História My poison - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~wilkisnosa

Postado
Categorias Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Daniel Sharman, Emily Rudd, Hayes Grier, Jack & Jack, Kaya Scodelario, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes
Personagens Cameron Dallas, Emily Rudd, Nash Grier
Tags Colegial, Drama, Novela, Romance
Exibições 117
Palavras 1.520
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heey! Aqui é a Mary (~wilkisnosa), conhecida também como "a escritora de Catastrophe".
Esse é meu primeiro capítulo que eu escrevo de My Poison, eu espero que vocês gostem! E é um prazer estar escrevendo esta "história" pra vocês e escrevendo em parceria com a Jos, enfim, boa leitura!

Capítulo 5 - What Happened?


 — CREDO! Eu não quero mais ver isso! — me assustei com o monstro que apareceu na tela da TV. Deve ser o segundo filme que eu assistia com Matt na nossa "maratona".

O loiro soltou sua gargalhada exagerada por minha reação, me apertou por trás e depositou um beijo estalado em minha bochecha.

— O que quer assistir então? — Matt falou e eu me virei para olha-lo.

— Não sei, vamos ver o que tem aqui. — saí de seu abraço e engatinhei até a estante onde estava o controle, voltei a deitar ao lado de Matt. Saí da tela daquele filme e comecei a mexer na Netflix procurando algum filme.

— Vamos assistir "Simplesmente Acontece"! — o loiro propôs, concordei e coloquei o filme para rodar. Me aconcheguei mais a Matthew, que fazia carinho em minha cintura, me deixando com um arrepio até que bom.

Matt ria na maioria da parte do filme, e eu ria dele que também ria da minha risada, estava parecendo conversa de focas. Até que um momento eu me virei para ele, mas como estávamos muito próximos eu sentia sua respiração se misturar com a minha, ele sorriu fraco e meu olhar se fixou em seus lábios. Voltei a olhar para seus olhos, e ele intercalava o olhar entre minha boca e meus olhos.

Mordi o lábio e então o loiro não se segurou e me puxou pela nuca, selando nossos lábios, retribui o beijo e sorri, Matt pediu passagem com a língua e eu a deixar entrar em minha boca, formando uma pequena "batalha" em meio do nosso beijo. Me sentei no sofá separando nossos lábios e o garoto entendeu, também se sentou e eu me sentei em seu colo. Suas mãos passearam em minha cintura e logo descendo para minha bunda, dando apertões. Minhas mãos foram de encontro ao seu cabelo, o puxando e bagunçando. Matt descolou nossos lábios e passou a beijar meu pescoço, tombei a cabeça para lado enquanto arfava, ele depositava chupões e aumentava os apertões em minhas nádegas.

Comecei a rebolar em seu colo e essa foi a vez do garoto arfar, sua mão gélida invadiu minha camisa, fazendo movimentos como se desenhasse figuras com os dedos em minhas costas, causando arrepios, enquanto sua outra mão apertava minha coxa. Arranhei sua nuca e Matthew gemeu baixo, me fazendo sorrir. Selei nossos lábios novamente e então Matt me deitou no sofá, ficando por cima, minhas mãos foram para a barra de sua camisa, que em questão de segundos estava jogada pela sala, assim como a minha que ele também havia acabado de retirar.

Ele começou a distribuir beijos molhados por minha barriga enquanto observava atentamente minhas reações. Ele iria me enlouquecer, e nem havia chegado ao ponto. O puxei de volta e selei nossos lábios iniciando um beijo caloroso e desesperado.

Me arrepiei quando seus dedos tocaram minhas costas a procura do feixe do sutiã que logo foi encontrado, mas não aberto, pois um barulho na porta assustou Matt que acabou caindo no chão. Cameron passou pela porta como um furacão e nem nos percebendo ali, começou a tirar seu blazer e camisa nervoso e as jogou no chão.

— Cameron? — perguntei segurando a peça que cobria meus seios, o olhar raivoso do moreno se encontrou ao meu e ele arregalou os olhos e depois olhou para Matt que acabara de se levantar ao meu lado.

— Me desculpem atrapalhar. — Cameron disse e subiu para o quarto tão rápido que mal pude ver e depois bateu a porta gerando um estrondo que ecoou pela casa.

— Eu vou ir falar com ele. — falei para Matt que assentiu e pegou sua camisa no chão, constrangido.

— Er.. Eu vou indo, Emy. — calçou seu tênis rapidamente, acenou e saiu correndo até a porta, mas deu meia volta no caminho. Pegou seu celular e se dirigiu a mim, me dando um selinho e sorrindo, se virou e foi embora, me deixando sorrindo feito boba. Mas logo outro barulho no quarto de Cameron me dispersou, tranquei a porta e corri até seu quarto que estava trancado.

— Cam? — bati fraco na porta aguardando uma resposta. Que não veio. — Cameron? Abre a porta.

— Cameron não está. — falou com uma voz robótica, me fazendo rir.

— Aé? E quem está falando? ­— me apoiei na porta e ouvi sua risada abafada.

— A caixa eletrônica dele. — falou, dessa vez, com voz normal.

— Mudou de voz rápido né? — ri e neguei com a cabeça — vai logo, Cam.

Me encostei na porta, sabendo que ele ia fazer manha, e aguardei ele abrir. Quase caí para dentro do quarto quando ele abriu a porta, mas o moreno me segurou, seus olhos estavam vermelhos, aparentemente de chorar.

— O que aconteceu? — observei sua expressão triste, ele suspirou e olhou para os lados.

— Deu tudo errado. Primeiro ela nem gostou da roupa! — exclamou e eu arregalei os olhos.

— Mas é claro, eu fico muito mais gostosa e melhor nessa roupa! — dei uma "voltinha" para que ele me olhasse com a roupa, Cameron riu me olhando e abaixou a cabeça negando.

— Só você mesmo. Já pensou em ser palhaça? ­— perguntou me fazendo rir, revirei os olhos e fiz um gesto com a cabeça para que ele continuasse a contar a história de seu encontro. — Bom, eu a busquei em casa, como havíamos combinado, ela estava linda como sempre, mas assim que me viu fez uma careta não muito legal. Aí eu a levei para o restaurante e ela pareceu não gostar da comida pois nem comeu tudo. — olhou para os lados buscando palavras.— No parque, nós estavamos andando, eu tentei pegar na mão dela, mas ela não gostou da ideia, e então apareceu uma garota que provavelmente seria amiga dela, as duas ficaram conversando e eu fiquei feito uma estátua lá parado, então resolvi que iria embora, e ela simplesmente falou tchau sem nem olhar para minha cara! ELA ME DEU TCHAU! SIMPLESMENTE! — se exaltou no final arregalando os olhos.

— Eu não acredito! Como ela pode rejeitar você assim tão.. gostoso. — ri com as minhas palavras e Cam sorriu de lado. — Tenho certeza que ela vai perceber a burrada que fez e vai correr atrás do prejuízo. Mas se ela não voltar atrás, bola pra frente meu amigo, tem muita garota na fila ainda, você é Cameron Dallas, o gostosão da escola!

— Você fala como se "gostoso" — fez aspas com os dedos — fosse um adjetivo feito só pra mim.. pode até ser, mas é engraçado você falando desse jeito!

— Querido, você é o adjetivo, por exemplo, quando eu ver alguém bonito, eu posso falar "nossa, você está tão Cameron Dallas hoje!" tá vendo? Olha só pra você! Vai sofrer por uma garota que não sabe valorizar o que é bom? — arqueei a sobrancelha e o moreno me encarava sorrindo.

— Emy, muito obrigado por aparecer na minha vida. Você é a melhor amiga que se pode ter! — me puxou me abraçando, um sorriso enorme tomou conta de meus lábios.

— Não é por nada, Cam. Eu nem sou tão boa assim.. — ri envergonhada e ele encheu minha bochecha de beijos.

— Eu já sei o que podemos fazer agora! — falou animado me soltando de seu abraço. Ele me olhou com uma cara maliciosa. — Banho de piscina!

— Mas eu nem tenho roupa pra isso! — exclamei e ele revirou os olhos.

— Vai com a roupa de baixo mesmo, eu te empresto minha roupa depois. — deu de ombros e eu concordei.

— Então vamos! — levantei da cama e o puxei, mas ele me puxou de volta.

— Antes volta aqui e me esclarece uma coisa, senhorita Marshal.. — lá vem bosta — o que está rolando entre você e o Matt?

— Eu não sei, Cam. Mas você tem razão, ele me faz sentir coisas que nunca imaginei que sentiria. — sorri fraco, ele semicerrou os olhos mas sorriu em seguida.

— Ficou feliz por você, pequena gafanhota. — me abraçou de lado e beijou minha testa. — Se ele te magoar, eu quebro aquela cara fofinha dele. — disse me fazendo rir, o abracei de volta. —Tá, agora vamos!

Me levantei da cama e saímos do quarto correndo, quase rolando na escada. Chegamos na parte de piscina, Cameron tirou sua calça e me aguardou tirar a minha roupa, que na verdade era dele. Tirei o blazer e a camisa, Cam segurou minha mão e entrelaçou nossos dedos, corremos juntos até a piscina e pulamos juntos, espalhando água para todo lado, voltei para superfície rindo, mas Cameron ainda não havia retornado, esperei por mais alguns segundos e nada.

— Cam! — tentei o procurar, mas eu não conseguia o ver debaixo d'água. — Cameron, se você estiver zoando com a minha cara eu vou.. AAH! SEU IDIOTA! — ele me puxou pelo pé, me dando um enorme susto. — Seu filho de uma mãe, eu fiquei preocupada!

— Eu estou aqui! —disse gargalhando. — Foi mal, mas cara, você tinha que ver sua cara!

Acabei por rindo de sua risada estranha e estapeei seu peitoral, resmungando.

— Chega, chega. Foi mal. Eu te amo gafanhota. — me abraçou e uma palpitação estranha tomou conta de meu peito, me deixando colada em seu corpo e levemente constrangida por estar só de lingerie, ainda mais branca.

Eu também te amo, Cam.


Notas Finais


E ai? O que acharam? Não deixem de deixar suas opiniões, eu adoro ler comentários.
Pra quem quiser conversar comigo, meu Twitter é @girltowilk. Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...