História My Little Robbery - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Tags Chara X Frisk, Charaefrisk, Charisk, Friskechara, Orange, Undertale, Yuri
Exibições 95
Palavras 1.410
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção Científica, Harem, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Então eu só iria postar na outra semana, mas resolvi postar nesta porque estava pronto e não queria deixar morfando ali dentro do Word, e também porque eu gosto de atualizar as Fanfics rápido, mais aí não fica com aquele gostinho de quero mais.

Mas de qualquer forma aqui está o novo capítulo saboreiam cheguem lá no final quero ver o que vocês acharam do capítulo.
Boa leitura amados.

Capítulo 2 - Chapter One: The Return


Pov’s Chara

Porque ela quis aquilo? Sinceramente não passa de uma velha máquina empoeirada que não tem utilidade nenhuma uma ou ela simplesmente crie como apoiador para ela. O calor no subsolo é terrível, as plantas que mal reguei hoje cedo estão secas, consigo ver perfeitamente a areia quebrada da janela.

Não quero que as plantas ressequem, eu gosto de recolhe-as e colocar num jarro d’agua no meu quarto, elas deixam ele com vida. Peguei o regador cheio com água e fui até o pátio de baixo rega-las.

Meus olhos focaram uma única flor, nunca caiu uma pétala ou quebrou alguma folha o brilho dela era tão forte, Frisk. Eu fiz algo errado não foi? Espero que a mamãe não tenha jogado fora, se bem que ela pediu então acho que está tudo bem, nem ligo de qualquer forma não teria como liga-la, foi por isso que parei de usa-la sua bateria havia caído e depois que a carreguei perdi o seu controle.

Pela primeira vez eu chorei, eu havia me apegado muito naquele androide eu dormia com ela em dias que a neve de Snowdin estava forte, foi quando passei as férias na casa do Papyrus, ele continua fazendo um espaguete péssimo antes nem se conseguia engolir, agora nem se consegue mastigar.

- Ei Chara, o que faz aí embaixo. – Uma vozinha irritante me chamava eu olhei para cima eu podia ver Asriel sorrindo do parapeito da janela.

- Ei pirralho, não se debruça aí, o papai não concertou ainda e está quebrado. – Gritei para que pudesse ouvir, mas mesmo com aquelas orelhas peludas não foi capaz de escutar o que eu disse.

- O que você disse Chara? – Ele de debruçou e a barra caiu, o idiota caiu na moita, sorte a dele eu iria rir tanto se ele caísse no chão- Ai, ai isso doeu.

- Você é mesmo um idiota, machucou algo? – Larguei o regador e fui ver se ele tinha algum ferimento.

Ele negou com a cabeça. Teve sorte pelo menos.

- Chara porque você se faz de durona, mas me trata bem? – Ele limpou as folhas da sua cabeça.

- Pirralho, aprenda algo, eu não ligo para você, eu me preocupo com a mamãe se algo acontecer com você ela vai ter um surto, cabeça de vento. – Cruzei os braços, ele estava prestes a chorar. Ele é um bebê de qualquer forma.

Mas eu confesso eu adoro provocá-lo.

Ele saiu correndo para dentro da casa e eu voltei a regar as plantas.

Pov’s Toriel

Eu já estava com Gaster no seu laboratório, deixei um pequeno bilhete na mesa com algum dinheiro caso Asriel ou Chara quisessem comprar algo, não acho que demorarei, mas caso precisem.

- Ela está enferrujada com certeza. – O esqueleto disse colocando sua mão no queixo.

- Mas, tem como reconstruí-la?

- O máximo que eu posso fazer é criar ela novamente de uma forma adolescente como a Chara e colocar o seu antigo sistema em seu novo HD, assim ela terá as mesmas memórias, porém um corpo diferente, o que acha disto minha rainha? – Eu fiquei envergonhada.

- Oh, por favor, não me chame assim, prefiro Toriel, meu marido é quem gosta de ser chamado de Rei. – Eu dei uma pequena risada.

- Como quiser, eu irei arrumar ela imediatamente. – Disse, levando a pequena androide para o laboratório.

Sinto saudades de quando a Chara era pequena e se divertia com ela, posso trazer de volta essas lembranças? Ou posso construir novas, eu não tenho certeza. Mas talvez Chara fique feliz.

Passei algumas horas naquele pequeno lugar e isso me fez por arrumar aquele local, estava cheio de caixas e poeira, bom pelo menos fiz uma pequena colaboração e arrumei o seu local de trabalho, alguém que eu conheceria a quilômetros.

- Oh querida o que faz aqui? – Asgore disse gentilmente se aproximando de mim e me enchendo de carências.

- Ah, sim se lembra daquela androide que você pediu para a Chara? – Ele assentiu sua cabeça positivamente- Então, irei criar ela como nossa filha eu pedi para Gaster dar uma ajeitada nela.

Ele ficou surpreso.

- Querida, tem certeza? Isso pode ser péssimo para a Chara afinal ela era muito apegada tenho certeza que agora com essa rebeldia pode ser completamente diferente. – Asgore disse preocupado.

- Não imagina ela ainda é uma garota, porém está precisando novamente da companhia da Frisk, além do mais Asriel ficaria feliz de ter outra irmã.

Asgore ficou pensativo.

- É você tem razão, ou melhor, sempre a razão. – Ele riu.

Gaster chegou depois de algum tempo estava tossindo aos poucos parecia ter acontecido algo lá dentro.

- O que houve? – Disse eu preocupada.

- Não se preocupe minha Rainha tudo está bem, apenas algum fio em lugar errado, ela está pronta. – Tossiu por último- Apresento o novo modelo da família Dreemurr.

Ele fez referencia todo dramático acabamos rindo junto a ele que logo trouxe a máquina ligada, continuava linda como sempre os cabelos estavam um pouco menores até os ombros parelhos, os lábios mais rosados a pele morena mais suave e principalmente seu tamanho.

Ainda era menor que a Chara, porém tinha características de uma jovem moça com belos olhos âmbares que ainda tinham o mesmo brilho.

- Como conseguiu isso em tão pouco tempo? – Perguntou Asgore admirando a máquina.

- Isto é fácil, anos praticando este modelo, Frisk arquive isto, estes são o Rei Asgore e sua esposa Toriel a Rainha, seus pais. – Ela nos olhou profundamente, mas abriu um sorriso.

- Arquivado. – Ela veio em nossa direção nos abraçando- No meu sistema abraçar está arquivado em forma de carinho afetivo.

- Uau. – Não sabia o que dizer.

- Frisk, arquive mais isto você tem dois irmãos Chara a mais velha e Asriel é o menor da família. – Ela nos olhou.

- No meu sistema vocês tem apenas um filho. – Ela disse.

- Ah, sim Chara é nossa filha adotiva desde que caiu no subsolo. – Ela ficou pensativa.

- Arquivado, Chara é minha irmã mais velha, porém adotiva e Asriel é meu irmãozinho mais novo. – Sorriu gentilmente.

- Apresente-se Frisk. – Gaster pediu.

- Olá, eu sou Frisk, sou a filha do meio da família Dreemurr, tenho dois irmãos e meu pai é o Rei Asgore e sua adorável esposa Toriel é a minha mãezinha que faz tortas deliciosas. – Eu corei diante disto.

- Realmente são deliciosas. – Asgore disse, eu dei um soco fraco no seu braço ele riu.

Ela ficou nos olhando com um sorriso gentil, mas a minha preocupação são suas memórias.

- Ela se lembra da Chara? – Gaster assentiu positivamente.

- Assim que rever Chara irá atualizar suas memórias e tudo estará bem, porém irá tentar se acostumar já que foi criada para cuidar e servir a jovem. – Gaster disse.

- Muito obrigado mesmo, Chara ficará feliz tenho certeza. – Eu o agradeci, levei a Frisk comigo e deixei meu marido e o velho esqueleto conversando sobre seus assuntos importantes.

 O caminho foi calmo e alegre, Frisk era realmente esperta sabia de tudo apenas em um olhar, androides me surpreendem.

Chegamos logo na nossa casa onde pela primeira vez não precisei do extintor de incêndio.

- Mãe! – Asriel gritou- A Chara não quer me deixar ver televisão, fica vendo aquele canal bobo de pessoas caindo e se machucando.

E mais essa agora.

- Quem é você moça? – Asriel disse confuso.

- Querido está é a Frisk, recorda da pequena androide que te ajudava com os desenhos? – Asriel abriu um sorriso e abraçou-a com muito carinho.

- Eu a adoro, você voltou para nós, mas você está tão grande irá parar de brincar comigo como a Chara. – Disse choramingando.

- Asriel, meu irmãozinho eu brincarei com você todos os dias. – Disse gentil, tudo indo perfeitamente bem, agora vamos naquela garotinha.

Asriel compartilhou tudo sobre a sua viagem Frisk ouvia atentamente, menos a Chara que nem reparou que havíamos chegado.

- Fez a comida para o seu irmão? – Tentei ser severa.

- Nhá, tem aí se ele quiser que aqueça algo.

- Chara, não pode fazer isto é seu irmão precisa cuidar dele. – Ela bufou.

- Ok, eu sinto muito irei tomar conta dele direito da próxima vez. – Ela se debruçou no sofá e seus olhos pararam onde eu mais queria.

- Surpresa, eu trouxe a Frisk. – Eu dei pulinhos de alegria e Asriel fez o mesmo.

- Tá de brincadeira? – Ela disse sem nenhuma reação.

- Olá, eu sou Frisk.

Arquivado - Chara.


Notas Finais


Então até o próximo capítulo como eu disse no anterior.
Obrigado por ler essa coisinha abençoada e seu comentário me inspira a postar mais rápido.

Um beijo na testa.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...