo, tinha que arranjar alguma forma de sair daquela cidade. Seus olhos se abriram. Agradeceu silenciosamente ao abraço de Verônica.

- Só estou sendo dramática. - Afastou levemente a mulher, que a olhava confusa. - Muito sensível. Estou bem.

Sabia que se continuasse ali, abriria seu coração e colocaria tudo a perder. Deu meia volta e sem olhar para trás, subiu as escadas. Sentando-se contra a porta de Spencer, suas lágrimas ainda não cessaram, precisava de um tempo para pensar. Tinha até o amanhecer para arranjar uma solução.


Notas Finais


Até o próximo pessoal! Um beijo 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...