História My Lost Angel - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Monsta X
Personagens Personagens Originais, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Sobrenatural, Tae, Taehyung
Exibições 94
Palavras 1.823
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieee amores, eu demorei para postar porque estive ocupadíssima esses dias, desculpem pela demora e espero que gostem. <3

Capítulo 11 - The Last Song


Fanfic / Fanfiction My Lost Angel - Capítulo 11 - The Last Song

Acordo, ainda um pouco atordoada e percebo que estou no quarto do Taehyung.

— Por que estou aqui?

Levanto e saio do quarto devagar, observo o corredor enorme, percebo que não têm ninguém no mesmo e começo a caminhar devagar na tentativa de encontrar alguém.

— Omma, o Taehyung sempre esteve certo — Escuto a voz do Yoongi vindo do final do corredor, para ser mais exata do quarto dele.

— Eu não consigo acreditar nisso, ela esteve todo esse tempo em baixo de nossos narizes — Ouço a voz do pai do Yoongi.

Sigo o som das vozes e fico ouvindo o que eles estão a falar.

— Como é que vamos falar para ela? – Escuto Hobi perguntar com uma certa preocupação na voz.

— Não podemos falar tudo de uma vez, vai ser muita coisa para ela absorver — Namjoon diz.

— Temos que falar para a Yumi de uma vez, já passei muito tempo esperando por ela, não vou perder mais nenhum minuto se quer longe da minha filha — Escuto Youra dizer isso e ando um pouco para trás me afastando da porta.

“Filha? Não, não tem como. Depois que eu conheci esses meninos minha vida virou de cabeça para baixo. Está tudo tão confuso e assustador. ”

— Yumi, desde quando está aqui? — Jin pergunta enquanto saí do quarto e me olha com um olhar de pena.

— Tempo o suficiente para ouvir o que estavam falando — Sinto uma dor fortíssima na barriga, seguida de uma fraqueza nas pernas e caio no chão.

— Pequena! — Jin me pega em seus braços e me leva para dentro do quarto, onde estava a alguns segundos atrás e me coloca na cama.

Vejo os olhares de todos que estavam no local sobre mim, mas não dou muita importância, estava sentindo muita dor.

— O que aconteceu com ela? — Tae pergunta vindo até mim.

— Ela ainda não está acostumada com a força dos poderes dela — Jimin fala olhando para mim.

— Poderes? Vocês são malucos? — Falo entre gemidos de dor — Eu agradeceria muito se alguém me explicar o que está acontecendo aqui.

— Calma princesa, você logo vai saber – Taehyung fala tentando me acalmar — Mas antes temos que cuidar de você para que não desmaie novamente.

— Foda-se, me falem de uma vez — Berro irritada — Por que estou aqui e por que estou lembrando do Chen e dos outros com olhos pretos? Estou ficando louca, só pode.

— Você não está maluca — Jungkook fala de uma forma calma — Acho que você é quem devia contar para ela, Yoongi.

— Tanto faz — Vejo ele sentando ao meu lado e segurar as minhas mãos nas dele — Yumi você é minha irmã...

— Cara, você é horrível para falar essas coisas — Jimin fala tentando não rir.

Arregalo os olhos e encaro a todos ali presentes.

— Como é? — Quase começo a rir.

— Isso que você escutou, você fugiu de nós naquele dia no parque, lembra? — Apenas fico em silêncio, prestando atenção ao que ele diz e percebo um objeto familiar no pescoço dele — Procuramos você por todos os lugares que se possam imaginar e principalmente o Taehyung.

— Primeiro, sim eu saí correndo feito uma maluca dos meus pais biológicos quando eu era pequena e segundo, como é possível o Taehyung ter me procurado se ele apenas estava com...  — Começo a contar no dedos e logo tenho minha resposta — Três anos quando eu me perdi? Essa é a lógica sabe...

— Sou um pouco mais velho do que isso pequena — Tae diz rindo um pouco.

— E você têm quantos anos afinal, caramba? Duzentos?

— Claro que não, aumente mais um milênio, aí ficará mais perto — Fico sem saber o que fazer — Os meninos também têm aproximadamente essa idade, claro, menos o Yoongi.

— Vocês são o que então? Vampiros — Digo irônica e revirando os olhos.

— Acreditaria se eu contasse que somos anjos? — Namjoon pergunta sem olhar para mim e involuntariamente tenho um ataque de risos.

— Sério, vocês são malucos — Falo entre gargalhadas.

— Yumi, não estamos brincando — Hobi fala em um tom grave e me encara.

— Anjos não existem — Berro para todos.

— Existem sim — Jimin diz rebatendo minha resposta.

— Então me prove — Digo fria.

— Agora mesmo — O de cabelos cinza fala enquanto tira a camisa.

— O que pretende com isso? — Antes de poder falar mais alguma coisa Jimin vira de costas para mim e arregalo os olhos ao ver um par de asas na mesma — Co-como isso é...

Fico boquiaberta ao ver ele abrindo suas asas.

“Não, isso só pode ser um sonho... Acorde Yumi, isso é um sonho. ”

— Agora acredita? — Taehyung me pergunta.

— Isso é algum tipo de pegadinha, né?  — Pergunta ainda desorientada.

— Jin, Jungkook, Namjoon, Hoseok e Taehyung são anjos também — Suga fala — Eles cuidavam de nós quando éramos pequenos e bem... ainda cuidam.

— Então era você mesmo? — Pergunto a mim mesma enquanto lembro daquela lembrança com o Tae.

—  Era quem? — O senhor Shou pergunta sem entender nada.

— Não é nada — O respondo fria.

— Só ainda não entendi como ela conseguiu ficar esse tempo todo viva, sem que soubéssemos — Youra diz enquanto me observa cautelosamente.

— Aquele colar que ela usava não era um objeto qualquer, ele era uma relíquia milenar coreana, ele prende os poderes de seu portador junto com sua existência para seres sobrenaturais, como nós — Jin fala para a ela.

— E quando os poderes dela vão se manifestar? — Namjoon pergunta ao Jin.

— Já estão começando, por isso a mudança da cor dos olhos e a fraqueza repentina. Logo, logo eles irão aparecer novamente — Responde calmo ao Nam.

— Temos que ter mais cuidado com ela, tenho certeza de que eles virão atrás dela — Yoongi fala alertando a todos.

— Quem está atrás de mim? — Pergunto confusa.

— Xiumin e seu clã — Hobi diz — Eles são demônios muito poderosos.

— Pera aí! Além de existirem anjos, eu tenho poderes e tem demônios me perseguindo, é isso? Só para ver se eu entendi direito — Digo irônica.

— Isso não é brincadeira, você corre perigo real, pirralha — Suga fala gritando comigo.

— Não grite comigo — Falo indo até ele — Você quer que eu diga o que? 

— Se acalme — Jungkook fala com uma voz serena.

— Essa é a verdade — Yoongi fala por fim.

— A verdade? — Pergunto indignada — Quer que eu acredite em tudo isso que estão dizendo?! A verdade é a seguinte: Eu não sei onde meus pais estão e nem meu irmão, anjos e nem demônios existem e eu não tenho poderes... quer dizer, tenho apenas um, que é o poder de afastar as pessoas de mim. — Falo entre lágrimas, não podia aceitar aquilo tudo, era muito incoerente e sem lógica.

Saio de lá e desço correndo as escadas até a saída da casa e começo a correr mais rápido, sinto uma fraqueza nas pernas, mas ainda assim, continuo a correr. Ao chegar em frente à minha casa, vou até a porta e percebo que ela não está fechada devidamente, empurro ela devagar e entro. Vejo se não havia ninguém pela sala, como esperado não tinha.

— Omma?? Appa?? — Grito chamando pelos meus pais.

Escuto um som de como se algo estivesse caído no chão vindo do meu quarto, corro até o local e vejo tudo quebrado. Saio de lá e continuo a chamar meus pais.

— Omma? — Olho na cozinha e não vejo nada — Appa? — Vou até o escritório dele e vejo que tudo está quebrado e sujo de sangue.

Fico sem saber o que fazer ao ver o corpo do meu appa divido em vários pedaços, cada um em uma parte diferente do local.

— Appa!! — Grito ao ver aquilo tudo assustada sem saber o que fazer.

Começo a chorar incontrolavelmente, ando pelo escritório desviando das poças de sangue até parar em frente a uma parede que estava coberta por sangue e nela estava escrito.

Eu avisei que estava sozinha!!
                      Ass: Queen of Hell

 Me espanto com aquilo e saio rapidamente daquele lugar. Me ponho a ir procurar minha omma, corro até chegar ao lugar desejado que era o quarto de meus pais. Ao chegar perto do quarto deles vejo outra poça de sangue perto da porta, a mesma estava entre aberta do mesmo jeito que a porta da frente, abro ela devagar.

— Omma Yun... — Assim que abro a porta dou um gripo desesperador e muitas lágrimas começam a cair sobre meu rosto.

Vejo o quarto deles cobertos por sangue, sangue e mais sangue... entro no quarto assustada. Vejo a mão da minha mãe no chão perto da cama e corro até lá para vê-la.

— Omma, omma — Fico estática ao ver aquela cena.

Minha omma estava toda ferida, com cortes pelo corpo todo, tinha uma marca no pescoço como se algo tivesse atravessado ele. O rosto dela estava com uma expressão de dor, a puxo para meu colo e começo a chorar em cima do corpo dela.

— Por favor, não me deixe sozinha — Me sujo toda com o sangue dela ao abraça-la a segurando em meus braços — Mamãe acorde, acorde não se vá... fica comigo...

Fico ali durante um tempo chorando sobre o cadáver da minha mãe, choro tanto que chego a soluçar. Lembro do dia que cheguei aqui, estava com medo, triste, mas ela me animou e cuidou de mim.

“ Era minha primeira noite na casa dos meus pais adotivos, estava com medo e só pensava em minha família.

— Princesa, ainda não dormiu? — A senhora Yun entra no quarto vindo até mim.

— Não gosto daqui, estou com medo, moça — Digo choramingando.

— Me chame de Yun, mas saiba que agora eu sou a sua nova mamãe e vou cuidar muito bem de você — Ela diz tentando me acalmar.

— Você não é minha mãe!

— Você vai se acostumar com a ideia — A vejo se levantar com uma expressão de tristeza no rosto.

— Por que está assim? — Pergunto meio preocupada.

— Não é nada pequena...

— Yun?

— Sim? — Fico em pé na cama e faço sinal para que ela se aproxime e a abraço — Boa noite omma. ”

Choro ainda mais ao lembrar daquela dia e grito alto.

— Por que? Por que não eu??   — Tento aceitar que acabou ao ver sua face amedrontada.

Lembro de uma música que ela cantava todos os dias para mim e começo a cantar para ela, enquanto acaricio sua pele já fria.

— Vai dormir minha princesa, o amanhã já vai chegar... ao dormir peça a Deus, amor e esperança assim como eu... amanhã é um novo dia, tudo vai se concertar, apesar de ser difícil nunca deixe de lutar.

A observo mais uma vez e fecho seus olhos que até agora estavam abertos e continuo a cantar.

— Peça ao seu anjo protetor, um coração sem magoa e rancor. Nunca desista de amar, pois sozinha nunca pode ficar... saiba que mamãe te ama e nunca vai te abandonar... eu vou estar para sempre ao lado, basta só se concentrar... ao soar da meia noite eu irei te visitar... com carinho te abraçarei e nos meus braços te acolherei.

Choro alto sem me controlar, pedia para que tudo fosse apenas um pesadelo e que acordasse logo. Aquilo doía o meu coração, aquilo doía a minha alma.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, me desculpem novamente pela demora.
Já sabe o que fazer se tiver gostado e não se esqueça de comentar, adoro ler todos os comentários.
Até o próximo capítulo, bjs <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...