História My Perfect Maid - Namjin - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hoseok, Jikook, Jimin, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Lemon, Namjin, Smut, Taehyung, Taemin, Yaoi, Yoongi, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 629
Palavras 6.772
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu achei esse começo bem chato, clichê e meloso, mas eu só queria dar um fim logo nessa treta Jikook.

Boa leitura :3

(finge q esse cara da foto é o Shin, pq eu achei ele muito lindo.)

Capítulo 27 - XXVI - Bad day.


Fanfic / Fanfiction My Perfect Maid - Namjin - Capítulo 27 - XXVI - Bad day.

– Como foi mesmo que você me disse naquele dia? Hmm, deixa eu me lembrar... Ah, foi "Foda-se, eu não ligo para aquela aberração de saia. Ainda não acredito que as pessoas se acostumaram tão fácil com um projeto de Barbie. É tão repugnante." - Taehyung disse.

Naquele momento, todos que estavam ao redor foram para suas respectivas salas, se preparar para poder fazer a tal prova. Parece que o show havia pedido a graça para eles.

– I-Isso é m-mentira! - Jimin disse.

– É a mais pura verdade. Diga a ele JungKook.

– J-Jimin me escute, isso que eu fiz foi antes de te conhecer de verdade-

– Jeon, não diga mais nada. - Jimin o interrompeu.

– Por favor me deixe explicar! Se eu soubesse que você era esse garoto maravilhoso, eu nunca teria feito essa aposta ridícula!

– Ah, faria sim. - Tae discordou. - Todos sabemos que a única coisa que importa pra você é o dinheiro, e nada mais. Esse Jimin é um nada em relação a uma nota de cem.

– Taehyung, você já passou dos limites! - Namjoon exclamou.

– Não tente defende-lo Namjoon, por que sua ficha é mais suja que a dele! Se eu fosse você Jin, ficava bem esperto pro lado dele, as coisas não são como parecem. Nem tudo é amor, seus bobos, afinal, JungKook é a prova viva.

– Eu não admito que você se refira a mim, ao Jeon e muito menos ao Jimin dessa forma!

– Relaxa Namie, eu não irei contar para o Jin que você é um mentiroso, traiçoeiro, agressivo e sangue frio. Ele não vai ficar sabendo que você é problemático, descontrolado e cínico, não é mesmo?

– Você já testou minha paciência ao limite! Eu vou te ensinar que o melhor a se fazer é ficar em silêncio. - Cerrou os punhos, avançando contra Tae.

– N-Não Namjoon, não f-faça isso! - Jin exclamou, agarrando a cintura do maior, tentando impedir que o mesmo partisse para a agressão. - Não m-machuque o seu i-irmão!

– Não Jin, isso não é o meu irmão. Não é o Taehyung de verdade. - Tentou remover os braços do garoto de si, sem o machucar.

– Exatamente! Se você bater nele, quem vai sentir a dor é o Tae de verdade!

– Você tem razão, mas por favor se afaste. Eu não estou muito consciente. - Namjoon pediu, tentando controlar sua raiva. Jin só havia presenciado o lado raivoso de Namjoon apenas algumas vezes, mas foi o suficiente para que o pobre garoto ficasse tremendo de medo.

Percebendo que o outro estava tendo problemas para se controlar, tentou fazer algo para o ajudar. Removeu os braços de sua cintura e caminhou, até ficar a sua frente, o encarando. Segurou o rosto do maior entre seus dedos, olhando fixamente em seus olhos que no momento transmia puro ódio.

– J-Joonnie...- O chamou, com sua voz doce. - P-Por favor se a-acalme. J-Jin está ficando a-assustado.

E como num passe de mágica, Namjoon caiu na real, como se houvesse acordado de um transe.

– Por que parou maninho? Eu estava esperando você vir aqui e me bater. Adoraria sentir essas suas mãos fortes e deliciosas contra a minha pele. - Tae provocou.

– Não deixe ele te manipular Namjoon, não escute o que ele fala.

– Você tem razão Princess... Não sei onde eu estava com a cabeça. - Suspirou, sentindo sua raiva amenizar com o modo doce que o garoto olhava em seus olhos e segurava seu rosto. - Você sempre tem razão.

– Já terminou com a sua brincadeirinha? - Jimin perguntou.

– Já sim. Se eu sair agora, consigo pegar o professor sozinho na sala. Pode ficar aí com o seu namoradinho, que trocou sua virgindade e dignidade por dinheiro. - Deboxou, se retirando do local.

– Minnie...- Jeon o chamou suplicante, com os olhos marejados. - Eu sei que eu fiz errado em aceitar aquela maldita aposta, mas isso foi antes de eu me apaixonar por você!

– Eu não quero ouvir suas desculpas.

– É sério Jimin! Antes eu não me importava com porra nenhuma, mas você fez com que eu desse importância as coisas, principalmente a você! Diga o que você quer que eu faça pra provar meu amor por você, eu faço qualquer coisa e-

– Por Deus JungKook, cale a boca e volte a me beijar! - Exclamou, puxando Jeon para mais perto de si.

– C-Como? V-Você não e-está chateado c-comigo?

– Claro que não! Eu sei que tudo começou com uma aposta idiota, mas você está aqui agora, se humilhou na frente de todos mesmo depois de ter ganhado. Existe prova de amor maior que essa?

– Oh, eu não acredito! - Sorriu aberto, pegando Jimin no colo e o girando no ar.- Eu te amo tanto! - O colocou no chão, beijando todo o seu rosto diversas vezes. - Te amo muito...muito...muito mesmo! - Disse pausadamente entre cada beijo.

– Eu sempre te amei Kookie, e não é agora que eu deixaria de amar.

– Ah, tão clichê. Me dá vontade de vomitar.

Jin e Namjoon ficaram observando aquela cena, até que o momento veio atona.

– Ah, Meu Deus, eu me esqueci da prova! - Jin exclamou.

– É verdade! - Jimin concordou assustado.

– Vamos babe. - Jeon pegou em sua mão, correndo ao lado do menor.

– E-Eu não p-posso me atrasar! Tchauzinho. - Jin acenou rapidamente.

– Hey Jinnie! - Exclamou, puxando seu braço.

– O que?

Namjoon se aproximou do garoto, o segurando pela cintura, levando uma de suas mãos ao seu rosto, o acariciando lentamente com o polegar. Fitou os lábios carnudos e rosados do menor, como um predador observa sua presa antes de atacar, e era dessa forma que Jin via as coisas. Sempre se sentia intimidado e indefeso perante o olhar dominador de Namjoon, não sabia explicar o súbito calor que lhe atingia em uma certa região, toda vez que Namjoon olhava daquela forma.

Namjoon aproximou seus rostos, ansioso para sentir novamente o gosto dos lábios de seu garoto.

– A p-prova já v-vai começar...- Jin sussurrou, já não tinha tanta disposição para manter sua voz. Sentia a respiração do maior se chocar contra a sua boca, e fechou os olhos já sabendo o que viria a seguir. Mas tinha que resistir. Achava errado ceder tão fácil aos toques de Namjoon, pois até algumas semanas atrás estava declarando ódio a toda família Kim.

– Que tal um beijo de boa sorte? - Se aproximou mais, fazendo com se seus narizes se tocassem.

– N-Não q-quero... - Se negou.

– Você nunca foi bom em mentir, Princess. - Selou seus lábios, acabando com a distância, que agora não existia mais.

Era apenas um toque de lábios simples, mas complexo o suficiente para fazerem as pernas de Jin ficarem bambas. Sustentou aquele beijo por mais alguns segundos, esperando o momento em que Namjoon iria aprofunda-lo, mas esse momento não veio. Estava frustrado, pois o lado Yoongi de sua cabeça dizia: "Não seja hipócrita, você o odeia esqueceu?", mas seu lado Jimin dizia: "Pega ele de jeito safada, toma atitude!". Decidiu que dessa vez, só dessa vez, escutaria seu lado Jimin.

Sua língua pediu passagem para adentrar a boca de Namjoon.

E ele negou, se afastando.

– Acalme-se querido, eu não tinha a intenção de deixar as coisas intensas agora.

– M-Mas v-você n-não ia m-me...- Jin questionou indignado.

– Você está muito safado Princess, quem está lhe ensinando essas coisas?

– Seu babaca! - Exclamou, sentindo seu rosto esquentar de vergonha.

– Eu não sabia que você queria tanto assim um beijo meu. - Sorriu debochado.

Jin revirou os olhos, bufando ainda envergonhado, dando as costas para Namjoon e seguindo rumo a sua sala. Nunca tomava atitude nenhuma, e finalmente quando teve a iniciativa: fora rejeitado, na cara dura.

– Boa sorte querido. - Namjoon disse, passando pelo garoto que estava em pé na porta de sua sala.

– Pra você também. - Respondeu a contra gosto, por educação.

– Eu não preciso de sorte. - Sorriu. - Eu tenho você.

– Não, você não me tem, então acho melhor você ficar com a sua sorte mesmo. - Entrou para a sala, deixando Namjoon para trás.

O maior sorriu internamente.

– Pobre Jin...- Sussurrou para si mesmo. - Mal sabe o quão entregue está.

ווווו×

– Aish, eu não vejo a hora de ver os resultados! - Jimin dizia alegre, enquanto ajudava Jin a guardar a louça.

– Eu com certeza devo ter passado. - Yoongi respondeu escorado na bancada, observando os dois garotos trabalharem.

– E você estava cursando o que mesmo? - Jin perguntou.

– Isso não vem ao caso. Que horas saem os resultados?

– Às 17:00, no seu e-mail.

– Droga ainda faltam mais duas horas! - Jimin lamentou.

– Você é muito apressado. - Yoongi resmungou. - Aish Jin, seu uniforme tinha que ser assim tão pequeno? - Questionou, observando o garoto erguer os braços tentando alcançar a prateleira de cima, fazendo seu vestido levantar drasticamente, revelando uma parte de sua bunda coberta pela peça intima.

 Eu gosto desse jeito. - Namjoon disse, surpreendendo a todos no local.

– P-Parem de o-olhar! - Jin exclamou envergonhado, tentando se cobrir com as mãos. - V-Você é um pevertido.

– Relaxa, eu não vou ficar aqui por muito tempo. Só vim entregar o pagamento de vocês.

– Opa, é assim que eu gosto. - Yoongi sorriu.

– O seu. - Entregou um envelope elegante nas mãos de Jimin, fazendo com que o garoto agradece-se com uma reverência. - E o seu. - Entregou o de Yoongi, recebendo um "Valeu" em resposta.

– Cadê o meu? - Jin perguntou.

– O seu o que? - Se fez de desentendido.

– Meu pagamento.

– Seu pagamento é a minha satisfação. - Sorriu cínico.

– Olha Namjoon, eu não fiquei o mês inteiro te aturando de graça ok? Não vem com gracinha pro meu lado.

– Eu estou brincando Princess, você é muito estressado. Troque de roupa e vá até o meu escritório, eu te entrego o seu dinheiro e nós vamos sair. Não pense que eu me esqueci do seu compromisso de hoje. Yoongi, prepare sua escolta para daqui vinte minutos.

– Ok.

– Eu não quero ir. Eu já disse que não preciso! -Jin reclamou.

– Que pena. Então parece que alguém aqui não vai receber. - Gargalhou, se retirando do local.

– Ah, ele é tão irritante!

– Pra onde vocês vão? - Yoongi questionou.

– Ele quer me levar a uma droga de psicológo, mas eu não quero!

– Como assim Jin? Você não tem que querer nada! É pelo seu próprio bem, vá logo se trocar. - Jimin o repreendeu.

– M-Mas-

– Porra nenhuma Seokjin, vai logo! - Yoongi o obrigou, autoritário.

– Ah, vocês são uns chatos! - Bufou, pisando forte em direção a saída.

– Hey eu...fiquei sabendo que foi o Taehyung quem postou aquele vídeo. - Yoongi puxou assunto, vendo que só restava ele e o pequeno Park no local.

– É, eu não entendo o porquê. Nunca fiz mal nenhum pra ele, eu sou um amorzinho!

– Realmente. - Sorriu. - Ele anda bem frustrado recentemente...

– É porque está tudo mundo o ignorando, e como ele tem um ego enorme, não suporta isso.

– Ele parece que vai surtar a qualquer momento. Quase me agrediu qua do eu neguei uma das suas milhares propostas de sexo.

– Ele que provocou isso para si mesmo.

– Sabe, eu não consigo sentir raiva dele, mesmo depois disso tudo.

– Como?! - Jimin exclamou intrigado.

– Simplesmente não consigo. Assim, eu acredito que tudo na vida tem uma explicação, inclusive as atitudes dele. As vezes eu sinto que ele não faz isso porque quer.

– Mas Yoongi, ele postou um vídeo íntimo meu, me humilhou na frente de todos.

– Eu sei Jimin. Não estou dizendo que o que ele fez é certo, muito menos estou o defendendo. Apenas não consigo odiar ele, e olha que eu odeio muita gente!

– Você é muito estranho.

– Ah Jimin, vai trabalhar vai.

ווווווו

Namjoon se via agora sentado em sua grande mesa, localizada em seu espaçoso e elegante escritório. Navegava pelas páginas de notícias em seu computador, vendo se havia algo novo em relação a sua família, mas era sempre as mesmas coisas.

Kim Woonjoon se aposentará em breve? O patriarca já está a um bom tempo no ramo da medicina e na administração de seus negócios, mas dessa vez, decidiu que já está na hora de passar a bola para seus filhos Ler mais...

Família Kim lidera o ranking como uma das mais influênciaveis do país. Não é novidade para ninguém que a família Kim é a mais poderosa em relação a Ler mais...

Rico, bonito e...compromissado?Nessa tarde, o primogênito Namjoon da família Kim foi flagrado aos beijos com a estilista Jeon Haneul [anexo] uma amiga próxima Ler mais...

Namjoon riu ao ver aquela noticia e gargalhou alto ao abrir a foto anexada, que não passava de uma montagem mal feita dele com uma de suas melhores amigas. Apesar de ser uns dez anos mais velha que o garoto, Haneul se dava muito bem com todos os membros da família, especialmente com Namjoon e JungKook, e por esse motivo, sempre fechava acordos com a empresa Kim.

Mas, o sorriso de Namjoon se desfez drasticamente, assim que seus olhos passaram pela notícia:

Membro da Família Kim tem vídeo íntimo publicado na internet, e causa desgosto entre os sócios e fornecedores da família. Se de uma coisa podemos ter certeza, é de que agora o sobrenome "Kim" está manchado por um bom tempo. O vídeo postado nessa quarta-feira viralizou na internet, onde nele se passava o membro Kim Jeon JungKook em um momento íntimo com um outro garoto, que dizem ser um empregado da casa. Vários sócios da empresa da Família estão quebrando contratos, e fornecedores se recusam a fecharem negócios por conta disso. A família corre grave risco de decadência e Ler mais...

Namjoon estava em choque. Já sabia que aquilo aconteceria, mas não pensava que seria assim tão rápido, da noite para o dia. Havia subestimado a mídia mais uma vez.

Copiou o link da notícia e enviou para JungKook na hora. Não que (a essa altura) ele consiga resolver esse problema, mas precisava estar ciente do que estava acontecendo. Nesse mesmo instante, batidas leves e tímidas foram disferidas contra a porta.

– Entre. - Ordenou, desligando o computador e se levantando. Observou seu garoto adentrar seu escritório, e percebeu o quão deslumbrante ele ficava até usando roupas simples, como um moletom rosa (aparentemente enorme, cobrindo sua mão por completo) e uma calça preta. 

– Eu realmente acho que não deveríamos ir.

– Me desculpe Princess, mas nesse momento a sua opinião não conta.

– Você nunca considera a minha opinião. - Se aproximou do maior, com uma feição irritada. - Eu.não.quero.ir!

– Vem aqui Princess, nós vamos ter uma conversinha. - Segurou a cintura do garoto, o erguendo e colocando-o sentado sob a mesa espaçosa, ficando entre suas pernas. - Me diga o porquê de você não querer ir ao psicólogo.

– T-Tenho m-medo.

– Mas de que?

– E-Ele vai m-me fazer l-lembrar de coisas ruins! - Fungou, apertando o terno elegante de Namjoon escondendo o rosto no pescoço do maior.

– Mas também vai fazer com que você esqueça essas coisas ruins. - Abraçou sua cintura. - Você não vai mais ter pesadelos, nem falar em terceira pessoa. Uma pena, porque eu acho tão fofinho quando você fala assim.

– N-Não gosto d-da ideia de ir para um l-lugar que n-não conheço e c-contar meu s-segredos p-para um e-estranho!

– Aí vem a parte que eu não gosto. - Suspirou. - O seu psicólogo será o Shin, se lembra dele?

– O-Oh, o Shin! - Sorriu abertamente, encarando Namjoon. - G-Gosto dele!

– Não fique tão feliz não, eu não gosto dele, e você tem que gostar é de mim. Só concordei com isso porque seria bom você conversar com um rosto familiar, e as sessões serão realizadas no hospital da minha família, então eu vou poder ficar de olho em vocês. Além de que, sua mãe também está internada em meu hospital, então você poderá ver ela.

– Minha omma! Quero muito ver ela! Ela está bem?

– B-Bem? - Respondeu, soando mais como uma pergunta. - C-Claro! - Mentiu.

Não queria ter que dizer ao garoto que sua mãe chegou em um estado deplorável, e tinha medo de que a mesma não aguentasse por muito tempo.

– Então vamos logo!

– Calma, você está muito apressado. Espero que essa felicidade toda não seja pra ver aquele Shin.

– N-Não é!

– Bom mesmo. - Fingiu estar bravo.

– Você é tão ciúmento. - Sussurrou, encostando a cabeça no peito do maior, brincando com tecido fino de sua gravata.

– Você é tão adorável, meu gatinho. - Beijou sua bochecha.

– Ah não, mas um apelido não...- Revirou os olhos, fazendo Namjoon rir. Jin adorava sua risada, mas era uma coisa que nunca diria para ninguém.

– Eu tenho uma coisa pra você querido. - Estendeu a mão até a gaveta ao seu lado, retirando de lá um envelope. - Isso é seu.

– N-Namjoon...- Balbucilhou surpreso ao abri-lo e observar as diversas notas que o preenchia. - I-Isso é m-muito!

– Não pense que eu estou lhe dando algo, pois você mereceu cada centavo desse dinheiro. Isso é resultado do seu suór, esforço e trabalho duro.

– M-Meu D-Deus...- Sorriu alegre. Por impulso, segurou o rosto de Namjoon entre seus dedos e juntou seus lábios, num selar tímido e inocente. Quando se deu conta do que havia feito, se afastou rapidamente. - D-Desculpe, f-foi sem q-querer.

– Você deveria fazer isso mais vezes. - Sorriu malicioso, apertando a cintura do garoto.

– V-Vamos l-logo. - Disse envergonhado, descendo da mesa apressado.

ווווווו

– Wooah, é tão grande e bonito! - Jin exclamou maravilhado diante do belo prédio elegante. Namjoon segurou um riso sarcástico, malíciando as palavras inocentes do garoto.

– Vem, vamos entrar. - Apoiou uma de suas mãos nas costas do menor, o direcionando até a entrada.

Tudo dentro daquele lugar tinha um incrível ar de superioridade, assim como Namjoon. Era bem diferente da antiga clínica em que sua mãe estava internada, na verdade, nem se comparava! 

Jin estava tão distraído com tudo a sua volta, que nem sequer fazia questão de ver por onde andava, tendo que ser guiado por Namjoon até a sala de Shin.

– Eu volto para te buscar às 16:00, assim vai dar para visitarmos sua mãe e voltar a tempo de ver os resultados da prova. - Namjoon disse, enquanto ambos estavam parados em frente a sala.

– V-Você não vai f-ficar aqui c-comigo? - Perguntou assustado,  segurando os braços do maior com medo.

– Acalme-se Princess, você vai ficar bem. Eu vou estar aqui perto, não tem porquê se preocupar. 

– O-Ok...- Sussurrou.

Namjoon deu duas batidas fortes na porta, e Jin sentiu que a mesma poderia se quebrar somente com o toque bruto do maior.

– Heey Jin, que bom ver você por aqui! - Estendeu a mão para o garoto, mas antes que o mesmo pudesse retribuir o gesto, Namjoon os interrompeu.

– É o seguinte cara - O Kim disse com autoridade. - Tome conta do meu garoto, e sem gracinhas. Se eu souber que algo aconteceu com ele, ou que você sequer encostou nele, eu acabo com a sua raça, está me entendendo?

– Não p-precisa de tudo i-isso J-Joonie...- Jin apoiou uma de suas mãos nos ombros de Namjoon. - O Shin é uma pessoa boa, não se preocupe.

– Hum...eu estou de olho em você Shin. - Proferiu saindo do local, mas não sem antes tomar os lábios de Jin em um selar demorado, numa tentativa de mostrar que o garoto o pertencia.

– Esse Namjoon...- Shin riu, já acostumado com o comportamento do seu "chefe". - Pode entrar Jin, sinta-se a vontade. - Deu espaço para que o garoto pudesse adentrar a sala.

– O-Obrigado e... Me d-desculpe por i-isso. 

– Não tem problema. Então, é a sua primeira consulta? Digo, não comigo, mas com outro psicólogo? - Disse, sentando-se em uma poltrona próxima a um sofá, no qual indicou que Jin se acomoda-se.

– N-Não, Jin já foi a a-alguns outros a-antes.

– Humm...- Murmurou, anotando algo em um bloco de notas. - Você está nervoso?

– U-Um p-pouco.

– Mas por que?

– N-Não gosto m-muito de ficar s-sozinho com outros h-homens que n-não conheço direito.

– Mas nós nos conhecemos. Então novamente, prazer, meu nome é Shin Hyunjae, e o seu? - Perguntou irônico, estendendo a mão para o garoto.

– Seu bobo. - Riu, de uma forma completamente encantadora aos olhos de Shin.

– Sente-se mais confortável? Porque você já está até rindo.

– Sim. - Sorriu.

– Me desculpe pela intromissão, mas eu não pude deixar de notar algo interessante no seu vocabulário... Você costuma falar em terceira pessoa sempre?

– Não. Só quando estou nervoso, envergonhado, com medo, as vezes quando estou com raiva e quando estou... Uh, isso é embaraçoso...

– Não precisa dizer, se não se sentir bem com isso. Não vou te pressionar a nada.

– Obrigado.

– Você não é uma pessoa que costuma se abrir com os outros, não?

– Realmente não. É muito difícil eu me dar bem com outras pessoas por conta disso, só consigo me abrir com pessoas nas quais eu confie.

– E você confia em mim?

– Acho que sim.

– Ah, que ótimo! E eu só precisei de alguns minutos. Eu sou mesmo muito incrível. - Se gabou em divertimento.

– Acho que eu deveria desconfiar então, você está convencido demais. - Brincou. - Sabe, eu demorei cerca de um ano pra realmente confiar nos meus amigos. É sempre assim, eu demoro muito pra me dar bem com as pessoas.

– Você parece se dar bem com Namjoon. Conhece ele a quanto tempo?

– Um mês.

– E você costuma confiar nele?

– Digamos que...sim?

– Olhe só, e você nem precisou de tanto tempo assim. Ele deve ser muito importante pra você.

– Tecnicamente, eu já o conhecia antes, e o odiava. Ainda odeio.

– Bem difícil de acreditar. Mas, mudando de assunto, pelo que pude entender, você tem um certo receio quando se trata do sexo masculino. Algo em específico?

– P-Prefiro não f-falar sobre isso.

– Tudo bem, eu te entendo. É difícil falar sobre o passado, quando o que mais queremos é esquece-lo, não?

– S-Sim...

– Vou te dar um conselho, não é muito bom ficar guardando coisas ruins para si mesmo. Você tem alguém em que confie muito?

– Meus amigos e minha omma.

– Tente se abrir com eles. Sabe, eu tinha uma pessoa muito especial em que eu confiava muito, e ele sempre me ajudava em relação a isso. Toda vez que eu desabafava com ele, era como se aquele problema nunca nem houvesse existido em mim, pois assim que eu os proferia, se misturavam com o vento e iam embora. Infelizmente, essa pessoa não está mais entre nós.

– Era algum parente seu?

– Sim, meu irmão. Ele faleceu recentemente. Disseram que ele se suicidou, mas eu não acredito nisso.

– S-Sinto m-muito...- Jin parecia chocado. - Vocês e-eram bem p-próximos, não?

– Um pouco. A gente se via de vez em nunca, mas sempre que tínhamos algum tempo livre, passávamos juntos. Olhe, eu tenho uma foto dele. - Pegou seu celular, vasculhando sua galeria.

– Sério? Qual era o nome dele? Me deixe ver a foto. - Pediu curioso.

– Esse da esquerda é ele. - Mostrou a foto, fazendo o garoto a sua frente quase desmaiar. - Ele se chamava Daesung.

ווווווו 

–  Eu não sei como isso foi acontecer Haneul! Eu simplesmente não sei. - Namjoon conversava pelo telefone com sua amiga, enquanto revisava alguns arquivos em seu computador.

Oh meu Deus Namjoon... Quando seu pai descobrir, JungKook estará com sérios problemas. - A moça dizia aflita, do outro lado da linha.

– Você poderia passar lá em casa quando meus pais voltarem, pra ver se consegue amenizar as coisas pro lado dele.

Eu vou fazer o possível para ajudar o meu pequeno. Fiquei sabendo que ele está namorando, é com o garoto do vídeo?

Sim, mas ele ainda não o pediu em namoro. Você não tem nada contra ele gostar de homens, não é?

O que? Claro que não Namjoon! Mas que absurdo, que tipo de pessoa você acha que eu sou? Parece até que não me conhece.

Ah, é verdade, me desculpe. É que você conviveu tanto tempo com meus pais, pensei que eles já tivessem te influenciado.

Meu querido...- Ela riu de uma forma sarcástica. - Jeon Haneul nunca será influenciada por ninguém. Bem, agora eu preciso ir, tenho que começar os esboços de algumas roupas, e depois eu vou ir conhecer o namoradinho do JungKook.

Tudo bem. - Desligou.

Já estava na hora da consulta de Jin acabar, e Namjoon estava se esforçando ao máximo para não invadir aquela sala e arrancar Jin de lá a força, antes da hora. Depois daquela confusão toda com Daesung, não podia baixar a guarda novamente.

Arrumou suas coisas em sua pasta, pronto para sair, quando uma ideia passou pela sua cabeça. Sentiu uma súbita curiosidade em saber os resultados das provas, antes de todos, e como ser rico tem seus benefícios, obviamente ele já tinha acesso as essas informações.

Abriu seu e-mail, vendo o arquivo já ali, esperando para ser aberto.

– Será que eu vejo agora... Ou eu espero pelo Jin, para que possamos ver juntos? - Se questionou. - Nah, eu quero ver agora. - Abriu o arquivo.

Viu a extensa lista a sua frente, não se importando muito com os outros nomes. Procurou pelo seu o encontrando após algum tempo. Como era de se esperar, obviamente havia passado. Bem, agora sim seria um médico de verdade.

Procurou dessa vez pelo nome de Jin. Se sentia mal por estar fazendo isso sem o consentimento do mesmo, mas a curiosidade falava mais alto. Não mais alto que seu amor pelo seu garoto, jamais, mas seu bom senso estava nulo no momento.

Kim Seokjin

[Aprovado]

Era o que dizia o arquivo.

Agora, Jin era um advogado, não era surpresa pra ninguém que o garoto passaria, afinal, era um dos mais esforçados daquela universidade. Mas... Por que Namjoon não conseguia ficar feliz com isso?

Bem, talvez por que agora Jin já havia uma profissão definida. Mais alguns meses trabalhando na mansão, e ele já arrecadaria dinheiro o suficiente para pagar a taxa de demissão, e se manter sozinho por um tempo, e então, arrumar outro emprego baseado na sua formação. E é claro, abandonaria Namjoon, o que era um problema.

O maior não queria aquilo, não mesmo. Faria qualquer coisa para manter Jin ao seu lado o máximo que pudesse. 

E como dito antes, ser rico tem seus privilégios, e Namjoon iria dar um jeito nesse problema.

וווווווו

– Jin você está bem? - Shin perguntou aflito. - Você está pálido, está quase desmaiando!

– Estou b-bem, n-não é n-nada. - Tentou sorrir.

Nesse instante, batidas foram disferidas contra a porta, e pela intensidade, com certeza era Namjoon. Momentos depois, a mesma foi aberta, revelado o Kim que (praticante) invadiu a sala.

– Vamos querido, a sessão já acabou e... O que aconteceu? - Questionou, observando a face assustada do garoto. - Shin você fez alguma coisa com o meu Jin? Eu sabia que você iria dar uma de espertinho, eu sabia! Princess, ele tentou algo contra você? Eu vou matar alguém hoje. - Dizia rapidamente, checando cada milímetro do corpo de Jin.

– E-Ele não fez n-nada, só... n-não me sinto m-muito bem. Podemos ir ver minha omma agora?

– Claro. Vem, vamos. - Segurou a mão do garoto, o guiando, já que o mesmo parecia desnorteado.

– Tchauzinho S-Shin. - Jin acenou trêmulo para o outro.

– Até amanhã Jin. - Acenou de volta, observando o "casal" passar pela porta.

–  Me diga, por que estava tão assustado? - Namjoon perguntou, enquanto boa caminhavam pelo extenso corredor, em direção ao quarto em que a mãe de Jin estava.

– Eu já disse, n-não foi n-nada-

– Seokjin, não minta pra mim. Eu quero saber, agora. - Exigiu.

– Ok...- Suspirou fundo. - E-Eu descobri que S-Shin era i-irmão d-de Daesung.

– Hum...

– Você não está surpreso? 

Namjoon já sabia disso. Sabia também que Daesung havia morrido na cadeia, e quem o matou. Mas não contou nada ao seu garoto, não era algo que ele precisava saber.

– E-Estou sim. - Mentiu.

– Não acredito... Shin é tão diferente daquele monstro...

– Não vamos falar disso. Chegamos, esse é o quarto. - Apontou para uma porta branca, com o número 398 em si. Namjoon a empurrou, revelando um quarto elegante, e uma senhora debilitada em cima de uma maca, aparentemente confortável. - Pode entrar.

– Você p-pode me deixar a sós com ela? - Pediu manhoso.

– Claro, vou estar aqui fora te esperando. - Sentou-se em um dos bancos em frente a sala.

– Obrigado, eu não demoro.

Namjoon permaneceu sentado, observando o movimento de enfermeiros e pacientes que transitavam pelo local. Se passaram cerca de meia hora e nada de Seokjin sair. Já estava ficando impaciente, cogitando a possibilidade de pegar seu celular e assistir a um filme pornô ali mesmo. Assim que se decidiu, ouviu a porta a sua frente ser aberta, revelando um Jin cabisbaixo.

– E então? - Perguntou.

– Ela está bem. Pelo menos foi o que ela disse. Mas eu vejo em seu rosto que não é bem assim. 

– Eu prometo fazer o máximo para que ela melhore o mais rápido possível.

Jin apenas concordou com um aceno de cabeça. 

– Boa tarde Senhor Namjoon. - Uma moça alta e morena o cumprimentou, parando em frente a ambos. Ela era, provavelmente, uma das enfermeiras do lugar.

– Boa tarde Saeron. Alguma novidade?

– Tudo sob controle. Tirando o estado da paciente do quarto 398, o quadro dela continua instável. Temo que ela não consiga-

– Está bem, eu já entendi. Você sabe muito bem que eu já sei o estado dessa paciente, não precisa repetir. Muito obrigado por ser inútil. - Cortou sua fala. - Meu segurança já chegou?

– Ah sim, ele está a sua espera no saguão. - Respondeu sem graça.

– Com licença. - Disse frio, caminhando em direção a um dos elevadores, com Jin logo atrás.

– Você não deveria tratá-la dessa maneira. - O garoto o repreendeu, enquanto ambos esperavam pelo elevador.

– Sempre a tratei desse modo. 

– Você é tão arrogante, é por isso que ninguém é verdadeiro com você, é por isso que as pessoas só se aproximam de você pelo seu dinheiro e status social.

– Olha só quem está vindo me falar sobre "companhias verdadeiras", o garoto que já foi enganado tantas vezes que até perdeu a conta. - Revirou os olhos, entrando no elevador quando as portas do mesmo foram abertas.

– N-Não acredito n-no que eu estou o-ouvindo...- Sussurrou indignado. - Sabia q-que você não era n-nem um pouco confiável... Pode cancelar essas d-drogas de consultas com o Shin, n-não quero m-mais voltar aqui, não quero mais nada que venha d-de você! - Praticamente gritou, sentindo seu rosto enquentar de raiva.

– Pare de fazer escândalo e entre logo dentro dessa merda. As pessoas estão olhando, e eu não tenho tempo pra pirraça de criança. - Segurou forte o braço de Jin, o puxando com brutalidade para dentro da caixa metálica, fazendo com que o garoto precisasse se apoiar em uma das paredes espelhadas para não ir de encontro ao chão.

Jin não sabia o que estava acontecendo com o mais velho. A algum tempo atrás ele estava normal, sendo o Namjoon que sempre era carinhoso consigo independente das circunstâncias, e agora estava na presença do Namjoon esnobe e arrogante que havia conhecido na faculdade há alguns meses atrás.

Virou de costas para o rapaz, encostando a cabeça na parede que estava apoiado. Deslizou seus dedos em seu braço, tentando amenizar a dor do aperto de alguns instantes atrás. Droga, aquilo doía pra caramba! 

Não pode evitar as lágrimas de decepção e dor que escorriam de seus olhos, agora, descontroladamente. Como o próprio Namjoon havia dito, Jin já havia sido enganado diversas vezes, e só de pensar que essa seria mais uma delas, fazia seu coração se apertar. E se o que Taehyung havia dito na faculdade mais cedo fosse verdade? E se Namjoon Realmente fosse tudo aquilo de ruim que ele falou?

– H-Hey Princess...- Namjoon o chamou, após se dar conta do que havia feito. Se aproximou do garoto, tocando seu ombro e o sentindo recuar consideravelmente. - Me D-Desculpe por isso.

– N-Não peça d-desculpas se v-você realmente não s-sente muito. 

– Mas eu realmente sinto muito! Olha, esse lugar me deixa estressado, e eu acabei descontando a raiva em você. Por favor me perdoe, eu me sinto um lixo por ter te tratado desse jeito. - Suplícou, olhando nos olhos marejados do garoto.

– V-Você machucou m-meu b-bracinho. - Resmungou, desviando o olhar. - E-Ele é sensível, a-assim como o r-resto do m-meu c-corpo! Você tem q-que ter m-mais c-cuidado!

– Eu juro que isso nunca mais irá se repetir. Você sabe o quanto é especial para mim, e eu odeio quando tenho esses ataques de estresse, pois eu desconto em todo mundo ao meu redor. Você me perdoa? - Pediu, secando as lágrimas do rosto de Jin com seu polegar.

Jin voltou a encarar os olhos do mais alto. Viu que em seu rosto não havia sequer um mísero resquício de que o mesmo estaria mentindo, pelo menos era o que parecia.

– Suas p-palavras me m-magoaram de v-verdade, mas t-te perdoo.

– Obrigado querido...- Abraçou o garoto fortemente. - Eu só queria ser menos babaca com as pessoas que eu amo sabe...

V-Você... Me ama? – O garoto se questionou mentalmente, sem coragem para fazer a pergunta em voz alta.

Se afastou lentamente do aperto de Namjoon, ainda sentindo rancor pelas palavras rudes ditas pelo maior. Só precisava de um tempo para esquecer aquilo.

As portas do elevador se abriram, fazendo com que ambos saíssem de dentro do mesmo. Parado em frente a entrada, já se era possível ver Yoongi, com seu uniforme preto e elegante, esperando o casal se aproximar.

Passaram pela recepção, onde a mesma enfermeira de antes, Saeron, já havia descido primeiro que Jin e Namjoon, e agora conversava animadamente com a recepcionista, mas logo tomou postura quando viu Namjoon.

Instantaneamente, Jin se lembrou do que Saeron havia dito a alguns instantes atrás. Ela havia comentado que a paciente do quarto 398 estava em um quadro instável. A paciente desse quarto era a mãe de Jin.

Ah, agora tudo estava explicado.

O motivo da raiva de Namjoon quando a enfermeira havia tocado nesse assunto em sua frente... O rosto acabado de sua mãe, o corpo magro e o brilho de desespero em seus olhos, como se estivesse gritando por socorro... Algo estava acontecendo, e Namjoon estava escondendo isso.

– Namjoon! - Jin exclamou, sentindo seu sangue ferver. Odiava quando lhe escondiam as coisas.

– Aigoo Jin, que susto! Não grite desse jeito aqui dentro.

– Vou gritar onde eu quiser! Você me deve explicações!

– Não sei do que você está falando. - Seguiu para fora do hospital, esperando que Jin fizesse o mesmo, mas ele não fez. Simplesmente parou na calçada, com os braços cruzado. - Aish Jin, o que foi?

– É verdade o que Saeron disse? Minha mãe está em um estado instável?

– Depois nós conversamos sobre isso. Entre no carro.

– Mas eu quero saber agora!

– Kim Seokjin, entre.no.carro.agora. - Ordenou pausadamente.

Jin bufou como uma criança birrenta, mas obedeceu as ordens. Com todos dentro do carro, Yoongi finalmente pode dar partida. Min queria saber o que estava acontecendo, interrogar cada um, mas achou melhor não se intrometer.

– Anda, você vai me contar ou não.

– Agora não é o momento.

– Eu tenho o direito de saber!

– Sim, mas não agora!

– E por que não?

– Por que não caramba!

– Se você gostasse tanto assim de mim como diz, me contaria!

– Eu já disse que esse não é o momento!

– Como você quer que eu confie em você se me esconde as coisas e-

– Porra Jin, alguém estava envenenado sua mãe! - Confessou, fazendo Jin arregalar os olhos.

– C-Como? 

–  Eu não queria te contar dessa forma. Parece que nesse tempo em que sua mãe esteve internada naquela antiga clínica, um certo tipo de veneno vem sendo injetado em seu sangue, dificultando o processo de cura. Me desculpe mas...não tem muito o que se fazer. Eu acho que ela possa vir a fa-

– Não diga isso! - Exclamou, com os olhos marejados. - Não abra sua boca para dizer o que ia dizer! Minha omma vai se recuperar em breve. Eu sei que vai...- Sussurrou com a voz falhada.

– Claro querido...

וווווווו

– Jinnie, adivinhe só! - Jimin exclamou, quando o garoto atravessou a porta da sala, onde além de si se encontrava JungKook e Hoseok. - Eu passei! Sou professor agora!

– Yeah, e eu sou médico. - Jeon sorriu.

– Vocês nem sequer pegaram o diploma ainda. Parem com isso. - Hoseok resmungou.

– Como você é irritante. - Yoongi retrucou. - Deixe que eles sejam felizes em paz. Se o problema é o diploma, isso será resolvido na formatura amanhã.

– Ninguém está falando com você, segurança metido a policial. Aposto que nem passou na prova.

– O que você disse Hoseuki? Eu vou fazer você engolir suas palavras. Me aguarde.

– Quem é Hoseuki? - Jeon sussurrou.

– Yoongi não sabe pronunciar o nome do Hoseok direito. - Jimin respondeu.

– Bem, eu vou me trocar e começar a trabalhar. - Jin disse.

Subiu as escadas, ainda triste pelo que Namjoon havia dito. Não poderia perder sua omma, ela era uma das pessoas mais importantes na sua vida. Ele tinha fé que ela ficaria boa em breve. Vestiu seu uniforme de qualquer jeito, não estava com muita paciência para detalhes.

Assim que saiu de seu quarto, percebeu que a porta de Namjoon estava aberta, e que seu computador estava ligado. Bem, ele não se importaria se Jin checasse seu e-mail, para que pudesse saber os resultados da prova.

וווווו

– Ah, eu estou com fome. Namjoon, onde o Jin está? Já passou da hora do jantar, e nem sinal dele. - JungKook perguntou.

– Ele deve estar regando as plantas, ou algo assim. - Yoongi respondeu.

– Regando as plantas a essa hora da noite? Eu acho que não. Ei, espera aí, você não tinha que estar fazendo a escolta da casa? - Namjoon questionou.

– Humm... É verdade... Mas eu não me importo. - Respondeu.

Derrepente, Jimin desce as escadas correndo, extremamente assustado.

– Gente pelo amor de Deus me ajudem! - Exclamou ofegante.

– O que foi Jimin? Aconteceu algo como você? - Jeon perguntava aflito, se aproximando do garoto.

– É o Jin! Eu passei em frente ao quarto do Namjoon e ele estava lá sentado na mesa do computador, chorando pra caramba! Eu tentei falar com ele, mas ele não responde, só chora.

Naquele instante, não se era possível bem ver nem a sombra de Namjoon, pois o mesmo se levantou numa velocidade absurda, correndo para seu quarto.

– Hey babe, o que houve? - Perguntou, se ajoelhado ao lado do garoto assim que viu o estado melancólico em que se encontrava.

– N-Namjoon...- Sussurrou entre soluços. - E-Eu...- Não conseguiu terminar a frase, se desabando em lágrimas.

– Não chore Princess, me diga o que aconteceu? - Secou suas lágrimas com seu polegar.

– E-Eu não p-passei...- Apontou para a tela do computador.

– Isso não é possível! - Yoongi exclamou, invadindo o quarto, após escutar a conversa. - Jin você estudou mais que aquela merda de faculdade inteira, isso não é possível!

– É, não é possível! - Namjoon concordou cínico.

– Não...isso está muito estranho...

– O que eu v-vou fazer a-agora? - Jin questionou. - E-Eu me d-dediquei t-tanto... Passei noites e-em claro pra...nada?

– Isso não é verdade, você-

– Gente, vocês estão ouvindo isso? - Yoongi perguntou.

–  O que?

Todos ficaram em silêncio. Só se era possível escutar Jin fungando e...gritos?

Sim, eram gritos raivosos, vindos do andar de baixo. E Namjoon reconhecia muito bem aquela voz.

– Onde está aquele infeliz?! Onde está aquela porra daquele viadinho de merda?! - Viu seu pai entrar pela porta furioso, olhando ao redor.

Jin se levantou, secando suas lágrimas e seguiu Namjoon, junto de Yoongi. Todos já estavam presentes na sala, menos JungKook e Jimin.

– Pai, o que está acontecendo? - Hoseok perguntou.

– Não diga que não sabe! Eu vi aquela merda de vídeo, a cidade inteira viu a porra do vídeo, e... Namjoon? - O chamou.

– Sim?

– Por que os empregados estão vestidos desse jeito? - Questionou, observando Jin e Jimin, que havia acabado de chegar junto a Jeon. - Não vai me dizer que... Ah, ali está ele. Jeon JungKook, eu quero você no meu escritório agora, seu embuste. Namjoon, o próximo é você. Eu quero explicações sobre... Isso. - Disse com desgosto, se referindo aos empregados. - Anda seu traste, vamos logo. - Agarrou o braço de JungKook com força, o arrastando consigo.

– Droga. Droga, droga, droga, droga! - Jimin sussurrava aflito, puxando seus proprios cabelos.

– Ele está tão fodido. - Taehyung disse, adentrando o recinto. - Wonjoon não incluiu o "Kim" no nome dele. Pobre Kookie...

– E-Ele vai machucar o meu menino Haneul, eu não posso deixar! - A matriarca dos Kim's chegou logo depois, sendo acompanhada pela amiga.

– Acalme-se Hee, nós vamos dar um jeito.

– Ele é louco, eu não sei como fui casar com um homem desses! Namjoon meu filho, por favor, vá atrás deles, não deixe que seu pai faça o pior. - Suplícou.

– Eu vou tentar. - Suspirou, seguindo em direção ao escritório.


Notas Finais


Matriarca é mãe tá.

Uma perguntinha: Vcs curtem um Mpreg? Eu coloquei como uma das tags da fanfic, mas não sei direito ainda o q vou fazer.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...