História My Little One Belongs. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Sehun
Tags Baekyeol, Chanbaek, Jikook, Namjin, Sebaek
Exibições 67
Palavras 1.829
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLA MEUS CRUSHS QUE AINDA NÃO FORAM DORMIR <3
TUDO BOM COMO VAI SUA MÃE ?
ESTÃO SE ALIMENTANDO COMO PESSOAS NORMAIS ?

Chega né Asuna, chega kkkk <3

Aqui esta o primeiro Cap dessa fanfic flopada mas muito linta tá

E MUITO OBRIGADA PELOS 7 FAVORITOS <3

BOM CHEGA DE ENROLAÇÃO BORA PRO CAP.
ESPERO QUE GOSTEM.

Capítulo 2 - Capítulo 1


 

-Byun BaekHyun! Volte aqui menino.-As risadas ecoavam por todo o orfanato. A pequena criança corria da jovem moça, que dava risadas enquanto chamava o pequeno.- Ande BaekHyun! Daqui a pouco eles vão chegar.- Conseguiu pegar BaekHyun, que caiu na gargalhada.

Agora dentro do banheiro, a jovem terminava de arrumar o pequeno, que estava emburrado.

-Vamos lá Baekkie, vai ser legal, que nem da última vez.- Tentava de todas as maneiras animar o menor, que não tirava aquele bico do rosto.- Eles vão vir ver você, e as outras crianças. Vai que você é adotado.

-Ninguém quer me adotar Noona!- Fungou.- As crianças falaram, que eu sou feio e esquisito e por isso ninguém me adota.-A mais velha secou as lágrimas do menor, e em seguida o abraçou.

-Não ligue pra eles BaekHyun, você é uma criança linda, a minha preferida.- Respondeu dando o seu sorriso mas verdadeiro.

-Serio Noona?- Perguntou inocente, arrancando uma gargalhada da jovem. 

-Sim pequeno.- Acariciou a cabeça do menor.- Já sei pequeno, olha eu estou terminando minha faculdade agora, e estou morando sozinha. Então eu pensei, que e si eu falasse com a Unnie, e ela deixasse eu te adotar.- O pequeno não conseguiu acreditar naquilo que havia ouvido, finalmente alguém queria lhe adotar, e melhor ainda, uma pessoa que ele gostava.

-O que me diz pequeno? Quer ser meu filho?

-Mas é claro que sim Noona!- Abraçou a mais velha com todas as suas forças.

-Mas só irei falar com a Unnie depois da visita dos novos pais, entendeu?

-Sim.

-Ótimo. Agora vamos terminar de te arrumar.-Beijou a testa do menor.

-Okay noona.

 

XXXXXXXX

 

As pequenas pernas balançavam no ar, deixando a criança com uma aparência mas inocente ainda. Olhava as outras crianças conversando com os adultos, que tinham interesse em adotá-las. 

Estava esperando sua Noona JungYeon voltar, ela tinha ido conversar com a Noona Na MoonHee, dona do orfanato, sobre querer adotar o menor.

O pequeno estava tão entretido em seus dedos gordinhos, que nem percebeu um garoto, que parecia ser mais velho, muito maior que si, com uma mulher vindo em sua direção. Assim que seus olhos se encontraram com os do maior, sentiu seu estômago se embrulhar. 

Não havia gostado dele e nem sabia o motivo.

Viu o garoto olhado lhe olhando de cima a baixo. 

-Ele! Eu quero ele!- Falou apontando para o pequeno, que se assustou, com a ação repentina do garoto.

-Mas ChanYeol, tem outras crian...

-Não Omma, eu quero ele!- Interrompeu a mais velha, que bufou, já sem paciência.

-Ok. Pergunte para ele seu nome filho.-Deu um pequeno empurrão no garoto, que se aproximou do menor, que não entendia nada.

-Qual é o seu nome ?- Perguntou com a cara seria.

-B-BaekHyun.- Respondeu com a voz tremula.

-Meu nome é ChanYeol. Park ChanYeol- Falou com um sorriso orgulhoso ao pronunciar seu sobrenome. 

"Não perguntei", pensou em responder, mas resolveu ficar queto, afinal tinha ganhado uma boa educação. 

-Hm.- Respondeu sem interesse. E logo voltou a balançar as pequenas pernas, enquanto olhava para os lados a procura de JungYeon.

ChanYeol sentiu seu rosto esquentar, nunca ninguém havia o tratado com tanta ignorância. Era normal que quando falava seu nome, as pessoas tremiam. E aquele sentimento de ter BaekHyun aumentou.

-Filho vamos indo, tem muito mais crianças nesse lugar.-Tentou tirar ChanYeol de perto do garoto, que estava tacando o, tão conhecido "Foda-se", pra eles.

-Não Omma!.-Dessa vez ele gritou, assustando a mais velha e BaekHyun. 

JungYeon, que não estava muito longe dali, viu quando ChanYeol gritou, e também viu BaekHyun se assustar. Correu até o trio e disse calmamente com um sorriso falso para a mulher.

-Ola senhora, poderia por favor, falar para o seu filho não gritar, as crianças se assustam com isso.-Disse com calmamente. 

-Oh me desculpa, é que meu filho é um pouco...-Não achava palavras certas para descrever seu filho. 

-Tudo bem. Agora eu te pergunto, a senhora não gostaria de ver as outras crianças ?-Tentava de todas  as formas afastar aquele garoto de BaekHyun. 

-Não Omma! Eu quero ele.-Bateu o pé no chão. Estava disposto a tudo para ter o garoto.

-Desculpe me ChanYeol, mas BaekHyun já tem uma mãe, que sou eu.- Disse junto com um suspiro. Não gostava de crianças mimadas.-Eu o adotei hoje, então eu aconselho que vejam as outras crianças. 

-Omma!.- ChanYeol insistiu, e sua mãe suspirou.

-Sra, posso falar com você a sós.- Chamou JungYeon, que lhe seguiu, deixando assim ChanYeol sozinho com BaekHyun. 

-Você vai gostar lá de casa, é bem grande, e o quintal é enorme.-Dizia o maior animado. 

-Eu não quero ser adotado pela sua Omma.- Disse o menor levemente irritado.-A Noona JungYeon vai me adotar, e ela vai ser a minha Omma.-Cruzou os braços e fez um bico.

-Não! Eu quero você.-Bateu novamente seu pé. Aquilo já estava irritando BaekHyun.-Eu escolhi você, então você tem que ser meu!.-Fazia birra.

-Não quero ser seu, eu sou da Noona.-Se levantou e ficou encarando ChanYeol, com a cabeça erguida, pois o mesmo era maior que si.

O maior se irritou mais ainda. ChanYeol tinha distúrbio de raiva, e nunca havia sido tratado daquele jeito. 

Na hora que o maior abriu a boca para falar. Sua Omma chegou com JungYeon e a dona do orfanato, Na MoonHee. 

-Ola crianças.-Disse a mais velha com um sorriso simpático.

-Noona.-Exclamou BaekHyun.-Ele disse que quer me ter.-Dizia desesperado para a mulher, que sentiu seu coração apertar. 

"É, não vai ser facíl".Pensou. Olhou para trás e viu sua filha, JungYeon, com a cabeça baixa, tentando segurar as lágrimas.

-Meu pequeno. Você se lembra do dia que eu disse que o orfanato estava com problemas com o dinheiro?

Assentiu. 

O Byun, mesmo sendo uma criança, era muito esperto para a sua idade.

-Então a Omma do ChanYeol.- O menor franziu a testa só de ouvir o nome do maior.- Ofereceu muito dinheiro para o orfanato.

-Serio.- Se animou, só a ideia do orfanato ficar bem lhe animava.- Obrigada Noona, isso vai deixar as crianças felizes.- Abraçou a mulher que deu um pequeno sorriso.

-Mas BaekHyun. Tem mais uma coisa.- Falou a mais velha.- Ela disse quê quer, que você vá para a casa com ela e com o seu filho.

Na mesma hora o menor se soltou da mulher e olhou indignado para sua Noona. 

-Mas eu não quero ir, eu vou ser adotado pela Noona JungYeon.-Exclamou.

JungYeon se aproximou do menor, e se abaixou ficando da sua altura.

-B-Baek. Lembra que eu tinha falado que estava terminando a faculdade?- O menor  assentiu.- Então, eu não poderei ter você morando comigo.- Sentia cada vez mais lágrimas caírem.- Minha situação financeira não é boa. Não consigo nem me sustentar direito. 

-Mas a senhora Park.-Continuou.- Vai lhe dar tudo que você quiser. Ira te dar uma educação boa, e ela prometeu ajudar o orfanato.

JungYeon sentiu o olhar de indignado do menor para si, acabou por abaixar a cabeça. O menor com toda a sua frieza olhou para Na MoonHee, que engoliu seco, nunca havia visto o menor com tanta raiva.

O menor desviou o olhar por um momento, e fitou as crianças brincando. Respirou fundo e olhou novamente para a mais velha.

-Isso ajudara o orfanato e as crianças ?- Seu tom era frio e calculista.

A mais velha apenas assentiu.

-Então.- Olhou para a Sra. Park.- Eu vou com a senhora.

Na mesma hora, ChanYeol abraçou o menor, que reclamava estar sem ar.

-Você vai gostar de morar comigo, vai ser muito legal ter um amigo!.-Exclamou animado, arrancando um sorriso de sua Omma e um suspiro do menor.

-Então irei preparar a papelada da adoção.- Falou MoonHee.- Poderia me acompanhar Sra. Park ?

E assim elas saíram. JungYeon ficou mais um tempo olhando as crianças abraçadas. Queria conversar com BaekHyun, mas ela havia percebido que o menor não queria sequer olhar para sua cara.

E assim deixou BaekHyun e ChanYeol sozinhos. ChanYeol não parava de falar o quanto que ia ser divertido ter o menor morando e dormindo consigo.

-Dai você vai dormir junto comigo, meu quarto é bem legal, e minha cama é bem grande! tem um monte de brinquedos também.- Falava ainda abraçando BaekHyun, que logo tratou de se afastar do maior. 

-Olha ChanYeou.-Falou o nome do maior de forma enrolada.- Eu só vou por causa da Noona, ela precisa de dinheiro pra cuidar das crianças.

-Mas eu quero ser seu amigo!- Exclamou fazendo bico.

-Tá' bom vamos ser amigos.-Suspirou.

-Promete ?- Levantou sua mão com o dedo mindinho levantado.

-Prometo.- E assim selou sua promessa.
 

Coreia do Sul.
 

13:00.  
 

Seul.
 

-BaekHyun-

-Sr. Byun, o Sr. Park esta lhe chamando em sua sala.- Falou minha secretaria.

-Obrigada ChaeYoung, já estou indo.- Fez uma reverencia e saiu de minha sala.

Suspirei. Não queria ver a cara de ChanYeol naquele dia, não depois do escândalo que o mesmo fez ontem. Dava graças a Deus por não ter que vir com ele para o trabalho. 

Mas infelizmente, ChanYeol era meu chefe. 

Fechei as pastas, que estava assinando. Me levantei, sai do meu escritório, e fui em direção a sala de ChanYeol.

Bati na porta, e entrei assim que ouvi um "Entre", do outro lado. Suspirei e olhei para ChanYeol, que estava sentado em sua mesa com o queixo encostado em suas mãos enquanto olhava para mim.

-Me chamou Sr. Park.- Disse me curvando, pude ver que ele bufou.

-BaekHyun, já lhe disse para não me chamar assim, nos conhecemos a anos, não precisa me tratar com essa formalidade.- Respondeu se levantando e indo na direção da enorme janela. -Por que não me chama de Channie, era assim que me chamava quando eramos crianças.

-Sinto muito, mas te chamar assim esta fora de questão Sr. Park.- Falei.- Agora me diga o porque de me chamar aqui, tenho muito trabalho a fazer.-Disse friamente.

-E eu preciso de motivo para querer ver o que me pertence?- Disse se aproximando de mim. Odiava o fato de eu ser dele.- Mas sim eu tenho um trabalho para você.

Foi até sua mesa e de uma das gavetas, retirou uma pasta preta. Me entregou a mesma e me mandou abrir. Eram informações e fotos de um garoto chamado Oh Sehun. Franzi a testa olhando para ChanYeol. 

-Esse é o filho do presidente das empresas Oh. Eu quero que você investigue sobre ele, e tente arrancar informações sobre a empresa de seu pai.- Explicou.

O Sr. Oh, era o presidente das empresas Oh, que era a inimiga das empresas Park. Não seria a primeira vez que fazia um trabalho daqueles. Apenas não havia entendido o porque do Sehun ser escolhido para ser investigado. Mas não iria perguntar nada.

A única coisa que queria naquele momento era sair daquela sala.

-Farei como o Sr. pediu.- Disse fazendo uma reverencia e logo me virando para sair da sala. Mas antes de sair totalmente, pude ouvir ChanYeol falar.

-Não seja frio comigo BaekHyun, você me pertence.- E assim fechei a porta com um pouco de força.
       

=CONTINUA=
 


Notas Finais


Espero que tenham gostado seus totosos.
Desculpem qualquer erro.

AMU VCS ATÉ O PRÓXIMO CAP SEUS CRUSHS CHEIROSOS.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...