História My Other Self - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Amor Doce, Armin, Castiel, Família, Lysandre, Romance
Exibições 13
Palavras 1.962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá! Bem vindos ao primeiro capítulo!! Boa leitura

Capítulo 2 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction My Other Self - Capítulo 2 - Capítulo 1


����  Quase um ano depois  ����

Shermansky entrou pela porta segurando o seu precioso cachorrinho totó que estava com uma cara de "socorro me tirem de perto dessa velho louca" era quase a mesma cara que eu fazia, cruzei minhas pernas ajeitando minha saia e batendo o pirulito nos dentes de forma impaciente, ela se sento na minha frente e me pediu para tirar o doce da boca, eu a olhei de cima a baixo e fingi não ter ouvido

- O que você quer?

- Quero que você diga para os alunos que sou uma ótima diretora para que eles repitam e eu não seja demitida

- E o que te faz pensar que eles vão me ouvir?

- Todos sabemos que você tem certo grau de influencia nessa escola, o que você acha é o que está certo - Ela me deixou com muito raiva ao dizer isso, com certeza poderiam ver chamas em meus olhos, eu não costumo expressar minhas emoções, normalmente meu rosto é bem indecifrável, mais eu queria que ela sentisse minha raiva, mordi o doce na minha boca e ouvi um estalo alto, tinha quebrado, eu joguei o cabinho em uma lata de lixo próxima afim de começar a falar

- E você tentou pensar no que eu realmente acho? Bem,  eu tenho certeza que não, mais mesmo assim vou te dizer, eu acho que você é doente, já deveria estar aposentada e não aqui atrapalhando a vida dos alunos e mandando todos correrem atrás do seu "pobre Totó" na verdade na próxima vez você deveria deixar ele ir porque eu tenho certeza de que ele também não gosta de você. Agora que você já sabe não me incomode mais com isso. Passar bem

Me levantei da cadeira me dirigindo até a porta da sala dela enquanto encarava uma estatua de um pato, sai daquele ambiente assustador e bati a porta atrás de mim andando até meu armário no final do corredor, joguei minha mochila la dentro com raiva, peguei um chiclete para mascar já que eu tinha engolido o caramelo do pirulito enquanto falava, peguei meu dinheiro do lanche e retoquei meu gloss com brilho, fechei a porta do armário com força me certificando de te-lo trancado e sai em direção ao refeitório

Já estava na fila do lanche com minhas "amigas" atrás de mim, não me lembro em que momento elas apareceram, só sei que a alguns minutos atrás estávamos as três desfilando no corredor como garotas perfeitas, na minha frente na fila tinha um garoto, se me lembro bem ele é do time de basquete, resolvi puxar assunto, coloquei minha mão levemente sobre seu ombro fazendo com que ele se virasse para mim

- Oi... é Kentin né??

- Sim, e você deve ser Louise

- Acertou - Eu dei um sorriso e nós começamos a nos servir

- Não tinha como errar, todos nessa escola só falam de você, diz, o que tem em você?

- Gloss labial, é meu segredo, mais shhh não conta pra ninguém - Eu disse ironicamente e nós rimos

- Não sei porque mais algo em você me lembra de um antigo amigo, o nome dele era Steven

- Hum... Loiro, alto, chato, olhos castanhos

- Isso, você conhece ele?

- Ele é meu irmão - Eu dei uma risada me lembrando de como Stev era bobo e voltei minha atenção para Kentin

- Isso sim é genética boa, você é quase uma versão feminina dele, só que é baixinha

- EI! Não sou baixinha vocês que são grandes de mais!

- Você é bem mais legal do que eu imaginava

- Todos dizem isso

Nós fomos para uma mesa perto da janela, onde os "populares" se sentavam, eu não costumava ficar ali mais queria falar mais um pouco com Kentin

- Deve ser pelo fato de você ser influente na escola, todos ficam com receio de socializar - Assim que ele disse isso eu emburrei e resolvi que não queria mais ficar perto dele comi meu lanche rapidamente peguei a garrafinha de suco com o canudinho e me levantei vendo que os integrantes do time de futebol estavam vindo na nossa direção - Eu tenho que ir, até mais Kentin

Eu comecei a me afastar e ele não disse nada, respirei fundo ao virar no corredor, as meninas ainda estavam atrás de mim, era sempre assim, ambas eram muito escandalosas e adoravam falar, no entanto eu gostava de estar sozinha, mais elas não largavam do meu pé, então combinamos de elas não me incomodarem e eu não mandar elas irem lavar a casa da cachorra. andamos mais um corredor apenas sorrindo e cumprimentando alguns conhecidos até que no final do corredor eu as avistei. Ambre, Charlotte e Li. Dei um riso debochado

- Então vendo aquilo meninas? elas querem ser agente - Disse Rosalya se sentindo superior, revirei os olhos pensando no porque de ela ter gastado o seu tempo falando aquilo, andei até Ambre e parei em frente a ela

- Olá, priminha - Eu disse em um tom super carinhoso com um sorriso sarcástico

- Oi... Louise

- Como vão você e suas amiguinhas?

- Bem - Nós duas nos afastamos daquelas 4 e começamos a caminhar, Ambre pode ser irritante e infantil e embora não pareça nós nos damos muito bem - Você viu o aluno novo que entrou na minha sala? Meu deus aquele garoto é uma perdição, o nome dele é Castiel

- Não cheguei a ve-lo pessoalmente mais acho que Iris comentou algo sobre ele - Castiel... esse nome me traz lembranças

- Mantenha essa sua amiguinha controlada

- Fique tranquila ela não é nada mais que uma noite, perde a graça sabe... Ela é muito enjoada

- Ela e a Li são quase a mesma coisa, só que a Li não é  muito bonita né... Mais ela tem dinheiro para plasticas então isso é o de menos

Nós voltamos para onde as outras garotas estavam e elas conversavam animadamente como velhas amigas

- Meninas vamos - Eu falei e Iris e Rosalya se juntara a mim - Até mais

Nós três saímos andando em direção ás escadas e ambas iam falando

- Eu não suporto a Li ela é muito ridícula

- A Charllotte então nem se fala

- Meu deus vocês são muito falsas - Eu disse me apoiando ao lado da porta vendo um garoto de cabelos vermelhos passar pelo corredor, ele estava distraído e não tinha me visto ali escorada então passou extremamente perto de mim me olhando bem nos olhos, me controlei para manter o que eu estava sentindo para mim e continuei om minha expressão neutra. Merda é ele

- O nome dele é Castiel - Disse Rosalya, então ele é o garoto que a Ambre gosta? É ela sempre teve bom gosto, mais é bom que ela tire o cavalinho da chuva, ele não serve pra namorar

- Foi impressão minha ou vocês trocaram uns olhares? - Perguntou Iris maliciosa e eu revirei os olhos para ela

- Mesmo se tivéssemos "trocado olhares" não seria da sua conta

Eu me cansei delas e as despachei ali mesmo, as duas entraram na sala e eu resolvi sair de perto antes que a professora Delaney chegasse e me obrigasse a entrar na sala. Desci as escadas e mal consegui tocar o chão já fui puxada para um canto, senti um cheiro de perfume masculino me embargando e dei um largo sorriso sarcástico, olhei em volta percebendo que estava em um porão e logo avistei a figura de cabelos vermelhos parada em minha frente

����

- Você foi rápido dessa vez Mon amour

- Frances? Você não se cansa de estudar? - Ele disse com aquela carinha enjoada e linda dele, dei um suspiro de reprovação

- E você não se cansa de me perseguir?

- Não responda minhas perguntas com outras perguntas

- Não fale como se você mandasse em mim

- Não negue que eu mando em você

- Não se ache, faz muito tempo desde que eu deixei de idolatrar você, você nunca me mereceu mesmo

- Eu ainda mexo com você

- Igualmente.

Ele não disse mais nada apenas ficou me encarando com aquele olhar mortal que eu aprendi a não temer, ele realmente não tinha mudado nada por dentro, apenas a aparência, agora em vez de parecer um lorde inglês ele parecia um rebelde sem causa, não posso negar que ele conseguiu ficar ainda mais bonito, mais ele não é o único que foi favorecido pelo tempo

Eu lhe dei um sorriso de canto e um olhar desafiador, vi ele respirando fundo e automaticamente repeti seu ato, não consegui absorver direito o que aconteceu depois disso mais me lembro de te-lo visto me avaliando com os olhos e depois disso eu já estava colada na parede beijando-o loucamente

Separamos nossos lábios e eu mordi os meus apreciando o seu gosto mentolado, eu estava com saudades disso

- Não me provoque - Percebi ele olhando para o meu lábio entre os dentes e dei um sorriso de raposa

- Não me puxe para os cantos - Eu sai de lá lentamente deixando ele apreciar a visão debaixo da minha saia em quanto eu subia as escadas, parei na porta antes de fecha-la e olhei para ele - Foi bom te rever darling

Fui até o jardim e encontrei Lysandre por lá, ele tinha pegado no sono novamente, dei um sorriso pequeno e me sentei ao seu lado admirando-o

Lysandre apesar de ter uma aparência excêntrica era muito belo, não só sua aparência mais tudo nele era capaz de inebriar-me, mas eu sempre preferi fingir que não percebia, ultimamente eu tenho começado a liberar meus sentimentos para que ele veja, eu nunca consigo dizer exatamente o que se passa com ele mais sei que nunca é fácil

Lysandre tem um organismo muito fraco,  dona Josiane, sua mãe, já não tinha mais idade para ter um filho o que gerou complicações para ambos, mais eu tenho certeza que no tempo de vida que ela teve junto dele ela aproveitou muito, eu tive a oportunidade de conhece-la, ela era uma senhora muito amável, sei que ele ainda sente falta dela

Acontece que com a perda de um integrante na família Lysandre piorou, e ele tem ficado cada vez mais esquecido, perecendo sempre absorto em seus pensamentos, isso me preocupa, como uma amiga próxima da família costumo tomar conta dele, não só pelo pedido da família mais também por gostar de estar com ele

Lysandre apesar de todas as suas dificuldades é uma pessoa maravilhosa, super calma e divertida, meus momentos com ele sempre foram muito agradáveis e sempre me deixaram querendo saber mais sobre ele.

Sempre que estamos juntos ele parece estar inspirado, eu posso afirmar que ele é um artista, eu acredito que foi um meio de descarregar tudo o que ele sentia, agora o vejo fazendo de tudo, pintando, escrevendo, cantando, dançando, desenhando, e de uns tempos para cá ele pareceu ter ficado mais ocupado, como se estivesse trabalhando em algo grande, mais ele não quis me contar o que

Eu toquei levemente eu seu rosto acariciando sua bochecha e ele deitou a cabeça em meu colo, eu sei que ele estava dormindo mais fiquei feliz por ele confiar a mim o seu sono, fiz carinho em seus cabelos sorrindo levemente para sua expressão relaxada, parece que dessa vez não há nenhum pesadelo para atormenta-lo, vi ele abrindo os olhos devagar e sorri para ele

- Eu peguei no sono de novo?

- É... Você não tem dormido em casa né

- Não tenho tempo, preciso dar o meu melhor

Eu dei um longo suspiro e sorri para ele, eu o admirava muito...
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...