História My Little Ômega - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Abo, Bangtan Boys, Boyxboy, Bts, Jikook, Mpreg, Namjin, Universo A/b/o, Vhope, Yaoi
Visualizações 2.249
Palavras 2.886
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieee ❤
Vou tentar atualizar my porcelain ômega ainda hoje.
Boa leitura ❤

Capítulo 28 - Resolvendo As Coisas


Fanfic / Fanfiction My Little Ômega - Capítulo 28 - Resolvendo As Coisas


  Jimin acorda com a luz que se desferiu em seu rosto quando o alfa abre as cortinas. Ele geme puxando as cobertas para cima de seu rosto, mas o edredom é puxado por Jungkook.

  — Que droga, estou cansado. Não vou levantar — deixa claro ainda de olhos fechados, fazendo o alfa sorrir — Estou falando serio!

  O alfa já arrumado com seu terno bem arrumado vai até Jimin, se deita na cama se vira de lado, levantando sua cabeça e a apoiando em sua mão para que pudesse observar melhor o pequeno ômega audacioso.

  — Bom dia, princesa — diz suavemente, o ômega apenas virou de costas para ele.

  — Boa noite, daddy — resmungou.

  Jungkook contorna as costas nuas de Jimin com seus dedos, fazendo o local que tocava pegar fogo. O coração do ômega estava quente e acelerado, ele queria pedir para o terapeuta parar mas não conseguia. Ele amava os toques de Jungkook.

  — Sabe que horas são? — perguntou com sua maior paciência, era raro momento desses mas ele sentia uma paz dentro dele, apenas quando estava com Park.

  — Hora de você ir trabalhar.

   — Hora de você voltar para casa, conversar com sua Omma e me esperar na sua cama — Jimin se volta para ele e entrelaça suas pernas abraçando o alfa.

   — Minhas pernas estão doendo, se ela me ver assim vai saber que fui fodido, ai você aparece e diz que estamos juntos? Você não quer causar uma boa impressão né?

   — Princesa Draminha, não se preocupe. Você não está paraplégico essa dor vai passar, sua mãe pode se preocupar se você não voltar.

  Jimin bufa fazendo o alfa sorrir e separar o rosto angelical de seu paciente e lhe dar vários selinhos lentos.

  — Tome banho e desça que seu motorista vai estar esperando, não posso levar você hoje tenho coisas para fazer na empesa e tenho um paciente que precisa de uma bronca.

  — Meu motorista?

  Jungkook se levanta se soltando do ômega e ajeitando seu terno tendo o olhar de Jimin grudado em seu tronco, e mais em baixo.

  — Não demore ou vou te deixar de castigo — caminha até a porta.

  — Que tipo de castigo? — indaga já interessado no assunto.

  — Sem sexo até criar juízo — sai finalmente do quarto, deixando um ômega indignado para trás.

  Ele nunca faria isso. Ele não ia conseguir ficar sem meu corpo. — pensa voltando a sorrir e se preparado para ir tomar banho.

  Quando terminou de se arrumar com sua roupa seca e dobrada, pela empregada de Jeon, fez o que Jungkook havia pedido e saiu da mansão vendo que havia um caro o esperando, como Jeon havia ditado.

  — Oi — cumprimenta quando chega perto do grande homem de terno perto e óculos escuros à sua frente.

  — Boa tarde, Park. — fala serio sem expressar nenhum sentimento, apenas abrindo a porta do grande carro e ajudando Jimin a entrar no banco de trás.

  O grande moço sério se senta no banco do motorista e se vira para mandar o ômega colocar o cinto, ele obedece e o carro começa a se mover.

  Jimin se pergunta se ele seria sempre seu motorista enquanto manda uma mensagem para sua Omma, dizendo que voltaria para casa e tinha algo a tratar. Ele apenas esperava que sua mãe não fique tao zangada com ele por ter mentido, e não denunciar Jeon por estar com ele.

  Jungkook estava do outro lado de sua empresa se dirigindo para a escola de Jimin, ele sabia que de domingo tinha treino na escola e que provavelmente Jackson estava de saída.

  Sim. Jungkook estava mentindo ao dizer que não sabia quem era Jackson, e dizer que não se lembrava do dia em que a diretora havia falado para ele sobre o alfa. Ele conhecia bem Jackson, nunca havia falado com o garoto mas tinha a ficha completa dele. Ele seria seu próximo paciente, depois de Jimin, mas recusou por querer mais tempo com Jimin.

  Ele estava pirado e quase arrancava o volante de tanta força que o apertava, tentou respirar fundo e tentar relaxar mas parecia impossível. Ele só relaxaria quando colocasse suas mãos em Jackson Tuan.

  Jungkook sabia aonde o alfa estava, ele estava saindo de seu treino de futebol naquela hora, já que era o capitão do time. Quando Jeon chegou na frente da escola, na saída do campo, estacionou de qualquer jeito e desligou o carro retirando o cinto.

  Quando desceu do carro ficou encostado nele, achando que esperaria muito tempo até encontrar Jackson, mas acabou dando de cara com o mesmo se despedindo dos amigos e seguindo sozinho, em sua direção.

  Com alguns passos rápidos e precisos prostrou-se diante de Jackson.

  Jackson levou um enorme susto ao ver o moreno alto em sua frente com cara de poucos amigos. Afinal, ninguém iria querer ver um alfa lúpus com aquela expressão zangada no rosto.

  — Jackson Tuan, certo? Precisamos ter uma conversinha — Não esperou se quer uma resposta e já agarrou o colarinho da jaqueta do time de futebol de Jackson, o puxou para trás ficando atrás da escola para ninguém ver e não o soltou não deixando chances do alfa escapar.

— Quem é você? O quê é isso, cara? — pergunta surpreso com o ato repentino.

— Isto, é uma aula de como tratar um ômega.

  Jungkook o desferiu um soco no rosto fazendo o alfa arfar e cair no chão.

  Enquanto Jackson massageava o maxilar com uma careta de dor Jungkook se agacha diante do alfa.

  — Ouça o que eu vou lhe dizer, mas ouça com plena atenção. Jimin é meu, espero que compreenda isso, sendo feito assim, eu quero que o respeite. Hoje eu não vou acabar com essa sua cara de moleque precoce, mas eu não estou sendo bonzinho, quero que vá na casa de Jimin e peça desculpas. Vai dizer também que nunca mais irá desrespeita-lo e sequer tocar um dedo nele, e muito menos pensar em fazer algo com ele e vai deixá-lo em paz. Não tenho tempo de ver você indo lá, tenho que ir trabalhar, então liga a merda do seu celular e deixe no viva voz.

  Jackson digere cada palavra amedrontado mas com sua pouca dignidade tem coragem de dizer.

  — Por quê eu faria isso? Eu posso te denunciar... Meu pai é advogado.

  — Denunciar? Ta falando serio? —da um sorriso largo — Garoto posso fazer tanta coisa com sua cara, que se você soubesse nem pensaria em me dizer uma coisa dessas — ficou serio — Você vai fazer o que eu te mandei fazer. Nunca mais toque em Jimin! Nunca mais chegue perto dele, nem fale com ele! Para o seu bem, é melhor que você nem pense nele, porque se eu tiver conhecimento de que algum pensamento seu estiver relacionado à ele e que não for de meu agrado, um soco na cara vai ser a menor das suas preocupações. Pode me denunciar garoto, eu posso ser preso — se levanta — Mas eu vou caçar você até que não respire mais, está me ouvindo? — o alfa jogado no chão assente rapidamente — Não me interessa em quem você se apóia seu covarde, agora vá lá e faça o que disse, depois esqueça que meu namorado existe ou vou fazer você se arrepender.

  Jackson entrega o celular para Jeon que se levanta e conecta o celular com o dele.

  Jackson o fita com o olhar de terror, enquanto Jungkook lhe olhava com um olhar feroz e amedrontador.

  — Quero ouvir bem a voz dele — devolve o celular — Vai ser melhor para você se ele o perdoa, caso contrário você já sabe, então vai rezando e quando chegar lá, implore se for necessário. Entendeu? — Jackson afirma se levantando e arrumando sua roupa — Então levante essa bunda dai e ande logo antes que eu desista e quebre suas pernas, e acho melhor você não dizer uma só palavra para alguém, posso contratar os melhores advogados para por você na cadeia por ter tocado em Jimin. Saia logo, quero contar até cinco e ver você bem longe daqui.

  Jackson parte, sabendo que não poderia lidar com o alfa lúpus furioso ali. Ele era bem mais velho que ele e muito mais forte que ele, então tudo que ele poderia fazer era ir de encontro com o ômega, ir contra todos os seus princípios, e pedir desculpar para o menor e o deixar em paz. Jungkook vê ele falando com algum amigo dele no caminho, vê claramente que o amigo pergunta se estava tudo bem. Jeon o lança um olhar de relance e Jackson engole em seco concordando para o amigo e depois indo embora.

  Jungkook olha ao redor arrumando seu terno bem passado, vendo se alguém mais teria visto ou escutado algo, caso contrário, ele teria que ameaçar mais alguém. Ele tira um masso de cigarro do bolso e pega um colocando em sua boca, guarda a embalagem de volta no bolso e acende o cigarro que está em sua boca tragando. Ele havia parado de fumar desde que Jimin passou a acalmá-lo, mas naquele dia ele não tinha Jimin até que terminasse seu serviço, e não poderia atender um paciente com aquela tensão.

  Ele ouve um ruído de fundo no celular e o coloca no ouvido tirando o cigarro da boca, soltando a fumaça pelo nariz e olhando para frente, esperando que Jackson chegasse na casa de Jimin e o pedisse desculpas.

  Depois de quinze minutos Jungkook finalmente ouve o barulho de batidas, indicando que Jackson estava na porta da casa de Jimin. Jungkook termina seu cigarro e o joga no chão o apagando, ficando completamente concentrado do outro lado da linha.

  — Jackson?! O quê faz aqui? Eu já lhe disse, eu não vou transar com você. — Um sorriso nasce nos lábios de Jeon, ouvindo seu menino com o tom de voz áspera e determinada. Jimin era apenas dele.

  — Eu... Vim pedir desculpas?


  — Como é que é? — Ouvir a voz doce que ecoava em seu sonhos fez Jungkook se encostas em seu carro em silencio, esperando que a conversa continuasse.

  — Eu vim pedir desculpar por te tratar mal, te desrespeitar e bater em você... Peço desculpas, eu não queria ter feito aquilo. E eu não sabia que você estava comprometido.
— a voz de Jackson pareceu se esvair depois da última parte, Jungkook queria o socar até ficar sem dentes.

  Jeon esperou atentamente a resposta do namorado, enfiou a mão dentro do bolso da calça, enquanto a outra permanecia segurando o celular.

  — Nossa — pareceu surpreso — É a primeira vez que vejo você pedindo desculpas. Mas não sei Jackson, você vai ter que me deixar em paz okay? Eu não quero mais nem se quer ser amigo seu, apenas vá embora.

  — Não! Jimin. Você não entende? Eu preciso que você me perdoe.
— diz amedrontado, recolheu a voz ao lembrar que o celular ainda estava ligado, engoliu em seco — Só... Me desculpe.

  Jeon ficou com raiva pelo alfa nem se quer conseguir mentir direito, ele não queria que Jimin soubesse que havia ameaçado Jackson.

  — Tudo bem, eu perdôo você. Mas não vamos mais ser amigos, droga, você me tratou feito lixo.

  — Eu sei, por isso estou pedindo desculpas.

  — Então agora vá embora. Meu namorado já vai chegar. —
Jungkook esperou mais um pouco na linha, sabendo que o ômega estava mentindo, ele nem ao menos tinha ido trabalhar. Mas não iria mais. Iria até a casa de Jimin.
 
  — Então agora estamos bem?

  — Hã? Sim, ta bom.

  — Obrigada
— a linha ficou muda, Jackson estava abraçando Jimin.

  Jeon espera mais um pouco até ter certeza que o alfa estava longe de Jimin e desliga o celular sem dizer nada se dirigindo à casa do ômega.

  Chegando lá Jeon estaciona do outro lado da rua da casa de Jimin. Sai do carro acionando o alarme e bate na porá esperando seu menino atender. Mas não é ele que abre a porta.

  — Oh, senhor Jeon? O que faz aqui? — a mãe de Jimin atende a porta surpresa pela visita inesperada — Queira entrar.

  Ela dá espaço para Jungkook entrar e o alfa entra olhando pela casa, tentando encontrar o menor.

  — Está procurando Jimin? Aconteceu algo, ele vai voltar para as terapias? — pergunta a mulher preocupada.

  — Não, não é isso. Eu só quero falar com ele e tenho algo a tratar com a senhora. — ele diz enfiando as duas mãos dentro de sua calcar social, estava inteiramente nervoso.

  A mulher o fita em silencio e assente indo buscar Jimin que estava em seu quarto. O mesmo havia a mandado uma mensagem dizendo que tinha algo a lhe falar, e agora o terapeuta de seu filho estava ali, dizendo as mesmas coisas. Ela não poderia estar mais nervosa e ansiosa.

  Não demorou para Jimin chegar à sala e sorrir ao olhar para Jeon, logo vendo sua Omma olhar atentamente para os dois. Ele fica serio e tenta se conter, tudo tinha que estar à seu tempo.

  — Bem, agora me diga o que é tão importante para todo esse mistério, estou ficando mais preocupada! — jimin morde os lábios esperando Jungkook começar, ele queria que tudo aquilo acabasse logo. Ele estava louco para ser fodido por Jungkook, como ele havia prometido.

  — Eu e Jimin queremos que saiba de algo — Jungkook chama Jimin com um aceno de mão, para se aproximar.

  Jimin obedece e para na frente de Jeon que pousa uma de suas mãos na cintura do menor tendo o olhar da Omma de Jimin queimando nos dois.

  — Eu e seu filho estamos namorando.

  A omma de Jimin no começo havia ficado estática, completamente sem reação, achando que aquilo não passava de uma brincadeira, mas aquilo era de longe uma brincadeira. Ela abriu a boca para falar mas nada saiu de sua boca. Jimin estava ficando preocupado com o clima que ali se estala-ra.

  — Omma? — chamou pela mãe abismada.

  — O que? Vocês não estão juntos. Não podem estar — ela diz baixo. Aquela era a reação contraria que Jimin esperava, depois da mesma dizer e até alegar que os dois estavam juntos — Jimin, eu mandei você para lá para se concertar, não para transar com seu terapeuta. Meu deus, o que todos vão dizer.

  A mais velha se senta no sofá com a mão na testa.

  — Mas você disse que queria que eu ficasse com alguém como Jeon — ele retruca se aproximando mas Jungkook, que o puxa para volta para trás.

  — Jimin, ele tem vinte e tantos anos você tem dezesseis. Eu não quero nem ver quando sua diretora souber. E você sr Jeon — ela levanta o olhar para o alfa que estava impassível, parado no mesmo ligar. — Quando você me pedia mais tempo com Jimin nas consultas, quando saia com ele, vocês estavam na verdade ficando? — Jungkook assente — Quando essa pouca vergonha começou?

  — Desde o primeiro dia eu já queria transar com ele! — Jimin trinca os dentes, levemente irritado com a situação.

  — Jimin! — Jungkook adverte, olha para a mãe de Jimin que nega com a cabeça.

  — Você não tem jeito não é mesmo meu filho? Sempre vai ser um problemático, aonde foi que eu errei? — ela abaixa o olhar para seus pés. — Vocês tem que acabar com isso! Tem que romper esse laço imaginário que vocês criaram.

  Ela levanta o olhar novamente esperançosa, como se tivesse uma chance de Jimin se livrar de alguma doença. Mas toda a esperança se vai quando Jungkook abaixa a manga da camiseta de Jimin e deixa sua marca à mostra.

  — Estamos juntos agora. E nada, absolutamente nada, vai fazer a gente romper o que temos. Eu o amo — Jungkook declara olhando nos olhos da melhor — Nunca vou desistir do meu garoto.

  Jeon aperta mais fortemente a cintura do menor que estava de braços cruzados, mas ele relaxa com as doces palavras de seu alfa.

  — Está bem — dis com desdém — Mas preciso saber, qual é o problema de Jimin?

  Jimin sente seus olhos arderem e seu nariz congelar com a fala rude de sua Omma. Ele só queria correr e se esconder em algum lugar que não tenha ninguém para o julgar.

  Pelo menos ele tinha Jungkook. Que o aceitava apesar de tudo.

  — Ele não tem nenhum problema — Jungkook rosna ao notar que seu garoto estava prestes à desmoronar — Ele apenas queria se sentir bem, através de atos sexuais, creio que seja pela morte de seu marido — explica, mas a mãe de Jimin apenas se levanta.

  — Quem disse que meu marido está morto?

  Jimin não consegue mais se segurar e pela distração de Jungkook, que não sabia mas oque fazer com aquela revelação, então o menor sair dos braços do alfa e sai correndo para seu quarto.

  — O pai de Jimin não está morto? — Jungkook fica parado, mesmo querendo correr atrás de Jimin, ele tinha que saber daquilo. Quando a mãe de Jimin nega transtornada, Jungkook apenas vai atrás de Jimin.


Notas Finais


Altas revelações
Comentem e leiam Heart Evil ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...