História My mistery. - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Swan Queen
Visualizações 93
Palavras 2.008
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 26 - The end.


Fanfic / Fanfiction My mistery. - Capítulo 26 - The end.

O dia do casamento havia chegado e eu jamais estive em tão péssimo estado assim, não parava de vomitar e chorar, Ruby até me perguntou se estava gravida, por Deuses, não de Robin né? 
No meio daquela espera para chegar o vestido, sentada no chão com os cabelos prontos e maquiagem pronta, as pessoas passavam de um lado ao outro com arranjos de flores, porém ninguém me notava e eu de fato não queria ser notada. Bem ali no meio, com os olhos aguentando aquelas lágrimas, a única coisa que eu conseguia fazer era lembrar de Emma, lembrar dos seus lindos cabelos loiros e cacheados, seu cheiro maravilhoso que ficava em minhas roupas, seus olhos esverdeados que pedia por piedade todas as vezes que eu a encarava, seu coração cheio de dor... Aí se eu pudesse abraçá-la.. E então eu sorri, sim, sentada bem ali no meio eu sorri pois só conseguia isso quando lembrava dela e do seu jeitinho desastrado, lindo, eu amava aquela mulher mais do que qualquer coisa no mundo e eu estava prestes a me casar com um homem.
No fundo Robin não era tão ruim, era atencioso, me amava e cuidava de mim no fim das contas, mas não era ela e jamais fez amor comigo como aquela mulher faz, ela era única para mim e quando eu estava com ela, me fazia sentir única para ela também, é difícil de explicar.

–O vestido chegou, levanta!– ordenou Cora, logo puxando minhas mãos para levantar do chão. 
–Eu não quero fazer isso.– murmurei revirando os olhos e ela deu de ombros, me ajudou a vestir o 'bolo cheio de glacê', então segurou minhas mãos e ficou a me olhar sorrindo. 
–O que foi?– estranhei. 
–Você está linda.– ela suspirou. 
–Ata– continuei a encarando com uma das sobrancelhas erguidas. 
–Está tudo pronto Sr. Mills.– uma das organizadoras avisou e logo se retirou e ela se virou para mim e suspirou, eu não podia estar mais triste. 
–Vamos?– ela apertou minhas mãos e eu repeti seu ato. 
–Va..– ia responder quando fui interrompida. 
–Regina?– sussurrou atrás da porta depois de algumas batidas. 
–Entre.– pedi. 
Então entrou, a pessoa que eu jurei não estar lá por nada no mundo, a mais linda mulher que os meus olhos já pode contemplar e eu sorri tão grande que mal cabia em meus lábios. 
–Emma.– sussurrei. 
–Posso falar com você um minuto?– ela foi entrando lentamente. 
–Não demore.– disse Cora se retirando. 
Assim que ela saiu, segurei ao braço de Emma e puxei para mais perto de mim, segurei minhas mãos em seu rosto e selei nossos lábios em um beijo intenso, preciso e apaixonado. 
–Amor, eu vou desistir disso por você.– falei a olhando nos olhos depois de um bom tempo no beijo. 
–Regina, na verdade.– ela tentou. 
–Eu não preciso disso, mas eu preciso de você.– continuei. 
–Me escuta!– ela gritou com um sorriso nos lábios enquanto segurava meu rosto para olhá-la, era tão linda.  –Eu já sei de tudo, Henry me contou.– ela falava tranquila. –Eu não vou deixar que perca sua empresa por mim, mas tenho um plano.– 
–Um plano?– entortei as sobrancelhas. 
–Sim, você confia em mim?– ela apertou minhas mãos e eu balancei minha cabeça positivamente, em silêncio. –Então vai lá se casar.– 
Me beijou uma última vez e saiu com rapidez, eu sacudi a cabeça e suspirei pouco antes de sair também. Encontrei Cora lá fora, em frente a porta de vidro que nos separava do casamento indesejável, esticou o braço para mim e eu segurei, tão pouco ela empurrou a porta e as musicas começaram a tocar, todos olhavam para nos e Robin lá na frente emocionado arrumava seu terno, Cora e eu caminhávamos lentamente enquanto o clarão dos flash's se demonstravam presentes e a única coisa que eu conseguia pensar diante daquilo tudo era que horas Emma iria agir. Logo eu estava de frente para Robin, virei para Henry por um instante e ele afrouxava a gravata borboleta, aposto que queria estar em casa assistindo Homem Aranha e eu também estava. 'Anda Emma, anda!' Repetia isso várias vezes em minha mente até que começou a cerimônia e ela se prolongava cada vez mais. 
–Se alguém tem algo contra esse casamento que diga agora.– Olhei esperançosa ao redor, achei que seria ali que ela causaria um grande transtorno e me faria livre daquele homem, mas me enganei. 'Anda Emma, anda' continuei a implorar em pensamento mas foi apenas quando chegou o ditado –Então os declaro..– que foi interrompido.
Um telão caiu por cima de nossas cabeças com um vídeo que chocava quem assistia, olhamos confusos para os convidados surpresos, até que nos afastamos para assistir também, possuía a imagem explícita de Robin e Belle aos beijos quentes em uma biblioteca empoeirada, com direto a mãos bobas e tudo, eu estava chocada, mas confesso que em meus lábios ainda esboçava um dos sorrisos mais alegres.

     Como eu amo essa Emma Swan.

Olhei para Cora tinha seus olhos tão arregalados como jamais havia visto antes, suas ilusões a respeito de Robin havia desmanchado tão rápido quanto açúcar em água e eu corri ao seu encontro, quando senti uma mão me puxar.
–Regina, não!– Robin tinha seus olhos esculpido em vergonha. 
–Você traçou o seu destino e agora terá sua consequência, meu querido.– sussurrei sorrindo e ele me puxava para si, quando segurei sua mão e arranquei a aliança que Cora havia escolhido e a joguei, onde caiu eu não sei mas não estava me importando.
–Solta minha filha, seu adúltero cretino.– Disse Cora a Robin e eu a olhei espantada, jamais imaginei que ouviria ela dizer isso a ele, mas ele me soltou no mesmo instante e baixou a cabeça.

No momento em que ouvi as palavras de Cora, senti sua permissão, dei um beijo sincero em sua bochecha como não fazia a anos e sorri agradecida, logo deixei que continuasse sua reprovação a Robin e me preparei para correr atrás de Emma, quando avistei Zelena que me olhava entre as outras pessoas, ela sorria não como quem ainda desejava meu amor e sim como uma amiga que ajudou no meu 'Final feliz' pude perceber que tinha um feito seu ali no meio e não estava errada quando sussurrei um 'Obrigada Ruiva' e ela retribuiu com um ' Vai atrás dela, Morena ' e eu corri. 
Nunca  pensei que iria viver alguma cena de filme na minha vida, não gostava muito de romances os seus clichês nunca foram de me convencer muito, mas naquele momento em que eu me virei e no final do corredor tive a visão da mulher da minha vida parada a me procurar, tudo passou a ficar em câmera lenta para mim e eu corria em seu encontro, mas naquele curto período eu consegui enxergar todo meu futuro e ele finalmente teria um final feliz, ao lado da mulher que me faz bem e que eu desejei por toda minha vida. Finalmente cheguei em seu encontro e dei um abraço apertado e surpreso nela, assim que me notou retribuiu o abraço e me girou no ar, apertei minhas mãos em sua bochecha e selei nossos lábios em um beijo que dizia ' finalmente você é minha.' Para ambas. 
Novamente ganhamos a atenção de todos e não demorou muito para começarem com um coral de palmas e gritos, Cora estava errada. A reputação da família Mills iria continuar de pé e minha empresa também, as pessoas reconheceram meu lado inverso e adoraram isso e quando falavam sobre mim, me reconheciam como 'aquela que causou para ter o amor da sua vida' e se você quer saber isso é bom! Aposto que no fundo Cora adorou também.

–Casa comigo, Emma?– sussurrei diante de toda a bagunça. 
–Regina, assim?– ela sorriu embaraçada com meu entusiasmo.
–Eu amo você, Emma! Fiz a burrada de quase te perder e não quero cometer esse erro novamente. Você é a mulher que eu sempre desejei em toda minha vida e por mais que eu de tantos vacilos, vou me esforçar e fazer o suficiente para me tornar alguém melhor a você. Só quero ter a chance de acordar todos os dias, olhar ao meu lado e ter a certeza de que quem vai estar ali é você e seu sorriso que eu mais amo na vida.– falei a olhando com os olhos marejados, enquanto apertava seus dedos entrelaçados aos meus.
–Amor, sem dúvidas nós não somos perfeitas, pelo contrário, temos uma lista telefônica de defeitos, para não ser assim tão clichê. O importante é que seu lado torto de encaixa ao meu e assim eu fico completa. Já não sei como seria minha vida sem você para colocar os pés gelados em minhas costas no frio ou Henry com sua dança esquisita. Vocês são tudo para mim então sim, claro, óbvio que eu aceito! – ela respondeu com toda certeza e eu a beijei, logo a puxando para o altar. 
Dessa vez estava com a mulher certa, no lugar certo e fazia a coisa certa. De frente para Emma, a cerimônia havia recomeçado e por uma ultima vez me virei para Henry que estava de pé em cima do banco, fazendo sua dancinha esquisita de sempre e com o sorriso que esbanjava completa felicidade, de verdade dessa vez. Então eu conclui que teria minha família completa, meu filho incrível, minha mãe finalmente em uma versão melhor e a esposa mais maravilhosa do mundo. Se eu pudesse tirar uma moral da história de tudo isso seria que, dane-se os pensamentos negativos! Devemos sim, ter uma chance de viver um clichê de filme de romance uma vez na vida, quando se tem a pessoa certa e o momento certo ele acontece de qualquer forma e eu duvido que odiaria passar por isso.

Bom, eu amei!

Saímos da igreja, entre os pequenos grãos de arroz que jogavam sobre nós pude ver Robin ir embora, talvez triste, mas eu não podia abrir mão do amor da minha vida. No fundo eu realmente esperava que ele encontrasse alguém legal que pudesse fazer o amor dele ser reciproco, todos merecemos. Enquanto os convidados iam a festa se embebedar nós corremos para um campo que havia por perto, Emma logo foi subindo em cima de uma árvore e esticou a mão para me ajudar a subir que com um pouco de dificuldade havia conseguido no final. Estava morrendo de saudades dela e te-lá ali e dessa vez como minha esposa, literalmente não tinha preço. Ela segurou em minha mão e arrancou a aliança que ainda estava nela, jogou por cima de seu ombro e eu consequentemente ri disso. 
Ela havia me encantado e feito meu coração transbordar quando apanhou um galho seco de madeira da árvore e ajeitou em forma de anel, simbolizando nossa aliança improvisada. Era simples mas o sentimento se fez tão grande que nos espelhamos para a aliança original.

Peguei meu filho, minhas malas e minha esposa. Sabe aquela casa onde todo aquele amor começou? Migrei para la, comprei os jogos de vídeo game, uns filmes de herói e muitas saladas com frangos grelhados. Tinha tudo pronto, minha lua de mel seria no aconchego da minha família, Swan mills e ninguém jamais iria atrapalhar aquilo.

–É claro que o Homem ferrugem é Verde.– disse Henry se jogando em meu colo. 
–Homem de Ferro.– Corrigimos em uníssono. 
–E não, ele não é verde.– continuei, me aconchegando no peito de Emma com Henry no colo, ela que estava deitada na cama, me abraçou forte e deu um beijo em minha cabeça. 
–Bom, o filme é meu então eu posso dizer que ele é Verde se eu quiser.– olhei para ele ofendida e Emma sussurrou um –Podia dormir sem essa.– que nos fez gargalhar.

Embora tenha sido difícil no caminho, finalmente consegui aquilo que queria e estava realmente valendo a pena. Eu os amava, eles me amavam também e para mim já era suficiente e por fim eu podia dizer, vou viver um dia após o outro, não era meu final feliz era meu começo!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...