História My mixed feelings - Capítulo 15


Escrita por: ~ e ~eusouvc

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 34
Palavras 2.620
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Gente queria agradecer a nossa nova coautora maravilhosa @eusouvc pois sem a ajuda dela eu não conseguiria postar hoje 😍💙 também gostaria de agradecer a todos os comentários que sempre me motivam a escrever mais pra vocês e as novas pessoas que favoritaram a fic, vocês são incríveis 💙💙💙

Capítulo 15 - O melhor presente de todos


Fanfic / Fanfiction My mixed feelings - Capítulo 15 - O melhor presente de todos

Estava dormindo quando sinto um peso sobre mim.
-PARABÉNS PRA VOCÊ.
Abri os olhos para ver oque estava acontecendo
-NOSSA VACA QUERIDAA.
Gustavo estava sentado sobre mim na cama.
-MUITAS FELICIDADES MUITAS PIKAS NA VIDAAAA.
Cantando e batendo palmas igual um retardado.
- Sai do meu quarto seu louco - joguei meu travesseiro nele fechando os olhos novamente para voltar a dormir.
- Eu trouxe bolo.- abri os olhos imediatamente procurando pelo tal bolo, ele colocou as maos atrás das costas como escondendo algo.
- Meu bolo.-Tentei me sentar e alcançar suas mãos mas aquele gordo continuava sentado em cima de mim.- Saaii dei tapinhas em seu ombro para motiva-lo a sair.
- Só se me der um beijinho.- disse virando a bochecha para mim beijar-lo.
-Não. Meu bolooo.- fiz manha na tentativa de fazer ele me entregar o prato.
- beijinho.- apróximou mais o rosto de mim, revirei os olhos e dei um beijinho super rápido em sua bochecha. Estendi as mãos pedindo meu bolo.
- Quem é o melhor amigo do mundo?-fiz minha cara de "sério isso?"  Oque fez com que ele aproximasse o ouvido de meus lábios.
- Taaa. O chato do Gustavo.
- O Gustavo oque?.- Meu Deus do céu que menino chato.
- É o melhor amigo do mundo.- disse revirando os olhos novamente.
- Que? Não escutei.- Eu vou estrangular esse garoto.
- O GUSTAVO E O MELHOR AMIGO DO MUNDO.- gritei o mais alto que consegui para ver se ele parava de frescura.
- Boa menina.-disse tirando o prato com uma fatia de bolo de chocolate coberto de chantilly das costas, acho que babei um pouco na cama.
- Au au.- respondi ao seu " Boa menina" e peguei o bolo de sua mão logo atacando um pedaço.
- Tem presente também.- fiz "Cadê?" Com o olhar pq a boca estava cheia com um pedaço enorme de bolo que lutava para conseguir engolir. Ele se levantou, foi no quarto ao lado e voltou com uma caixinha azul com lacinho branco muito bonitinha. Deixei meu prato ao lado um instante e peguei a caixa. Abri e dentro havia uma blusa tamanho GG que nunca daria em mim com a frase "EU AMO O GUSTAVO" e uma foto nossa. Olhei poker face pra ele.
- Feliz aniversário- disse empolgado levantando os braços.
- Eu vou enfiar isso aqui no teu cu.- disse levantando a camisa.
- Que menina rebelde. Tia stella não te deu educação não? - fez graça de minha cara. Tentei dar um soco nele porém foi mais rápido e saiu correndo, me levantei e corri atrás dele pelos corredores até chegarmos ao campo no lado de fora da Casa  onde eu tropecei e cai levando Gustavo junto, sorte que o corpo dele amorteceu minha queda, quando chegamos ao chão começamos a rir. Até que...
- Adorei o pandinha Guides.- Natanael falou me olhando dos pés a cabeça malicioso, na verdade muitas pessoas estavam me olhando. É foi aí que eu me toquei, estava fora da casa. Com a escola toda. De pijama. E meu pijama e uma calcinha com a cara de um panda na bunda e uma blusinha que não cobre quase nada de meu corpo.
Quis me enterrar ali mesmo na hora de tamanha vergonha. Graças a Alá Gustavo se tocou da situação e tirou a sua blusa rapidamente me passando. Vesti a blusa de Gustavo que como era grande ficava um vestido em mim, me levantei de cabeça baixa com o rosto provavelmente muitooo avermelhado, levantei a cabeça apenas para me certificar que Rafael não estava no meio das pessoas que viram aquela cena, mas como eu sou mega azarada la estava ele. Me olhando até que um dos meninos ao seu lado fez algum comentário e ele tirou os olhos de mim levando os para o garoto e dando um empurrão nele, não fiquei lá mais que isso e voltei para o quarto.

Hoje teríamos a tarde livre, então não sai do quarto, não queria ver ninguém, tava morrendo de vergonha ainda. Até que alguém bate na porta.
- Nat?- reconheço a voz de Gus.
- Entra.- Ele coloca apenas a cabeça para dentro do quarto.
- vamo jogar queimada? Tá todo mundo jogando la na quadra.
- Não valeu.
- Não quer sair pelo acontecimento da calcinha?
- Por que mais seria? Todos vão ficar me olhando, lembrar e rir da minha cara.- reviro os olhos só de imaginar.
- Mas.. e se acontecesse algo que fizesse eles esquecerem Isso?
- Tipo Oque? Um milagre?- fala desesperançosa.
- Tipo outra coisa vergonhasa.
- Oque você tem em mente rainha má?
- Vem comigo.- entrou no quarto pegou minha mão e saímos correndo até seu quarto.- O Léo tem cabelos rosa certo?
- Sim ue- respondo sem saber onde ele pretende chegar.
- E ele anda com a tinta de cabelo pra todo lugar certo?- balanço a cabeça confirmando enquanto Gus procura algo nas coisas de Léo. - Acho que ele não liga da gente pegar um pouco.
- Pra que?- Eu não tava entendendo merda nenhuma.
- Ô menina lerdinha. Nos já zoamos a Milena duas vezes. Agora e a vez do Guilherme. - Diz levantando o frasco da tinta quando finalmente acho na mochila de Léo.- Ele vai ter que lavar o cabelo depois de jogar queimada.- Diz com um sorriso perverso, sorrio junto a Ele, vou adorar ver o Guilherme de cabelo rosinha e como o pessoal da escola não presta vão todos tirar sarro da cada dele. Isso vai ser incrível. Saio correndo com Gus novamente mas desse vez em direção ao quarto de Guilherme. Entramos e trancamos a porta.
- Certo. O jogo deve tá pra acabar então eu vou por isso no shampoo dele e você olha a porta.- Diz. Mas eu não concordo, Guilherme me fez de idiota e quem se vingaria seria eu.
- Eu coloco e você olha a porta. Melhor.- Gustavo não contradiz e me passa o frasco com a tinta de cabelo. Entro no banheiro de Guilherme e começo a procurar pelo shampoo, encontro e coloco TODA a tinta junto, fecho a embalagem e balanço um pouco para a tinta se misturar. Coloco no lugar e saio correndo puxando Gustavo junto a caminho de meu quarto.

Ficamos no quarto conversando até o jogo acabar, então esperamos mais alguns minutos para dar tempo o suficiente de Guilherme tomar banho e fomos para fora da casa como duas crianças inocentes esperando ele sair do quarto para ver o resultado de nosso brincadeira e não deu outra. Poucos minutos depois Guilherme saiu com o cabelo parece um algodão doce e a cara amarrada.
- QUEM FEZ ESSA PORRA.- Gritou chamando a atenção de todos, e imediatamente começaram as zoações e as risadas.
- ô lá, se revelando. Sempre soube que cortava pra essa lado.- Natan começou a tirar graça da cara de Guilherme o fazendo ficar mais puto da vida. Eu adoro quando o Gustavo tem essas ideias, eu que não queria ser inimiga dele. Slc menino é psicopata. Amo ele.

Estava toda arrumada, pois como hoje seria o nosso último dia na chácara haveria um jantar para todos. Coloquei um vestido curtinho preto com algumas transparências, um salto preto com detalhes em dourado e um bracelete dourado para combinar com os saltos, fiz uma maquiagem escura e estava pronta, bem gótica trevosa. Adoroo.
Sai junto com Sabrina para nós reunir ao resto dos nossos colegas. Olhei pelo grupo de pessoas avistando Gustavo, Natanael, Gabriel e Léo e andei até eles enquanto Sabrina foi se sentar em uma das mesas no canto. Convidei ela para se juntar a nós mas recusou o convite e preferiu ir se sentar só.

Passei algum tempo conversando com meus amigos e olhando na multidão procurando por Rafael que ainda não havia chegado, até que finalmente o avistei, Ele estava simplesmente incrível e quando me viu o encarando sorriu me deixando constraginda por ter sido pega o secando. Pensei que ele viria até onde estávamos mas me surpreendi quando ele caminhou até Sabrina se sentando com ela.

As horas foram passando e Rafael não se juntou a nós e isso ja estava me incomodando, tentei dançar e curtir a festa com meus amigos mas meus olhos sempre caiam sobre Rafael conversando e rindo com Sabrina. De onde veio tanto assunto? Hoje era meu aniversário e esperei o dia inteiro para falar com ele, mas ele mal me olhou enquanto estava quase a festa toda falando com Sabrina. Comecei a ficar chateada então resolvi sair da festa. Andei até a casa me sentando na varanda, passei apenas alguns minutos sozinha quando escuto passos se aproximando, levantei a cabeça para ver quem era pensei que veria Gus se aproximando mas quem estava vindo até mim era Rafael.

Ele estava me olhando com um pequeno sorriso de lado, ele se sentou em meu lado e disse
- Oi, me desculpe por ontem, não fazia ideia que o Gustavo não sabia nadar. - ele disse e fez aquela cara de cachorro sem dono
- tudo bem, você não teve culpa, estávamos todos brincando - eu respondi lhe dando um sorriso para demonstrar que não havia problemas
- você está linda - ele disse e eu olhei no seus olhos - a quase me esqueci feliz aniversário 
- Obrigada. Cadê meu presente? - eu disse em tom de brincadeira ainda olhando para seus olhos
- vem comigo - ele disse me puxando
- Aonde vamos? - pergunto
- Só cala a boca e vem - ele disse em um tom brincalhão e foi me puxando enquanto corríamos - bom chegamos - ele disse mas eu só via o lago
- Nos estamos no mesmo lugar só que mais afastados do pessoal - eu disse
- Perfeito - ele disse mas eu não entendi - agora posso lhe dar o seu presente de aniversário - ele diz com um sorriso malicioso e sem delongas me puxou para um selinho um selinho demorado ele pediu passagem com a Língua e eu sedi ele colocou as suas mãos na minha cintura me puxando para mais perto dele colando nossos corpos e eu coloquei minhas mãos em sua nuca aprofundado o beijo, nossas línguas dançavam uma música excitante e sensual logo nos afastamos por causa da falta de ar mas não demorou muito e começamos a nos Beijar novamente mas esse beijo pedia mais ele tirou as mãos da minha cintura e colocou em minha bunda a apertando me fazendo dar um gemido baixo  ele desgrudou nossas bocas e começou a me beijar no pescoço e nos seios na parte que o decote deixava mostrando   logo grudei nossos lábios denovo e dei mais um selinho e me afastei dele ele me olhou indignado eu dei uma pequena risada e comecei a andar para trás mas acabei caindo e é claro que ele começou a rir
- Me ajuda - eu peço e faço bico ele estica a mão e eu o puxei fazendo cair no meu lado
-  Você não deveria ter feito isso - ele fala e eu me aproximo deixando nossos lábios quase encostando um no outro e digo
- Por que não - eu digo fazendo uma voz sensual
- Não me provoque - ele disse e eu dou uma pequena gargalhada - ta bom Você pediu - ele fala isso e ataca meus lábios para um beijo lento eu separo nossos lábios e subo em seu colo deixando minhas pernas em cada lado do seu corpo ele sobe as suas mãos pelas minhas pernas e  param na minha cintura eu o beijei com toda a lentidão do mundo até não aguentarmos mais tanta lentidão e aprofundamos o Beijo para um beijo rápido e selvagem logo tiro a camisa dele e aprecio aquele peitoral ele tira meu vestido me deixando somente de lingerie ele começa a Beijar meus seios cobertos pelo sutiã e sinto sua ereção ele me deita na areia, tiro sua calça com um pouco de dificuldades e vejo sua ereção quase rasgando o tecido da cueca, passo a mão onde havia um volume e Rafael arfa baixinho ele tira meu sutiã com um pouco de dificuldades e começa a  chupar meus seios, dou gemidos baixos ele tira a minha calcinha e joga na areia e ele começa a me chupar com força eu estava quase gozando mas ele para e eu o olho incrédula
- Qual é o seu problema? - pergunto
- Nenhum, não se apure temos todo o tempo - ele fala isso e da um sorriso malicioso e volta a me chupar ele para e volta a me beijar sedento, tiro sua cueca e a jogo assim como ele fez com a minha calcinha
- Quero você dentro de mim - sussurro perto de sua orelha, ele não espera eu pedir duas vezes já me penetrando sem dó começa a dar estocadas rápidas e geme o meu nome assim como eu gemo o dele
- Goza... Comigo - ele fala e da mais algumas estocadas, chego a meu ápice e depois de mais algumas estocadas Rafael cai ao meu lado cansado, não estou satisfeita, quero lhe dar mais prazer então sento sobre seu membro e começo a beija-lo descendo beijos e chupões por todo seu corpo até chegar em seu membro, passo a língua por todo seu membro e logo em seguida começo a masturba-lo com as mãos, ele levanta a cabeça por tamanho prazer e quando seus olhos encontram os meus abocanho seu membro sem parar de encara-lo, Rafael começa a se contorcer e aumento a velocidade
- Eu..vou...gozar- fala com dificuldade, não tiro minha boca, quero prova-lo, ele mal acaba de falar e sento seu líquido quente, engolo tudo que posso e oque não conseguir engolir começo a lamber de seu membro, me deito ao seu lado lhe dando mais um selinho, ficamos deitados na área completamente nus e abraçados observando as pequenas ondas que se formavam no lago por alguns minutos, até que me lembro que ainda estamos na chácara um dos inspetores poderia nos achar ou um de nossos amigos estranhar nossa ausência então falo
- Nós temos que ir se não nos acharem vão começar a procurar.
- Aahh naooo - faz birra e me olha com um biquinho. Rio de sua idiotice e começo a me levantar procurando por minhas roupas, logo Rafael faz o mesmo a contragosto. Quando estamos devidamente vestidos ele pergunta
- Você vai voltar para a festa?
- Não, acho que ja vou me deitar. Porque? Você vai lá?
- Vou sim, só ver quem ainda tá lá e depois vou para o quarto. - ele me dá um beijinho na testa e começa a andar em direção a festa, o observo por alguns segundos até ele sumir de vista e vou para meu quarto feliz da vida. O melhor presente de todos. O melhor aniversário de todos.

Entrei no quarto e não havia ninguém, fui para o banheiro e tomei um banho demorado, tocando em todos os lugares que Rafael tocou e lembrando do que havia acabado de acontecer, fiquei pelo menos meia hora no banheiro e quando fui sair para o quarto escutei risadas no corredor e alguém entrando no quarto, deveria ser Sabrina mais outra risada se misturava a dela.
- Até amanhã gatinho - disse e deu mais uma risada alta.
- Até princesa - reconheço a voz de Rafael e mais risadas. Quando escuto a porta se fechar saio do quarto encontrando Sabrina encarando a porta com um sorriso besta, a ignoro e me deito rapidamente em minha cama cobrindo totalmente meu corpo com o lençol.
Que porra foi essa?


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até o próximo meus amores 😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...