História My Precious Daddy - (Jikook - Incesto) - Capítulo 20


Escrita por: ~ e ~TwiceLee

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Appa, Baby, Daddy, Incesto, Jikook, Namjin, Parknanah, Taeyoonseok, Yoonkook
Exibições 495
Palavras 1.286
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


AAAAAAAAAAH, ESTAMOS EM QUASE 600 FAVORITOS, MEU DEUS. MUITO OBRIGADA MEUS BOLINHOS ❤😍🌈

BOA LEITURA ❤

Capítulo 20 - Chapter Twelve


Fanfic / Fanfiction My Precious Daddy - (Jikook - Incesto) - Capítulo 20 - Chapter Twelve

A empresa era algo de se orgulhar vindo de Park Jimin. Nunca pensou que iria ter um grande sucesso e também virar um grande empresário. Mas como sabemos, seus pensamentos então totalmente perdidos em Jeongguk.

Pelo o quê Choi disse, ele estava estático. Oras, pensava que era apenas algum desejo que logo iria passar, mas depois do dia que se tornaram um só, cresceu ainda mais.

E ela estava absolutamente certa do que disse, não eram apenas desejos e sim amor. Algo que para si, estava fora de cogitação e nunca pensaria que estava perdidamente apaixonado por aquele sorriso cativante que só Jeongguk tem.

Mas perdido nas mãos de Yoongi. Ouvindo por outras pessoas, ambos estavam namorando e isto o deixou atordoado. Claro que não poderia ter mais nada com Jeongguk ou perderá sua empresa por míseros boatos porém boatos verdadeiros.

Park apenas queria ter um bom futuro ao lado de Jeongguk, o ver apenas como filho mas a cada dia que passa está sendo ainda mais difícil.

— Já pensou nisto? Você realmente não sabia? Park Jimin, você é um idiota.

— Eram apenas desejos...

— Não, não eram. Talvez no início fosse, mas agora, não são mais. Você está apaixonado por ele e não irá sossegar esse coração até o ter para si. É tão ruim dizer isto.

— Porque?

— Voce pode até não me amar tanto quando ele, mas eu te amo, Jimin. Mas ao invés disso, eu quero te ver feliz acima de tudo. Mesmo que seja com o Jeongguk. — esta revirou os olhos, oras não gostava de Jeongguk.

— Porque está me ajudando?

— Não estou gostando do que estou fazendo. Se eu continuasse, nada iria progredir. — suspirou fundo, o olhando nos olhos. — Mas se ele não quiser, eu tô aqui, sabe? Assim podemos-...

— Já chega. Você sabe que não.

— É, eu tentei. O quê está esperando seu cretino? Vá atrás do coelho fujão.

— Eu não posso.

— Porra, Jimin. Eu toda aqui emotiva falando pra você ir atrás do viado lá e você nem dá ideia. É difícil, sabia?

— Eu não confio em você.

— Mas devia.

Park suspirou fundo, enquanto pensava na empresa. Não queria que seu bem mais precioso fosse por água abaixo. Sabia que se voltasse com Jeongguk, algo poderia acontecer, ele sentia que algo ruim estava por vir e preferia manter quieto.

— Tenho que ir para a empresa, você me espera aqui?

— Vai se encontrar com a vagabunda da Jisoo?

— Ela não fez nada pra você, para de xingar ela.

— Não paro não. E ela fez sim, falou com o meu homem e ainda deu suspeitas.

— Não sou seu homem.

Mas é o pai do meu filho.

Este revirou os olhos enquanto pegava suas coisas. Mas necessariamente seu celular indo rumo a grande empresa, Park's.

Estava atrasado e ainda manteve Jisoo esperando. Mas estava pouco se importando, apenas queria tratar de algumas coisas com a mesma. Ela não era estranha para Park. Já havia a visto em algum lugar.

Talvez bem antes de Jeongguk nascer.

(...)

— Hyung, deixe-me pelo menos ir a empresa. Mesmo com tudo isto, eu estou com saudades dele e poxa! Ele é meu pai.

— O pai que já transou contigo.

— Yoongi! Aigoo, vamos. Me leve até lá.

— Tá bom, tá bom. Mas, o que eu ganho com isso?

— Em casa eu te dou.

— Eita, assim, do nada? Tá bem.

— Não, idiota. Não é o que está pensando...

— Mas é o que eu quero.

— Vamos logo, Yoongi.

— Está bem, calma.

Yoongi dirigia rapidamente a empresa. Eu precisava ver papai, eu apenas queria o abraçar bem forte. Mesmo com todas as coisas que já aconteceram eu não conseguia ficar longe dele. Talvez ele nem sinta saudades de mim, mas eu sim.

O vendo frio batia a si o deixando arrepiado. Seul nunca esteve tão frio como antes, as nuvens estavam negras e o céu estava cinza.

Algo de ruim está por vir.

— Obrigado, Hyung. — este correu apressado.

— Espera Jeongguk, não quer que eu te leve para-...

— Até mais. — acenou, enquanto entrava a grande empresa.

Yoongi murmurava altos palavrões, estava inconformado. Seu plano de conquistar Jeongguk estava falhando. E ele não iria conseguir, era isto que pensava. Mas desistir logo agora que o pobre rapaz aceitou o namorar?

É difícil, pois aquele coração pertence a um só. Mas este não iria desistir de seu grande amor de infância. Custe o que custar, ele iria tentar.

Nós lhe desejamos boa sorte, Yoongi.

— Omo! Jeongguk?

— Jisoo? — falou meio incerto, aliás, não estava lembrado de seu nome. Naquela noite ele estava tão preocupado.

— O quê faz aqui?

— Vim ver Papai. Ele está aqui? Estou com pressa...

— Jimin me disse para o esperar em sua sala porém já faz meia hora que estou aqui.

— Jimin?

— Sim.

— Tem tanta intimidade para o chamar assim?

— Desculpe. É força do hábito. Então, ele estava com a Choi. Sabia que ela está grávida?

Era verdade. Realmente era. Não foi um incidente ontem. Jeongguk havia notado naquele dia. Estava estático, com os olhos arregalados enquanto a pobre moça chamava pelo seu nome.

— Jeongguk!? Eu disse algo que não devia?

— Não. Não disse... Me fez até um favor. — este sorriu um pouco forçado.

Queria sair dali agora antes que chorasse na frente de Jisoo. A deu um simples tchau enquanto a mesma o chamava novamente, funcionários e empresários que também estavam na empresa os olhavam atentamente.

Sem perceber, havia batido em alguém e era quem menos esperava. Se antes estava com uma imensa saudades, agora havia se ido embora. Queria apenas ir para algum lugar calmo e pensar, pensar no que fazer.

Se esta realmente certo de ficar com Yoongi.

Se está certo aceitar tudo isso.

Se está certo deixar a pessoa que ama para trás.

E não, não está certo. Sabemos disto, mas para Jeongguk estava tudo tão confuso.

— O quê você faz aqui? Jeongguk! — se assustou com a voz de Jimin perante a si. Este estava com raiva, mas poxa, descontando em seu próprio filho?

— E-Eu vim te ver...

— Para?

Jeongguk levantou seu olhar firme para Jimin. Como ele ainda pergunta isto? Estão a dois dias sem se ver e pode até parecer pouco mas para Jeongguk estava um caos em seu coração, em sua mente.

— Você ainda pergunta? Eu queria te ver, matar as saudades mesmo que apenas estamos sem nos ver a alguns dias. Pode parecer pouco para você mas para mim não. Você sabe que eu te-...

Este o puxou, para o elevador tampando rapidamente sua boca. Jeongguk estava sem entender absolutamente nada.

— Você está maluco?

— O quê?

— Dizer isto em frente a empresa? Na frente de todos? Jeon Jeongguk, você quer arruinar a minha imagem?

— Então é isso. Você se preocupa mais com a empresa do que comigo.

— Sabe que não-...

— Sei muito bem, Jimin. Eu queria te abraçar, te beijar mas parece que eu não sou mais nada para você.

— Você é tudo para mim, eu só não quero que isto estrague nosso presente, mais necessariamente nosso futuro.

— Você está pensando no seu futuro e não no nosso.

— Não, Jeongguk. Eu-...

— Desculpe, atrapalhei algo? Sr. Park?

— O quê quer?

— Todos estão preocupados com vocês. Acham que estão brigando.

Rapidamente, sem pensar nem duas vezes, Park saiu do elevador os deixando. Jisoo observava Jeongguk com cautela como se estivesse a lembrar de algo.

— Jeongguk. Sua mãe... Você se lembra dela?

— Mas é claro, não muito mas lembro.

— Se lembra quando estava em um aeroporto com Seulgi?

— Como? Eu nunca estive em um aeroporto com mamãe. E como sabe o nome de minha dela?

— São apenas perguntas, Jeongguk. Realmente não se lembra?

— Não...

— Ele não se lembra... — esta murmurou.

— O quê disse?

— Nada demais. Licença. — Jisoo saiu, caminhando até o escritório de seu pai.

Algo estava errado. E realmente estava.


Notas Finais


Rsrsrs

Algo de errado não está certo.

Tá vindo uma bomba aiii. Fiquem ligados :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...