História My Person - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Anna, August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Cruella De Vil, David Nolan (Príncipe Encantado), Elsa, Emma Swan, Fa Mulan, Henry Mills, Lacey (Belle), Lilith "Lily" Page, Malévola, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Mérida, Neal Cassidy (Baelfire), Personagens Originais, Princesa Aurora, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Ursúla (Bruxa do Mar), Violet, Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Amigas, Amizade, Drama, Emma Swan, Lesbicas, Once Upon A Time, Ouat, Professoras, Regina Mills, Romance, Swanqueen, Swen
Visualizações 216
Palavras 2.660
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Volteiii
Agora vai, gente kkkkk
Desculpa a demora, sei que prometi agilizar mas meu tempo está cada vez mais escasso
O título do capítulo está no masculino pelo nome da música, relevem pra mim, por favor
Vocês sabem que eu sempre agradeço a minha revisora MariahMagic
Não vou mais enrolar, bom capítulo

Capítulo 14 - Dois Idiotas


Fanfic / Fanfiction My Person - Capítulo 14 - Dois Idiotas

Emma se arrependeu de sua entrada memorável no momento em que percebeu que só havia uma noiva e que não era quem estava pensando. A moça alta, ruiva e de lindos olhos claros estava quase chorando, em um desespero enorme achando que Emma era uma amante do noivo tentando impedir seu casamento. Ele, que já estava nervoso, não podia estar mais confuso, assim também com o padre, Cora, todos os outros convidados e principalmente Regina, que em sua posição de madrinha mostrava um semblante sério para a loira. Emma entendeu exatamente o que estava acontecendo, Regina foi para Portugal celebrar o casamento da irmã. Naquela hora ela não sabia onde de esconder. “Por que não pensei nisso antes?” era o que se passava em sua cabeça. Olhando nos olhos da morena Emma sabia exatamente o que ela estava pensando “O que você está fazendo aqui?”, “Sério, tinha que aparecer agora?”, “Por que esse showzinho todo?”, “Você tem algum problema ao tentar ser uma pessoa normal?” Regina podia ser muito grossa quando tomada pela raiva. A loira mais envergonhada do que nunca saiu correndo em direção ao carro logo depois de dizer com um fraco sorriso constrangido:

 

    — Mil desculpas, casamento errado - Cora, muito confusa, decidiu conversar com ela mais tarde, depois da cerimônia. Sua filha mais nova fez o mesmo, apesar da confusão que tinham em suas cabeças. Não sairiam no meio da cerimônia, aquilo já estava confuso demais. Um enorme silêncio se fez no local, até que depois de todo o desespero que tinha em sua mente a noiva caiu na gargalhada sendo acompanhada por todos aqueles que estavam presentes logo depois. Então a cerimônia seguiu normalmente e aquilo virou uma apenas uma história louca.

 

    Novamente Emma pediu para que o motorista pisasse fundo, dessa vez de volta para o casarão. Chegando no lugar ela foi direto para seu quarto, rápida como um foguete e sem falar com ninguém. Ela não iria embora assim, não passou por tudo aquilo à toa (e também não teria como voltar sem dinheiro). Cora sabia onde ela estaria e provavelmente contaria para a filha. Deduzindo isso ela se trancou no quarto e ficou ali por horas, até que a procurassem. Não cogitou nem por um segundo a possibilidade de aparecer na festa no jardim, não apareceria na frente de todas aquelas pessoas depois do papelão que pagou. Usou todo o tempo que teve para colocar em palavras tudo o que queria dizer à sua amada.

    Depois da cerimônia todos os convidados seguiram para o local da festa numa carreata, com direito a buzina e uma enorme comemoração típica. Os noivos faziam uma sessão de fotos enquanto os convidados iam se acomodando e se deliciando com alguns aperitivos. Regina e Cora estavam se direcionando até suas mesas quando ouviram algumas convidadas comentando sobre o acontecido na cerimônia, a mais velha começou:

 

— O que aconteceu com a Emma? Ela está tão diferente. Não sabia que a Zelena conhecia ela, coitada chegou atrasada, a mala extraviou, não sabia os horários e ainda pagou aquele papelão na igreja. Ainda não a vi por aqui, talvez esteja envergonhada para aparecer na festa depois de tudo. Acho que vou lá falar com ela e oferecer alguma comida.

 

— O que? Ela não conhece a Zelena e não foi convidada

 

— Então o que ela faz aqui? A encontrei na rua completamente perdida na quinta-feira

 

— Você sabia que ela estava aqui? Por que não me falou? Onde ela está?

 

— Eu achei que soubesse - disse ao se sentar - Ela é sua melhor amiga, não é? Como podia não saber que ela viria?

 

— Nós não nos falamos há um tempo. Nem sei como ela descobriu que vim pra cá.

 

— Mas o que aconteceu? Vocês brigaram?

 

— É… tipo isso. Eu acho que vou falar com ela, acho que ainda tenho algum tempo antes da entrada dos noivos se ela estiver aqui

 

— Ah sim, ela está aqui. No quarto ao lado direito do meu. Vai lá que eu te procuro quando aqui for começar mesmo.

 

— Tá bom, obrigada mãe - Jogou um beijo no ar e saiu em direção a entrada aos fundos da casa

 

Nervosa com tudo o que estava acontecendo, Regina seguiu até o quarto, respirou fundo e quando ia bater na porta entreaberta escutou Emma ensaiando sua declaração enquanto olhava fixamente para o espelho disposto na posição contrária a porta

 

— “Sinto falta de ti

 

Sinto falta de quando éramos grudadas uma na outra

Sinto falta de ter sua mãe como minha e a minha como tua

Sinto falta de estar sempre na tua casa e tu na minha

Sinto falta de estar sempre ao teu lado

Sinto falta de te ver todos os dias

Sinto falta de virar madrugadas ao teu lado, brincando, conversando bobeiras ou simplesmente fazendo nada

Sinto falta de ficar acordada contigo

Sinto falta de nossas experiências culinárias, misturas de ingredientes vencidos e barro para firmar nossas receitinhas do universo imaginário

Sinto falta das reais experiências culinárias, que nem sempre deram certo, como aquele bolo com uma massa extremamente terrível e uma cobertura simplesmente deliciosa

Sinto falta de passar horas tentando escolher um filme e acabar assistindo aquele de sempre, só porque não conseguíamos concordar em outros gêneros

Sinto falta de maratonar nossas séries juntas

Sinto falta de passar horas montando a casa de bonecas e quando tudo estava finalmente pronto já era hora de ir embora

O pedido para dormir ali era sempre uma ótima alternativa

Sinto falta de fazer viagens contigo

Sinto falta de inventar qualquer desculpa para não voltar pra casa ou ir no aniversário daquele tio chato, porque a tua companhia era muito melhor

Sinto falta até de brincar de ser sereia na piscina

Sinto falta de passar os verões ao teu lado, conhecendo inúmeras praias por todo o litoral do estado

Sinto falta de planejar festas contigo

Sinto falta de sonhar contigo

Sinto falta de quando roubávamos os saltos e sutiãs de nossas mães, só para nos sentirmos adultas

Eu tenho fotos disso

Sinto falta de ir na tua casa pra estudar aquele assunto que na verdade eu sabia, só para poder aproveitar um tempo juntas depois

Sinto falta de chorar contigo, dançar contigo, cantar contigo, falar contigo, rir contigo

Como é doce o som da sua voz, como é gostosa a sua risada

Sinto falta de ouví-las

Sinto falta de receber os teus conselhos, os melhores conselhos

Sinto falta de te ter ao meu lado, sempre

Sinto falta de nossos olhares que se entendiam perfeitamente

Sinto falta de tu me ensinando a gostar de coisas que eu nunca sequer teria provado antes

Sinto falta de ter minha professora particular  

Sinto falta das verdades que saiam da sua boca porque eu precisava ouvir aquilo de vez em quando

Sinto falta de comemorar aniversários ao teu lado

 

Sinto falta de quando falávamos que iríamos casar, eu seria tua madrinha de casamento e tu serias a minha

Assim também com nossos primeiros filhos

Eles seriam melhores amigos também, inseparáveis, como nós costumávamos ser

Nossos maridos, bom, eles com certeza seriam muito amigos também

Passariam horas em casa assistindo futebol enquanto nós rodaríamos o shopping procurando o vestido perfeito para qualquer festa que fosse

Sinto falta de planejar nossas viagens pelo mundo

Sinto falta de planejar contigo

Sinto falta de imaginar contigo

Sinto falta de imaginar com o que eu trabalharia e tu também

Nossos trabalhos teriam que se complementar, para que passássemos ainda mais tempo juntas

Sinto falta de idealizar nossas casas, claro, uma ao lado da outra

Vizinhas, tinha que ser assim para sempre

Sinto falta de te ter comigo, não só na lembrança e no peito, mas ao meu lado

Sinto em te perder

Tu fostes muito especial em minha vida

Tu és muito especial em minha vida

Sinto tua falta, mas é uma pena que...

 

Uma pena que nós tenhamos crescido e tudo tenha ficado tão diferente entre nós

Uma pena eu saber o que sentia e ignorar completamente por não querer acreditar

Uma pena tu ter te afastado de mim por esse motivo sem que eu soubesse, ah se eu soubesse, se eu tivesse tido esse tempo pra pensar antes, se eu tivesse percebido a burrada que estava cometendo na época que estava cometendo, provavelmente demoraria tanto quanto para absorver. Mas tudo seria diferente porque não estaríamos passando por isso tudo agora

Uma pena que tenhamos sido duas idiotas

Uma pena que tenhamos nos afastado tanto

Uma pena eu ter me apegado tanto em ti e depois ter te deixado ir sem admitir o que nem pra mim eu admitia

Uma pena tu não teres falado nada antes também

 

Durante anos nós não falamos e não ficamos sabendo uma da outra, então tu começastes a aparecer nas revistas de medicina, uma mente brilhante

Eu te acompanhava por ali, cada artigo, entrevista, qualquer coisa que tinha teu nome eu comprava pra ler, só para saber como estavas

Apesar de longe, eu gostava de te ver feliz

Quando tu desaparecestes dali, meu mundo caiu

Eu me perguntava o que teria acontecido

Então eu tive uma oportunidade maravilhosa de trazer minha melhor amiga de volta e não desperdicei

Eu fiquei morrendo de medo quando nosso encontro no aeroporto foi um tanto quanto estranho

Eu tive medo de nada voltar a ser como antes

Mas eu agradeci por te ter pra mim novamente

Quando tu jogastes toda a verdade na minha cara, aquela música, eu sabia de tudo

Eu tive tanto medo de te perder, que te perdi

Uma pena que tenhamos brigado tão feio por um motivo tão bobo

Uma pena que eu tenha sido tão orgulhosa para me desculpar, então me perdoe...

 

Me perdoe por ser tão eu

Me perdoe por não ter tentado mais

Me perdoe por ter te deixado

Me perdoe se te machuquei hoje, ontem ou há anos atrás, nunca tive essa intenção

Eu sempre quis te ver feliz

E sou feliz por te ver feliz

Eu só seria mais feliz se você fosse feliz ao meu lado, mas não te tenho comigo

Não te tenho comigo por um enorme erro meu, um erro nosso

Mas eu sinto tanto a sua falta que eu jogo o meu orgulho no lixo pra te dizer..

 

Eu te amo e não posso mais viver sem você

Por favor, me perdoe”

 

Com lágrimas nos olhos Regina entrou no recinto. Emma escutou os passos e no reflexo do espelho viu a morena seguindo em sua direção. Mamãe se virou assustada e foi surpreendida pela reação de Regina, que sem pensar a puxou para um beijo longo, intenso e com muito desejo. Sim, elas detalharam isso pra mim. Paravam para tomar fôlego e não resistiram a largos sorrisos até retomarem o beijo. Em uma das pausas Regina disse:

 

— Sabe… talvez essa mudança de planos tenha sido boa. Ao invés de maridos pra atrapalhar seremos só nós duas. Pensa no lado bom de todo esse rolo e essa demora pra assumir, agora nós temos uma história muito melhor pra contar - Emma riu - Temos uma incrível aventura em Portugal

 

— Você nem imagina como foi mesmo uma aventura pra mim

 

— Depois eu quero ouvir essa história - riu - Mas como ficou sabendo que eu estava aqui?

 

— A Ingrid falou na segunda-feira

 

— Segunda? E você chegou só agora?

 

— Eu disse que você nem imagina o que eu passei - Regina deu uma gargalhada

 

— Só você mesmo. Essa história está cada vez melhor

 

— Sabe outra coisa que eu senti falta em nós?

 

— O que?

 

— Quando fazemos as pazes tudo volta ao normal como se nada tivesse acontecido - Regina sorriu

 

— Eu também senti sua falta e eu também peço desculpa por não ter falado antes e ter mudado pra outro país. Mas pensa no lado bom, se eu não tivesse feito isso a Rory não teria nascido. E eu amo aquela garota, - Emma sorriu - nem sei como é filha daquele cretino - a loura gargalhou

 

— Ah… ele não é tão ruim assim

 

— Você estava tão brava com ele antes, o que aconteceu?

— Eu perdoei. Ele me explicou tudo e não tenho porque continuar brava depois de tantos anos, somos amigos agora - Regina arqueou a sobrancelha em dúvida - Qual é? Ele vai se casar agora, sabia?

 

— Aah… menos mau - Emma riu novamente

 

— Não precisa ter ciuminho bobo. Mas me conta, você e a Ingrid estão bem amiguinhas, né?

 

— Ooh… é mais do que isso

 

— Como assim? - perguntou mamãe preocupada enquanto Regina dava risada da situação

 

— Estamos morando juntas, mas antes que pense algo demais, somos só colegas de apartamento. Eu não podia viver naquele hotel pra sempre e não quis comprar uma casa sem você - Emma deu um leve tapinha no ombro da morena - Viu, não sou a única que tem ciuminho bobo

 

— Que susto que você me deu - Regina gargalhou mais uma vez

 

— Você não achou mesmo que éramos mais do que amigas, né? Ela está tendo um caso com o reitor

 

— O que? Mas que babado! - brincou - e a esposa dele?

 

— Fugiu com outro pra Austrália

 

— Como assim? E eu não fiquei sabendo de nada disso

 

— O pobre homem andava desolado pelos corredores da universidade, ela foi consolar e, como diria ela mesma “aconteceu” - fez aspas com os dedos - Aah… tem mais de onde vem esse, e nós seremos um em poucos dias - mamãe deu de ombros

 

— Já nem me importo mais, passei tanto tempo me preocupando com o que os outros pensavam de mim que deixei de ser feliz por isso. Agora eu vou ser feliz e FODA-SE o que pensarem de mim

 

— Nossa! Que mudança drástica. Acho que vou gostar - colou suas bocas em um selinho - E a Rory, como ficou lá?

 

— Ah meu Deus!

 

— O que foi?

 

— A Rory

 

— O que tem ela?

 

— Eu não falei nada. Só deixei ela na aula e vim pra cá. Mandei inúmeras mensagens e ela não respondeu. Será que está brava? Será que está bem? Eu sou uma péssima mãe

 

— Emma! Como assim você deixou sua filha sem falar nada e veio pra cá?

 

— Impulso

 

— São essas suas loucuras que eu amo em você - Emma sorriu

 

— Mas é sério, esqueci completamente na hora. Será que ela está bem?

 

— Sim, ela tem idade suficiente e sabe se cuidar. E você não é uma péssima mãe, ela só deve estar brava pelo ocorrido. Por isso não responde. Mas ela sabe se cuidar.

 

— É… acho que você tem razão, afinal ela foi criada por uma Lorelai Gilmore, tem que saber se cuidar ou morre de fome - riram juntas

 

— Eu amo esse seu jeito maluquinho de ser. Eu amo você, Emma Swan

 

— Eu amo você, Regina Mills. É tão bom finalmente falar isso pra você.

 

— É tão bom finalmente ouvir isso de você - e foi aí que o beijo retomou, até que foi interrompido pela voz de Cora atravessando o cômodo

 

— Mas o que vocês pensam que estão fazendo aqui? - as duas olharam assustadas com seus batons borrados, esperando a reação da mãe da morena. Elas sabiam muito bem o que ela pensaria sobre a situação - deveriam estar lá embaixo aproveitando a festa. Vamos vamos que o buffet será servido, já perderam a entrada dos noivos, não vão querer passar fome, espero - ainda assustadas as duas mais novas foram saindo do cômodo e Cora segurou sua filha pelo braço e sussurrou em seu ouvido - Mais tarde a gente conversa sobre isso - Regina sabia exatamente o que ela queria dizer. Seguiu sem dar importância ao que acabara de ouvir. A mais velha fechou a porta francesa que dava entrada ao quarto. As outras duas seguiram mais na sempre e Emma falou preocupada

 

— E agora? O que ela vai dizer?

 

— Ela vai surtar, eu tenho certeza. Quer falar comigo sobre isso mais tarde, não sei se estou preparada

 

— Vai dar tudo certo - disse demonstrando confiança, mesmo que não tivesse

 


Notas Finais


Aaaaah desculpa pelo clima de sempre no final, mas o próximo capítulo já está encaminhado e pretendo postar até o final da semana
Me digam o que acharam, do "discurso" da Emma, da reação da Regina, da conversinha... estou muito animada, já sabem que amo saber o que pensam
Realmente espero que tenham gostado
Até o próximo, beijoss!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...