História My Perdition - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Personagens Originais
Tags Bts, Imagine, Jimin
Exibições 151
Palavras 1.414
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Deception


Fanfic / Fanfiction My Perdition - Capítulo 8 - Deception

  As horas foram passando e eu me mantive no sofá comendo qualquer porcaria com a TV ligada em algum filme mas sem foco no mesmo, meu cérebro só conseguia pensar em uma pessoa e se você pensou Jimin acertou, minha mente continuava a voltar no acontecimento de mais cedo, era muita coisa pra se pensar, por que ele simplesmente não me deixava em paz? Ele poderia ter quem ele quisesse mas voltou a me atormentar, confesso que meu corpo se arrepia todo em sua presença e que nem todo tempo do mundo consegue apagar o que eu sinto por ele, isso é uma coisas que eu já havia aceitado porém nunca diria a ninguém nem mesmo a Shin.
  A magoa que eu guardo no peito é mais profunda do que aparenta, eu nem ao menos consigo um relacionamento "amoroso" por mais de uma noite, o maximo que eu consegui me prender a alguem foi 3 semanas, 3 semanas antes de eu enjoar completamente ou a pessoa querer algo mais sério.
  Uma coisa eu tenho certeza, eu nunca mais direi eu te amo, seja lá quem for.
  Olhei para o celukar e suspirei, 18:36. Uma nova mensagem de um numero desconhecido mas deduzi que era de Jimin pois havia um endereço juntamente com um aviso "Não se atrase". Me levantei e liguei para Shin.
  - Alô? - perguntei receosa.
  - Alô _____. Aconteceu alguma coisa.
  - Não, bem, sim.
  - O quê? - ele parecia preocupado.
  - Ele... Ele veio aqui em casa depois a que você se foi - eu suspirei - e praticamente me intimou a ir na sua festa.
  - E você vai? - ele parecia preocupado.
  - É por isso que eu estou ligando, você vai comigo?
  - Claro que eu vou, que hora teremos de estar lá?
  - É ai que complica, tenho de estar lá as 20 hrs por aí.
  - Tudo bem então te buscarei na ai as 20 hrs. - eu ri
  - Okay vou tomar banho e me trocar, beijos.
  - Até mais, beijos.
  Encerrei a ligação e subi para meu quarto, separei minha roupas e fui para o banheiro, tomei um longo banho e voltei para o quarto em meu roupão.
  Vesti uma calcinha preta, seguida de um cropped preto com uma saia longa preta porém com duas fendas que subiam ate a coxa, revelando praticamente toda minha coxa, um scarpin vermelho, na maquiagem olhos bem marcados e esfumaçados em preto, na boca um batom vermelho intenso.
  Me olhei no espelho e fiquei contente com o resultado, olhei a hora e me assustei faltavam apenas cinco minutos para Shin aparecer e ele sempre fora pontual, peguei apenas meu celular e desci, sai de casa e logo Shin apareceu, entrei no carro, ele estava lindo, na verdade ele sempre fora lindo, seus cabelos curtos preto e escorrido estavam levemente bagunçado dando um ar sexy, o rosto sério dele o deixava com um ar misterioso, pareciamos um casal, a roupa dele estava toda em preta igual a mim, uma calça jeans preta com rasgos, uma blusa com uma jaqueta também preta e por ainda mais coincidência um tênis vermelho.
  Antes de Shin dar partida pude ver um carro parando em frente a minha casa mas não dei importância, passei o endereço pra ele e logo chegamos a festa.
  O som estava alto e o local cheio mas não muito, era uma festa privada, um homem na porta perguntou meu nome e depois liberou minha passagem juntamente com meu acompanhante.
  Parecia que eu havia adentrado uma festa adolescente, muita bebida, som alto, pessoas dançando, se drogando e muita pegação.
  Shin pegou em minha mão e nos levou até onde estava as bebidas, pegou duas e me deu uma, começou a me puxar pra "pista".
  Ele sorria algo raro, dançavamos enquanto bebiamos ou melhor dizendo derrubavamos nas outras pessoas.
  A música acabou e nós saímos de lá, eu estava acostumada a ficar de pé dançando em cima de um salto, mas mesmo assim Shin insistiu para eu sentar um pouco e foi buscar mais bebida.
  Fiquei esperando quando alguem se sentou ao meu lado e passou a mão pelos meus ombos , sorri - Já voltou Shin? - me virei e era Jimin
  Tirei os braços dele de mim - Não me diga que você trouxe aquele folgado junto?! - ele exclamou irritado.
  - Você me disse pra vim mas não sozinha!
  - Droga, você não entende que é minha.
  Me levantei e vi Shin se aproximando ele estava com o celular na mao - _____ - chamou e eu me aproximei - Me desculpe mas algo sobre as roupas pra amanhã deu errado e eu vou ter de ir.
  Me deu um beijo na bochecha e sumiu entre as pessoas, e eu fiquei olhando com um sorriso bobo, o que seria de minha editora sem ele, corrigindo, o que seria de mim sem ele.
   Senti alguem segurar meu braço e me virei era Nam - Não sabia que viria - disse ele.
  - Decidi de ultima hora - respondi indiferente.
  - Por que você age assim? - a gente praticamente gritava por causa do barulho vulgo música.
  - Assim como?
  - Como se fossemos dois estranhos.
  - Nós somos dois estranhos que procuravam prazer e depois de ambos conseguirmos nos separamos.
  Eu acho que ele ficou chateado pois me largou e sumiu dentre a escuridão e por mais que ele parecesse triste du não senti nada com isso, nem ao menos um pingo de culpa.
  Logo outra mão me agarrou e saiu a me puxar, quando me dei conta estava dentro de um banheiro com Jimin me encarando, ele cheirava a álcool, estava claramente bêbado - Você não deveria nem ao menos conversar com outra pessoa - resmungava - você é minha, por que você não entende isso?! Por que você não admite que me ama?
  - Você bebeu não é, você só pode ter bebido...
  - Eu bebi por que me doi saber que qualquer um pode lhe ter nem se for ao menos uma vez e eu perdi esse direito, me dói saber que eu te causei tanto mal e que você conseguiu seguir sua vida, eu desejei, ah como eu desejei te ver de novo, contratei um detetive pra te encontrar porém eu não tive coragem de te ver de novo, ele não me disse do nosso filho por que eu escolhi saber dele quando te encontrasse, decidi que o veria e imploraria pelo o perdão de vocês mas.. Mas eu te encontrei diferente droga, você não sabe o quão em choque eu fiquei quando te vi de novo e o quão decepcionado ao te ver com Nam, eu odeio saber que talvez você nunca mais me diga um eu te amo e você não sabe o quanto eu quis retribuir naquela noite mas tive medo de ser tudo uma mentira, depois você disse que não tinha filho algum, meu mundo caiu mas eu não acredito, eu sei que você o está escondendo de mim, tudo culpa d...
  - Chega me deixa ir - ele estava escorado na porta, eu não aguentava ouvir mais aquilo, aquelas acusações de você deveria ter me esperado e se tornando a trouxa perfeita, mas não isso não aconteceria comigo.
- Por favor ... - ele pedia com aqueles olhos suplicantes.
  - Me deixa em paz - gritei - você queria que eu abortasse não queria, então por que esta querendo saber de uma criança que não existe, não mais, naquele dia, depois daquela humilhação que você me fez passar, você nem ao menos acreditou que era o pai mesmo sabendo que eu era virgem. Naquele dia eu disse que eu não queria saber mais de nada e nem ninguém naquele maldito apartamento.
  Ele relutante saiu da porta e eu passei, ele saiu logo em seguida, fui atrás de uma bebida forte antes de ir embora.
  Comecei a beber, meu emocional começou a ficar fraco, eu ria e chorava, maldita hora que eu olhei papara o lado, Jimin estava agarrado a um amenina de cabelos verdes, os cabelos verdes mais horrorosos que eu vi na vida.
  Com lagrimas nos olhos fiquei ali parada, estática olhando para eles, então a boca de ambos se separaram e logo os olhos se abriram, ele olhou em minha direção e eu não mais chorava apenas ria enquanto ele se separava da esverdeada e vinha em minha direção com os olhos como se pedissem desculpas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...