História My Little Toy [Yoonseok] - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Namjin, Vkook, Yoonseok
Visualizações 39
Palavras 1.997
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu sei, demorei meio século para postar, então para compensar o cap vai ser enorme
Ah, considerem isso como um """"especial"""" dia dos namorados BEEEEEM atrasado
Boa leitura :3

Capítulo 8 - Black and white, wrong and right


Fanfic / Fanfiction My Little Toy [Yoonseok] - Capítulo 8 - Black and white, wrong and right

A chuva continuava a cair. As nuvens manchavam pouco a pouco o céu azul com um cinza em abundância. Pequenas gotas de água escorriam lentamente pelas janelas embaçadas. 

As palavras saíam quase que por conta própria da boca de Hoseok. A empolgação em contar tudo sobre o território inglês era tanta que lhe faltava o ar nos pulmões. Seus novos amigos o escutavam atentamente, não deixando nenhum mísero detalhe passar. Infelizmente, os olhos ingênuos de Hoseok não conseguiam enxergar o interesse por trás de todas aquelas pessoas em torno de si.

Ele era quase uma celebridade na escola. Todos queriam conhecer "O aluno transferido da Inglaterra". Se ele não tivesse sido transferido de fora do país, seria tratado como qualquer novato, sendo desprezado e ignorado.

Hoseok estava sendo tão bem recebido que nem percebeu o tempo passar. Estava tão distraído que um detalhe passou despercebido:

- O caderno de Yoongi. -

"Eu preciso pegar as matérias que eu perdi, para não ficar muito atrasado. O professor me recomendou pegar o seu caderno, então, por favor, pode me emprestar?"

O caderno estava em sua mochila, junto com seus livros. Estava assim como Min pediu: Sem nenhum arranhão, do jeito que entregou a Hoseok.

O sinal já havia tocado. A sala estava quase vazia; Yoongi já havia saído. Jung se apressou e foi para o grande corredor principal.

Como sempre, estava uma confusão. Havia pessoas até onde a vista alcançava, ou seja, a saída. Encontrar Yoongi no meio daquela multidão seria quase impossível, se não fosse...

O cabelo prateado.

O cabelo de Yoongi era uma de suas características únicas. Sempre se destacava dos outros. E dessa vez não foi diferente: Os lindos fios acinzentados eram vistos à metros de distância.

Era difícil se locomover com tantas pessoas. Cada um competia por espaço e preenchia aquele que lhe era disponível. Parecia que o corredor principal estava mais estreito, ou ficou menor. As vozes misturadas confundiam sua mente. Mesmo assim, Hoseok não iria desistir. Estava determinado à enfrentar a multidão.

Ele se aproximava cada vez mais. Uma sensação boa floresceu em si. Estava finalmente quase alcançando Yoongi, depois de tanto tempo.

- Yo-

- Hoseok Oppa!

Pequenas mãozinhas delicadas seguraram seu braço, chamando sua atenção.

- Oppa, finalmente te encontrei! Você ainda não terminou de nós dizer como foi a viagem. Venha, estamos te esperando.

Hoseok foi puxado novamente o mar de alunos. Nem teve a chance de argumentar, e mesmo se tivesse, seu bom coração não recusaria um convite desse, para não decepcionar ninguém.

Quase. Tão perto...

* * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Uma carinha triste, sendo coberta pelo cabelo rosa. Andando por aí, sem saber ao certo aonde está. Sem dúvida, era um lugar bonito, afastado do resto do mundo.

Depois de falar tanto sobre a vida que teve na Inglaterra, um sentimento tomou conta de si.

Saudade.

Era bom estar de volta em casa. Era bom não ter que falar inglês. Era bom estar com sua família. Contudo, Hoseok deixou muita coisa para trás. E elas lhe faziam muita falta.

Seus passos eram incertos. Tudo está tão diferente. Nada continuara como antes. Estava andando no escuro, sem nenhuma luz para lhe auxiliar. A insegurança prevalecia; cada decisão tomada poderia ser mais um movimento em direção à derrota. O medo de continuar e arriscar, o medo de se machucar.

Todos aqueles pensamentos sufocavam Hoseok. Eles ocupavam cada espacinho de seu cérebro, tomavam toda sua atenção para si, quase que o puxando para um mundo paralelo. Sua mente cansada e sobrecarregada tentava esquecer sobre todos os problemas, o que era uma tentativa frustrada. Aquilo estava o consumindo, escondendo seu belo sorriso nas profundezas de seu tão maltratado coração.

Em meio a tanta desordem, seu olhar perdido cruzou-se com o que menos esperava naquele momento. Surpreendido, era quase impossível ser apenas uma simples coincidência.

Os belos fios prateados, que ficavam sutilmente mais claros e brilhantes em contraste com a luz do Sol. A pele pálida, assim como os flocos de neve, aveludada; tão suave como algodão. Seus olhos castanhos, que refletiam tudo com clareza, assim como a água mais cristalina existente neste mundo.

Min Yoongi, sem sombra de dúvidas.

- Yoongi! - Hoseok não hesitou em finalmente poder pronunciar o nome do menor, sem intervenções.

Aquela voz era familiar a Min. O hyung queria acreditar que era apenas algo fictício, mas não. Sim, era real. Ele estava à sua frente, transparecendo um sorriso em seu rosto, mesmo que pequenino.

- Ah! - Jung leva uma mão até sua boca para a cobrir, arregalando os olhos - Seu caderno... Desculpa Yoongi, desculpa, desculpa, desculpa! Se você quiser, eu posso ir pegar no meu quarto e-

- Não tem problema. Se ele estiver intacto, já está de bom tamanho. E não peça tantas desculpas, é irritante. - Yoongi cumpre mais uma vez sua missão de não demonstrar nenhum interesse, ou ao menos alguma expressão.

- Desculpa... É que... - O dongsaeng fita seus próprios pés, sentindo se culpado por causar tanto incômodo ao menor.

- Você não me deve explicações, assim como não as quero escutar. Eu já vou indo, se você não se importa. - Yoongi se levanta do chão coberto por folhas, de prontidão para ir embora e deixar ele sozinho novamente.

A atenção de Hoseok se concentrou em apenas um detalhe, até então oculto: Um arranhão embaixo do olho esquerdo de Yoongi. Assim que teve a oportunidade, segurou seu braço na tentativa de impedi-lo, o que foi cumprido com sucesso. O menor olhou com certa raiva para ele, tentando compreender o motivo para aquele ato tão inesperado.

- O... Que é isso?

- Isso o que?

- Isso no seu rosto.

- No meu rosto?

- Sim, embaixo do seu olho.

- Não deve ser nada.

- Se não é nada, por que está tão vermelho?

Hoseok se aproxima de Yoongi, colocando uma de suas mãos em sua bochecha, passando um dedo cautelosamente sobre o corte. O contato do calor de sua mão com a pele fria de Min fez com que ele permanecesse estático, calado. O maior o pegou de surpresa. A causa do espanto poderia ter várias razões, uma delas sendo a falta de costume que Yoongi tinha com atos mais afetivos. Contudo, ele ainda conseguiu trancar todas as suas reações impressionadas dentro de si, não deixando nenhuma escapar; sua especialidade.

- Eu não sei o que você fez aqui e tenho certeza que você não vai me dizer, mas esse machucado precisa de cuidados! Vamos pro meu quarto, assim você já aproveita e pega seu caderno.

Não se pode negar que a ação de Hoseok provocou um efeito estranho em Yoongi, facilitando em arrastá-lo para o quarto dele. Tão estranho a ponto de o calar por completo, sem nem discutir ou reclamar. E assim continuou, por todo o percurso.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Ia ser uma longa noite. Uma longa e desagradável noite. 

Naquela tarde, a diretora tomou uma decisão. Poderia retirar a suspensão, com uma condição: Ambos teriam que arrumar o laboratório de ciências à noite. 

As aulas deixavam aquele lugar um verdadeiro caos. Nem os alunos do infantil faziam tanto alvoroço. Limpar e organizar tudo aquilo poderia ser considerado uma tortura, e a diretora sabia muito bem disso. Era uma punição, para que os dois aprendam a se comportar na escola. Talvez sua decisão tenha sido um pouco exagerada, mas ninguém podia questioná-la.

Namjoon brincava com a chave em seus dedos. Encostado na porta, esperava uma certa pessoa que estava atrasada. Quando finalmente ouviu os passos apressados ecoando no grande corredor, apenas se virou para a porta e a destrancou. Não queria contato visual de forma alguma. 

Um suspiro escapou de seus lábios ao ver o estado do laboratório. As mesas estavam com várias substâncias químicas espalhadas e algumas até derramadas; a sujeira acumulada dos recipientes fizeram com que perdessem seu tom translúcido; as cadeiras estavam jogadas pelo chão. O cheiro daquele lugar causava mal-estar, pela mistura de aromas químicos. Kim não se surpreenderia se descobrisse uma nova criatura se desenvolvendo em algum dos armários. 

Assim que entrou, abriu as janelas para que o ar pudesse circular, e as chances de morrer intoxicado diminuíssem. Por alguns segundos, ele pôde admirar a vista que o laboratório dava ao resto do colégio. Aquele silêncio noturno, o vento refrescando sua pele. A tranquilidade dominou seu corpo, mesmo estando em um local tão asqueroso como aquele. Apoiou suas mãos, e com um pouquinho de força conseguiu sentar-se na janela. Olhar para seus pés pendurados podendo cair a qualquer momento não lhe causava incômodo; lhe causava uma sensação de liberdade. Ser uma criança de novo, tocar o céu, ter o mundo somente para si. 

- Vai se jogar? A sociedade agradece. 

Começa bem.

Namjoon fez um acordo consigo mesmo. Ele apenas iria ignorar as provocações de Seokjin, sem respondê-las. Então, retirou uma perna de cada vez, descendo da janela em silêncio. 

- Perdeu a habilidade de falar? 

- Guarde tudo em seu lugar e arrume as cadeiras. Como você está com o braço quebrado, eu vou lavar os recipientes e limpar as mesas. 

Seokjin odiava receber ordens, principalmente se fosse de alguém como Namjoon. Todavia, era a mais pura verdade. Por mais que seu braço estivesse se recuperando a cada dia, fazer esforço agora era correr um risco desnecessário. 

- Okay, está bem. 

O Kim mais velho logo começou seus afazeres. Sua maestria em fazer o que lhe foi pedido era incrível, ainda que com apenas um braço. Não se pode dizer o mesmo do dongsaeng, que era mais desastrado do que seu hyung. 

- Eu não sei se você sabe, mas o becker não é de ferro. Acho que você ainda não teve capacidade para descobrir isso. 

Seokjin sempre havia um jeito de se mostrar superior a Namjoon. A briga eterna entre eles era alimentada pelo ódio de ambos, que fervia no calor de seus espíritos competitivos. Muitos acreditavam que a causa da morte de Namjoon seria Seokjin, e a causa da morte de Seokjin seria Namjoon. Eles foram feitos para causar dor um ao outro, e isso não mudaria tão cedo. 

Apenas faça o que tem que fazer. Ignore. 

O silêncio foi cortado pelo som de um dos tubos de ensaio se quebrando. Em um momento de desatenção, o Kim mais novo deixou que ele escorregasse de suas mãos, chocando-se no chão. 

- Eu sabia. Deixa que eu limpo, o chão não gostaria de ser quebrado também.

Sua paciência estava se esgotando. Sua ira não poderia ser controlada para sempre; uma hora ou outra ela iria ser liberada da pior maneira possível. Definitivamente, ele não estava colaborando. 

- Eu limpo, não sou aleijado. A princesinha está com o braço quebrado, não podemos esquecer disso. 

- Princesinha é o caralho. Quer que eu te lembre quem é o mais velho aqui? 

- E quem se importa? Foda-se. 

- Sua mãe nunca te ensinou a respeitar os mais velhos? Bem, se é que você teve uma mãe, porque se teve, ela falhou em te educar. 

Aquelas palavras foram suficientes para que a pouca paciência se acabasse. Ele já não aguentava mais. Largou o que tinha mas mãos, avançou no braço engessado do hyung. Quando percebeu o que estava fazendo, se conteve. Mesmo assim, agarrou a blusa do menor e o puxou com brutalidade, o deixando a poucos milímetros do chão. O contato visual se tornou inevitável. As palavras eram desnecessárias, apenas o olhar trocado entre os dois expressava todos os sentimentos que haviam em suas almas. 

Seokjin conseguiu se soltar das mãos grossas e fortes do maior, voltando ao chão e afastando-se dele. Após isso, o silêncio e a distância predominou entre eles, até que o mais velho acabasse seu trabalho. 

- Eu vou embora. Tenho coisas para fazer. 

- Finalmente, já não aguento mais olhar pra sua ca-

Antes que Namjoon pudesse terminar, Seokjin já havia saído. Apenas estava ele e o silêncio, mais uma vez. 


Mas uma coisa ainda está mal explicada. Para onde ele foi com tanta pressa?


Notas Finais


Pra onde o Jin foi? ONDE SERÁ QUE ELE FOI?
Vou deixar todo mundo curioso
Anyways, espero que tenham gostado, beijinhos da Tia Thunder <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...