História My little suicide angel - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jinkook, Lemon, Sugamon, Vhope, Vmim
Exibições 79
Palavras 1.884
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem , não é todo dia que nós vemos uma fic Jinkook por ai
Bjokas na testa

Capítulo 1 - Meu novo psicólogo


JUNGKOOK ON
Meu nome é Jungkook , tenho 18 anos ( recém completados) ,  acabei de terminar o 3 ano , não tenho amigos , não tenho vida social e sou depressivo ... Ah , e também sou Gay .
           Quebra de tempo
- Jungkook , venha filho vamos nos atrasar - disse minha mãe pegando as chaves do carro
- Já estou indo - peguei minha carteira e fui até a porta
- Jungkook - começou a dizer com tom de tristeza - sabe que eu te amo e faço isso para o seu bem ?
- Sim Omma , eu prefiro mil vezes ficar contigo , do que com o Appa , se é que eu posso chamá-lo assim
- Não fala assim meu bem
- Como não , ele me abandonou quando falei que era Gay , e não antes de me bater e quase arrancar meu coro
- Eu sei , eu sei , mas ele ainda é seu pai , e ainda está vivo - disse entrando no carro
- Pra mim ele está morto , assim como eu estou para ele
              Quebra de tempo
Chegando no consultório minha mãe pagou o estacionamento e entramos no prédio , subimos de elevador com mais 2 pessoas , um garoto de cabelos cinza cabisbaixo , meio triste , e um garoto de cabelos castanhos e com celular na mão .
Paramos no 5 andar , olhei para trás e percebi que o garoto estava me encarando ( olhando pra minha bunda especificamente) , e logo piscou pra mim e o elevador se fechou
- Pronto filho , aqui estamos
- Bom dia , vocês tem hora marcada ? - disse a atendente simpaticamente com sorriso no rosto
- Sim , as 14:00 , com o Psicólogo Kim Seokjin - disse minha omma se direcionado a mesma
- Ah sim , Senhora Jeon , aguarde logo ele estará ai  , mas para adiantar o processo fique aqui para que eu pegue seus dados pessoais
Eu coloquei meus fones e coloquei músicas mais Badiosas que a minha vida , quando sinto uma mão na minha coxa
- Ei - disse
- Me desculpe não resisti em apertar , parecia tão carnuda - disse o garoto do elevador
- Você não é o garoto do elevador ?
- Park Jimin , prazer
- Jeon Jungkook
- Ei , vamos lá fora pegar um ar
- Não sei se devo confiar em você , vai que você me estupra
- Não , não hoje
- Medo - o mesmo riu
- Você vem ou não ?
- Omma , vou lá fora pegar um ar , em 10 minutos eu volto
- Claro filho , juízo e volte logo
não sei que burrada estou me metendo .
Fomos até a sacada do andar e Park Jimin ficou me encarando , dessa vez meus lábios
- Quer autógrafo ?
- Não mas isso já serve
Ele me puxou e me beijou , ele pediu passagem para sua língua , mas eu não cedi de primeira , mas depois sim . Sua boca tinha um gosto de chiclete de morango e maracujá , mas logo nos separamos por falta de ar
- Por que você fez isso ?
- Você não me impediu , mas confesse eu não beijo tão mal assim
- .... - fiquei sem graça por que realmente eu tinha gostado
- Ei , vamos terminar isso depois - ele passou a mão da minha boca até o meu abdômen , e em seguida lambeu o dedo , eu não tinha entendido , mas ai eu entendi , eu não queria terminar aquilo ... Ou será que queria ? Estou perdido
Voltei pro consultório ,e sentei numa cadeira ali presente , coloquei meus fones e permaneci ali por 5 minutos , até minha atenção ser tirada pelo serumano entrando no consultório , ele era alto e magro , seus cabelos levementes castanhos e curtos , olhos azuis ( creio que eram lentes ) e roupas sociais porém despojadas
- Boa tarde - nos cumprimentou - já venho chamá-lo , espere 2 minutos
Esperei
- Jeon Jungkook , pode entrar - ele abriu a porta me deixando entrar , e fechou a porta
Ele pegou minha ficha e começou examiná-la atentamente
- Então , posso te chamar de Jungkook
- Claro
- Jungkook , já posso ver a raiz do seus problemas
- Logo na primeira consulta ? Caraca
- Sua mãe fez a ficha bem detalhada
- Entendi , então qual é a fonte dos meus problemas
- O fato de você ser Gay
- Desde quando isso é um problema - alterei meu tom de voz - Não é isso que eu estou querendo dizer , o que eu quero dizer e que , quando você contou isso para o seu pai seus problemas começaram
- Realmente
- Mas me diga , como você contou isso para ele ?
- Foi de uma forma sem querer , estávamos jantando , e ele começou a falar sobre um filho de um amigo , que também era gay , e começou falar mal tanto do garoto tanto do pai , que se ele tivesse um filho gay iria bater tanto nele , que o faria mudar de ideia ai eu soltei um “ Então o senhor me odeia ? ” e foi o suficiente , ele me mandou pegar sua cinta de couro e ir pro meu quarto - comecei a chorar de leve
- Mas sua mãe não estava em casa - levantou-se e pegou um lenço para mim
- Não - peguei um lenço - continuando , fui para o meu quarto , já chorando , meu pai chegou lá depois de uns 10 minutos falando coisas do tipo “ eu fiz tudo por você pirralho , e é assim que você me agradece , sendo uma aberração para a sociedade ” “ você não merece viver aberração , você não é melhor que ninguém ” “ filho meu não vai ser Gay , ele tem que ser aceito na sociedade ” , mas a maior merda que eu falei foi “ do que adianta a sociedade me aceitar , e meu própio pai não ? ” , depois daquelas simples palavras ele fechou os punhos e me deu um soco no rosto , pegou a cinta de minhas mãos tirou minha camisa e me bateu tão forte que eu tenho as cicatrizes até hoje
- Mas cinta só deixa marcas , como foram se criar cicatrizes ? - perguntou anotando tudo no papel
- Ele pegou um chicote
- Como é ?
- Sim , ele me bateu forte demais , eu desmaiei de dor . No dia seguinte acordei no hospital , com muitos curativos e soro na veia , minha omma estava sentada no sofá do hospital , rezando
- Eu te entendo
- Como , você não faz ideia do que eu passei
- Claro que entendo , não somente pelo fato de ser psicólogo , mas por causa disso - ele me mostrou um anel prata no seu anelar direito - mas não estamos aqui para falar de mim , mas agora me diga , você já teve namorado ou relações ?
- Não , eu nunca quis me expor tanto
-Mas por que ?
- Por causa da sociedade
- Esqueça da sociedade , você precisa se aceitar , dane-se o que os outros dizem , você não precisa ra provação ou permissão deles , ou precisa ?
- Não
- Então porque se importa tanto com as opiniões dos outros ?
- Por que meu pai sempre disse que se eu não fosse o que ele queria , eu não seria aceito
- Esqueça isso , você tem que amar e acima de tudo se aceitar , jogue a entidade “ Outro ” de lado - Como se fosse fácil
- Para mim também foi difícil , mas como eu disse não estamos aqui por mim , mas por você
Ficamos conversando por um tempo ainda , até que nós chegamos no assunto Jimin
- Espera , quer dizer que o garoto que estava beijando o Jimin era você ?
- Sim algum problema ?
- Meu sobrinho não tem jeito
- Ele é seu sobrinho ?
- Sim , eu ajudo ele mora comigo , foi abandonado pelos pais pelos mesmos motivos que você
- Aish
- Pois é , nossa consulta acabou , nós vemos semana que vem , ou quem sabe lá em casa - riu e eu ri de canto - peça para sua mãe entrar
- Claro  - sai do consultório e vi minha omma e a mandei entrar , mas também vi um vulgo Park Jimin me olhando através da janela
- Omma eu vou indo , eu tenho que ir na casa de um amigo fazer trabalho 
- Sem problemas , te vejo em casa meu bem - me deu um beijo na testa
Sai do consultório e Jimin agarrou minha bunda
- Ei
- Desculpa , e que ela era tão linda de longe , e mais ainda de perto
- Agora tenho um tarado atrás de mim
- Foi você que veio atrás de mim e dos meus beijos
- Nós só nos beijamos uma vez , e foi a 1 hora atrás
- Aish , isso não me impede
- Sim impede
- Quer ir lá pra casa ?
- Vou ser estuprado
- Não vou fazer nada que você não queira - sorriu malicioso pra mim
- Medo
Ele riu e fomos para o elevador , não era um elevador comum , ele era grande  tipo dava uns 4 desses pequenos
- Jungkook  , você está bem ?
- Tô , mas porque a pergunta ?
- Você está pálido , e suando
- Mesmo ???
- Sim  , vamos logo pra casa , eu acredito que Jin Hyung tenha alguma coisa
Entramos no carro e ele dirigiu rapidamente até uma casa de 2 andares luxuosa , no baixo chique de Seul
- Vem , Namjoon Hyung deve estar em casa , ele vai nos ajudar
Entramos na casa , ela era bem mais bonita por dentro  , era bege e branca , com alguns detalhes em preto e... Rosa ??
- Rosa ? Sério??
- É a cor favorita do Jin Hyung
- Entendi
- Jimin é você ? - perguntou um garoto alto de cabelos loiros acastanhados
- Sim Hyung, trouxe um amigo , ele estava passando mal
- Mas do que se trata ?
- Creio que seja febre , ou coisa do tipo - disse Jimin colocando sua mão na minha testa
- Subam , eu logo levarei termômetro e remédios
- Está bem - disse Jimin indo até a escada - Vem kookie
- Mas já arranjou apelido pra mim
- Vai , é fofo
- Tá , vamos subir
Eu estava subindo as escadas a trás do Jimin , e eu percebi uma coisa : A bunda dele é linda
Ele percebeu que eu estava olhando pra sua bunda e virou pra mim
- Depois eu sou o tarado - disse rindo
- Só sobe - disse meio corado


Notas Finais


O primeiro capítulo espero que tenham gostado
Bjokas na testa
Da Maknae Helô


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...