História My Love Will Be Yours ♥ - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Lesbianismo, Novela, Romance, Yuri
Visualizações 24
Palavras 1.654
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, FemmeSlash, Festa, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie meu povo amado ^-^
Eu resolvi adiantar um capítulo, olha que ia sair um capítulo depois de muito tempo... uahsuahsus

Boa leitura ♡

Capítulo 12 - "Mas ele mereceu!"


POV ALINE


Eu estava em casa, assistindo TV, com um pacote de salgadinhos em uma mão e um suco de morango na outra.

Minha mãe, Fabíola chegou na sala e olhou-me com desgosto.

Fabíola: Você não toma jeito Aline? Todo fim de semana é a mesma coisa, eu saio pra comprar comida, e quando volto, você tá largada nesse sofá, comendo igual uma desesperada.

Aline: Quer um pouco? - digo estendendo o pacote para ela, sem tirar os olhos da TV - é de sabor churrasco.

Fabíola: Você... - ela suspirou - um dia você arranja um menino que te arrume.

Aline: Mãe, eu sou bi, lembra? - digo rindo.

Fabíola: Ah é - ela diz sorrindo com a mão na cabeça - às vezes eu me esqueço.

Ouço uma batida na porta e minha mãe atende. A Carol entra e cumprimenta a minha mãe. Me levanto e eu e a Carol nos cumprimentamos com acenos. 

Fabíola: Carol, é tão bom ver você - ela diz - o que te traz aqui?

Carol: É muito bom te ver também Tia Fabi - ela diz - eu queria convidar a Aline pra sair, eu preciso da ajuda dela numa coisa.

Fabíola: Podem ir, mas a Aline precisa colocar uma roupa que não esteja suja de suco e salgadinhos - ela diz me olhando como se dissesse que era para eu me apressar.

Aline: Vem Carol, vamos pro meu quarto, enquanto eu me troco, você me explica no que precisa de ajuda.

Carol: Ok.

Subimos pro meu quarto e assim que entramos, fecho a porta e procuro uma roupa no armário. 

Aline: Então - falo enquanto tiro a camisa - o que foi?

Carol: A gente vai ir na casa do dito cujo Gabriel, pra tirar respostas dele.

Aline: A GENTE O QUE? - pergunto me virando bruscamente. 

Carol: Vamos ir tirar respostas do Gabriel! 

Aline: você fumou? - pergunto colocando uma camisa limpa e buscando um moletom no armário. 

Carol: É sério! 

Aline: Maconha ou Crack? - perguntei debochada.

Carol: Eu vou ir lá, e vou tirar respostas dele, ele querendo ou não - ela fala e eu arqueio a sobrancelha - se precisar ou se eu quiser, eu bato nele.

Aline: É sério Carol, eu pensei que eu era a retardada - digo e ela revira os olhos - você realmente acha que eu vou te ajudar a espancar o cara? 

Carol: Sim! Você sabe que eu só bato em alguém, se tiver plateia. 

Aline: E quanto maior a plateia, mais você bate - digo colocando o moletom - tirar respostas dele do que? Ele é mais um filha da puta que traiu a namorada, só! 

Carol: E que talvez tenha sido chantageado pela Raquel e sua cachorrinha de estimação, Ana.

Aline: E por que não a Yasmin e a Manuela?

Carol: A Yasmin tava doente e a Manuela foi fazer companhia pra ela, elas postaram no snapchat e no instagram.

Aline: Carol - digo com a maior calma que consigo arranjar - ir lá espancar o cara, não vai ajudar.

Carol: Ok então - ela diz indo em direção a porta.

Aline: Bom que entendeu - digo tirando o abrigo e indo buscar a calça. 

Carol: É... - ela diz abrindo a porta e saindo, ficando apenas com a cabeça pra dentro do meu quarto - pena que você não vai ir pra ver ele perder o nariz, tchau!

Aline: QUE? - antes que eu pudesse pará-la, ela já estava no meio da rua - CAROL VOLTA AQUI CARALHO!

Desci as escadas correndo e ainda terminando de vestir minhas calças. Assim que passei pela minha mãe,  a mesma me olhou incrédula. 

Fabíola: Mas o que é isso? - pergunta. 

Aline: Não dá pra explicar agora mãe - falo pegando o celular - já volto!

Saí pela rua e não vi mais a Carol.

Aline: Merda...

Procurei o número da Bella e avisei que a Carol ia fazer uma burrada. Saí na direção da casa da Bella rapidamente, para que chegássemos antes da Carol fazer algo de errado.


POV CAROL


Assim que saí da casa da Aline, procurei na minha lembrança, o lugar da casa do Gabriel. Eu já havia ido lá duas vezes,  para buscar a Bella, mas nunca havia decorado completamente o lugar.

Depois de dar umas voltas, achei a casa dele. Juntei toda a calma e coragem que havia em mim e apertei a campainha. E quem atendeu, foi o próprio Gabriel. 

Gabriel: Você é... aquela menina que era amiga da Bella?

Carol: A própria - digo sarcasticamente - tenho algumas perguntinhas básicas, você está sozinho, ou a Raquel e a Ana estão aí com você? 

Gabriel: Raquel? Ana? - ele pergunta confuso - Eu tô sozinho, minha mãe saiu pra ir no mercado, mas o que você quer afinal?

Carol: Vou ser bem direta, com o que te chantagearam pra trair a Bella?

Gabriel: O que?

Carol: Eu vi você e a Ana conversando numa foto da festa - digo e mostro a foto - a Raquel mandou ela te dizer o que?

Gabriel: E-Eu não sei o que você tá falando!

Carol: Vou mudar a pergunta - falo sorrindo - por que traiu a Bella?

Gabriel: Você é louca - ele diz - E-Eu trai ela porque... Sim.

Carol: Por que sim não é resposta! Desembucha.

Gabriel: E o que você tem a ver com isso?

Carol: Não te interessa!

Gabriel: Olha - ele diz rindo - se eu fosse você, voltava pro seu grupo de inúteis amiguinhos e junto com a Bella, não se mete no que não foi chamada, e eu trai a Bella, mas não era nem preciso de uma chantagem, eu ia fazer isso uma hora ou outra, ela demorava demais pra dar pra mim, e eu já tava me cansando, tá bom pra você estranha?

Encaro o mesmo de boca aberta, com raiva e a única coisa que faço é descontar a raiva, no meio do nariz dele.


POV BELLA


Assim que eu encontro a Aline no meio da rua, ela me sacode pelos ombros com uma expressão desesperada.

Aline: CADÊ A CASA DELE? 

Bella: Calma, a gente vai achar ela no meio da rua se arrependendo - digo tentando acalmá-la.

Aline: Você realmente não conhece ela - ela diz revirando os olhos- ela vai literalmente quebrar o nariz dele, eu já vi isso acontecer!

Bella: É sério?!

Aline: Foi num cara que mereceu, por que ele ficou chamando o Luiz de viadinho e tals, mas ela quebrou o cara!

Bella: Vem, é pra cá a casa dele!

Saímos apressadas pela rua, quando chegamos perto da casa do Gabriel, vimos a Carol apenas dando um soco nele e fazendo ele cair no chão. 

Algumas pessoas começaram a se juntar para ver a briga e eu vi uma mulher ligando para o que parecia ser a polícia. 

Aline: Nossa, ela vai quebrar ele - ela diz.

Bella: Vamos lá - digo puxando a mão dela.

Assim que chego perto e saio da rodinha, os dois já estão no meio da rua. O Gabriel tentava desviar dos socos da Carol, mas ela era mais astuta.

Sem perder tempo, eu e a Aline puxamos a Carol, ela resistiu, mas logo depois de ver que éramos nós, saiu de cima dele e ficou com a mão em volta da minha cintura, enquanto a Aline estava com a mão no ombro dela.

O Gabriel estava com o nariz sangrando e a Carol com um leve corte na cabeça, além da mão suja de sangue, depois de dar tantos socos no Gabriel. 

Gabriel: Meu nariz sua vadia!

Carol: Posso ir lá terminar? - ela diz tentando se soltar de mim.

Bella: Carol, não sai de perto de mim - digo a segurando com mais força. 

Aline: Parece que estouraram um tomate na cara dele, não precisa de mais!

A viatura da policia parou em frente a casa e desceu dois policiais. Eles perguntaram sobre o que tinha ocorrido e não demorou para eles vierem até nós. 

Policial: Então mocinhas - ele disse com um olhar debochado - qual das três bateu no moço ali? 

Carol: Olha moço,  quando eu cheguei a cara já tava deformada!

Bella: Carol!

Aline: Seu policial, o que aconteceu aqui foi um pagamento de dívidas.

Policial: Estão querendo dizer o que?

Carol: Que ele mereceu!

Bella: Carol!! - repreendo - policial...

Policial: Qual das três bateu nele?

Carol: Eu - ela diz e eu a seguro contra mim.

Policial: Bom, então você vai comigo para a delegacia e lá vamos chamar seus pais - ele diz e faz sinal para ela o seguir.

Enquanto a morena desvencilhava o seu braço da minha cintura, lágrimas se formavam pelo meu rosto. A segurei e não deixei que fosse.

Bella: Carol...

Carol: Bel, vai ser pior se eu resistir - ela sorri - prometo que vai ficar tudo bem.

As lágrimas desciam isoladas pelo meu rosto. Minha preocupação com ela era evidente, e se algo ruim acontecesse por causa disso? A culpa seria minha, eu que fiquei mal com essa traição, se eu não tivesse ficado triste, talvez ela não fizesse o que fez.

A Carol abriu um sorriso tranquilizador e colocou a mão gentilmente no meu queixo. Ela deu-me um beijo delicado e lento na testa, causando em mim uma boa sensação. Enquanto se afastava, pousou sua mão em meu rosto e o acariciou.

Aline: A gente te espera na frente da delegacia - ela diz para a Carol que assente.

A Carol entrou na viatura e o policial fechou a porta. Vi o automóvel sumir da minha vista e as lágrimas tomarem conta do meu rosto. Sinto uma mão no meu ombro e percebo que era a Aline.

Aline: Ela vai se safar dessa - ela disse sorrindo - conheço aquela menina como ninguém.

Bella: Tô preocupada com ela Line - falo com o choro preso na garganta.

Aline: Eu sei - ela diz sorrindo de canto.

Ela me puxa para um abraço e me permito desabar em seu ombro. Por que aquilo me deixava aflita? Por que ela me deixava assim?

Aline: Vou ligar pro Luiz nos pegar - ela diz e eu assinto - ele nos leva pra delegacia depois, essas coisas demoram, nesse momento a gente precisa de um tempo.

Bella: Ok.

A Aline ligou para o Luiz e esperamos juntas ele chegar.


Notas Finais


Eu amei escrever esse capítulo (não significa que esteja bom auahaus)
E aquele momento do beijo na testa? Aiiiin tô shippando os shipps que eu criei!
Até o próximo capítulo! :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...