História My Only Love - Jikook - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, V, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Jikook, Kaisoo, Namjin, Sulay, Vhope, Xiuchen
Exibições 685
Palavras 2.814
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiii, creio que nem demorei bastante, da última vez foi praticamente um mês, dessa vez foram só dezoito dias. :')

Boa leitura!

Capítulo 24 - Twenty Four


Sehun P.O.V

Antes de sair para ir trabalhar deixei, a contra gosto, Luhan ir ao shopping com Jimin e Kyungsoo.

Kai havia me dito que iria com eles, mas seu pai precisava de ajuda e ele teve que abrir mão do passeio, o que me deixou irritado e preocupado.

Irritado por ter que deixar Luhan sair sozinho acompanhado por apenas dois ômegas e preocupado pelo mesmo motivo.

Ele está frágil nesses últimos dias, queria ter o poder de protegê-lo de tudo e fazer todos os sentimentos negativos dele sumirem.

Tentei ligar para Jungkook, mas chamava até cair na caixa postal, ele obviamente não sabia que Jimin iria sair, pois se soubesse, com certeza, os acompanharia.

- Sehun meu filho, preste atenção no que está fazendo! – Meu appa me olha indignado ao ver que eu estava entretido quando deveria estar programando o slide da próxima apresentação da empresa.

- Desculpe, vou tentar terminar o mais rápido possível. – Abaixo a cabeça e ele sai do cômodo.

Me levanto da cadeira da qual estava sentado há horas, sentindo uma leve dor nas pernas quando as estico e vou até a máquina de café do corredor, pegando um Cappuccino e logo voltando pra minha sala.

Coloco o copo em cima da mesa, fazendo com que o barulhinho de eco se faça presente de forma agradável e volto a fazer o slide.

Jungkook P.O.V

Estava fazendo alguns trabalhos da faculdade e, quando finalmente acabo, vejo várias chamas perdidas de Sehun em meu celular.

Penso em retornar, mas sei que ele deve estar ocupado no trabalho, então resolvo ir tomar banho e depois ir vê-lo.

Depois de me arrumar, peguei as chaves do carro e da casa e saí de fininho para não ser barrado pelos meus pais.

Sehun havia me ligado dez vezes, alguma coisa ele deveria estar querendo.

Retornei a ligação, mas dava na caixa postal, então apenas continuei a dirigir.

Xx

- Como assim eles estão sozinhos no shopping? – Rosnei baixinho, isso parecia absurdo.

- Você demorou tanto pra retornar que eu até me acostumei com a ideia de eles estarem lá sozinhos. – Sehun falou concentrado na tela do computador, já que fazia alguns slides.

- Seria muito errado da minha parte ir até o shopping e tirar satisfações? – Mordo o lábio querendo conter o impulso.

- Eu mesmo faria isso se não estivesse ocupado, você sabe disso. – Ele me olhou com cara de tédio e eu saí de lá, indo em direção ao shopping.

Jimin P.O.V

- Jimin, não olha pra trás não, mas o Jungkook tá vindo ai. – Kyungsoo falou mordendo o sanduíche dele, enquanto Luhan comia alguma gororoba.

Mordo a bochecha por dentro e tomo um gole do suco de laranja, eu não contei a ele que iria sair com os meninos hoje.

- Quem se disponibiliza pra me explicar o que vocês estão fazendo sozinhos aqui? – Ouço Jungkook falar e levanto a cabeça lentamente, vendo ele parado ao meu lado com os braços cruzados.

- Eu não, meu macho sabe que eu 'tô aqui. – Luhan fala de boca cheia e de forma fofa.

- O meu também, vocês dois aí que se virem. – Kyungsoo se ajeita na cadeira e eu sorrio fraco.

- A gente só queria distrair o Hannie. – Mordo o lábio inferior.

- Você não me mete nas suas desculpas não veado, não contou pra ele antes porque não quis. – Luhan fala irritado, o que me faz rir, porque ele está muito fofo pra soar irritado.

- Enfim, a gente viria com o Kai, por isso que eu não contei, mas aí ele teve alguns problemas e não pode vir. – Dou de ombros e volto a comer meu sanduíche maravilhoso.

- Kai sendo Kai. – Ele revira os olhos. – Vamos, terminem de comer que eu levo vocês pra casa. – Ele se senta à mesa.

Dito isso todos nós voltamos a comer enquanto Jungkook nos olhava com cara de tédio e braços cruzados.

Ele deve estar realmente irritado, foi realmente errado da minha parte não ter contado que iria vir ao shopping com os meninos.

Depois que terminamos de comer, Luhan e Kyungsoo foram para o carro - que Jungkook explicou onde estava estacionado.

- Jungkook me perdoa vai. – Faço um bico pra ele.

- Já perdoei, vamos logo. – Ele levanta e me espera.

Levanto e cruzo os braços parado ao lado dele.

- Não parece que me perdoou, está sendo frio comigo. – Bato o pé no chão

- Perdoei sim, o Kai quem vacilou. – Ele me puxa pela cintura e me dá um selinho. – Mas eu 'tô cansado, vamos embora. – Sorri ladino e me puxa pela mão.

Xx

- Está entregue Kyung. – Jungkook sorri pra ele quando o mesmo agradece a carona e desce do carro, havíamos deixado Luhan no escritório do pai de Sehun. – Como vocês iriam vir embora se eu não tivesse chegado lá?

- Do mesmo jeito que a gente foi pra lá, de ônibus. – Dou de ombros.

- Vocês pegaram ônibus? Meu Deus, não sei se dou bronca ou se rio. – Ele ri debochado.

- Prefiro que você ria, seu sorriso é lindo, seus caninos branquinhos quebram o segmento reto e perfeito dos outros dentes. – Deixo escapar sem querer e logo tampo a boca com a mão.

- Quer dizer que você repara até nos caninos? – Ele sorri convencido e eu coro.

- Oras, não seja convencido Jungkook! – Viro o rosto para olhar pela janela, vendo que estamos pertinho de casa.

- Não estou sendo, estou apenas querendo confirmar o quê você falou ainda a pouco. – Ele sorri sapeca e, sem querer, meus olhos vão diretamente pros seus caninos, o que o faz rir assim que percebe. – Só você mesmo, viu Jimin? – Ele ri.

- Aish, me deixa. – Cruzo os braços e espero ele parar o carro.

- Deixa de onda. – Ele faz careta.

- Vou dormir bem, e também, só acordo na hora de me arrumar pra escola. – Aviso logo antes que ele tenha outro surto e rode a cidade toda atrás de mim.

- Uhm, bom sono, princesa. – Olho incrédulo e ele ri, logo me puxando pra um beijo.

Tento empurrar ele pra tentar dar um de difícil, mas é impossível levando em consideração suas mãos em minha cintura.

- Eu amo a sua boca. – Ele solta e depois ri da própria idiotice.

- E eu amo tudo em você. – Deixo um selar rápido em seus lábios.

- Continuo amando a sua boca, mas sua bunda e suas coxas também são de tirar o fôlego. – Ele solta e eu arregalo os olhos constrangido.

- Não fala assim seu idiota. – Bato no braço dele, que apenas ignora e me puxa para seu colo pelas coxas.

- Tiram o fôlego de qualquer um sim, mas pertencem somente a mim. – Ele apertou minha coxa esquerda com uma mão e minha cintura com a outra de forma possessiva.

- Resolveu dar uma de possessivo Jeon Jungkook? – Mordo o lábio inferior só pra provocar mesmo, logo soltando o mesmo e o vendo acompanhar meus movimentos com os olhos, o que me faz sorrir.

- Não fode Jimin. – Ele morde meu lábio inferior com força e depois suga, levando assim algumas gotas de sangue.

- Tenho que ir. – Sorrio sem mostrar os dentes e apoio as mãos em seus ombros.

- Eu sei. – Ele abraça minha cintura, me puxando consequentemente para um abraço, onde eu passo os braços por seu pescoço.

- Te amo. – Falo no seu ouvido.

- Tá grá agam ort. – Ele beija minha marca.

- Saúde. – Falo confuso e ele ri alto.

- Significa eu te amo, seu bobo. – Ele me afasta com cuidado e eu dou de ombros.

- As únicas línguas que eu preciso conhecer são a nativa e a sua. – Falo rápido e dou um selinho nele, descendo do carro mais rápido do que falei.

Quando entro em casa vou diretamente para à cozinha, pois resolvi comer alguma coisa antes de dormir, somente para não precisar comer antes de ir pra escola.

Mas logo me pego pensando em Jungkook, nunca vou entender o que esse menino faz comigo, ele trás à tona meu lado mais safado e ao mesmo tempo mais inocente.

Enfim, meu foco agora é dormir!

Kyungsoo P.O.V

Depois que Jungkook me deixou em casa eu resolvi assistir Grey's Anatomy, sim, eu sou coreano e assisto séries ao invés de doramas.

O problema de doramas, na minha opinião, é que é sempre a mesma coisa, sem contar que ver as meninas falando "oppa" com toda a inocência do mundo me irrita.

Lembro-me imediatamente das lacraias que ficam se esfregando em Jongin, é oppa pra cá e oppa pra lá, bando de oferecidas.

Ás vezes o Kai me deixa em estado letárgico, meu mundo para naquele seu sorriso perfeito com vários dentes brancos e alinhados à mostra, eu vejo tudo passar em câmera lenta e não sei explicar o motivo de me sentir assim.

Suspiro frustrado e me aconchego no sofá, logo colocando a série pra começar.

Era o melhor que eu tinha pra fazer agora, né...

Luhan P.O.V

Jimin e Jungkook decidiram que era melhor me deixar no escritório do pai de Sehun, local onde o mesmo trabalha.

Eles ficaram preocupados, falando que se algo acontecesse se sentiriam culpados por terem concordado em me deixar sozinho em casa e blá blá blá.

Eu nunca tinha entrado naquele prédio, então eu só fui mesmo.

- Com licença. – Chamei e a mulher –nitidamente ômega– me olhou estranho, ótimo.

- Pois não?

- Será que pode me informar o andar e a sala em que o Sehun trabalha? – Pergunto meio constrangido e passo a mão na nuca, logo vendo ela me olhar com um olhar... Mortal?

- Sétimo andar, sala número 205. – Ela simplesmente volta a mexer no computador após falar.

Povo mal educado, eu ein.

Fingi que os olhares lançados em cima de mim não me incomodavam, e apenas continuei andando até o elevador, que graças à Deus estava vazio.

Aperto o botão de número sete e me escoro na parede de metal enquanto fico batendo os dedos na mesma até ouvir o apito do elevador e as portas abrindo, acusando que havia chegado.

O corredor estava praticamente vazio, só havia um alfa na máquina de café, fui andando enquanto procurava pela porta com o número 205 e, quando a encontrei, bati de leve na mesma, escutando um "pode entrar" abafado.

Abro à porta devagarinho e coloco somente a cabeça pra dentro, tendo a visão de Sehun com a caneta entre o dedo indicador enquanto, com a mesma mão, pegava um copo de café e, com a outra, bagunçava seus fios de cabelo colorido.

Sorrio involuntariamente com a cena e entro evitando ao máximo fazer barulho, mas obviamente ele já sabe que eu estou aqui, só estava evitando me olhar.

Me aproximo e me sento em uma das cadeiras que fica de frente para sua mesa, ficando de frente pra ele.

- Tá fazendo o que aqui? – Grosso e direto como sempre.

- Não sei, Jungkook-ah não quis me deixar sozinho em casa, então me deixou aqui, no tédio. – Falo mexendo nos lápis que tinham em uma latinha toda enfeitada ali.

Eu sabia que ele não iria me responder, então apenas pego a latinha com os lápis e fico riscando o braço aleatoriamente com alguns.

- Já comeu? – Sua voz se faz presente em um tom completamente normal.

- Até demais. – Faço careta.

- Não vou demorar muito, só tenho que terminar de assinar esses documentos e mais alguns que irão chegar. – Ele continua assinando os papéis.

Reviro os olhos e, após colocar a latinha de lápis de volta no lugar de onde a tirei, levanto e vou até ele, sentando em seu colo.

- Luhan... Me deixa terminar aqui, vai. – Ele finalmente olha pra mim.

- Eu não estou fazendo nada. – Sorrio de canto enquanto levanto os braços em forma de rendimento e, na mesma hora, a moça que me atendeu lá em baixo entra na sala.

- Sehunnie? – Ela chama e eu cerro os olhos olhando pra ele e abaixando os braços.

A ômega leva um susto com a cena que vê, mas logo recupera a postura e age como se eu não estivesse aqui.

- Seu pai mandou alguns documentos pra você. – Ela estende a pilha de documentos pra ele e sorri.

Ninguém aqui quer ver seus dentes não minha amiga!

- Tudo bem, obrigado. – Ele pega a papelada com a mão livre já que, misteriosamente, a outra foi parar em minha coxa esquerda.

Ela olha pra mão dele e faz careta, logo saindo da sala com aquela cara de lambisgóia que 'tá doida pra apanhar.

- Nem começa. – Sehun fala quando eu abro a boca pra falar.

-Tudo bem. – Levanto as mãos de novo e saio do colo dele.

- Luhan... – Ele suspira.

- Tá tudo bem, vou pegar um café. – Reviro os olhos irritado e saio da sala.

Eu mereço! É tudo o que eu consigo pensar.

Vou até a máquina de café no final do corredor, mas a mesma parece não querer cooperar.

- Mas que merda. – Xingo baixinho e logo escuto outra voz.

- Presumo que seja seu primeiro dia aqui. – O cara –nitidamente alfa.–, pega o café pra mim, eu franzo o cenho pra ele. – É que a máquina tem um jeitinho, todos aqui sabem disso.

- Eu não trabalho aqui. – Falo quando ele me entrega o café e pega um pra ele.

- O que faz aqui então? – Ele pergunta, mas quando eu vou responder Sehun o faz por mim:

- 'Tá me esperando, por quê? – Seu semblante estava sério e colocou seu braço ao redor da minha cintura.

Ele pode sentir ciúmes, mas eu não posso né, ridículo.

- Nada, apenas cuide bem dele. – O cara sorri e ameaça ir embora.

- Você está insinuando quê... – Ele começa mas é cortado pelo outro.

- Eu não estou insinuando nada. – E com isso ele vai embora.

Sehun olha pra mim com a raiva transbordando em seus olhos e eu resolvo piorar a situação.

- Nem começa. – Volto pra sala bebericando meu café enquanto sorrio travesso deixando ele no meio do corredor.

Jin P.O.V

Estava deitado no chão da sala enquanto assistia algum anime qualquer na televisão.

Ainda é cedo, cerca de dezesseis horas, faz apenas duas horas que estou assistindo mas parece que faz uma eternidade, o tempo não passa, o que faz meu tédio aumentar.

Ouço a campainha tocar e sinto uma fisgada em minha marca, mordo o lábio imaginando ser Namjoon e vou até a porta, me decepcionando ao ver meu hyung.

- Tudo bem? – Ele franze o cenho ao perceber minha possível cara de cachorro sem dono.

- Érr... hyung, tem como você me levar pra casa do Namjoon? – Pergunto meio incerto, pois sei que eles não se dão bem.

- Não mesmo. – Ele cruza os braços e eu faço biquinho.

- Por favor hyung. – Choramingo. – Eu sinto que tem alguma coisa errada com ele.

- Tipo... – Ele descruza os braços e parece prestar atenção no que eu falo, afinal ele sabe que eu não minto pra ele.

- Eu não sei exatamente, mas quero muito saber o que está acontecendo. – Mordo o lábio e ele revira os olhos.

- Tudo bem, mas pegue suas coisas, você provavelmente irá pra escola com ele. – Ele falou e eu assenti rapidamente, fazendo tudo o que ele mandou mais rápido que o Flash.

Xx

- Obrigado hyung. – Beijo a bochecha dele e desço do carro ajeitando a mochila nas costas.

Toco a campainha enquanto dou tchau ao meu irmão, que se afastava cada vez mais da casa.

Depois de alguns minutos – sim, minutos – Namjoon abre a porta.

- Por que essa demo... – Eu até tentei falar, mas ele simplesmente me prensou contra à parede e iniciou um beijo quente.

Sua pele pegava fogo enquanto eu tentava retribuir o beijo na mesma intensidade, o que estava difícil.

Apoiei as mãos em seu peitoral desnudo e, com muita força e dificuldade, consegui afastá-lo.

Olhei pra ele ofegante enquanto tentava regular a respiração e, percebi o desejo e a luxúria em suas pupilas dilatadas, eu sabia o que significava isso.

Abri a boca pra falar alguma coisa, mas novamente fui cortado por ele, que afundou o rosto no meu pescoço, deixando mordidas fortes demais, que me causavam um misto de dor e prazer.

Suas mãos passeando pelas minhas coxas até finalmente apertar as mesmas e erguer meu corpo, me fazendo enlaçar as pernas em sua cintura.

Ele foi se afastando e subindo a escada, enquanto eu apenas gemia contido com a cabeça tombada pro lado.

Seus dentes maltratando meu pescoço de uma forma nunca antes feita, mas eu estava gostando.

E gostei ainda mais da brutalidade que ele usou quando me jogou na cama, e algo me dizia que eu iria gostar ainda mais do que viria a seguir.


Notas Finais


E ai, o que acharam? :') por favor não me matem por causa do final ksksks. :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...