História My miss right - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Monsta X
Tags Bangtan Boys, Monsta X
Visualizações 74
Palavras 1.959
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo fresquinho saindo.

Capítulo 31 - Saranghaeyo


Fanfic / Fanfiction My miss right - Capítulo 31 - Saranghaeyo

DRICA

-Eu nunca pensei sabe...

Disse Mary depois de um tempo de reflexão sobre o assunto em questão: Tae.

-Eu acredito no Tae quando diz que ela beijou ele.

Estamos deitadas na cama dela com as pernas esticadas na parede e o resto do corpo sobre a cama.

-Acho que se você realmente ama ele deveria acreditar.

Ela fez uma carinha.

-É que é difícil... Imagina se você ver o Suga beijando a SunYeri? O que você faria?

-Eu não faria nada... Agente não tem nada.

Ela levantou rapidamente.

-Sabe... Porque vocês dois não começaram a namorar ainda? Vocês dois ficam só nessa de transar e brigar

Então eu levantei e fiquei sentada na cama encostando a cabeça na parede.

-Yoongi não quer um relacionamento com ninguém. -era difícil encarar essa realidade. -eu sei o quanto seria difícil para mim.

-Então porque você não tenta com o J-Hope? -me joguei na cama. -Você não disse que gosta dele também?

-Eu acho melhor agente se arrumar para não se atrasar para o colégio.

Se tratando de Yoongi e Hoseok eu preferia não entrar em discussão. Porém algo me dizia que algumas coisas ainda aconteceriam com a minha pessoa.

Nos trocamos e depois da higiene matinal e café da manhã estávamos prontas pra sair e Yoongi apareceu. Decidi usar o método vou fingir que não te vi -que no caso com ele não funciona- e passei reto sem nem olhar na cara dele. Nem esperei a Mary e sai andando na frente.

Cheguei na escola e antes que eu pudesse entrar senti alguém puxar no meu braço. Me virei e... Suga. Puxei o braço e continuei andando.

-Drica. -ele chamou e eu me fingi de surda. -KIM DRICA! CARALHO EU TO FALANDO COM VOCÊ!

-O que você quer?

-Vem comigo. -ele saiu me arrastando pelo braço.

-Onde vamos o que está fazendo?

Como sempre ele não me respondeu e saiu me puxando para o carro. Entramos, ele parou um pouco e depois segurou o volante como se o que fosse fazer fosse difícil de mais.

-Drica...

-Eu preciso entrar na escola Yoongi.

Claro, o carro estava trancado. Então seguimos sei lá pra onde assim, em silêncio.

-Eu quero ir para a escola..

-Podemos faltar hoje.

-Eu não quero faltar.

-Mais vai.

-Porque você acha que tudo tem que ser feito do seu jeito?

-Você vai começar?

-Vou. Eu vou fazer um escândalo se você não abrir a porcaria da porta da droga do carro.

-Eu não vou abrir.

-Ah você vai. -tentei destravar a porta.

-Para com isso. -o carro estava perdendo o controle. -Para.

-AAAAAAAHHHHHHHH -Gritei me descabelando. Então ele parou o carro. -Destrava a porta.

-Não.

Sai apertando vários botões pelo carro na tentativa de destravar a porta até que consegui, saio do carro rapidamente.

-Drica.

Ele correu e me puxou pelo braço.

-Eu to falando com você sera que da pra você parar e me escutar ?

-NÃO! EU NÃO QUERO ESCUTAR NADA.

-Por que tá fazendo tanto escândalo?

-Por que tudo tem que ser feito do seu jeito? Quem você pensa que é, pra me tirar da escola e me trazer sei lá pra onde sem perguntar se eu quero ir?

-Se eu perguntasse você viria?

-Não. 

-Então.

-Não importa. Eu vou pegar o ônibus pra casa.

-Eu ainda não terminei.

-Mais eu parei de ouvir.

Ele correu e me abraçou por trás. Tentei soltar porém ele me apertou mais. Eu odiava que ele me tocasse quando eu estava com raiva, por que o toque dele me fazia querer que ele não me soltasse mais.

-O que você quer?

-Conversar...

Me soltei. Ele me puxou.

-Para de tentar fugir de mim.

-Para de tentar me prender a você. -na minha cabeça estava tudo confuso. -eu vou pra casa.

-Não você não vai.

Ele me levantou e saiu me levando.

-ME SOLTAAAAAA. SOCORROOOO!!

-Cala a boca escandalosa.

-EU VOU CHAMAR A POLÍCIA E DEPOIS EU VOU MATAR VOCÊ.

Ele me soltou no chão.

-Seu imbecil, cretino eu vou matar você pra que você nunca mais me obrigue a fazer nada. -ele segurou as minhas mãos e me encostou no carro.

-deixa de escândalo garota.

-Não, eu vou gritar.

-Você vai? Então grita aí faz o seu show vai.

-Eu vou mesmo. AAAAAAAHHHHHHH SOCORRO UM ESTUPRADOR ALGUÉM ME AJUDA.

-O quê? Para, para.

-AAAHHH  SOCOR...

Minhas palavras foram interrompidas por um beijo. Que droga, por que eu queria tanto aquilo? Antes que eu pudesse espernear e bater nele ele me encostou no carro e segurou minhas mãos e continuou o beijo. Os labios dele, me imobilizaram de certa forma que parece que eu derretia nos braços dele. Ele só me soltou quando me tirou a respiração e finalizou provando meus labios devagar até que eu pudesse me acalmar.

-Pode me ouvir agora?

-Você acha que pode resolver tudo desse jeito?

-Não. Foi a única maneira que eu encontrei de calar você.

-Tudo bem. Agora acho melhor eu ir embora.

Eu saí andando e ele deixou.

-Eu te amo.

Parei bruscamente. Aquilo foi tão inesperado.

-O que?!

-Saranghaeyo... Eu te trouxe aqui pra dizer isso.

-Não pode ficar dizendo essas coisas assim. Você noção do que tá falando?

Então ele veio até mim segurou meu rosto entre as mãos.

-Eu nunca tive tanta certeza.

Isso foi o bastante. Tirei as mãos dele do meu rosto e simplesmente beijei o seu rosto. 

-Minhae. Eu não sei mais o que fazer.

Sai correndo e entrei no  primeiro ônibus que eu vi passar. Meus olhos encheram de lágrimas e assim que eu sentei o ônibus acelerou e quando olhei pra fora deixei  um garoto branco ao lado do carro me olhando. As lágrimas escorreram.

-Mianhae. -digo o olhando enquanto o ônibus se afasta. O que eu estou fazendo da minha vida?

Entrei em casa desesperada e abraço minha halmeoni.

-Eu deveria ter ficar no Japão não é? Eu não aguento mais ficar aqui.

-Calma, calma. Venha aqui me conte o que aconteceu.

-So não me abandona Hal..

Eu não queria contar eu só queria me acabar de chorar.

-Ajumma eu comprei o molho pra... -Jimin interrompeu as palavras ao me ver com a cabeça no colo da Hal chorando. - Dri... -olhei pra ele então ele sacou tudo. -Hal posso falar com ela?

-Sim Jimin. Leva ela para o quarto. Eu tenho que terminar as comidas, o restaurante abre daqui a algumas horas.

Fiquei jogada no sofá. Jimin entregou o molho pra Hal e veio onde eu estava. Ele não falou nada apenas me ajudou a ficar sentada no sofá enxugou meu rosto molhado. 

-Foi o Suga né?

Assenti com a cabeça. E o abracei. Forte. Forte mesmo, pra que eu pudesse sentir ele. Então senti as mãos dele me envolverem e me apertarem. Eu e Jimin ficamos ali assim, abraçados. Eu não queria soltar ele, além do cheirinho gostoso que Jimin tem aqueles braços me envolvendo e me esquentando, me parece que ele também queria muito me abraçar.

-Jimin eu...

-Shiii, não fale.

Ele me levantou que nem se levanta uma criança. Eu coloquei as pernas em volta da cintura dele  e ele me fez encostar a cabeça em seu ombro e saiu me levando para o quarto. Jimin me deitou na cama.

-Dorme tá. -e beijou a minha testa.

-Jimin. -falei meio chorando ainda. -fica aqui.

Então eu fastei e ele sentou na cama e eu coloquei a cabeça nas pernas dele. E ele começou mexer no meu cabelo.

-O que foi que ele fez agora?

-Me tirou da escola e me levou de carro sei lá pra onde é quando chegou lá a gente brigou. Ele me beijou e quando eu disse que ia embora ele... -lagrimas rolaram. -disse que me ama.

-Isso não deveria ser algo bom?

Levantei e ficamos sentado de frente um para o outro.

-Mais...O Hope, ele ... Também me disse o mesmo.

Jimin colocou um mexa do meu cabelo atrás da orelha.

-Você tem que saber de quem você gosta mais.

-Eu não sei. Não sei to confusa to ficando louca. Eu quero muito os dois, se eu pudesse eu acho que ficaria com os dois mais...

-Mais nos dois sabemos que isso não é possível. 

-Eu sei.

-Suga nunca ia querer dividir você com ninguém e Hope quer uma garota que ame só ele. 

-Justamente por isso que eu não sei mais nada.

-Se o Min Yoongi que eu conheço disse pra você que te ama é por que eu acho que é isso que ele realmente sente.

-Yoongi é tão duro tão livre de sentimentos que prendam ele à alguém. Por que ele iria realmente me amar, ele já cansou de dizer que me detesta.

-Depois que vocês ficaram juntos no outro dia ele passou o dia inteiro falando de você. No basquete, na sala,  no banheiro, assistindo TV, comendo. Até eu perguntar e ele não aguentou e me falou o que aconteceu.

Dei um sorriso triste.

-Ele não achava que você fosse tudo isso, e também não achava que você fosse fazer ele pensar tanto em você. Pra uma primeira vez você foi muito bem.

O sorriso do Jimim me fez sorrir.

-O que você faria se tivesse duas garotas dizendo pra você que te ama?

-Não sei.

Fastei e ele deitou ao meu lado na cama. Continuamos conversando coisas aleatórias. Até que eu fechei os olhos tentando dormir, Jimin só observava. Depois de um tempo ali deitado -provavelmente achou que eu estivesse dormindo- Jimim me beijou. Nada de mais porém um beijo muito bom. Fiquei ali apenas sentindo seus labios juntos com os meus. Nunca pensei que fosse beija-lo porém ao sentir aqueles lábios... Dormi e acho que Jimin também.

SUGA

Eu precisava muito conversar direito com ela para saber se ela sente o mesmo que eu. Então eu fui na casa dela para resolver isso tudo de uma vez. Quando cheguei conversei com a ajumma e ela disse que Drica chegou muito ruim e que Jimin tinha ficado conversando com ela ate tarde, provavelmente tinha dormido no quarto de hóspedes.

Subi e bati na porta. Ninguém abriu. Abri a porta e quando olhei para a cama eu tive vontade de matar os dois e morrer logo depois. O JIMIN DEITADO NA CAMA E A DRICA DEITADA NO PEITO DELE. Apenas saio dali.

Na escola eu espero ela aparecer, ou ficar sozinha. Hora da saída ela saiu como se estivesse muito cansada andando devagar. Acompanhei ela é puxei pela bolsa dela que caiu no chão -não era minha real intenção, mas..-.

-O que está fazendo?

-Foi por isso que saiu correndo?

-O que? Do que está falando?

Que sinismo.

-Eu quero que você fale pra mim na minha cara.

-Falar o que?

-É o Jimin? Ou é o Hoseok?

-O que?

-Agora eu acho que sei por que você saiu correndo.

-Aé? Por que?

-Pra dormir com o Jimin.

-Dormir com o Jimin?

-Vai negar? Eu fui na sua casa de manhã pra resolver tudo, e quando eu cheguei você estava deitada com o Jimin, o que você quer que eu pense?

Ela encheu os olhos de lágrimas, e deu um sorriso triste.

-O Jimin... Por mais que esteja pensando o contrário, não aconteceu nada entre nós. Pra não dizer que não aconteceu.. nos beijamos. Mais o Jimin estava tentando me ajudar. Por sua causa e por causa do Hoseok eu estava jogada na minha Hal tentando entender o porque de eu ter vindo pra cá, eu estava me acabando de chorar.

-E por isso ele tinha que dormir com você?

-Acredita no que você quiser. Se você diz que me ama deveria acreditar em mim.

Ela me deixou sozinho e saiu.

Eu nunca fiquei assim sem saber o que fazer.


Notas Finais


Pfvr comentários são importantes


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...