História My Police - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Deadpool, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Buchanan "Bucky" Barnes, James Rupert "Rhodey" Rhodes, Nick Fury, Pepper Potts, Peter Parker, Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Steve Rogers, Tia May, Visão, Wade Willson (Deadpool)
Tags Spideypool, Stony
Exibições 131
Palavras 2.236
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoas, eu sei eu demorei, mas em minha defesa na primeira semana estava sem um capitulo pronto e não fazia ideia do que escrever, as vezes eu tenho esses bloqueios momentâneos. Então eu escrevi o capitulo e advinhem? A internet caiu na terça e só veio chegar hoje a tarde, ou seja mais um tempo sem postar. Mas finalmente tudo voltou (eu acho), então fiquem com o novo capitulo, atrasado, mas considerem. Obrigada pelos coments e favs.

-Boa Leitura!

Capítulo 7 - Acordo


-Não há de que Tony-digo. Voltamos a comer e observar o céu, até uma dúvida me ocorreu.

-Tony, aquele garoto que estava com você no carro aquela noite, é seu filho? –Perguntei pegando um pouco de suco de maracujá, estava bem fresco. Será que foi ele quem fez?

-Não, é apenas um garoto muito legal que conheci recentemente. Seu nome é Peter, Peter Parker, vocês deviam se conhecer-ele disse, depois mordeu o sanduíche natural, o que fez algumas migalhas sujar suas bochechas. Sorri.

-Está sujo aqui-disse e ele se virou para mim, estiquei minha mão passando o polegar por suas bochechas, terminando em sua nuca.

     Tony pôs sua mão em meu peito, achei que talvez fosse me parar e dizer que não, mas ele a subiu e segurou em meu pescoço. Fomos nos aproximando cada vez mais, sua respiração já se misturando com a minha. Encaixei meu outro braço em sua cintura o puxando para mais perto e enfim selei nossos lábios.

     Os lábios de Tony são tão... não tenho nem palavras para descrever o quanto eles são bons. Sinto sua língua tentar adentrar minha cavidade oral, abro a mesma facilitando o acesso. Sua língua quente e molhada logo se mistura à minha em uma dança única. Sinto ela ser sugada por seus lábios, o que me faz puxar mais sua nuca em direção ao meu rosto.

     Nossos lábios continuam a se tocar cada vez mais, quando sinto que o ar está ficando cada vez mais necessário, começo a me afastar brevemente para respirar. Tony faz o mesmo ainda me dando alguns selinhos. Quando nos afastamos tem um fio de saliva nos ligando. Abri os orbes que nem havia me dado conta de que tinha os fechados e vi Tony sorrindo para mim.

-Uau-disse com a respiração ofegante, sorri sentindo minhas bochechas quentes. Esse sem dúvida foi o melhor ósculo que já senti.

-...-fiquei encarando-o sem saber o que dizer, o que as pessoas geralmente fazem depois de trocarem saliva? Está certo sei para que caminho vai, mesmo não tendo feito algo do gênero. Olhei para Tony que deitou na grama, perto da toalha e ficou a admirar o céu estrelado. Fiz o mesmo, esticando o braço.

-O que será que tem além das estrelas? –Ele perguntou se aproximando de mim.

-Talvez um senhor-digo a primeira coisa que me vem à cabeça. Ele se aproxima mais e deita a cabeça no meu braço. Sinto uma sensação boa com isso.

-Sei que não deveria perguntar isso agora e só ficar quieto, mas como anda as investigações? –Ele se virou para mim arqueando uma sobrancelha.

-Eu já relatei o ocorrido para meu chefe, estamos investigando-respondo e ele assente voltando a posição anterior. Isso está muito bom, deveríamos sair mais vezes. Será que ele aceitaria se eu o chamasse? Não custa tentar.

-Tony você gos...-tenho minha fala cortada pelo som de Marcha Imperial que sai do meu celular, sinto a vibração em minha coxa. Estico minha mão, fazendo Tony se sentar. Faço o mesmo alcançando o celular e o levando a orelha. Atendi a chamada.

-Alô? –Perguntei.

-Rogers, estamos vendo em câmeras de segurança o fugitivo de traje vermelho, suspeito de tentativa de assassinato de Anthony Edward Stark. Irei mandar as coordenadas, Bucky e Sam já estão em perseguição, você e Romanoff vão atrás do mascarado-ouvi a voz de Fury, autoritária como sempre.

-Sim senhor-digo encerrando a ligação.

-Star Wars é sério? –Me perguntou Tony com um sorriso.

-Gosto de clássicos-respondo me pondo de per. Vejo Tony fazer o mesmo.

-Trabalho? –Perguntou e eu assenti. Observo Tony se abaixar e começar a arrumar as coisas, faço o mesmo.

-Desculpe por isso, eu gostaria de ficar mais tempo-digo quando termino de arrumar. Tony se aproxima me dando um beijo suave nos meus lábios.

-Terão outras vezes Steve-ele diz caminhando guardando as coisas no carro. Vejo um outro carro se aproximar, esse sendo um da polícia. O vidro escuro se abaixa e vejo Nat no volante.

-Vamos embora Capitão-ela diz sorrindo, sorri também. Começo a caminhar em direção ao carro.

-Até mais Tony-digo.

-Até Steve-ouço ele dizer e bater à porta do carro, logo saindo. Entro no carro, pondo o cinto. Vai ser uma longa perseguição.  

POV Autora

     Enquanto Natasha se dirigia ao último lugar que o mascarado foi visto, Sam acelerava o carro pelas ruas da cidade, assim como Bucky. Ambos indo em apenas um alvo: Policias da Hydra. Os policias fugitivos estavam em dois carros, carregavam um importante documento para ser entregue ao chefe.

     Um dos carros virou para a esquerda e Bucky o seguiu fazendo o mesmo, a rua na qual entrará era uma rua praticamente vazia, o que para o policial de braço biônico era ótimo. Bucky vendo que o cara do carro da frente iria avançar até onde desse, pegou um dispositivo de travar pneus e jogou pela janela.

     Logo o dispositivo encostou na roda do carro, travando a mesma. O veículo perdeu o controle e antes que batesse em um hidrante parou. Bucky parou o carro de polícia próximo do outro carro e saiu. O homem da Hydra saiu correndo do carro ainda tentando fugir. Bucky em um tiro paralisante, parou o homem que caiu inerte no chão.

-Sam eu peguei-disse no rádio para o amigo que se aproximava com o carro. No mesmo só tinha ele.

-Ele escapou-disse quando deixou o veículo. O policial de braço biônico apenas assentiu pegando as algemas e prendendo o cara tão logo o levando para o fundo do carro.

-Parece que me deve uma bebida-Bucky disse sorrindo para Sam que apenas resmungou voltando para seu carro.

     Enquanto isso...

     Natasha seguia andando com o carro, enquanto Steve olhava para os topos do prédio a procura da figura mascarada, até que a mesma surgiu pulando de um prédio para o outro. Steve apontou naquela direção, Natasha assentiu. Ambos tiraram os cintos e rapidamente trocaram de lugar um com o outro.

     Steve pegou no volante antes que o mesmo virasse sozinho e batesse em um hidrante. Natasha desceu o vidro do seu lado e pegou uma arma paralisadora de pulso. Se sentou na onde o vidro estava antes e passou a mirar no mascarado. O mesmo ao ver que estava na mira da policial, pegou sua arma e disparou.

     Devido a corrida seu tiro havia errado por pouco passando de raspão do rosto da policial, que sem mais delongas atirou no mascarado, antes que o mesmo pudesse desviar a bala paralisante atingiu seu uniforme, logo seus músculos passaram a dar espasmos e quando foi pular entre dois prédios, seu corpo inteiro travou e ele caiu no vão.

     Steve esperou Natasha voltar para dentro do carro e freio o mesmo, parando perto do beco onde o mascarado havia caído e ainda se debatia gemendo de dor no chão. A ruiva e o loiro saíram do carro e pegaram armas apontando para o homem caído do beco. O mesmo vendo aproximação dos policias tentou se levantar, falhando miseravelmente.

-Parado-disse Natasha na frente de Steve, o mascarado resmungou desistindo de tentar sair, não havia saída ali ou havia?

     A ruiva se aproximou do homem pegando seus pulsos e prendendo com uma algema, Steve guardou sua arma e ajudou o mascarado a se levantar do chão. Por debaixo da máscara, havia um sorriso em seus lábios. Nem ele mesmo sabia o motivo dele. Com a ajuda de Steve o homem foi levado até o carro, onde se sentou no banco de trás.

     Natasha entrou pelo lado do motorista, tão logo pondo o cinto, Steve fez o mesmo trancando as portas do carro. A ruiva deu a partida. Foi dirigindo calmamente pelas ruas até chegar em frente ao enorme prédio da S.H.I.E.L.D. o mascarado se arrepiou ao ver a construção e naquele momento constatou o óbvio. Estava fudido.

     Com o loiro descendo do carro e levando o mascarado junto, Natasha acenou para Steve e deu partida para uma nova missão. O loiro foi levando o mascarado para dentro da delegacia, o mesmo sentia os olhares de policias, não abaixou a cabeça seguiu andando atrapalhada mente com a mesma erguida.

     Steve passou por um guarda volumes de provas e começou a tirar todo tipo de armamento que encontrava na roupa do outro, pistolas, katanas, granadas, adaga. Guardou tudo em uma caixa e escreveu o nome de mascarado na frente. Empurrou a caixa para onde estava antes e voltou a seguir o caminho que estava fazendo antes.

     Phil Coulson estava à espera de Steve, quando viu que se aproxima entrou na sala de Fury e o avisou, saiu pouco depois. Coulson apontou para sala de interrogatório, o loiro assentiu e caminhou com o mascarado até a sala. Abriu a porta com o pé e algemou o mascarado a mesa, o mesmo se sentou na cadeira e Steve saiu.

-Soube que você tentou matar Anthony Edward Stark, fora isso matou muitos outros, não é? –Das sombra surgiu Fury com seu típico sobretudo e tapa-olho negro.

-Não sei do que está falando-respondeu o mascarado.

-Sabe sim, mas admito você tem um potencial. A pergunta que tenho a você é por que? –Disse o delegado apoiando ambas as mãos na mesa. O homem sorrio por debaixo da máscara.

-É o meu trabalho, fui contratado para mata-lo-respondeu e Fury assentiu, levou a mão ao queixo e ficou analisando o homem de vermelho a sua frente.

-Quem o contratou? –Perguntou.

-Desculpe aí, mas não delato meus clientes-disse cruzando a perna por cima da outra.

-Então temos um problema, mas que tal um acordo? –Perguntou Fury finalmente se sentando de frente para o mercenário.

-Que tipo de acordo? –Perguntou descruzando as pernas e movendo seu tronco para frente, ligeiramente interessado no rumo daquela conversa.

-Você nos diz que foi que te contratou e nós passaremos uma borracha na sua ficha, poderá trabalhar conosco para que sua ficha continue assim ou servirá de guarda-costas do senhor Stark a escolha é sua, senhor Wilson-disse o homem de preto segurando a ficha de Wade.

     Vai lá Wade aceita essa parada, é até bom por que você pode ficar perto daquele garoto moreno.

     Deveria aceitar esse negócio aí, mas só para limpar tua cara por que tu está bem fudido.

-Mas se eu aceitar eu serei um guarda-costas-resmungou o mercenário baixinho, apenas para suas vozes ouvi-lo.

     Antes guarda costas do que a Vanessa descobrir que você foi preso, aceita logo.

     Você não vai passar o casamento na cadeia neh? Se bem que seria uma boa a gente poderia encontrar aquela cara lá.

     Está maluco, não podemos encontrar com aquele cara, a gente que pôs ele aqui

-Eu vou aceitar-disse novamente baixo, viu Fury cruzar os braços começando a ficar impaciente.

     Se bem que talvez não seja uma boa ideia.

     Foda-se eu aceito.

-Dois contra um, eu aceito ser o guarda costas –disse Wade com o volume da voz pouco elevado se levantando da cadeira, Fury o olhou curioso. Que cara estranho, pensou. Se levantou tirando as algemas de Wade e o encarando.

-Certo Wilson, irei informar sobre sua posição para o senhor Stark, meu assistente irá entrar e você irá dizer para ele quem é que te contratou-disse Fury autoritário deixando a sala. Wade massageou os pulsos. Logo a porta se abriu novamente e por ela Coulson passou.

-Senhor Wilson, podemos nos sentar? –Perguntou Phil já se sentando, Wade fez o mesmo.

-É o Ultron-disse sem rodeios.

     Coulson assentiu, pegou o tablet jogando a informação no sistema. Logo uma figura de aparência um tanto quanto peculiar surgiu, se a sua pele fosse cinza ou azul metálico poderia dizer que ele era um robô, seu rosto perfeitamente assimétrico. Coulson conhecia aquele homem, era pai do advogado do Stark e o melhor. Sabia exatamente seu endereço.

-Obrigada pela ajuda senhor Wilson, aqui está o endereço do Stark. Já resolvemos tudo poderá começar amanhã de manhã. E se tentar fugir acharemos o senhor novamente-disse Coulson se levantando da mesa deixando Wade com um papel com o endereço e saindo da sala. O mesmo constatou que já poderia ir.

     Deu de ombros pegando o papel e guardando no bolso do seu uniforme, deixou a sala andando pelos corredores da delegacia que aos poucos ia ficando cada vez mais vazios. Antes de ir foi para o guarda volume, aproveitou que não havia ninguém olhando e pegou seu armamento de volta. Sabia que existia câmeras ali, já tinha observando-as antes, mas mesmo assim pegou suas armas.

     Saiu do enorme prédio e foi caminhando pelas ruas da cidade, que estava praticamente deserta nessa hora da noite. Quando estava se aproximando de sua casa, uma dúvida surgiu em sua mente, “Será que o Stark vai me pagar? ”, se questionou. Havia esquecido completamente que ser um mercenário era seu sustento.

    Deu de ombros depois pensaria nisso, por hora queria apenas descansar. Entrou no apartamento e foi se despindo de sua roupa e tirando as armas da mesma. Chegou no quarto, encontrando a noiva deitada na cama com alguma camiseta sua e uma calcinha vermelha. Sorrio se aproximando tirando a cueca e indo para o pequeno banheiro.

     Jogou uma água no corpo e secou o mesmo com uma toalha vermelha que tinha dentro do banheiro, vestiu uma cueca branca e voltou para o quarto, onde se deitou ao lado de Vanessa e a abraçou. Respirou anasalado sentindo o cheiro dos fios castanhos da amada, depositou um beijo em sua nuca e fechou os orbes. E assim adormeceu.


Notas Finais


Bem foi isso espero que tenham gostado do capitulo, hmm Wade agora servirá de guarda-costas para Tony Stark, onde será que isso vai dar? E que confusão era aquele quando ele estava pensando no acordo? Como vai ser quando Peter e Steve se conhecerem devidamente? Bom, nos vemos na semana que vem. Até mais. Kisus.
Ps:As vozes do Wade, estarão em Itálico e negrito, mas não entre parenteses. Acho que já deu para perceber, mas passei só pra avisar pra quem ficou confuso naquela parte.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...