História My little Piece of Peace (Long Imagine JungKook) - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jungkook
Exibições 252
Palavras 1.374
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


♡ BOA LEITURA ♡

Capítulo 29 - No Escape


Fanfic / Fanfiction My little Piece of Peace (Long Imagine JungKook) - Capítulo 29 - No Escape

 

 

S/N POV.
 

 

Dias se passaram e eu decidi voltar para o nosso apartamento, quando entrei nele percebi o cheiro maravilhoso de aromatizante no ar, tinha uma estante nova com fotos nossas e alguns livros, acabei sorrindo e deixei S/F descer já que estava em meu colo, o taxista deixou as malas na porta e foi embora, dei alguns brinquedos para o S/F brincar e fui checar o apartamento, entrei em nossa suíte tudo estava diferente, o edredom era outro, a cama também, tudo estava da cor branco, o quarto ficou bem claro, bem aconchegante, mas que vai dar trabalho para limpar oh se vai dar. Fui para o quarto do S/F e os móveis tinham sido trocados também, ao ver o berço um lado maternal surgiu forte, quero tanto ser mãe de novo. Fiquei alguns minutos ali admirando o quarto até ouvir S/F gritando "papai" voltei para a sala e JungKook estava com ele no colo enquanto fazia ócegas, assim que me viu o seu sorriso aumentou.
 

 

HORAS DEPOIS
 

 

A mãe do JungKook nos chamou para um jantar de família, estou nervosa? Certeza. Já estava pronta só faltava terminar a maquiagem, estava muito nervosa porque provavelmente o pai do JungKook vai estar lá. Passou-se alguns minutos, sai do banheiro e fui ao quarto do S/F, JungKook estava na luta pra colocar uma roupa igual a dele mas S/F fazia birra, acabei dando uma gargalhada chamando a atenção dele, que virou e sorriu derrotado, vesti S/F como o JungKook queria e assim fomos para a casa de meus sogros. Durante o caminho o nervoso apareceu forte, até chegar na residência eu não parava de bater os pés e as mãos tremiam demais. Quando JungKook estacionou o carro e desceu do mesmo pegando S/F no colo, abriu a porta para mim e ficou me olhando com conforto mas mesmo assim estava morrendo de nervoso, sai do carro e peguei S/F o abraçando forte. Entramos na casa dos Jeon e as empregadas estavam correndo para lá e para cá arrumando tudo e no meio delas estava a mãe de JungKook que nos viu e veio nos abraçar, em nenhum momento soltei o S/F, JungKook até falou para eu deixar ele no chão para brincar mas eu de jeito nenhum faria isso, estava em estado de alerta.
 

Durante o jantar só havia eu, S/F, JungKook e a mãe dela sentados na mesa, o que me deixou bem tranquila mas ... alegria dura pouco, o pai de JungKook entrou pela porta principal o que fez eu ter uma reação imediata me afastando um pouco a cadeira.
 

- Olha só quem voltou. -disse o pai do JungKook.
 

- Pai, co-como que... -disse JungKook se levantando da cadeira.
 

- Você me conhece filhão -disse e se sentou ao lado de sua esposa, tremi por um instante- Vamos jantar, estou morrendo de fome. -disse e olhou pra mim, arrepiei na hora e segurei a mão direita de JungKook.
 

 

Horas se passaram e agora eu estava na sala brincando com S/F enquanto JungKook conversava com sua mãe, o pai dele sumiu depois do jantar, subiu para o escritório dele e não desceu mais, eu simplesmente não aguento ter que frequentar os mesmos ambientes que esse monstro, se eu não amasse tanto o JungKook com certeza eu já teria ido embora há muito tempo, enquanto fiquei rindo com o meu filho o mosntro desceu as escadas, parou bem no começo dela e olhou em nossa direção.
 

- JungKook, preciso falar com você. -disse o monstro.
 

- Precisa ser agora? -perguntou JungKook sem vontade.
 

- Agora! -ordenou o monstro, tremi com o seu grito, S/F correu pro meu colo com medo, JungKook se leventou do sofá e se abaixo ao meu lado.
 

- Vai ficar tudo bem. -disse JungKook dando um beijo em minha testa e um beijo nos cabelos do S/F.
 

 

JUNGKOOK POV.
 

 

Subi as escadas em direção do escritório do meu pai, quando cheguei lá ele estava sentado em sua enorme cadeira de costas para mim, fechei a porta e me sentei na cadeira que ficava de frente da mesa dele, o mesmo se virou ficando de frente para mim e começou a falar.
 

- Oi filhão. -disse meu pai.
 

- Não me chama de filho, seu monstro. -disse com nojo.
 

- Monstro? Quem inventou isso? Aquela mulherzinha sua? -disse apoiando os braços na mesa- Pelo amor né?
 

- Não fala assim dela! -disse já com o sangue fervendo.
  

- ... -ele riu ironicamente e depois de alguns segundos voltou a falar- Quando vocês vão se separar? Mal vejo a hora viu? Inferno de garota -disse ele se levantando da poltrona ficando de frente para a enorme janela.
 

- Pra sua tristeza a gente não vai se separar. -disse.
 

- Aé? E eu soube que o seu casamento está em crise, posso saber porquê? -disse meu pai se virando em minha direção.
 

- Não vou contar nada da minha vida pra você. -disse já me levantando da cadeira.
 

- Nem precisa, já sei de tudo. -disse chegando perto- Sei que vocês discutiram, que a S/N saiu de casa, da sua ideia de fugir achando que vai resolver alguma coisa e etc.
 

- Co-como você... -disse espantado.
 

- Tenho meus informantes -disse rodando a mesa e novamente se sentando na cadeira de novo.
 

- Quem? -disse batendo a mão na mesa- ME DIZ?
 

- Não vou falar -disse rindo da minha cara.
 

- Seu desgraçado... -sussurrei e fui pra cima dele o dando soco e chutes- DEIXA A GENTE EM PAZ SEU FILHO DUMA PUTA!!! -enquanto o batia e ele revidava me deixando por baixo e dando vários socos em meu rosto, ouvi a porta do escritório ser aberta e um grito feminino ao fundo.
 

- JEON!! -gritava S/N tentando me tirar dali mas meu pai lhe deu um soco muito forte no rosto o que fez ela desmaiar na hora, meu desespero e raiva aumentou que quando vi ele já estava por baixo de novo.
 

- JUNGKOOK LARGA O SEU PAI!! -gritou a minha mãe me puxando para longe do meu pai- VOCÊS PAREM!!
 

- Você ... -disse meu pai apontando para a minha mãe- fica quieta senão sobra pra você.
 

- VOCÊ NÃO APONTA O DEDO PRA MIM! CHEGA DE BRIGA NESSA CASA!! EU TO CANSADA DISSO TUDO. QUE INFERNO. -gritou minha mãe, ela correu na direção de S/N que ainda estava desmaiada, fui engatinhando chorando até ela.- Temos que levava no hospital! -disse a minha mãe também chorand, concordei e peguei S/N no colo e desci correndo até onde estava o nosso carro, minha mãe pegou S/F no colo e corrermos para o hospital mais próximo.
 

 

Entrei gritando no hospital já que S/N estava sangrando demais na testa e no nariz, alguns médicos chegaram com uma maca e a levaram, me sentei atordoado nas cadeiras da sala de espera, apoiei a minha cabeça em minhas mãos e fiquei chorando silenciosamente enquanto a minha mãe fazia a ficha da S/N. Passou-se 50 minutos um médico apareceu, eu e minha mãe nos levantamos.
 

- Parentes da Senhorita S/N/I?
 

- Sim, eu sou o marido dela. -disse e ele abaixou a cabeça, ah não- Aconteceu algo? Ela está bem certo?
 

- Bom .... ela está em observação mas ... -deu uma parada para ler o que estava escrito na prancheta- Ela perdeu a memória. -disse e eu arregalei os olhos, de novo não- Não sabemos se é temporário como de 3 dias a 1 semana ou por anos.
 

- Mas como ela perdeu a memória assim? Foi só um soco. -disse a minha mãe.
 

- Sim mas como ela já tem um quadro passado de perda de memória ela estava sensível, qualquer deslize poderia acontecer de novo. Eu sinto muito. -disse e se virou indo para outra família que estava aflita.
 

- Filho, foge com ela, por favor! -disse minha mãe- Eu sinto que seu pai não vai parar de fazer as proezas até dar um fim na S/N. -disse desesperada.
 

- Não vou deixar isso acontecer mãe, pode deixar -disse e a abracei- Ele vai pagar tim tim por tim tim do que ele fez pra gente -disse dando um beijo em sua testa.
 

 

Agora não há escapatória.

 

 

-
 

 

-
 

 

-
 

 

-
 

 

-


Notas Finais


Tomara que tenham gostado, e muito obrigada pelos comentários, vocês não imaginam o quanto me motiva a continuar a fic. Muito obrigada mesmo.

Até a próxima 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...