História My little slave - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Donquixote Doflamingo, Donquixote Rosinante "Corazón", Monkey D. Luffy, Trafalgar D. Water Law
Exibições 98
Palavras 854
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


eu sei que sou um monstro
sei que vocês devem estar m odiando agora
sei que faz uma vida e meia que eu não posto nada
mas eu não estava consegindo escrever
eu já tinha planejado essa parte muito antes de começar a escrever, mas eu queria enrolar mais um pouco antes.
bônus: esse é apenas o começo de algo maior
hi hi
aproveitem my little humans
e perdoem a tia mari

Capítulo 9 - Donquixote Family


Fanfic / Fanfiction My little slave - Capítulo 9 - Donquixote Family

Já fazia mais de uma semana que Trafalgar Law conseguia dormir como um se humano normal. Seu novo travesseiro, vulgo Luffy, se mostrara muito confortável.

Luffy havia começado a fazer o almoço, quando a campainha tocou. Como era de se esperar, quem estava atrás da porta era Corazon.  Ele passou direto por Law ( que por um milagre havia atendido a porta sem reclamar ), e foi direto para a cozinha, onde sabia que o menor estaria.

- ola Luffy – disse enquanto abraçava o mesmo.

- bom dia Corazon ... por favor, me solte , você está atrapalhando.

- desculpe.

-tudo bem.  Você vai almoçar conosco?

- é claro que ele vai- disse Law antes que Corazon pudesse responder – é só pra isso que ele serve.

- own, você ficou com raivinha por eu ter vindo falar com Luffy primeiro, Law? – perguntou ele, zombando de Trafalgar.

- não sei do que você está falando.

- é claro que não! Mas mudando de assunto, eu não vim aqui para comer. Precisamos falar de negócios.

- que negócios?

- caso você tenha esquecido, você ainda é dono de uma empresa.

- sim, claro. Mas quem administra tudo é você.

- você continua sendo o dono. Existem coisas que você tem que saber, quer queira, quer não.

- tanto faz. Mas eu vou comer primeiro. Não estou a fim de ouvir sua voz irritante de estomago vazio.

- se eu não conhecesse você, diria que não me ama.

- não amo.

- você viu Luffy? Ele disse que me ama.

- não destorça o que digo!

- agora ele disse que sou como um pai para ele. Acho que vou chorar de felicidade!

- eu desisto! fale o que quiser!- Law saiu da cozinha e foi para a sala de jantar, enquanto ouvia a risada dos dois escoando pela  casa.

Corazon acabou concordando em almoçar com os dois. Era sempre bom ver que seu sangue suor e lágrimas serviram para alguma coisa útil.

Depois do almoço, os dois se trancaram na biblioteca, enquanto Luffy tirava a mesa e lavava a louça (a pior parte do dia, na opinião de Luffy ) . Para o menor, os dois já estavam trancados naquele lugar há horas. Luffy nunca sabia o que fazer quando Law não estava por perto.

Depois de um tempo, a campainha tocou.

- eu atendo- gritou Luffy. Afinal, ele não queria atrapalhar os dois, a não se que fosse extremamente necessário.

O sorriso que brotou em seu rosto por ter algo para fazer logo sumiu ao ver quem era a pessoa que o esperava do outro lado da porta. Ele congelou. Nenhum músculo do seu corpo ousou se mexer.

- você não vai me deixar entrar? – perguntou a pessoa.

- ... - ele não conseguiu responder.

- Luffy? Quem é? – gritou Law da biblioteca. Mas não houve resposta.  A falta da mesma fez com que os dois interrompessem o que quer que estivessem fazendo. Ao chegar na porta, Law entendeu o porque do silencio do menor.

- o que faz aqui? – perguntou.

- não vai me convidar para entrar, Trafalgar.

- não!

-... Mingo ...- sussurrou Luffy, finalmente.

- ola, Luffy.

- o que? ... por quê ?

- assuntos de adultos. – Doflamingo bagunçou os cabelos de Luffy,e o mesmo se encolheu e se afastou, dando espaço para o maior passar.  O mesmo adentrou a casa com um sorriso no rosto, sorriso esse que morreu ao ver quem estava atrás de Law.

- por que está aqui, Rosinante?

- eu devia perguntar a mesma coisa Dofla.

- tenho negócios pessoais a tratar com seu amiginho.

- não, não tem! –  disse Law – vá embora da minha casa.

- eu vou depois de terminar o que vim fazer.

- e o que seria?

- particular.

- o que é tão importante, que você não possa falar na frente de seu irmão? – se Corazon tivesse olhado para Luffy, teria visto os olhos do menor, que já começavam a lacrimejar, se arregalarem mais do que se julgaria possível, mas ele encarava o irmão como se o mundo ao redor não existisse mais.

- já disse que é particular! Não gosto quando me fazem repetir! – gritou Doflamingo.

- chega! – gritou Law antes que Corazon pudesse responder-  Corazon, leve o Luffy lá pra cima. E você- disse apontando para Doflamingo – biblioteca.  Agora!

                                       ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

- o que você quer?

- eu quero seu presente de volta.

- nunca!

- pensei que você não o quisesse.

- mudei de idéia.

- quanto você quer por ele?

- por que você o quer?

- eu achei um comprador.

- ele não está á venda.

- eu tenho muito dinheiro.

- eu também.

- se você não me der seu preço, eu vou pegá-lo a força. – Law não conseguiu se segurar, quando deu por si, seu punho já havia encontrado a bochecha de Doflamingo.

- pegue se for capaz!

- eu vou acabar com você.

- eu acabo com você antes.

Doflamingo saiu de lá com raiva, muita raiva. E jurou para si mesmo que teria seu brinquedo de volta, junto com sua vingança contra Trafalgar. 


Notas Finais


estou perdoada ?
a tia mari ainda tem um espaçinhos em seus corações ?
eu não mereço a forca?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...