História My Love - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jungkook, Suga, Sugakook, Yoonkook
Exibições 110
Palavras 2.789
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie amores, como estão?
Então, eu peço desculpas pelo atraso, mas é que eu estava em semana de provas e mais algumas turbulências, mas acho que agora volta ao ritmo normal, eu ia dizer que seriam postagens semanais, mas como eu nunca consigo isso...
O última capítulo postado em agosto e volto em outubro... To indignada comigo mesmo...
Enfim, eu amo comentários grandes e eu to meio na bad ultimamente, tudo que eu to postando parece que ta uma bosta já que não tá tendo comentários...
Boa leitura<3

Capítulo 7 - Vem amor, que a cama nos espera...


 

 

Eu não sabia dizer o porque, mas depois de um tempo, que eu sinceramente havia esquecido, Hobi e Jungkook ficaram quietos e até mesmo tiveram uma interação. Jiminie disse que eles tinham conversado e combinado que não brigariam mais, pelo menos não na minha frente,  que já era um alívio...

Aquele dia também descobri que aqueles meninos comiam demais. Até tive que ir pra cozinha junto com Hoseok pra conseguir matar a fome deles. Eu poderia garantir pra quem quer que perguntasse,  Hoseok conseguia cozinhar como ou até melhor que a minha melhor cozinheira. Se bem que ele poderia ter feito algo mais rápido se eu não tivesse queimado uma mão e cortado a outra. E como forma de me mimar, ele me encheu de beijos...

Resumindo, não houve mais nenhuma briga e eu sinceramente agradeço por isso. Jungkook se juntou aos meus amigos para me convencer com aquele concurso de dança, até mesmo que disse que poderíamos coreografar Got7 ou Exo, que são meus grupos favoritos. Mas eu ainda estava inseguro sobre isso.

- Eu já disse que estou pensando! - Falei um pouco alto, chamando a atenção de algumas mesas ao nosso redor, me encolhi pela vergonha e ouvia risadas dos meus amigos, mesmo que baixinho.

- Você não tem tanto o que pensar hyung. - Jimin disse fazendo um bico infantil. Eu poderia rir de sua manha se não estivesse constrangido pelo fato de quê, além do concurso de dança, uma criança assim, um pouco mais alta que eu, tinha a mão encima da minha coxa num leve aperto, e pra uma pequena surpresa, não era de Hoseok.

- O que quer dizer? E claro que eu tenho o que pensar. - Disse tentando me concentrar na conversa. - Talvez pelo fato que todos vocês consigam fazer isso faz tempo e eu tenho dificuldades até com passos simples, então não fale que eu não tenho o que pensar, porque eu tenho muito o que pensar! - Eu odiava quando falava repetindo, mas quando ficava constrangido acontecia sem perceber.

- Na verdade, agora você não tem muita escolha...- Hoseok disse sem graça, ele ainda não havia visto o que Jeon estava fazendo, pois estava em nossa frente, franzi o cenho com o que tinha falado esperando terminar. - Eu já fechei a inscrição do nosso grupo, e coloquei o seu nome nas fichas... - A cada palavra a sua voz ia diminuindo e eu finalmente entendia o que falava. E merda, eu nunca quis matar tanta aquela criatura!

- Você fez o quê? - Perguntei incrédulo, consideravelmente irritado. Isso era uma atitude que eu esperava dele, já que Hoseok conseguia tudo de mim com beijos ou com seus sorrisos, era algo que eu não considerava saudável, mas Hoseok me tinha na mão de uma maneira que ninguém mais conseguia.

- Desculpa, mas eu sabia que você iria acabar cedendo... - Até mesmo parecia arrependido, mas eu sabia que aquele bico nos lábios e a expressão de cachorrinho abandonado eram pura fachada. Ele nem mesmo pensava que isso era algo ruim. - Né My baby, apenas esqueça disso por enquanto, já estamos chamando atenção demais.

Como estava chovendo lá fora, ainda bem que não aqui dentro, nós decidimos que era melhor passarmos o intervalo na cantina como os outros, mas parecia que nosso grupo não era muito normal, já que ficava fazendo barulhos que não era acostumado, Jeon apenas rua desse droga toda.

- Vamos logo pra sala que eu não quero levar bronca logo no último dia longe desse inferno... – Jimin disse nos puxando pra fora do refeitório, ri de sua ação mas me deixei ser levado. De fato, sendo o nosso último dia do segundo anos, queríamos evitar qualquer chamar a atenção que fosse, o que quase  não resultava em nada  já que, além de andar com Tae e Jiminie, agora ficara mais evidente minha relação com Hoseok e Jungkook.

Como sendo o último dia, nós não tivemos aulas, apenas ficamos aqui olhando um pra cara do outro. Os professores apenas nos disseram que era pra arrumarmos algumas coisas que queríamos levar pra casa. Mas o resto do tempo ficamos apenas conversando mesmo, o único ruim era que não podíamos sair das salas.

Faltava praticamente três meses para que ocorresse o casamento, Jungkook vinha conversando comigo para que não o visse como um bicho de sete cabeças, que seria bem pior. Mas vermos como uma experiência, que talvez, um dia, isso possa ter algum tipo de sentimento entre nós. Seríamos um casal que apareceria de vez em quando na televisão, como os meus pais.

Porém eu não acreditava que isso poderia acontecer, eu não posso dizer que Jungkook não é encantador, apesar da fama, comigo ele era carinhoso e gostava de sorrir; Nunca pensei que pudesse considera-lo fofo, o Jungkook nem parecia mais o que eu conhecia, quer dizer, quem  sequer conhecia.

Mas eu não conseguia sentir algo por ele, nem sei se isso se adquire com o tempo, mas o único que eu tinha em meu coração era meu Hobi, o máximo que poderia dizer seria que sentiu um enorme carinho por ele, mesmo que nós fossemos próximo e nos falássemos apenas a algumas semanas, ele não era tão idiota quanto pensava.

Até mesmo Hobi disse que não era para ficar pensando muito nisso, que se quisesse desistir de tudo e sair sem rumo consigo ele me acompanhava, mas como sabia que eu nunca faria isso, então a única parte séria que falava era que Jungkook conseguiria, quem sabe, ser uma boa pessoa, o que já era um bom avanço.

Eu só esperava que, daqui a três meses eu esteja com essa mesma calma que estou agora, e que Jungkook continuasse esse amor de pessoa, já que teríamos que conviver por uma boa parte de nossas vidas. 

 

Jungkook

Eu não sabia se esse aperto no peito se dava pela fome que sentia e que estava engolindo todos os meus órgãos, ou o fato de estar me sentindo culpado por realmente gostar de Yoongi e estar escondendo algo realmente importante de sua vida. Eu nunca pensei que pudesse algum dia, sentir esse tipo de sentimento... 

De início, o meu plano não era esse, eu não tinha ideia que Yoongi seria tão apaixonante a ponto de colocar tudo a perder. Eu realmente  não tinha ideia, achava que seria apenas uma atração, mesmo que isso nunca fosse motivo para um casamento. Eu nunca pensei que pudesse me apaixonar.

Namjoon me disse que por ser como um primeiro amor, tudo era mais intenso, principalmente por não saber como agir. Claro que ele não sabia do que havia feito para conseguir o que queria, mas  ele me ajudava quando estava perdidamente, completamente confuso. Ou seja, isso começou a acontecer apenas recentemente. 

- Professora... – O chamou depois que bati na porta da sala de Yoongi. – Desculpe atrapalhar a sua aula, mas é que foi informado que eu e Min Yoongi temos que sair mais cedo hoje por conta de alguns compromissos pessoais. –Tentei ser educado, mas ainda recebendo alguns olhares curiosos.

- Jura? – Disse contrariada, quase me fazendo revirar os olhos. – Bom, eu não posso fazer nada, - Era incrível que ela nem mesmo perguntou se o diretor sabia. – Bom, tenham boas férias Min Yoongi e Jeon Jungkook, estão dispensados... – Disse, praticamente expulsando Yoongi que ainda permanecia quieto, mas apenas pegou sua mochila e saiu de sala, acenando para Jimin e Taehyung. 

Yoongi era belo até nas mais pequenas coisas. Quando andava, ou quando sorria. Até o prazer de vê-lo bravinho eu tive, ele fica com as bochechas totalmente vermelhas, gaguejando e com um bico adorável naqueles lábios que eu tanto quero provar.

Eu simplesmente não me reconhecia mais, eu acho que ainda tinha as minhas raízes dentro de mim, a minha personalidade não mudaria assim do nada. Mas saber que estava apaixonado me abalava mais do que qualquer noticia que poderia ter recebido.

Eu amava aquele baixinho, e mentir pra ele, me corroía cada vez mais.

- Você não inventou essa história de compromisso só pra matar aula comigo, não é? – Yoongi perguntou assim que atravessamos a rua, ficando de frente pra escola. Sorri pela provocação mesmo sem olhá-lo. Ele não estava me julgando ou dando bronca, apenas queria conversar.

- Embora a ideia seja tentadora, - Lhe sorri de lado para que visse. – Nós realmente temos que ir a um lugar, eu me esqueci de te avisar de manhã. – Mentira. – Meus pais me mandaram uma mensagem para nos encontrarmos à tarde. – Continuei andando.

 - Então porque está entrando numa sorveteria se temos esse tal compromisso? – De inicio apenas não lhe respondi, só entrei no local e sentei em uma das mesas, esperando ele fazer o mesmo. Yoongi tinha a cara emburrada, acho que por deixa-lo sem resposta.

- Eu mandei meu motorista nos pegar aqui, seria trabalhoso ir até o local. – Era outra mentira, nem era longe do colégio, dava uns trinta minutos de caminhada, já que Yoongi preferia andar. Eu apenas queria parecer algo normal, num encontro normal, mesmo que o meu branquinho não gostasse de como homem, mesmo que preferisse Hoseok.

Eu ainda não entendia como Yoongi conseguia gostar do desestruturado do Jung. Ele mal tinha um futuro pela frente, seria um relacionamento sem um fundamento. Eu não o odiava por ser pobre, mas me irritava ele estar sempre sorrindo e trabalhando duro, mesmo que mal tivesse condições de cuidar de sua casa, e além do mais, ele já pôde ter o meu Yoongi nos braços.

- Você pediu, não foi? – Me corrigiu olhando de uma maneira meio que pedindo para lhe entender. Eu ainda não entendia porque pedia para não usar verbos como mandar ou ordenar para os meus subordinados, eles eram pagos para me servir afinal. Essa era a definição de seus trabalhos.

- Isso... Pedi... – Falei baixo, não queria contraria-lo. Se eu realmente quisesse conquista-lo teria que entender o que se passava em sua cabeça. Yoongi era certinho demais pro meu8 gosto, mas isso era apenas mais um charme de sua pessoa.

Chamei a atendente e pedi dois sorvetes, um de baunilha outro de morango. Vi ela se afastar dando um sorriso pro meu loiro, o que eu não gostei nada. Da onde fosse sempre Yoongi recebia uma atenção que eu julgava ser desnecessária, eu já o desejava tanto, porque precisava de tantas pessoas lhe olhando?

- Você parece um psicopata quando olha para as outras pessoas Jungkook... É um olhar tão insano e intenso. Mesmo que comigo eu não sinta isso... Por quê? – Disse me avaliando, como se quisesse olhar até o fundo da minha alma. Mas era algo que ele não iria conseguir tão fácil. Eu não iria deixar...

- Porque pra mim essas pessoas não passam de ninguém. – Eu não sabia se poderia provoca-lo daquela forma... – Mas você é o que mais me fascina... – O vi ruborizar e sorri ainda maior. Eu adorava deixa-lo sem graça.

- Não fale essas coisas tão abertamente Jungkook, me deixa com vergonha... – Tapou o rosto com as mãos. A garçonete havia voltado com os nossos pedidos. Entreguei-lhe já o dinheiro na hora, eu não queria ficar ali quando tinha aquela oferecida encima do meu noivo. Mesmo que soasse possessivo eu não me importava mais. – Seu celular está tocando... – Me informou.

Era uma mensagem do motorista dizendo que havia chegado à frente da sorveteria. Ainda bem, não gostaria de ficar do lado de fora ou andando, embora eu não levasse uma vida sedentária, odiava ter que andar sem um rumo ou a bosta que fosse. Puxei Yoongi pelo braço e o levei até o carro, pedindo que entrasse, claro, que de uma forma educada. 

Eu já havia feito aquele caminho umas duas vezes, a primeira foi apenas para ver como seria o tal apartamento, e a segunda foi para levar as minhas coisas e algumas das do Yoongi, mesmo que escondido pra lá. Meus pais já tinham agilizado boa parte da papelada e das coisas do casamento. Eu não precisava me preocupar com muita coisa, apenas com uma possível crise do Yoongi. 

Era algo que eu também não conseguia compreender, nunca imaginei que Min Yoongi, mesmo sem quieto e reservado, fosse uma pessoa, um tanto conturbada. Namjoon dizia que eu julgava muito as pessoas e as rotulava, porém era apenas o meu jeito de ver os outros. Eu nunca imaginei chamar Yoongi de louco, por isso, tento dizer a mim mesmo, que ele apenas não consegue se controlar.

Aquele dia realmente me assustou, por mais que não fosse do meu feitio, a minha primeira vontade foi de colocar Yoongi num potinho e cuidar com todo carinho. Eu não sabia em que problema eu tinha me metido, mas, apesar de parecer trabalhoso, eu não me importava, eu queria poder estar sempre presente na vida do Yoongi, e depois de descobrir que ele tinha essas tais crises desde pequeno, eu queria fazer de tudo para que elas aparecessem com menos frequência.

Depois de alguns minutos, Yoongi me cutucara na bochecha, uma mania que havia adquirido a pouco tempo, afirmando que o motorista dissera que nossos pais estavam dentro do tão estimado apartamento nos esperando. Eu me perdia com muita facilidade quando pensava no pequeno Min, eu tinha que parar com isso, antes que enlouqueça de vez. 

- O que estamos fazendo aqui Jungkook? Você disse que encontraríamos nossos pais... - Perguntou quando entrávamos no prédio, o porteiro já me conhecia, já que já tinha ido ali, cumprimentou Yoongi com um sorriso grande, provavelmente todos daquele apartamento sabia quem era o filho mais novo dos Min. 

Seokjin, o irmão de Yoongi, também fazia muito sucesso nas revistas de fofocas, embora fosse herdeiro de uma empresa, ele era belo demais para ficar apenas enfurnado em coisas burocráticas e participava de alguns trabalhos de vez em quando, como em modelagem de roupas famosas ou de algum cosmético que fazia parte da "vida" da classe alta coreana. 

Alguém invejável, mas não para o meu gosto. 

Yoongi ainda era o melhor. 

- Nossos pais estão aqui Yoongi, não se preocupe, eu não vou te sequestrar nem nada do tipo. - Lhe assegurei, puxando o mais velho pelo braço. Ele estava meio relutante em subir no elevador, talvez por nunca estar naquele local, mas Yoongi teria que se acostumar, a partir de hoje, aqui seria o nosso lar.... 

Sétimo piso. Apartamento 79. O mais afastado do andar. 

A partir daqui eu recomeçaria a minha vida, sem mais mentiras, apenas eu e Yoongi. E que o meu desejo de ter uma vida feliz com Yoongi se torne realidade. Eu tinha o apoio daqueles que importavam e eu tinha certeza que conseguiria tudo que queria, eu iria com tudo pra ficar com meu pequeno... 

Demorou um pouco para que Yoongi entendesse do que se tratava. E para que nada saísse do controle, quem contou a novidade de que iríamos morar juntos foi a sua mãe. Seokjin ficara preocupado e me olhava estranho, como se me julgasse, ou achasse que iria fazer algo errado, mas eu pouco ligava, apenas me importava se Yoongi estava bem. 

Um tempo depois, o filho mais novo dos Min disse que precisava descansar um pouco, pois o dia tinha sido exaustivo. Então acabou indo se deitar.  Yoongi já me disse uma vez que, ele não se importava mais com o casamento, mas sim com o fato dele não gostar de mim de uma forma romântica. Eu me sentia irritado com esse fato, mas isso iria mudar cedo ou tarde. 

Os nossos pais haviam ido embora. Eu respirei fundo, sabendo que quando ele acordasse eu precisaria dar atenção a ele e acalmá-lo. Por menos que parecesse, eu sabia que o loiro gostava de carinho, do meu carinho. Fui até o nosso quarto, vendo que os empregados de nossas casas realmente trouxeram tudo que precisávamos, roupas, móveis e o resto que eu não me dei trabalho de decorar. As nossas coisas estavam guardas de uma maneira bem parecida com a da minha casa, minha mãe gostava de manter a ordem. Embora eu soubesse que Yoongi não era a pessoa mais organizada do mundo. 

Ele era tão lindo dormindo. Yoongi ressonava baixinho. Eu queria tanto beijá-lo de novo. Mas não me aproveitaria de um momento em que ele estava ali, tão indefeso. Eu prometi a mim mesmo... Eu cuidaria dele, mesmo que fosse mentindo...

- Como será que você reagiria se soubesse da verdade? - Acariciei seus cabelos macios. - Eu acho que você ficaria feliz... Vocês se dão tão bem... Pena que tive que usar isso para poder me aproximar de você meu lindinho... - Beijei o topo de sua cabeça. - Mas eu te prometo, eu não vou deixar ninguém te machucar... Ninguém... 


Notas Finais


Bjs da Haru e logo reviso<3
Eu peço desculpas pelo super atraso, mas prometo voltar ao ritmo normal...
Adoro comentários coisinhas lindas<3
Espero que consigam observar com Jungkook é...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...