História My Neighbor - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Jade, Personagens Originais, Viktor Chavalier
Tags Aliktor, Amor Doce, Drama, Romance Gay, Yaoi
Exibições 57
Palavras 1.263
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Luta, Poesias, Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 23 - 6 meses part 2


Fanfic / Fanfiction My Neighbor - Capítulo 23 - 6 meses part 2

 

P.O.V Viktor

                O sinal bate, eu estive pensando nas últimas aulas e acho que é melhor contar o que aconteceu comigo e com o Henry para o Alexy, ele tem que me entender, a culpa não foi minha.

 

                Já estava prestes a sair da sala quando sinto uma mão me segurar, do mesmo jeito que ele fez duas semanas atrás.

                É a aula de educação física, só restava eu e o Henry no vestiário, quando sinto a mão dele me segurar, me viro devagar e logo sinto os lábios dele encostarem nos meus lábios.

                Não reajo, não consigo, fico parado sem fazer nada, até que sinto as mãos dele entrarem na minha calça.

                Alexy, a imagem dele e seu lindo sorriso me faz perceber que tenho que afastar o Henry e rápido, porém antes que eu faça isso, escuto passos e quando nos afastamos o Henrico está me encarando.

                Merda!

 

                Depois daquele dia eu e o Henry nos afastamos, eu não poderia continuar sendo amigo dele depois disso.

                - O que foi?- pergunto encarando ele.

                - A gente precisa conversar- responde ele me olhando triste.

                - Não precisamos, eu amo o Alexy e aquilo nunca deveria ter acontecido- falo ríspido.

                - Você não se afastou, só se afastou quando escutou algo- responde ele rapidamente.

                - Eu ia me afastar- praticamente grito.

                Não tem mais ninguém na sala, só eu e ele.

                Então a porta se abre e o Armin aparece.

                - Cadê o Alexy?- pergunto, é a primeira coisa que penso ao ver que o Armin estava correndo provavelmente.

                - Com o Henrico, ele...- não espero a resposta inteira dele, só corro até a entrada do colégio e para o meu azar, o Alexy não está mais aqui.

 

                P.O.V Alexy

                Andamos mais um pouco, então o Henrico para e se vira devagar com um sorriso que me dá calafrios.

                - Sabe Alexy, desde que eu te vi, eu te quis fazer meu- diz ele.

                Antes que eu me vire, ele me prensa contra um muro.

                - Você ser do Viktor só torna as coisas mais divertidas- sussurra ele no meu ouvido, tento me mexer, mas não consigo, ele é bem mais forte do que eu.

                Ele ri alto.

                - O Viktor sempre roubou tudo de mim Alexy, eu mereço algo dele- fala o Henrico me olhando.

                Engulo seco.

                - Quando éramos pequenos ele me bateu para pegar o lanche da menina de volta, depois me roubou o Miguel e agora eu tenho que ter algo em troca, claro que eu tive o Miguel na mesma condição que vou ter você, mas o Miguel já tinha sido do Viktor, não teve muita graça- depois de falar isso ele respira fundo.

                Tento novamente me soltar, me debato, faço o possível, mas nada, nada adianta.

                - Se quiser pode gritar o nome do Viktor, ele não salvou o Miguel e não vai salvar você- diz bem alto o Henrico me encarando.

                Ele me beija, mas não retribuo, em vez disso mordo a língua dele.

                Ele bufa e se afasta.

                Não demora muito e sinto a mão dele na minha cara.

                - EU DISSE QUE VOCÊ PODIA GRITAR, MAS NÃO FAZER ISSO ALEXY, SE CONTINUAR ASSIM AS COISAS SÓ VÃO SER MELHORES PARA MIM E PIORES PARA VOCÊ- grita ele irritado e começa a beijar o meu pescoço e coloca as mãos dele na minha cintura, me apertando.

                Sinto o nojo me invadir, tenho vontade de vomitar com ele me tocando, mas se fizer isso as coisas vão piorar.

                As lágrimas começam cair, uma atrás da outra e não consigo evitar.

                O Henrico só parece mais feliz com isso, ele começa a tirar a minha blusa.

                Começo fazer a única coisa que posso fazer, começo a gritar o nome do Viktor.

                Viktor você é minha única chance, por favor, não me deixe aqui.

 

                P.O.V Viktor

                A raiva toma conta de mim, para onde o Henrico levou o meu Alexy?

                Ele fez tudo de ruim que podia fazer com o Miguel, não posso deixar  que faça o mesmo com o Alexy.

                Então uma luz surge na minha cabeça, se o Henrico quer fazer com o Alexy o que ele fez com o Miguel só existe um lugar, o mesmo lugar.

                Vejo o Armin correndo atrás de mim, mas não o espero, só corro mais rápido, eu tenho que salvar o Alexy, eu não me importo se a gente terminar, não me importo se ele nunca mais quiser me ver pelo que eu fiz com o Henry, mas eu não vou permitir que o Henrico destrua a vida do Alexy.

                O Alexy é muito mais frágil que o Miguel, ele nunca suportaria passar por tudo que o Miguel passou, se isso tudo destruiu a vida do Miguel, imagina o que faria com a do Alexy.

                Chego no beco e começo a andar um pouco mais devagar, eles tem que estar por aqui.

                Escuto um grito baixinho, me viro na direção do grito então o escuto mais uma vez, só que dessa vez bem mais claro.

                - VIKTOR- é o Alexy, eu tenho plena certeza disso.

                Corro mais rápido até o lugar e então vejo, o Alexy já está sem camisa, e o Henrico também, ele estava prestes a tirar as calças.

                A raiva me domina e quando vejo já estou dando um soco na cara do Henrico que dá uns passos para trás.

                Continuo batendo nele, ele caí no chão depois de tantos socos e eu ainda continuo batendo nele, até que sinto uma mão tocar o meu ombro.

                Me viro rapidamente, é o Armin, ele aponta para as minhas mãos, elas estão sujas de sangue, encaro o Henrico ele vai ficar desacordado por pelo menos umas 2 horas.

                Olho para o muro, o Alexy está lá, com as mãos em volta dos joelhos, chorando, isso me destrói.

                Vou até ele, mas quando me aproximo ele se afasta mais.

               

                P.O.V Alexy

                O Viktor chegar foi o que me salvou e eu tenho plena certeza disso, quando ele se afasta ainda batendo no Henrico me sento no chão e começo a chorar, logo sinto uma mão me tocar e eu quase dou um pulo, mas me reconforto ao saber que é o Armin.

                Não consigo parar de chorar, mesmo tentando, eu não consigo.

                Quando o Viktor se aproxima todos os meus sentidos mandam eu me afastar, dizem que ele é uma ameaça, uma ameaça como o Henrico e mesmo eu sabendo que não é verdade eu não consigo ficar perto dele.

                Mesmo assim ele me abraça, esse abraço me faria tão bem antes, mas agora, não consigo retribuir só consigo chorar mais.

                Ele se afasta aos poucos.

                - Alexy?... Neighbor?... O que está acontecendo?- pergunta ele quando eu me afasto e fico o mais perto que consegui dele, que é uns cinco passos, não consigo chegar mais perto.

                - E-eu não s-sei, mas por favor n-não se a-aproxime- digo ainda chorando.

                O Viktor assente e o Armin se aproxima, só que dele eu consigo ficar perto, é como se meu corpo soubesse que nada de mais vai acontecer se o Armin ficar do meu lado, talvez pelas milhares de vezes que ele falou isso durante toda a nossa vida.

                - V-viktor n-não d-desista de m-mim- peço mesmo sem me aproximar.

                - Eu nunca vou desistir- diz ele firmemente e dá espaço para que eu e o Armim possamos passar, quando passamos ele espera uns segundos e começa a andar.

                É o meu espaço e ele está respeitando isso, eu o amo tanto e agora nem consigo mais ficar perto dele.


Notas Finais


Espero que gostem S2 :)
Não me matem pfv


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...