História My little Piece of Peace (Long Imagine JungKook) - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jungkook
Exibições 156
Palavras 1.742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


♡ BOA LEITURA ♡

Capítulo 17 - Flashback


Fanfic / Fanfiction My little Piece of Peace (Long Imagine JungKook) - Capítulo 17 - Flashback

 

S/N POV.

 

Hoje acordei em um quarto arrumado que há nesse cativeiro, não é chic mas é um quarto com cama, TV, banheiro e etc; ontem depois de tirarem o JungKook daqui, me trouxeram para esse quarto, disseram que por eu estar grávida não iriam judiar tanto de mim mas não queria dizer que iriam passar a mao mão na minha cabeça. Um dos seguranças praticamente me odeia, ele entrou no meu quarto xingando e jogando um pijama que mais parecia uma roupa de presídio e ainda puxou o meu cabelo com força e jogou-me em um canto do quarto.
 

"Se depender de mim você não sai daqui viva garota. Fica esperta"

 

 

Essa frase não sai da minha cabeça, estou com medo, JungKook sabe onde estou ele tem que me salvar senão eu não vou aguentar.

 

JUNGKOOK POV.

 

Quando cheguei em casa não pensei nem  duas vezes e liguei para mãe de S/N chamando a mesma aqui em casa, fiz o mesmo com os meu amigos, não demorou nem 20 minutos e todos chegaram, Jin ficava checando se eu realmente estava ali em carne e osso ou em alma, logo todos me deram um abraço em grupo. Mandei todos se sentarem e contei pra eles tudo o que aconteceu.
 

 

*---* FLASHBACK ON *---*
 

 

Estava terminando o expediente do meu trabalho quando recebo uma mensagem do meu pai dizendo que iria me levar pra casa.
 

 

MENSAGEM ON
 

 

Appa: Filho, vou te levar pra casa hoje. 21hrs21min
 

Porquê do nada você está se oferecendo?  21hrs26min
 

Appa: Porque está tarde e quero te ajudar. 21hrs26min
 

Sei... não precisa eu vou de ônibus. 21hrs27min
 

Appa: que nada, eu vou te buscar e pronto. 21hrs27min
 

 

MENSAGEM OFF
 

 

Sai da empresa e fiquei esperando o meu pai na frente da mesma, não demorou 5 minutos e ele chegou, falsamente me deu um abraço e mandou eu entrar no carro, até ai beleza, quando percebi que estava demorando muito para chegarmos em meu apartamento, comecei a perceber que o caminho que estávamos não era o de costume, era uma estrada de terra que levou a um galpão abandonado, ele estacionou o carro e desceu do mesmo, conversou com uns homens que havia ali, eles olharam em minha direção e estremeci, logo quatro homens de terno chegaram e me puxaram pra fora do carro a força e começaram a me arrastar para dentro desse galpão. Fui largado e trancado dentro de um quarto não tão desarrumado, nem parece um cativeiro, era uma suíte, bem arrumada, tinha uma sacana mas a mesma era totalmente reforçada por aços de titânio, sem chance de fugir por aqui, a porta do quarto também era muito reforçada, parece aquelas portas de presídios psiquiátricos que tem uma abertura bem pequena que você os olhos da pessoa e um buraco um pouco maior perto do chão que passa uma bandeja de comida mas não da pra passar um corpo, bufei e me sentei na cama enquanto olhava em volta e pensei em como a minha princesa estaria preocupada me procurando, tomei um banho e depois me deitei na cama de novo e ali adormeci por 1 hora. Fui acordado por um brutamonte me puxando pra fora do quarto, me levou até um quartinho que só tinha uma cadeira e uma lâmpada, isso tá parecendo filme de terror, credo. Me amarraram nessa cadeira, fiquei uns 5 minutos olhando para aqueles seis homens na minha frente, logo ouvi a porta se abrir e meu pai entrou por ela.
 

- Eai? Está sendo bem tratado? -perguntou ficando de braços cruzados em minha frente.
 

- Porquê está fazendo isso? -perguntei o olhando com ódio.
 

- Simples. Para a sua princesinha saber com quem está se metendo.
 

- Ela não te fez nada! -disse.
 

- Só de ela carregar o nome dos Jeon ... -disse andando pelo quarto- Você começou a namorar uma bastarda, pobre e miserável, sobrinha do meu maior inimigo! -gritou olhando com ódio pra mim.
 

- Ela não tem culpa de nada, ela mal sabe que o tio imbecil dela é dono de uma facção criminosa, muito menos que eu sou filho de um também -falei e assim que terminei a frase recebi um tapa.
 

- VOCÊ NÃO DEVE DIZER NADA SOBRE MIM PRA ELA ENTENDEU? SENÃO EU TE MATO GAROTO. -disse enquanto me enforcava, assim que me soltou ele olhou pra um dos homens que veio em minha direção e começou a dar socos e chutes em mim- Eu vou ligar pra ela. -disse virando de costas para mim -e você -disse apontando para mim- ai de falar alguma coisa, entendeu? -falou e eu assenti.
 

 

Dois homens já vieram em minha direção e ficaram do meu lado, meu pai veio e pegou o meu celular que estava no bolso e assim começou a ligar para S/N e colocou no viva voz .... 2 minutos depois ela atendeu ...
 

- A-alô? -ouvi ela dizer nervosa.
 

- S/N?! -gritei seu nome, mas logo os homens que estavam do meu lado me deram um soco no estômago fazendo eu me calar.
 

- Ju-JungKook? -perguntou apavorada.
 

- Olha só, se não é a preciosidade do JungKook! -disse o meu pai, o olhei com ódio.
 

- Vo-você? -ela gaguejava, estava em desespero.
 

- Me reconhece? -perguntou meu pai.
 

- S-sim
 

- Como pode me reconhecer sendo que ... só está ouvindo minha voz. -disse com ironia.
 

- Porque eu conheço a sua voz até lá no inferno, seu monstro. -disse com ódio, sorri com o que ela disse, essa é a minha garota.
 

- Olha ... ficou nervosinha - disse meu pai e logo os homens que estavam do meu lado começaram a rir- Acho que o amor da sua vida vai ter que pagar por essa sua rebeldia, não acha pessoal? -arregalei os olhos.
 

- NÃO ENCOSTA NELE! -gritou S/N.
 

- E por que eu não faria isso? -perguntou
 

- PORQUE ELE É SEU FILHO! E ... também ... não é ele que você quer ... -disse, gelei, ela não pode se oferecer, NÃO PODE- onde você está? Eu me candidato a ficar no lugar dele.
 

- Olha só, ouviu isso JungKook? -perguntou e olhou em minha direção, meus olhos estavam cheios de água, logo ele me deu um tapa.
 

- NÃO VENHA! -gritei mas os homens me tiraram da sala a força.
 

 

Me jogaram dentro do quarto e me trancaram lá. Fiquei dando voltas e mais voltas pelo quarto, não sei como terminou a conversa deles no telefone mas tenho medo da S/N ter se realmente se oferecido a ficar no meu lugar, eu sei que se ela aparecer aqui ela vai sofrer muito porque meu pai a odeia, sem motivos mas a odeia. 20 minutos se passaram e nada de notícias, já estava deitado porque era 03hrs da manhã quando meu pai entrou no quarto, ficou na frente de minha cama me olhando.
 

- Ela está vindo -disse, foi como uma facada no meu coração- vou te libertar e ela vai ficar no seu lugar.
 

- NÃO! Eu faço tudo o que o senhor quiser mas não faça isso, ela não merece.  -disse e tomei um tapa forte dele.
 

- Você vai fazer o que eu mando, entendeu? -falou, assenti porque estava desnorteado e meio tonto- Quando ela chegar quero que você a despreze entendeu? Mande ela embora, fala que a odeia e que não ama ela mais, ENTENDEU? -falou.
 

- En-entendi. -gaguejei.
 

 

Ele sai do quarto e me deixa sozinho de novo, comecei a chorar horrores, não quero olhar nos olhos dela e dizer que a odeio. Passou-se alguns minutos e ouvi os seguranças gritar no corredor que uma moça tinha chegado, corri em direção da porta e logo a abriram, meu pai estava ali e me olhou, assenti pra ele, o mesmo colocou o meu celular no meu bolso e me empurrou para seguir em frente e assim fui em direção de onde ela estaria, já sabia o que devia fazer mesmo sendo contra, mas era para o bem dela. A vi apreciando a decoração perto da lareira, acabei fazendo um barulho e ela olhou para onde vinha esse som e me viu, assim que me viu seus olhos começaram a lacrimejar e veio correndo para os meus braços, de começo não retribui tentei ser forte, ela estranhou e se afastou, olhei para o teto, não consigo dizer isso olhando em seus olhos.
 

- Você não devia estar aqui! -disse e engoli seco, segurei em seu rosto a fazendo olhar no fundo dos meus olhos- Eu... eu não gosto mais de você, não quero que ninguém faça mal a você.  Por favor vai embora.
 

- Jeon ... o que está acontecendo? -perguntou.
 

- Vai embora! -disse e virei as costas, não aguento ter que fazer isso.
 

- Não estou entendendo. -puxou o meu braço, olhei em seus olhos de novo.
 

- Só vai embora! EU TE ODEIO S/N. -gritei e ela se assustou e logo lágrimas começaram a descer sobre sua face.
 

- Você me odeia? Do nada? -perguntou e eu não aguentei, ela me abraçou de novo- Por favor, se você estiver mentindo para me proteger, me dá um abraço forte -sussurrou em meu ouvido e logo a abracei forte.
 

- Ora ora ora ... se ela não realmente veio -ouvi a voz do meu pai atrás de nós ela se soltou de mim- Veio mesmo para ficar? Quer morrer garota?
 

- Faço tudo pra salvar o pai do meu filho.
 

- s/n pare -sussurrei em seu ouvido.
 

- Segurança! -gritou meu pai, quatro homens entraram, olhei apavorado- Levem JungKook de volta a cidade, e ela ... ela fica, levem na para o cativeiro. -assim que ele terminou de dizer dois me pegaram pelos os braços enquanto eu gritava e me debatia, os outros dois agarraram os braços de S/N e começaram a puxar para longe.
 

 

Me jogaram dentro de um carro preto e me levaram para a minha casa, entrei no meu apartamento cambaleando de tanto chorar e peguei o meu celular e liguei para a mãe da S/N e para os nosso amigos.
 

 

FLASHBACK OFF
 

 

Depois de contar tudo o que passei, Yoongi começou a planejar um modo de resgate junto do Jin e Jimin, me ofereci para ajudar mas Yoona me impediu falando que eu estava com o emocional muito abalado e isso não ajudaria no momento, ela me ofereceu um calmante e acabei dormindo no sofá perto deles.

 

 

-

 

 

-

 

 

-

 

 

-

 

 

-


Notas Finais


Tomara que vocês estejam gostando ❤ deixem nos comentários.

Até a próxima 🎀


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...