História My Only Love - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Abo, Alfa, Beta, Chanlay, Exo, Kaisoo, Prostituição
Exibições 199
Palavras 2.799
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiee amores♡♡♡
Desculpa o pequeno atraso?
Boa leitura!!!!

Capítulo 5 - Coragem


Kyungsoo



Eu estava em frente à empresa esperando Sehun trazer Taeoh da escolinha quando vi seu carro. Sehun estacionou e desceu do carro, logo e seguida Yixing desceu com meu filhote em seus braços enquanto falava algo que fez o pequeno rir. O que o Yixing veio fazer aqui? Será que aconteceu algo?



- Appa! - fui tirado de meus pensamentos por Taeoh que veio correndo me abraçar. Abaixei e abracei o pequeno alfa enquanto Sehun e Xing acenavam de longe nos observando, às vezes acho que se os dois ficassem juntos formariam um casal fofinho. O abraço do meu filhote era o melhor do mundo, me transmitia um conforto e uma alegria enorme, me fazendo recordar de cada dificuldade que passei e reconhecer que valeu a pena.


- Olá pequeno. - falei e deixei um beijo em sua testa. - Como foi a escola hoje?


- Foi legal, eu fiz uma nova amiguinha o nome dela é Yasmin, ela é uma ômega muito bonita. - Taeoh contou animado e eu ri. Meu pequeno estava crescendo, mas ele ainda é muito novo para namorar. - Eu também fiz um desenho.


- É mesmo? Quero ver seu desenho e você vai me contar tudo sobre essa tal de Yasmin quando chegarmos em casa. - falei e peguei a mochila azul do Tae das mãos do Sehun que havia se aproximado, junto a Yixing, de nós. - Olá!


- Oi Kyung. - Yixing me cumprimentou sorrindo.


- Oi Kyungsoo, como está? - Sehun perguntou.


- Bem. - suspirei e encarei os dois, algo estava acontecendo e eu não estava sabendo, Sehun e Yixing não são de andar juntos, muito menos sozinhos, fora o fato de qur pareciam querer me dizer alguma coisa. - O que vocês querem me falar?


- Então… é que… - Sehun começou meio confuso e coçou a nuca. - Eu nao consigo, fala você Yixing.


- É que… o Sehun não vai poder buscar o Tae até semana que vem na escolinha. - Xing informou. - Nem eu.


- Era só isso? - eles fizeram toda essa frescura por causa disso?


- Não. A gente, quer dizer, eu, vou meio… o Yixing também. - Sehun tentou explicar e me confundiu ainda mais.


- Ele quer dizer que nós vamos passar o cio juntos, já que o meu começa amanhã e o dele também. - Yixing falou rapidamente e os dois coraram, bom, eu ri, nunca pensei que esses dois fossem passar o cio juntos algum dia. - Kyung, isso é sério, você tem que ver quem vai buscar o Tae na escolinha. A gente já vai indo.


- Eu vou dar um jeito. - falei e sorri maliciosamente para os dois. - Já vão aproveitar desde hoje? Cuidado pra não marcar ele, Sehun.


- Não fale besteiras Kyungsoo, eu sei me controlar. - Sehun falou e revirou os olhos. - Tchau Tae. - abraçou meu filhote e bagunçou seu cabelo. - Tchau Kyungsoo.


- Até semana que vem pequeno, cuida bem do seu appa. - Xing pediu para Taeoh e deixou um selar estalado em sua bochecha. - Até Kyung.


- Tchau, aproveitem as noites e se comportem crianças. - Sehun mostrou língua e entrou no carro sendo seguido pelo ômega. - Vamos Tae? O appa ainda tem que trabalhar.



Carreguei Taeoh até a salinha e o deixei lá, ele fez bastante manha para não ficar sozinho mas eu consegui fazer ele entender a situação. Me parte o coração ver aqueles olhinhos cheios de lágrimas olharem para mim pedindo para que eu fique, mas infelizmente eu não posso. Após deixar o Tae na sala fui terminar meu serviço, entrei na sala do senhor Kim, e como sempre estava vazia e limpa, a não ser a mesa que estava toda desorganizada. O senhor Kim era um chefe estranho -na minha opinião, já que para todos, ele e o senhor Park, são os chefes perfeitos- eu nunca o vi por aqui, sua sala quase sempre está limpa, menos sua mesa, essa fica desorganizada sempre até eu à arrumá-la, e segundo o pessoal ele é um alfa meio bipolar, uma hora é frio outra é todo fofo. Não o conheço para afirmar ou negar as coisas que dizem pelos corredores, mas seria interessante poder tirar minhas próprias conclusões sobre isso. Organizei a mesa como eu sempre organizava e saí da sala indo limpar o banheiro masculino do andar de baixo, para minha sorte estava vazio. Limpei o banheiro todo e deixei o piso de porcelanato branco quase brilhando.



- Olha quem está aqui. - ouvi alguém dizer e me virei em sua direção, Chanyeol estava encostado no batente da porta sorrindo. O que ele estaria fazendo aqui? - Olá Kyungsoo.


- Olá Chanyeol. - falei e sorri. - Aconteceu alguma coisa? Precisa de mim lá em cima?


- Acho que não. - olhei confuso para ele. - Eu vim aqui conversar com você.


- Sobre o que exatamente? - perguntei desconfiado, isso já estava ficando estranho.


- Algum tempo atrás vi você conversando com dois rapazes fora da empresa, gostaria de saber quem eram. - veio em minha direção e se encostou na pia. - Sabe, não podemos confiar em todos, não que eu esteja duvidando de você ou algo do tipo, mas tenho que manter a segurança da empresa, pode ser que haja espiões da concorrente aqui dentro e ele passe informações confidenciais da nossa empresa.


- Entendo, eles são meus amigos e vieram trazer o Tae aqui, já que eu não posso ir buscá-lo.


- Quem é Tae?


- Meu filhote. - respondi constrangido e fui esvaziar a lixeira.


- Posso vê-lo? - ele pediu baixo e eu me assustei com seu pedido. - Eu gosto de crianças, queria poder vê-lo.


- Quando eu terminar aqui posso levá-lo até ele. - falei e voltei a me concentrar em meu trabalho ignorando o alfa que apenas confirmou com a cabeça.



O banheiro ficou totalmente silencioso até que eu terminasse de o limpar e chamasse Chanyeol para irmos ver o meu filhote. Achei estranho o pedido dele, mas que mal ele poderia fazer ao Tae? Ele só queria vê-lo. Levei o alfa até a salinha de materiais de limpeza e assim que entrei encontrei o pequeno sentado no chão desenhando algo em uma folha de papel.



- Appa! - Taeoh gritou assim que me viu e levantou desajeitadamente vindo correndo me abraçar com um lápis vermelho em mãos. - A gente já vai embola? Quero assisti meu desenho.


- A gente ainda não vai pequeno. Entre Chanyeol. - chamei e abri mais a porta para que o alfa entrasse, ele pareceu meio receoso mas logo entrou. - Taeoh, esse é o Chanyeol.


- Nossa! Ele é tão alto. - Taeoh comentou ao reparar na altura do outro alfa. Fiquei um pouco envergonhado com a sinceridade do pequeno, vai que o Chanyeol não gosta desse tipo de comentário? Olhei apreensivo para o maior na intenção de me desculpar, mas ele riu.


- Eu não sou alto, você que é baixinho demais. - Chanyeol implicou e Taeoh cruzou os braços enquanto fazia um bico. - Que garotinho fofo, a quem será que puxou?


- , ao appa. Quer brincar?


- Taeoh. - chamei sua atenção e ele aumentou mais o bico.


- Só queria brincar appa.


- Que tal eu te levar pra brincarmos no shopping outro dia? Hoje eu não posso por causa que minha roupa não é apropriada para isso. - Chanyeol propôs. - Se seu appa deixar, é claro.


- Vai levar eu amanhã? A gente vai come aqueles lanche gostoso? - Taeoh perguntou e o alfa riu.


- Então você gosta dos lanches do shopping? A gente pode comer um daqueles bem grandão. - Chanyeol ficou falando que eles iriam fazer um monte de coisas no shopping e meu filhote ficou todo animado em poder sair com o alfa. - Kyungsoo, podemos conversar um pouco ali fora? - concordei e olhei para Taeoh.


- Não saia daqui, o appa vai voltar para o trabalho mas agorinha vem te buscar para irmos embora. - falei para o pequeno que apenas balançou a cabeça, e saí da sala. - Não sei se é uma boa ideia você o levar ao shopping.


- Por que não? Ele pareceu ter ficado tão animado com a ideia. Não confia em mim?


- Não é isso, o Taeoh se apega facilmente às pessoas. - falei a verdade, tinha medo de que em alguma circunstância o Tae se apegasse ao alfa e depois ficasse triste sem sua atenção. As coisas relacionadas à alfas sempre são mais delicadas para o Tae, ele nunca teve, além do Sehun, um alfa por perto e acredito que para ele ter mais um alfa por perto deva ser bem divertido. - Sabe, eu não quero meu filhote criando expectativa em ter um amigo alfa para na realidade não ter.


- O que quer dizer com isso? - Chanyeol perguntou aparentemente sem entender o que eu falava.


- Ele não tem muitas influências de alfas na vida então às vezes acaba tendo algumas atitudes de ômegas, como por exemplo, se apegar demais às pessoas.


- Não vejo problema nenhum nisso, eu jamais faria isso, o iludiria. - o alfa falou decidido. - Por favor me deixa levar ele.


- Tudo bem, mas eu juro que se meu filhote derramar uma lágrima por sua causa ou se decepcionar, você irá sofrer graves consequências. - ameacei enquanto me aproximava perigosamente dele. - Está avisado, tenha um bom dia.


- Kyung espera. - olhei para ele que estava com um sorriso nos lábios. - Você fica fofo tentando parecer bravo e assustador. Ah! E você já está liberado. - ele falou e saiu andando como se nada estivesse acontecido me deixando para trás envergonhado.



Tratei de esquecer o que ele tinha falado e entrei novamente na sala para pegar as coisas de Taeoh. Depois de ter pego tudo, eu e Taeoh fomos até o banco, já que hoje era dia de receber meu salário, e depois o levei até uma sorveteria. Taeoh se lambuzou todo de calda e tive que dar um jeito de limpá-lo antes de irmos embora.

Eu tentava andar rapidamente com Taeoh em meus braços, mas estava um pouco complicado já que sou um ômega e ele estava dormindo. Tive a sensação de estar sendo vigiado e olhei para trás. Nada. Comecei a andar mais rápido, é perigoso andar por essas ruas durante a noite. Eu andava rapidamente quando senti meu braço ser puxado brutalmente e meu corpo se chocar a outro.



- Acho melhor não gritar, se teme pelo seu filhote. - um homem, que pelo cheiro era alfa, falou no meu ouvido. Comecei a tremer, ele faria alguma coisa a mim e meu filhote? - Passa tudo que você tem de valor aí, senão vocês dois irão sofrer muito, pequeno ômega. - ele disse baixo usando sua voz de alfa e me soltou lentamente. Eu não sabia onde estava nem como havia ido parar ali naquele beco imundo, mas resolvi obedecer às ordens que haviam sido me passadas. Dei todo o dinheiro que tinha e mais alguns pertences para o alfa e fiquei o olhando com medo. - Você é bem bonito, sabia? Tem uma pele branquinha, um rostinho lisinho, um corpo gostoso, um aroma maravilhoso, e  o melhor de tudo: não é marcado, eu deveria me aproveitar disso tudo? - ele riu e segurou com certa força meu rosto. Apertei mais Taeoh em meus braços e pedi mentalmente para que alguém aparecesse ali.


- N-não, por favor. - pedi baixo deixando algumas lágrimas escaparem. Levei um tapa forte no rosto e cai no chão acordando Taeoh que me perguntou assustado o que estava acontecendo. - Fiquei em quietinho aqui meu filho, tá tudo bem.


- Seu imundo! Eu não te dei permissão para falar. - o alfa gritou irritado.



Seu imundo!



Essa frase ficou rodando por vários segundos a minha mente… eu me recordava dela, infelizmente.



Eu não quero nunca mais te ver na minha frente e espero que colabore e não me dirija mais a palavra, seu imundo, aproveitador…



Aquelas lembranças daquele dia tão doloroso invadiram minha mente trazendo de volta toda aquela dor. Levantei com Taeoh em meu colo e sai correndo o mais rápido que conseguia sem me importar se o assaltante estava armado ou não, se ele iria vir atrás de mim ou não, eu só queria sair dali.



- Omma? - ouvi Taeoh me chamar, em sua voz havia um pouco de medo, e em sua expressão também.


- Oi meu amor? Você está bem? - perguntei enquanto caminhava devagar por rua bem movimentada. Não sei de onde tirei fôlego suficiente para chegar ali, mas eu consegui, pelo meu filhote.


- Não. - respondeu com voz de choro e um pânico surgiu dentro de mim, teria acontecido algo com ele? - Aqui dói, eu não consegue respirar. - ele falou e colocou a mão no peito.


- Tenta respirar fundo meu amor. - pedi e me sentei na beirada da calçada.


- Dói mais. - ele informou e começou a chorar. O que eu iria fazer? A respiração do menor começou a ficar pesada e ele começou tossir até vomitar, no começo era apenas um líquido claro r pastoso com alguns caroços de pão, mas depois ele passou a vomitar sangue. Me desesperei, o que estava acontecendo com meu pequeno? - Omma… - choramingou quando parou de vomitar e me abraçou.


- Calma filho, vai ficar tudo bem, a gente vai para o hospital e eles vão te dar um soro pra você melhorar. - falei tentando acalmar o menor que continuava com a respiração pesada e aparentava estar com um começo de febre.


- Moço está tudo bem? - um homem perguntou de dentro de seu carro luxuoso quando parou na minha frente. - Se quiser posso te ajudar, te levar para algum hospital.


- N-não sei se posso confiar em você. - falei baixo e ele riu.


- Prefere que teu filhote morra? - não o respondi e ele desceu do carro e abriu a porta de trás. - Entra, irei levá-los até um hospital.



Fui o caminho todo em silêncio observando o estado do meu filho que só piorava a cada minuto.



- Como ele está? - o estranho perguntou me olhando pelo retrovisor.


- Mal, acho que está com febre. - respondi baixo.


- O que aconteceu com ele para estar desse jeito?


- Não sei. - comecei a chorar, eu era um appa horrível para meu filhote, nem protegê-lo eu era capaz. - N-nós fomos assaltados e-e ele co-começou a pa-passar mal.


- Ei, se acalma, vou levá-los para o hospital mais próximo.


- Não poderia me levar para uma policlínica? Eu não tenho dinheiro para pagar por um hospital.


- Uma policlínica? Quer que ele morra? - perguntou abismado. - Vamos para um hospital, eu irei pagar.


- Obrigado.



Ao chegarmos ao hospital entramos correndo e logo fomos atendidos, Taeoh logo foi levado pelas enfermeiras para ser examinado enquanto eu e o estranho ficamos na sala de espera o aguardando.



- Quer comer alguma coisa ou beber algo? - ele perguntou e eu neguei. - Deveria ligar para o appa alfa dele avisando sobre o ocorrido, use meu celular. - ele estendeu o aparelho em minha direção e eu demorei alguns segundos para pegá-lo e sorrir fraco. Disquei o número de Sehun e no quarto toque ele atendeu.


- Alô?


- Sehun? - falei seu nome tentando controlar o choro que insistia em cair.


- Kyungsoo? Aconteceu alguma coisa? Onde você está? ele perguntou preocupado e um pouco afogado.


- No hospital.


- O QUÊ? Como assim você está no hospital?


- O Tae não está bem, venha até aqui por favor, é no hospital particular mais próximo a minha casa.


- Chego aí em 15 minutos. - falou e encerrou a ligação.


- Vai ficar tudo bem. - o estranho falou e colocou a mão no meu ombro. - Seu filhote é forte, não duvide dele. - sorriu e me abraçou. Eu não sou muito de ficar me aproximando muito de estranhos, principalmente alfas, mas esse alfa parece ser diferente, parece me transmitir paz.


- Obrigado, de novo, não sei como irei te retribuir tudo o que está fazendo por mim e pelo meu filhote.


- Apenas pare de chorar e sorria, já é o suficiente.


 - Do Kyungsoo? - me chamaram e me virei vendo o doutor parado na porta da sala com uma prancheta em mãos. Corri até ele e disse que era eu, perguntei como meu filhote estava, mas ele fez um grande suspense e ficou analisando as coisas escritas no papel. 








Notas Finais


*-*
Não gosto muito de acabar capítulos dessa forma, porém foi mais forte que eu, não resisti >< Sorry♡
Quem será o estranho misterioso?
Esse Chanyeol... ele teria realmente boas intenções por trás dessas atitudes? Suspeito.
Tadinho do Tae</3 Deu vontade de cuidar dele :(
SeXing??? Será que vamos ter novidades depois do cio desses dois?

Obrigada por tudo amores♡♡♡ principalmente por estarem acompanhando a fic e tendo paciência com os meus vacilos/atrasos :)
Bjoos e abraços da Tia ♡♡♡♡♡
Até o próximo O/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...