História My little Moon- Imagine Namjoon - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amizade, Bts, Drama, Original, Romance
Exibições 188
Palavras 3.559
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Festa, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello girls!

Vcs: Ué, mas que nome de cap é esse? '-'

Eu: É só lendo pra saber, não dá pra explicar isso de uma maneira lógica 😂

Espero que curtem o cap 😙

Capítulo 16 - Capítulo 15 - Yoongi e a garrafa chamada Kukamon ( ? )


Fanfic / Fanfiction My little Moon- Imagine Namjoon - Capítulo 16 - Capítulo 15 - Yoongi e a garrafa chamada Kukamon ( ? )

P.O.V Maya

Ainda não estava acreditando que o Mark e o Namjoon estavam brigando. Sinceramente, eu estava com muita raiva, mas eu não havia tempo para ficar pensando no ódio que eu estava deles, tinha que pedir a alguém para me ajudar a separá-los. Depois de dar a volta entre a multidão encontro uma pessoa que poderia me ajudar.

- SAYU! - grito para a garota que estava montada nas costas de Hoseok gravando a briga - Preciso de ajuda.

- Oi, May - diz a garota olhando para mim - Estou meio ocupada agora.

- SAYURI É URGENTE! - grito e a mesma dá um suspira e sai de cima das costas de Hoseok.

- Tchau, Hobi. Depois nos falamos - ela diz e da um abraço nele. Eu diria que eles eram fofos juntos, se eu não estivesse completamente desesperada. - Fala logo.

- Me ajuda a separar aqueles dois - digo e Sayu me olha com uma expressão do tipo " É sério? " - Por favor - digo fazendo uma expressão fofa.

- Está bem...- ela diz e passamos pela multidão que rodeava a briga.

Esperamos eles se soltarem para Sayu segurar o Namjoon, que estava mais ferido entre os dois. E Mark foi segurado por uns garotos do clube de basquete.

- Isso não acabou, ouviu? - diz Mark ameaçando Namjoon.

- A DIRETORA ESTÁ VINDO! - grita alguém no meio da multidão e acaba fazendo todo mundo correr em várias direções, causando uma bagunça.

- Me ajuda a levar ele no carro - diz Sayu e eu faço o que ela pede, coloco o braço de Namjoon em volta do meu ombro e Sayu faz o mesmo com o outro braço e o carregamos até o seu carro. O colocamos na parte de trás, eu tive que sentar do seu lado e Sayu foi dirigindo.

- Cadê o Tae? - pergunta Namjoon com a voz fraca.

- Ele está bem, vou ligar pra ele mais tarde avisando que você está bem - diz Sayu enquanto ela tentava sair da multidão sem atropelar ninguém.

~ ~ ~ ~ ♡ ~ ~ ~ ~

Chegamos na casa de Namjoon e o ajudamos a entrar do mesmo jeito que o levamos para o carro, ele se sentou no sofá e estava completamente ferido. Eu me sentei ao seu lado e ele coloca sua cabeça em meu ombro.

- Gente, eu gostaria muito de estar aqui e ajudar vocês, mas se eu chegar atrasada de novo eu nunca mais vou andar de skate  - diz Sayu indo para a porta - Tchau gente, boa sorte!

- Espera, Sayu eu não pos...- digo mas Sayu saiu, me deixando com cara de tacho.

Espera a Sayuri foi embora? E ME DEIXOU SOZINHA COM O NAMJOON?

- Maya...- ele diz e eu sinto ele segurando minha mão - Precisamos conversar.

- A-agora? - pergunto nervosa, não queria falar com ele.

- Sim, não consigo ver você com raiva de mim - ele diz apertando mais minha mão.

- Mas você está muito machucado, precisa descansar primeiro - digo me levantando.

- Mas...

- Sem " mas " - digo indo em direção á cozinha - Eu vou ajudar a curar seus machucados, depois você fala.

Abro a geladeira pego um pouco de gelo e coloco em um saquinho, amarro o mesmo e entrego para Namjoon colocar em seu olho que estava inchado. Pego uma maleta cheio de remédios e pomadas, levo para a sala para passar em seu ferimentos.

Comecei pelo rosto, passei um pouco de pomada em um pequeno arranhado em sua bochecha, desci para o pescoço cheio de marcas vermelhas. Por mais raiva que eu tivesse do Namjoon eu estava preocupada com ele, mas depois disso eu vou embora, nunca mais irei falar com um garoto que me traiu, de novo.

- Tenho que pedir pra você tirar a blusa - digo um pouco envergonhada, mas se eu quisesse ajudá-lo eu teria que fazer isso.

- Ok...- ele diz e em seguida ele tira a blusa, começo a encarar seu abdômen semi definido que estava com alguns hematomas, enquanto eu passava a pomada nele, o mesmo mantinha os olhos fechados e sua respiração estava calma, como se eu estivesse fazendo um tipo de massagem.
Passei a mão sobre uma de suas feridas e ele reclamou de dor.

- Desculpa - digo e ouço ele murmurar um " Tudo bem ". Pego mais um pouco de pomada e passo, levemente, nos ferimentos - Pronto, está doendo em mais algum outro lugar?

- Não - ele responde sem olhar em meus olhos.

- Ok, daqui a meia hora você poderá ir banhar - digo e vou me levantando, para pegar mais impulso eu apoio em suas coxas que faz o mesmo quase gritar de dor - O que foi? Suas pernas estão machucadas?

- Não, eu estou bem - ele diz e eu percebo que ele estava mentindo.

- Nunca pensei que eu diria isso a um garoto, mas... - digo e dou um suspiro - Tira as calças.

- Lógico que não - ele diz um pouco assustado com o que eu disse.

- Anda logo, eu preciso cuidar das suas feridas - digo me levantando, mas Namjoon me empurra de novo no sofá e sai correndo com dificuldade - VOLTA AQUI!

Fiquei correndo atrás dele pela casa toda, mas não consegui alcançá-lo, eu já estava ficando irritada.

- ANDA NAMJOON, TIRA ESSA CALÇA! - grito mas ele ainda continuava correndo, paramos quando ouvimos alguém bater na porta e eu atender.

- Estou atrapalhando alguma coisa? - pergunta Yoongi sorrindo maliciosamente.

- Não...- digo e sinto um cheiro de forte de bebida alcoólica - Yoongi, você bebeu?

- Um pouco - diz com a voz um pouco alterada.

- Entra - digo dando espaço para ele entrar, ele se senta ao lado de Namjoon que já havia vestido a camisa.

- Está melhor? - pergunta Yoongi para Namjoon.

- Eu estou, mas e você? Por que estava bebendo? - Namjoom pergunta analisando o rosto do garoto de cabelos brancos.

- Estou bem, pra quem acabou de desafiar a morte - diz Yoongi que começa a rir de repente.

- Yoongi, do que está falando? - pergunto me sentando ao seu lado.

- Deixa eu te contar tudo desde o começo - diz Yoongi olhando para a mesinha de centro - Depois de eu conversar com a Yuki, na hora do intervalo, eu fiquei bastante triste, e depois que ela disse " Não podemos ficar juntos " meu coração não se despedaçou, ele virou cinzas após sofrer com a dor das chamas quando cada palavra saia de sua boca, como se me atingisse com uma arma de fogo...

- Para de ser dramático - diz Namjoon acabando com o clima.

- Cala a boca - digo dando um tapa de leve no ombro de Namjoon e voltei minha atenção para Yoongi - Continua.

- Enfim, eu não me senti nem um pouco bem e comecei a passar mal, fui pra diretoria falar que eu não estava bem e eles ligaram para os meus pais e, como eles me amam, só mandaram eu vir pra casa e foi o que eu fiz, mas não cheguei em casa, fiquei andando e chorando pelo Centro até que eu decido comprar um energético. Meus olhos estavam preenchidos com lágrimas e acabei não vendo a bebida que eu peguei, apenas paguei a bebida e fiquei bebendo, percebi que era bebida alcoólica e pensei em comprar mais e foi isso que eu fiz. Eu não sei quantas eu comprei, mas o gerente da loja me expulsou dizendo que eu estava irritando os outros clientes, então saiu eu e o Kumamon da loja...

- Kumamon? - pergunta Namjoon com a mesma expressão de dúvida que eu.

- Foi o nome que eu dei pra minha garrafa de vodka - diz Yoongi com uma cara tristonha, eu e Namjoon não resistimos e começamos a rir, só que baixinho - Continuando, saiu eu e o Kumamon quando encontramos o carro cinza estacionado com a Yuki dentro no banco do passageiro, ela me viu passando e saiu do carro e venho falar comigo fazendo umas perguntas do tipo " Você está bem? " " Você andou bebendo? ", mas eu não respondi, fiquei encarando o lindo rostinho angelical dela e não resisti em lhe beijar, o pai dela chegou e ficou encarando a cena com cara de raiva, mas eu continuei beijando ela ignorando o velho, até que ele nos separamos, eu achei que ele ia me bater ou algo do tipo, mas ele apenas me ameaçou e derrubou o Kumamon no chão...

- Só isso? - pergunta Namjoon e eu o olho com um olhar assassino.

- VOCÊ NÃO OUVIU?! - gritou Yoongi irritado - ELE QUEBROU O KUMAMON EM MIL PEDACINHOS!

- VOCÊ SÓ ESTÁ TRISTE POR CAUSA DA SUA GARRAFA DE VINHO?! - pergunto irritada até bati a mão na mesa fazendo os garotos se assustarem.

- É de vodka, e é claro que eu vou ficar triste, cuidei do Kumamon como se fosse um cachorro...

- NÃO INTERESSA! - grito e começo a massagear minhas têmporas - Depois de tudo isso você nem se importa mais com a Yuki, só com uma garrafa de bebida?

- Ela partiu me coração - diz Yoongi se referindo a Yuki - E o Kumamon curou o meu coração, mas ele foi partido de novo quando o vi sendo quebrado.

- Quer saber? Eu preciso relaxar.

Saio da sala e vou até o banheiro do andar de baixo e me tranco lá, por que eu estava tão nervosa desse jeito? Meu dia não estava um mar de rosas, ele já havia começado ruim e não teria como terminar pior.

P.O.V RapMonster

- O que deu nela? - pergunta Yoongi - Eu nunca vi ela assim.

- Também não, mas acho que precisamos deixar ela um pouco sozinha - digo e vejo Yoongi encarando o chão.

- Sério, eu amava o Kumamon, eu chega abracei ele no meio do rua, acho que eu tava era beijando ele - diz Yoongi com expressão de dúvida e eu ria do que ele falava, era muito engraçado ver ele bêbado - Para de rir da minha desgraça, você não sabe como é perder duas pessoas que você ama no mesmo dia.

- Ok, desculpa...- digo segurando o riso e tentando levar o Yoongi a sério.

- Bem, desculpe por ter atrapalhado o namoro de vocês - diz Yoongi e eu o olho com cara feia - Mas agora eu vou embora, só vim ver como você estava.

- Veio aqui pra me ver ou pra contar sua triste história com o Kumamon, a garrafa de vodka - digo fazendo-o rir.

- Os dois - ele diz indo em direção á porta - Depois nos falamos, tenho que resolver algumas coisas, annyeong.

- Annyeong...- digo vendo o garoto de cabelos brancos partir. Me levanto e vou ao banheiro onde Maya estava chorando, eu me sentia culpado de vê-la assim e quero fazê-la parar de chorar. Entro no banheiro e a vejo sentada no chão, escondendo o rosto entre as pernas.

- Não sabe bater na porta? - pergunta friamente sem olhar para mim.

- Isso não é importante agora, May - digo me sentando ao seu lado e colocando meus braços em volta de seu ombro puxando-a para um abraço, ela afunda a cabeça em meu ombro e abraça meu pescoço.

- Moon...- Maya me chama pelo apelido esquisito que ela fez pra mim, mas eu não reclamei - Me diz, por favor, que tudo aquilo que você falou para a Risa era mentira e que você falou tudo da boca pra fora.

- Era sobre isso que eu queria falar com você - digo acariciando seus cabelos, na tentativa de acalmá-la  - Sim, tudo o que eu falei pra Risa foi mentira.

- Mas por que falou aquilo? - ela pergunta ainda sem olhar para mim.

- May, se eu falar ou até mesmo a Risa descobrir que eu gosto de você ela vai te perturbar o resto da vida - respondo e May levanta a cabeça olhando em meus olhos - Eu convivo com essa garota já faz um ano e sei o que ela é capaz de fazer, por isso eu disso aquilo, se eu demonstrar que eu não gosto de você ela não irá implicar contigo, entende? - ela não fala nada, apenas apoia a cabeça em meu ombro e encara a parede - Eu nunca te usaria, May. Eu nunca usaria ninguém para o meu bem próprio, sei que eu não demonstro, mas eu penso mais nas pessoas do que em mim mesmo.

- Eu já te disse que você me deixa confusa? - pergunta e eu lhe dou um sorriso sem mostrar os dentes - Adoro suas covinhas.

- Para de apertar minha bochecha - digo empurrando as mãos da garota que apertavam minhas bochechas.

- Desculpe, quem mandou ter covinhas? - ela diz me fazendo rir - Mas, falando sério agora, eu agradeço por querer me defender da Risa, mas ela tem que aprender que não vai ganhar tudo o que ela quer.

- Ela não vai me ganhar - digo - Mas ela fica com aquele negocinho " Se você não  é meu, não é de mais ninguém ".

- Mas porque a Risa escolheu justo você? - diz Maya mudando sua expressão para séria -  Provavelmente, vocês já tiverem "algo", não é?

- Olha, May, eu e Risa nunca namoramos - respondo - Mas rolou algo entre nós dois.

- E o que foi? - ela pergunta e eu apenas a encaro sem nenhuma expressão. Mas como tem um modo mais pacífico de dizer " Eu já transei com a sua pior inimiga"?

- E-eu não sei c-como eu vou t-te... AH QUE MERDA! - digo e bato na minha própria cabeça por estar gaguejando - Maya, você não precisa saber disso, não agora.

- E quando vai me contar? - ela pergunta se separando do abraço e fazendo bico.

- Quando eu achar que é necessário - respondo mas May não gostou muito da minha resposta - Desculpe, mas eu não estou pronto pra te contar o que aconteceu.

- Tudo bem, Nam - ela diz dando um sorriso simpático - Eu não deveria estar te pressionando, você ainda tem que descansar.

Ela passa a mão carinhosamente em meu rosto, sem perceber, já havíamos colado nossos lábios. Ela passou as mãos em volta do meu pescoço puxando-o para dar mais intensidade ao beijo e começo a explorar sua boca com minha língua, nos separamos por falta de ar e ela morde meu lábio inferior. Quando íamos voltar a nos beijar o celular dela começa a tocar.

- Eu vou atender - ela diz se levantando e me dá um selinho antes de sair do banheiro.

Fico uns minutinhos no banheiro pensando em tudo o que havia acontecido hoje, meu sentimentos estavam fora de controle, não sei se comemorava de alegria por Maya ter se desculpado comigo ou se chorava por forçar meu corpo a ficar de pé sendo que eu deveria estar deitado relaxando por conta dos machucados.

Saio do banheiro e subo para o meu quarto, decido tomar um banho no banheiro do meu quarto mesmo.Na hora que ligo o chuveiro, sinto a água quente atingir as feridas das minhas pernas fazendo elas arderem e um grito de dor escapa de minha boca.

- Namjoon?! - ouço Maya falar do outro lado da porta - O que aconteceu?

- Nada, eu estou bem - menti, desligo o chuveiro e coloco o meu roupão.

- Anda, Namjoon destranque essa porta - ela diz batendo fortemente na porta - Mas coloque uma toalha antes - concluio.

Faço o que ela pediu e a mesma entra tampando os olhos com uma das mãos.

- Eu estou usando roupão - digo e a mesma destampa os olhos e os abre.

- Está bem, fala por que gritou daquele jeito - ela diz cruzando os braços e eu falo sobre as feridas da minha perna - Eu falei que era pra passar a pomada! Até que o Tae me disse que você era teimoso.

- O Tae? Você estava falando com ele no telefone? - pergunto e ela assente.

- Ele estava na casa do JungKook, mas ele já está chegando - ela responde, em seguida ela retira uma pomada em seu bolso da calça - Agora vamos passar o...

- Não! - digo pegando a pomada da mão dela - Pode deixar que eu passo.

- Ok, mas não demora muito no banho - ela diz saindo do banheiro.

~ ~ ~ ~ ♡ ~ ~ ~ ~

P.O.V Maya

Tae chegou umas três horas da tarde, fiquei conversando com os dois durante um tempinhone decido ir pra casa. Passava pelo Centro que estava bem movimentado, sem querer esbarrava em algumas pessoas.

Eu passava em frente a uma cafeteria e decido entrar nela, peço um capuccino pra mim e me sento em uma mesa mais próxima a janela e fiquei encarando o céu que estava limpo hoje.

- Com lincença - diz alguém chamando minha atenção e eu me viro para ver quem era - Posso me sentar aqui?

- Claro, JungKook - digo sorrindo para o garoto que sentava na cadeira a minha frente - Por que falto hoje?

- Acordei atrasado - ele responde e começa a olhar o cardápio - Olha, May, eu queria te contar uma coisa que só o Tae tá sabendo, e talvez o resto do mundo do jeito que ele é fofoqueiro.

- Fale, é algo sério? - pergunto

- Seríssimo - ele responde e olha pra janela - Meu pai é homofóbico, e eu não sei como ele reagiria se eu contasse que estou namorando o Jimin.

- O Jimin sabe?

- Não sei, mas eu nunca comentei isso pra ele - diz JungKook que batia os pés descontroladamente no chão - Quando Tae estava lá, ele estava desabafando que gostava do Hoseok mas o Hoseok não gostava dele e tal.

- Dessa história eu não estava sabendo - digo me referindo a "paixonite" do Tae - Mas continue sua história.

- Depois que Tae foi embora, meu descobriu que ele era gay e disse que não queria me ver perto dele. Imagina se for com o Jimin.

- Calma, você está sendo pessimista demais - digo colocando a mão em seu ombro, vejo a garçonete entregar meu capuccino e depois volto a olhar para JungKook - Temos que ver o lado positivo também, e se seu pai não reagir, e se ele aceitar numa boa?

- May, você não conhece o meu pai, ele é um cara da igreja agora, mas ele já foi um criminoso e fazia coisas terríveis com as vítimas - diz JungKook que havia acabado de me deixar assustada.

- Assim não tem como te defender - digo me afundando na cadeira.

- Desculpe, mas eu não consigo ver o lado bom disso tudo - ele diz apoiando a cabeça entre as mãos.

- JungKook, para eu te ajudar é preciso que fale com o Jimin primeiro e faça o máximo possível para deixá-lo calmo, não fale que seu pai já foi um criminoso se não ele vai infartar - digo fazendo JungKook rir.

- Está bem, eu vou tentar - ele diz se levantando - Tchau, May. Depois eu falo com você.

- Tchau Kookie - digo acenando pra ele.

P.O.V  ???

- Olá, minha velha escola - digo para mim mesma passando a mão nos muros do lado de fora da escola - Quanto tempo não passo por aqui?

Eu estava de volta nessa prisão para terminar de vez os meus estudos, minha vida está muito corrida e eu já estou entrando em desespero. Penso em quanto tempo essa identidade falsa irá durar, já que há muitas pessoas que me conheciam no ano passado e ficariam surpresas em me ver, uma pessoa em especial que eu prometi a mim mesma que nunca nem pensaria nele, mas estava de volta a esse inferno com ele estudando aqui.

"Quanto eu menos chamar atenção, melhor " pensei.

Vi alguns alunos chegando, reconheci meus antigos amigos:

Yuki: Sempre grudada com algum livro, ainda quieta e tímida, mas a expressão estava muito tristonha.

Sayu: Ainda não perdeu seu estilo rebelde, anda mais abraçada com o irmão, com certeza eu perdi muita coisa.

Jimin: O meu melhor amigo, o meu confidente. Sempre contávamos tudo um para o outro.

Risa: Não é minha amiga, pois até hoje, como vejo agora, anda grudada no Namjoon

Taehyung: O irmão fofo do Namjoon, sempre fazendo os outras rirem.

Namjoon: Não quero nem comentar, evitar qualquer tipo de contato com ele era uma boa idéia.

Mas a garota de cabelos azuis me chamava atenção, ela fazia o Namjoon sorrir o que é bastante difícil. Senti um pouco de raiva, mas eu lembrei que todas as pessoas dalí não são mais meus amigos, me apagaram da história deles com uma borracha, eu não existo mais na vida deles.

Quem sou eu agora?
A novata, esquisita e antissocial da escola.
Meu nome agora é Dae Younha







   


Notas Finais


E aí? Gostaram?

Quem será essa novata? Hmm
Novas tretas estão por vir, aguardem 😆

Entenderam a parte do Kumamon? Espero que sim pois eu ainda tô processando o que eu escrevi 😂

Eu não sei quando sai o próximo cap, mas não quero demorar, ok?

Desculpe qualquer erro ortográfico

Bjus de panda 🐼 ❤!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...