História My Mistake - Love - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Lu Han, Xiumin
Visualizações 3
Palavras 587
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Então gente vamos esclarecer algumas coisas rapidinho kkk

A história tem como local uma heab para pessoas homossexuais, como se fossem doentes, porém nesse local elas são tratadas de uma forma desumana. Talvez isso possa ter ficado confuso no primeiro capítulo.
Os capítulos serão semanais mas eu ainda não decide se vou postar na sexta ou na quinta.
A capa desse capítulo ficou meio merda pq eu tô com umas preguiça kkkk
Mas o que importa é a história nénom.

Boa leitura nos vemos lá em baixo ♡♡

Capítulo 2 - Um oasis no deserto


Fanfic / Fanfiction My Mistake - Love - Capítulo 2 - Um oasis no deserto

Já havia se passado um mês depois da minha decisão de fuga, eu havia tentado duas vezes e nas duas eu falhei. É claro que fui submetido a várias sessões de tortura ao longo do mês, as vez muitas por dia. Mas naquela semana eu estava livre delas, pelo simples fato de que eu não posso morrer.

Eu estava me recuperando. Mas como parte da reabilitação eu deveria participar de cultos para supostamente "expulsar os demônios que haviam no meu corpo". Eles viam sempre depois do almoço, mas dessa vez eles vieram na parte da manhã.

Eu estava numa situação tão precária que não podia andar, então fui colocado numa cadeira de rodas e levado até o salão onde ocorriam os cultos.

Fui posto num lugar mais no fundo de onde eu podia observar bem as pessoas. Era o único momento onde pessoas do mesmo sexo podiam ficar juntas.

No meio daquela confusão toda que era, eu mal posso descrever o que eles faziam nesses cultos, as gritarias sobre inferno, as tentativas de exorcismo, que na verdade era outra deixa para nós torturarem mais, eu pude avistar um rosto, que me fez ficar curioso, seu semblante calmo, apesar do olho roxo e inchado, era lindo, parecia que deus ouviu minhas súplicas e me enviou um anjo, por que era exatamente isso o que ele se parecia.

Mas eu não posso me distrair com a beleza alheia, afinal nos nunca ficaríamos juntos, seria preciso morrer para que isso acontecesse e eu não estava disposto a morrer. Não mais. Eu sairia dali e denunciaria as atrocidades.

Quando o culto acabou, fui levado ao pátio, um lugar com muros altíssimos e grades elétricas nas pontas, mas batia sol, e o sol era a coisa que mais me fazia me sentir alguém, num lugar onde só havia monstros.

O sol era forte porém era quente, e o calor dos raios batendo do meu corpo me faziam lembrar dos momentos feliz que eu já passei, era só que eu tinha, lembranças.

Perdido em meio aos meus pensamentos, me veio a mente o rosto angelical do menino que estava no culto, e isso me assustou, me fazendo abrir os olhos. Quando eu os abri voltei a ter aquela visão infernal.

Por um momento eu me senti livre mas logo em seguida estava preso de novo. Os enfermeiros vieram e me levaram para o almoço. Me colocaram numa mesa bem proxima a porta de saída. Não dava pra sentir o sol dali, mas eu podia ver todos que entravam e saiam do refeitório.

Eu estava tentado comer aquela comida horrível, quando olho para a porta de entrada e o vejo caminhando calmamente por ela, pude reparar em seu físico, ele estava muito magro, parece que não comia a dias. Isso me deu uma tristeza profunda. Mas logo eu desviei meu olhar dele e voltei a comer. Não quero mais causar problemas por olhar as pessoas, e afinal eu não aguentaria mais nenhum sessão de agressão.

Eu não olhava para nenhum lado, estava de cabeça baixa comendo lentamente para demorar o tanto que eu pudesse. Nesse momento, eu senti alguém sentar-se na outra extremidade da mesa. Levantei meus olhos para ver quem havia sentado ali, a final ninguém se sentava perto de mim por medo de arrumar problemas.

E inacreditávelmente era ele, como eu gostaria de saber seu nome. Ele parecia nem saber que eu estava ali, ele comia como se estivesse sozinho. Isso me fascinou como alguém poderia ignorar tudo o que estava acontecendo? 


Notas Finais


Eai ?? Espero que tenham gostado sz
Não se esqueçam de comentar e favoritar amo vcs ♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...