História My miss right - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Monsta X
Tags Bangtan Boys, Monsta X
Visualizações 51
Palavras 1.400
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Filho do Suga tem q ter sapatinho da adidas pq sim . keke.. Leiam e dêem suas opiniões que são importantíssimas..

Capítulo 41 - Ele descobriu


Fanfic / Fanfiction My miss right - Capítulo 41 - Ele descobriu

~dias depois~

Meu quarto está escuro e eu estou deitada na cama.

 -Drica... Você não vai jantar? -minha Hal pergunta. -Eu não tô com fome. -digo e viro para o outro lado da cama. 

-Tudo bem. Ela saiu e eu fiquei sozinha novamente. 

 OTTOKE? Acendo a luz do meu quarto e vou para a frente do espelho. Levanto a blusa. Passo a mão de leve na minha barriga, ela está crescendo e ficando bem redondinha. Eu não consigo dormir. Passei longos minutos só passando a mão pela minha barriga e imaginando o que eu vou fazer com esse bebê. ...

 -Eu não posso abortar... jamais...essa criaturinha não tem culpa de eu não ter me prevenido. -digo enquanto ando de um lado para o outro no comércio -aquele lá da garota tatuada, que me deu o teste pra eu fazer. O nome dela é Go Eun Ji- eu estou totalmente inquieta. 

-Eu sinceramente não sei o que faria no seu lugar. -diz Eun Ji. -Olha você tem três opções.. 

-E quais seriam? Nos sentamos. 

-Opção 1 : Você fala para o pai dessa criança e se ele não quiser assumir você cria ela sozinha. Opção 2 : Você aborta e pronto, você vira uma assassina. Opção 3 : existem muitas pessoas que gostariam de ter uma criança e não podem, então.. 

-Qual é a opção 3?

 -Dar ela pra adoção... Ou ele. Respiro fundo.

 -Vamos analisar.. Opção 2 está fora de questão, porque eu não vou abortar.

 -Certo. -ela concorda. 

-Opção 1, eu acho bem provável que possa acontecer. -E a 3? -Eu não sei... Olha, dar essa criança pra adoção... Eu não sei, não sei... Mais talvez eu nem precisaria contar pra ele que ele é pai.. eu não precisaria estragar a vida dele assim... Eu poderia dar essa criança pra adoção e pronto. 

-Posso dar minha opinião? 

-Claro... Qualquer ajuda é bem vinda. -Senta aqui. -diz Eun Ji me levando pra sentar. -Não pode deixar ele sem saber disso. Você não fez esse bebê sozinha, você teve bastante ajuda. Ele foi o causador.. não pode dar essa criança pra adoção sem falar com ele antes, sem contar pra ele que ele vai ser pai... Por que no dia que ele descobrir ele nunca vai te perdoar... Mesmo que ele não queira assumir. 

-Eu tenho medo... De quando eu contar ele fugir e nunca mais falar comigo ou pedir pra mim abortar essa criança... Eu nunca perdoaria ele se ele me pedisse isso. -digo entrando em choque e já quase chorando. 

-Eu não conheço ele... Não sei o que ele vai fazer... Mais se ele for homem de verdade ele vai querer saber que é pai.. Conta pra ele. 

-Eu .... Eu vou contar... Mais n agora.

 -Tabom... Mas.. 

Fomos interrompidas por alguém entrando. Olhei e vi uma pessoa. 

-Eu não acredito... -digo me escondendo. 

-O que foi? É só um cliente, eu vou atender ..

 -NÃO!!

 -por que? 

-Olha pra ele. 

-O que tem ele? 

-Ele é o pai ... Droga eu acho que a minha halmoni falou que eu tinha vindo pra cá. 

-Ele muito lindo. Essa criança vai a coisa mais linda que eu já vi. Eu vou lá falar com ele. 

-Não...

 -Se ele veio te procurar aqui é porque... Você tá evitando ele? 

-A uma semana.

 -O QUE?

 -Eu não sei o que fazer então... Eu achei melhor...

 -Você é maluca garota? Eu conheço ele de vista, ele sempre vai no café onde eu trabalhava. 

-Se ele perguntar diga que você nunca me viu na vida e que não faz idéia de onde eu estou. 

-Tem certeza? 

-Absoluta

 -Não vai evitar ele pra sempre.

 -Eu sei... 

-Então? 

-Mesmo assim.

 Eun Ji vai até o caixa atender Suga e eu tô aqui olhando pela brecha... Cadê a minha coragem numa hora dessas? 

-Oi, o que vai querer? -Eun Ji pergunta olhando os mínimos detalhes dele. 

-Ahn... Eu queria uma informação.. 

-Se eu poder ajudar.. 

Então eles ficaram conversando baixo coisas que eu não entendi. Então eu corri pra cozinha da casa dela e fui me intupir de comida -quando eu fico nervosa eu como pra cassete- imaginando que ela não diria pra ele onde eu estou. 

-Você tem comido bastante. Ouvi uma voz atrás de mim. Me viro com a boca cheia. 

-Suga... 

-Você está fazendo de novo. -ele me encarou, com os braços cruzados e sério. 

-sempre que você está fugindo de um assunto é assim. 

-Suga... Eu ... Não posso conversar agora por que eu preciso ajudar a minha halmoni. -levanto e sai em direção a porta, ele não se moveu pra tentar me impedir. Girei a maçaneta. Trancada. 

-Você trancou a porta? 

-Não. Acho que está emperrada. -ele sorriu e eu entendi tudo, Eun Ji e ele agora são cumplices. 

-Eu... 

-O que você está escondendo de mim? -ele pergunta, olhando diretamente para mim em busca de respostas. 

-Eu... Eu não ... Não estou... Escondendo nada... De ... De.. você ... -digo gaguejando. 

-Drica eu vou falar sério a partir de agora com você. -então ele ficou bem sério. -Se a gente quer que nosso relacionamento funcione vamos ter que aprender a se comunicar, e confiar um no outro. 

-Mais eu e você nos comunicamos.  

-Sem brincadeira, eu estou falando sério. Eu estou me esforçando e você está brincando comigo. -ele realmente está sério e se eu não disser agora não vou falar mais. 

-Eu brincando? 

-Sim. 

-Eu não... Sei como te falar isso.. 

-Respira... E fala, devagar . -ele disse, seu tom é calmo porém sério. 

-Eu sei que talvez não seja isso que você está planejando pra sua vida e depois disso você vai sair por aquela porta e vai se obrigar a fazer isso por questão de princípios .. mais eu quero dizer que se você não quiser tudo bem, eu posso fazer isso sozinha eu sou forte pra isso.. -mordo o lábio inferior fortemente, eu falo falo e nada sai. -Eu peço desculpas porque eu não previni que isso acontecesse, eu fui irresponsável e agora eu estou sofrendo as consequências, mais eu... Já comecei a amar essas consequências. Eu sou uma criatura explosiva, inconsequente, imatura, e não sei o que eu tô fazendo e geralmente eu faço um monte de merdas... eu sinto muito se parece pra você que eu tô brincando com a sua cara e desculpa por eu fugir quando não sei o que fazer, mais eu tô apavorada. -e enquanto eu falava um sorriso lindo aparece nos seus lábios enquanto ele me escuta atentamente. -Eu to confusa. Eu sei que é muito cedo pra esse tipo de coisa e eu sei que você pode até surtar e me chamar de doida, mais eu não vou jogar fora porque eu... Eu... Você ... Nós.. nós... -meus olhos encheram de lágrimas -eu só...  Ele segurou nos meus ombros e olhou bem pra mim e me abraçou. 

 -Vamos ser ótimos pais. 

Me soltei dele e o olhei com dúvida. 

-O que? 

-Eu entrei no seu quarto ontem pra te dar um beijo de boa noite e... Quando eu cheguei você estava com a blusa levantada e do seu lado tinha... Isso aqui. -ele tirou o teste do bolso. -Sera que eu tenho alguma chance de ser o pai? -ele tirou dois sapatinhos de bebê do bolso e ficou fazendo aegyo. 

Eu estou paralisada olhando pra ele. Ele me olhou sorrindo. 

-Pode chorar agora. -ele disse abrindo os braços pra mim. 

Me joguei nos braços dele e molhei a blusa dele de muitas lagrimas, ficamos um tempo abraçados.  

-É menina ou menino? -ele falou quando eu soltei ele depois de um longo beijo. 

-Eu não sei. Só dá pra saber o sexo com uns seis meses. 

-Vou arriscar o palpite de dizer que é uma menina. -Eun Ji disse surgindo na porta. -serio, nunca pensei que vocês fossem tão melosos. Essa criança vai ser tão mimada, mais tão mimada que vai dar nos nervos. 

-Com certeza. Se for uma menina ela vai curtir rap igual o pai, e se for menino... Também vai gostar de rap igual o pai. -diz Suga me levantando. -Vamos pra casa porque lá tem uma monte de gente esperando a gente chegar.  

-Como assim? 

-A Mary e o Tae já sabiam então me ajudaram a espalhar a notícia, eu só estou pensando como vou falar isso para a Ajumma e o ajussi. 

-Vamos dar um jeito. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado..
Novos capítulos reservam nova surpresas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...