História My Pet Boy - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~Huang_Bo

Postado
Categorias EXO
Tags Chanhun, Pet, Sehuke, Sehun!uke, Uke!sehun
Visualizações 258
Palavras 3.234
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá meus ursinhos!!!
Como vocês estão? Eu estou bem e usei esse feriado para render.
Faz um tempinho que eu não escrevo um lemon, então não tenho certeza se ficou bom.
Não sei quando vou conseguir postar tão rápido de novo, mas espero que gostem desse capítulo!
Amo vocês, não desistam de nós!
Obrigada por todo o apoio e o carinho!!!
Agora fiquem com esse lemon :P e boa leitura!
Vejo vocês lá em baixo!!!
Beijinhos ursáticos!!
<3
~UrsinhaDoYoongi

Capítulo 8 - Punição?


Fanfic / Fanfiction My Pet Boy - Capítulo 8 - Punição?

SEHUN

 

Eu estava muito feliz em relação a noite de ontem. Mestre Channie foi tão carinhoso comigo! E ele me encheu de marquinhas! Eu confesso que fiquei muito tímido no começo, mas cada toque dele em mim valeu a pena, e eu não podia me sentir um pet melhor.

Depois de uma ótima noite de sono -entre os braços do meu mestre não tinha como não ser ótima – eu acordei ao lado dele na cama. Me levantei, tomei um banho rapidinho e vesti uma das roupas que ele comprou para mim: uma blusa de manga longa e uma calça jeans, ambas pretas. Desci as escadas e ao chegar no andar inferior fui recepcionado por fungadas e lambidas. Um labrador abanava o rabo peludo contra minhas pernas, me cheirando. Em suas costas havia uma guia para cegos.

-Olá, cão- Sorri, afagando sua cabeça- Da onde você surgiu?

-Já conheceu Feng, Sehun-ah?- Ouço passos e viro a cabeça, vendo Baekhyun hyung caminhando lentamente, apalpando as coisas para não se bater. O cão logo foi até ele e o hyung pode se locomover facilmente até mim.

-Olá hyung! Que bom que está aqui!- Abraço-o. Ontem ele foi muito carinhoso comigo, me contou histórias engraçadas do mestre mais jovem e me fez rir muito.- Mas por que tão cedo?

-Vim te levar pra tomar sorvete comigo, Sehun-ah!- Ele sorriu largo- Gostei muito de você, então fiz uns agrados ao Xing para conseguir vir passar uma tarde com você, sozinho...quero dizer, passar uma tarde com você e com Feng.- O cachorro abanou o rabo.

-Oh! Que ótimo, hyung! Vou adorar, só vou pedir ao mestre e...

-Não precisa- Ele dispensou minha fala com um gesto de mão- Channie está dormindo, não precisa acordá-lo. Vamos, tá comigo, tá com Deus- Ele sorriu outra vez.

Baek hyung era muito sorridente.

-Se você diz...- Seguimos para fora de casa lentamente, e Baek pediu a um motorista que nos levasse até uma sorveteria. O homem assentiu e entramos no carro.

Durante todo o caminho Baek foi me fazendo perguntas sobre como eu conheci o mestre. Ele me parecia uma boa pessoa, e o mestre confia nele, então contei a verdade.

Baekhyun não reagiu mal, apenas ficou sério por um momento, suspirou e assentiu, me perguntando como eu me sentia com tudo isso.

Falei que gostava muito de ser o pet de Chanyeol, de verdade, e Baek sorriu.

-Channie é um cara legal, fico feliz que ele te trate bem...

Concordo com ele, que iria falar algo mas foi interrompido pelo motorista.

-Senhores, chegamos.

Sorri, nunca havia ido à uma sorveteria.

Baek e eu entramos, algumas pessoas olhando indiscretamente para o hyung e para o Feng, e ambos pareciam nem ligar. Sentamo-nos em uma mesa perto das janelas, e fizemos nossos pedidos.

-Baekhyun hyung...

-Sim?

-Posso perguntar como...ahn...isso aconteceu?- Fiquei meio constrangido em perguntar, mas estava muito curioso.

-Sobre como fiquei cego?- Ele sorriu gentilmente- Não precisa ficar acanhado. É uma longa história. Veja bem, eu tinha apenas doze anos quando isso aconteceu. Eu e Channie já éramos melhores amigos, éramos vizinhos e colegas na escola. Chan sempre cuidava muito de mim, porque meus pais brigavam muito. Meu pai era alcóolatra e minha mãe era muito doente, um dia eles estavam brigando, meu pai estava bêbado e disse que iria embora, e que iria me levar junto. Eu não queria ir, mas ele me pegou pelo braço e me puxou para o carro. Nem eu, nem minha mãe pudemos fazer nada. Ele começou a dirigir muito rápido, numa avenida perigosa, e perdeu o controle do carro. Batemos em um caminhão e rolamos por um barranco. Meu pai morreu na hora, meu rosto foi atingido pelos estilhaços do vidro, que perfuraram meus olhos, mas eu sobrevivi. Com uma lesão ocular letal, mas sobrevivi...-Ele pareceu recordar e estremeceu- Segui em frente. Channie me ajudou muito nisso. Eu concluí a escola em uma unidade especial para deficientes visuais e me formei um ano depois do Chan. Naquele mesmo ano, porém, minha mãe havia piorado, então fomos morar com minha avó na China, o que, apesar de me deixar longe do Chan, me fez conhecer o amor da minha vida, o Yixing. Xing é médico oftalmologista, mas quando eu o conheci ele era um residente que cuidou de mim em alguns momentos. Tentaram fazer uma cirurgia para eu recuperar a visão, mas os estilhaços foram tão profundos que acertaram os nervos ópticos, e qualquer tentativa poderia ser muito arriscada. Xing gostou de mim, viramos amigos, já faz quase oito anos, isso. Há cinco ele me pediu em casamento, me presenteando com Feng, com uma aliança amarrada na guia dele, você acredita? Foi um amor! -Ele sorriu, e eu fiquei impressionado com tanta força e felicidade numa pessoa que passou por tanta coisa ruim- Apesar de tudo, eu sou muito feliz.

-Uau hyung...

Ele riu.

-Não se impressione. Eu não ia deixar de aproveitar a vida por causa de um mero detalhe.

Não me parecia apenas um mero detalhe, mas tudo bem.

Tomamos nossos sorvetes tranquilamente, falando sobre coisas bobas, até que um moço alto e bonito se aproximou da nossa mesa e falou:

-E aí? Qual o seu nome, gracinha?- Ele colocou a mão no meu ombro e eu me assustei, arregalando os olhos.- O que acha de nos divertirmos?

-Mas que palhaçada é essa aqui?- Ouvi uma voz trovejante e heroica, era meu mestre!- Você quer fazer o favor de soltar o que é meu?

-Desculpa cara, eu não sabia que…- O moço estranho ia argumentar mas meu mestre olhou feio para ele, que resolveu sair correndo.

-Byun Baekhyun, por que raios você se viu no direito de levar o Sehun para passear sem a minha permissão?- Chanyeol me empurrou com o quadril, me fazendo dar-lhe espaço e sentou-se ao meu lado.

-Aigoo... largue de ser chato, deixa o garoto se divertir. Não é porque você, literalmente, o possui que ele não pode ter vida pessoal!- Baekhyung reclamou.

-Você contou para ele, Sehun?

-S...sim, mestre, desculpa...eu achei que podia porque...

-Entendi, agora fique quieto- Eu abaixei a cabeça e calei a boca na hora.

-Pare de ser assim com ele, Chan!- Baek parecia zangado.

-Não...ele é meu dono, eu realmente estou errado em ter saído sem sua autorização- Eu disse. Queria chorar, eu estraguei tudo o que tinha conquistado ontem. Sehun malvado.

Chanyeol suspirou.

-Certo. Desculpe estar exagerando...é que eu não quero que toquem nele...- Meu mestre colocou a mão grande na minha perna- Da próxima vez me avisem, pelo menos...eu quase soquei o sr. Jung -O motorista- de tão zangado e preocupado que fiquei quando não encontrei o Sehun...

-Desculpe-me, mestre...

-Você vai receber um castigo por ser um menino fujão. Lembre-se, independente do que for, sempre me peça, me avise, me pergunte.

-Sim, senhor...

-Bom menino.

(…)

 Mestre Chanyeol pediu para o motorista deixar Baek e Feng no hotel antes de nos levar para casa, e ao chegarmos lá ele respirou fundo e me encarou, parecia tenso e um tanto irritado, ele e Baek ficaram aos cochichos dentro do carro até chegarem na nossa primeira parada. Acho que Baek disse algo que o deixou bravo.

-Você não foi um bom menino, Sehun, então vai ser castigado. -Seu olhar era firme, e me fez baixar a cabeça- Suba e tome um banho completo -Eu assenti- Depois me espere no tapete ao lado da minha cama, apenas de cueca, meu gatinho...

Assenti e fui fazer o que ele mandou.

Confesso que estava bastante nervoso para o que viria a seguir.

 (…)

Fiz tudo o que o mestre mandou bem direitinho. Agora eu estava esperando pacientemente ao lado de sua cama, ajoelhado, cabeça baixa, as mãos espalmadas sobre minhas coxas desnudas.

Eu tremia um pouquinho. O mestre parecia realmente irritado e eu temia pelo que seria minha punição.

Logo mais o mestre chegou.

-Pronto, Sehun?

-Sim senhor, mestre.

Ele sorriu de uma forma meio assustadora e colocou uma coleira fininha e preta, de camurça, no meu pescoço, junto de uma guia.

-Essa não vai ser sua coleira de verdade. Apenas pets bonzinhos merecem uma coleira, e você não tem sido bonzinho...- Ele me puxa pela guia até aquela última porta no fim do corredor. Eu estava ansioso.

Mestre Chanyeol abriu a porta calmamente, e eu pude ver as paredes carmim, um armário que ocupava toda a parede leste, um frigobar, uma grande poltrona de couro preto, e a enorme cama de casal no centro do quarto, com um espelho no teto, sobre ela, e com aros e barras na cabeceira, provavelmente para prender correntes ou guias. Um tapete preto e aparentemente macio estava na frente da poltrona, onde o mestre se sentou, me puxando.

-Você sabe o tanto de coisas que fez de errado hoje?

-Sei sim, senhor.

-O que você fez de errado, Sehun?

-Eu desobedeci ao mestre…

-Que bom que você sabe, uh? -Afagou meus cabelos de leve- Você entende que merece uma punição?

-Sim, senhor.

-Muito bem, gatinho, eu vou começar, certo?

-Certo.

Ele começou a se despir, lentamente, ficando apenas com uma cueca vermelha.

Certamente corei ao ver seu corpo bonito disposto a mim desta forma.

-Sehun-ah, me chupe- Ele sorriu sadicamente, enquanto eu estremeci- Agora...e como sei que já praticou, não terei piedade com você!

Eu engoli em seco, vendo ele tirar a cueca e seu membro, duro e grande, saltar em minha direção.

-É grande...- Murmurei baixinho. Certamente era maior que o do Kai hyung...caberia tudo na minha boquinha?

-É- Ele sorriu de forma estranha- Agora ande logo com isso, Sehun.

-Sim, mestre- Dei uma lambidinha na ponta, um pouco nervoso, ouvindo um suspiro por parte de meu mestre. Avancei, colocando a ponta na boca e afundando até onde eu conseguia, sentindo sua glande em minha garganta. Subi e desci com a cabeça, como Kai hyung havia feito em mim e me instruído.

Mestre Chanyeol parecia estar gostando, e muito, pois deixava escapar vários gemidos baixos.

Eu estava muito orgulhoso de mim.

Mestre Chan segurou firme em meus cabelos, fazendo seu membro entrar mais fundo ainda em minha garganta. A principio me engasguei, mas me forcei a relaxar e tudo se tornou mais fácil.

Eu sentia ele pulsando em minha boca, estava ficando cada vez mais quente, meu corpo estava pegando fogo.

De repente mestre Chanyeol gemeu mais alto que antes e inundou minha boca com seu leitinho.

Suho sempre disse, nas aulas para mascote, que “o leitinho dos donos é a maior recompensa que um filhote pode ter, depois de uma coleira”. Eu estava muito feliz, portanto engoli rapidamente, animado.

-Você foi muito bem, meu gatinho. –Ele acariciou meus cabelos.

Eu sorri, corando com o elogio.

-Pronto para a fase dois?

-Sempre estarei pronto para o que você quiser, mestre.

Ele sorriu, afagando meus cabelos novamente.

-Bom menino. Vá para a cama, Sehunnie, e tire essa cueca...Desnecessária, você não acha?

-Acho sim, senhor.

Eu fiz o que ele mandou, e fiquei esperando ele parar de mexer no armário e vir até mim.

-Como é sua primeira vez eu vou ser gentil e pegar leve, certo? Das próximas vezes será muito pior.

Assinto, ansioso para o que me aguarda.

-Fique de quatro! Empine bem essa bunda para mim!

Assenti, tomando a posição pedida por ele, envergonhado.

-Que visão maravilhosa! Você é um ótimo menino, Hun…Tem um bumbum tão bonito, vai receber tão bem seu mestre… -Ele começou a alisar a minha bunda, me deixando arrepiado.

-Mestre…

-Shhh…não me faça ter que usar uma mordaça em você. Fique quietinho, sim? Vou te dar apenas cinco tapas, nem farão cócegas!

Eu estava tremendo um pouco. Bastante nervoso, senti sua mão pesada descer de encontro ao meu traseiro, deixando um tapa bastante estalado e forte contra minhas nádegas.

Foi inevitável não arfar e choramingar.

-Sehun, quieto! –Ele puxou a guia de leve, me fazendo inclinar a cabeça para trás.

-Descul…

-Calado! –Desceu mais um tapa forte em minha bunda, fazendo com que eu mordesse o lábio para não deixar nenhum som escapar.

O mestre me deu mais três outros tapas. Eu sentia minha pele quente e o local das palmadas ardia, eu soltei um choramingo involuntário e o mestre deu a volta na cama, me encarando face a face, com um olhar repreensor.

-O que eu havia dito?

Abaixei a cabeça. Sabia que tinha errado.

-Responda-me quando eu te perguntar algo, Sehun.

-Desculpe-me, mestre...você havia dito para eu ficar em silêncio...

-E você ficou?

-Não senhor...

-Exatamente!- Ele segurou meu rosto, pressionando minhas bochechas e fazendo com que eu formasse um biquinho- Foi um garoto muito desobediente… eu não queria, mas vou ser obrigado a colocar uma mordaça em você, bebê.

Arregalo os olhos, nervoso, e nego com a cabeça.

-Se acalme, Hunnie...ela não vai te machucar...

Ele pegou  uma espécie de bolinha de plástico presa em duas tiras de couro e colocou a bolinha entre meus lábios. A bolinha era macia, e eu podia mordê-la, não era desconfortável, mas fazia com que eu me babasse todo.

-Ficou tão bonito...- Ele sorriu, dando o nó da mordaça na minha nuca.

Mestre Chanyeol se afastou por alguns minutos, pegando algo no armário.

-Vou começar a te acostumar, certo? –Ele fez um carinho em meu torso, passeando os dedos pela linha da minha coluna até o vão entre minhas nádegas, me fazendo ficar arrepiado.

Ele abriu minha bunda e apertou-a. Eu queria gemer, era uma sensação gostosa, mas a bolinha não deixava.

-Empine-se bem, Hunnie...

Não demorei a fazer isso. Estava excitado, e sentia meu membro pingar pré-gozo tamanho era meu prazer.

-Está ansioso, gatinho? Mal começamos... acho que vou ter que contê-lo, uh? – Ele se afastou novamente, pegando alguma coisa no criado-mudo.

Suas mãos grandes envolveram meu membro, fazendo-me um leve carinho. De repente ele colocou uma espécie de argolinha de silicone em torno da minha excitação, apertando-a. Eu gemi abafado pela bolinha, indignado.

-Isso, meu bebê, é um anel peniano...- Ele fez um carinho em meus cabelos- Vai impedir você de acabar com a brincadeira antes da hora.

Aquilo sim incomodava, eu me sentia pulsando, preso naquele maldito anel.

-Agora eu vou dar atenção para esse buraquinho guloso, uh? Está piscando de ansiedade...- Ele riu fraco- Relaxe Sehun…

O mestre colocou algo gelado na minha entradinha. Logo eu soube o que estava por vir... no cabaré nos ensinaram a teoria, e nesse momento eu estremecia diante de colocar aquilo na prática.

-Shh, se acalme, Hunnie... não precisa ficar tenso, bebê –Ele colocou mais daquela coisinha gelada, espalhando-a. Depois ficou massageando minha entradinha por um tempo. Eu gemia abafado pela bolinha. – Vou colocar um dedo, ok? Relaxe. –Ele fez o que havia dito, inserindo lentamente o indicador no meu buraquinho. Era estranho e um pouco incomodo, mas dava pra suportar.

Ele mexia o dedo dentro de mim, era uma sensação um pouco esquisita e bastante diferente. Minhas paredes internas eram massageadas e estava se tornando muito bom.

-Vou por mais um, ok?

Assenti, tentando relaxar os músculos.

O mestre tirou o indicador, passando um pouco mais daquele gelzinho e logo colocando dois dedos de uma só vez. Doeu um pouco, eu choraminguei contra a bolinha e me babei mais, mas logo que o mestre começou a mover seus dedos longos dentro de mim, ah, aquela sensação incômoda deu lugar a uma muito boa. Dessa vez eu gemi, manhoso, pelo prazer. Seus dedos roçavam uma parte minha que me fazia ver estrelas. Eu me babava todo, praticamente rebolando contra a mão do mestre. Eu estava gostando, muito.

Mestre Chanyeol retirou seus dedos de mim e eu fiz uma carinha tristonha. Queria mais daquela sensação, muito mais.

-Agora eu vou tirar sua mordaça, ok? Seja um bom menino e gema meu nome enquanto eu fodo você. –Ele desamarrou a mordaça, que estava toda encharcada de saliva, e jogou-a para longe- Pronto para ser fodido pelo seu mestre, Sehunnie?

-Ahn...Sim senhor!- Ele passou mais daquele negócio em mim, em seguida, segurou forte no meu quadril, apertando-o. Depois foi colocando seu membro, grande e duro, pouco a pouco na minha entrada. Eu acho que nunca senti tanta dor antes. Foi horrível e ainda não tinha entrado nem metade. Eu dei um grito, sentindo lágrimas correrem pelas minhas bochechas.

-Shh...calma, bebê...vai passar...você está sendo um bom garoto, sim? Aguente firme...vai ficar bem gostoso, ok?

Assenti, fungando.

Ele continuou a abrir caminho dentro de mim. Eu sentia que estava prestes a rasgar ao meio. Logo ele estava completamente dentro, quando finalmente havia abrigado todo o seu comprimento em meu interior, mestre Chanyeol gemeu meu nome, parecia satisfeito. Eu fiquei feliz com aquilo, apesar da dor que sentia.

-Uh! Tão apertado, Sehunnie! Tão gostoso, meu bebê! –Ele estava parado, eu o sentia pulsar, e aquilo tornou a me deixar duro como pedra. –Posso me mexer, bebê?

-Sim, anh, mestre!

Mestre Channie praticamente enterrou suas mãos em meu quadril, tão forte que achei que quebraria, e investiu seu quadril contra minha bunda. Forte e certeiro, meu mestre acertou em cheio meu pontinho de prazer.

Ele repetia os movimentos freneticamente, me levando a loucura.

Eu gemia, manhoso, chamando por ele e implorando por mais e mais. Sentia-me prestes a explodir, aquele anel maldito apertava-me e impedia-me de liberar todo o prazer que eu sentia.

As lágrimas voltaram, dessa vez por conta do prazer arrebatador que eu sentia.

Meu mestre movia-se com rapidez, e eu estava uma bagunça de suor, gemidos e prazer. Mestre Chan distribuía alguns tapas nas minhas nádegas, me elogiando e gemendo.

Eu estava muito feliz de receber tantos elogios.

Pelo visto o mestre estava gostando do meu desempenho.

-Mestre...por favor...eu não aguento mais…ahn…tira!- Eu me sentia tão preso dentro daquele anel. Precisava me libertar. Meus braços doíam, e eu me permiti cair com o rosto nos travesseiros, gemendo alto e chamando pelo meu dono, a bunda empinada em sua direção graças a firmeza com que ele segurava o meu quadril.

-Aguente mais um pouquinho, meu bebê…ahn, você é tão lindo...meu gatinho…tão gostoso!

Logo senti as mãos atrevidas de meu mestre descerem até meu membro. Meu dono retirou aquele anel horrível e massageou minha excitação lentamente, contrapondo-se a rapidez com que me invadia.

Eu gemi alto o seu nome quando ele pressionou aquele ponto dentro de mim outra vez, despejando todo o meu prazer na sua mão e no lençol, sentindo-o pulsar em meu interior e despejar todo o seu prazer dentro de mim. Eu gemi novamente ao me sentir tão cheinho. Estava sonolento e manhoso, e cai na cama sem me importar com nada assim que meu mestre se retirou de mim.

-Você foi um ótimo menino, bebê...- Acariciou meus cabelos e se deitou ao meu lado – Foi tão bom para mim... merece parabéns!

Bocejei e sorri.

-Obrigado, mestre...eu gostei muito...

-Se sente bem?

-Sim...só estou com soninho...

Ele sorriu.

-Meu bebê fofo- Apertou minhas bochechas- Vou te dar um banho e vamos passar uma pomadinha nesse bumbum, para não doer tanto depois, certo? Depois você pode dormir, Hunnie...

Assinto.

-Certo, mestre...

Ele me pegou no colo, carinhosamente, e me levou para um banheiro que tinha ali. Colocou-me sentadinho na banheira, enquanto ela enchia e eu bocejava, ele ia lavando meus cabelos. Foi inevitável não adormecer recebendo os seus carinhos.

Acho que dormi sorrindo, foi ótimo fazer amor com meu mestre e ser tão bem cuidado depois...

Isso era para ser uma punição?

Se for, eu vou amar ser punido mais vezes…


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!!
Mil beijinhos de ursinho e até o próximo!!!
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...