História My Precious Daddy - (Jikook - Incesto) - Capítulo 33


Escrita por: ~ e ~TwiceLee

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Appa, Baby, Daddy, Incesto, Jikook, Namjin, Parknanah, Taeyoonseok, Yoonkook
Visualizações 776
Palavras 1.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu espero que gostem, já está prestes a acabar e isto me deixa triste mas não se esqueçam que outra fanfic está por vir.

Amo vocês.

Capítulo 33 - Chapter Twenty Three


Fanfic / Fanfiction My Precious Daddy - (Jikook - Incesto) - Capítulo 33 - Chapter Twenty Three

O Dia estava péssimo, o sorriso de ambos se foram como uma folha ao ser levada pelo vento e nunca mais ser vista. Estavam no enterro de Wang Choi, aquela que sempre bagunçava e atrapalhava o relacionamento dos dois. Mas com o tempo, vimos que era apenas uma pessoa sensível e com fortes sentimentos a flor da pele.

O dia estava realmente cinza. Os corações das pessoas pareciam que estavam morrendo. Principalmente Jeongguk por ter perdido uma segunda mãe. 

Jeongguk tinha conhecido a verdadeira Choi, não aquela que atrapalhava ambos e sim a moça gentil e boa que era. Jihyun estava em seus braços enquanto Jimin estava em um canto um tanto quieto.

Jeongguk o olhava com os olhos vermelhos, aliás havia chorado tanto. Não estava suportando essa dor que estava sentindo. Era ruim demais.

— O quê será que ele deve estar pensando, irmãozinho? — Ele perguntou para si mesmo, um tanto curioso.

Jimin estava tão avoado em seus pensamentos que nem piscava. O quê ele poderia estar pensando?

Jihyun estava calado, não estava rindo e nem sorrindo. Será que ele também sabe o que está acontecendo? Será que ele também está triste?

Ah, Jihyun… me perdoe, eu e Jimin iremos cuidar de você. Iremos ter dar muito amor e carinho.

A família de Choi estava presente, enquanto eu via Jimin ainda um tanto longe e perdido. Caminhei até si com Jihyun nos braços e o vi acordar, ele realmente estava pensando em algo.

— Porque tanto fica aí? — perguntei, deixando que algumas lágrimas caissem.

— Não chore meu amor. Sabe que ela está em um bom lugar agora. — ele enxugou minhas lágrimas.

— Eu estou com medo, Jimin. Jisoo a matou e quem sabe o próximo será eu.

— Ei! Não diga uma bobagem dessas, eu irei te proteger daquela mulher louca. Eu estou do seu lado, eu e Jihyun estamos.

— Eu te amo tanto. — sorri, lhe dando um selinho.

— Eu também te amo tanto meu amor, agora pare de chorar. Odeio te ver assim, cabisbaixo e tristonho.

— É que essa dor é muito grande. Por mais que ela tenha feito coisas horríveis com nós dois ela se mostrou uma pessoa de bem depois, eu posso dizer que conheci a verdadeira Choi, Jimin. Eu a amo. Ela estava sendo uma mãe para mim. Você devia saber das coisas que ela me falava sobre você. — e novamente eu cai lágrimas.

— Ei! Shhh… calma, calma. Quer me contar? Desabafe um pouco sobre o quê vocês conversavam. — ele pegou Jihyun e se sentou em um banco.

Caminhei um tanto rápido e me sentei ao seu lado, o abraçando de lado e segurando os dedinhos de Jihyun.

— Pode dizer, amor. Estarei lhe ouvindo. — Jimin entrelaçou nossas mãos.

— Bem… por uma parte ela mencionava bastante você, o quanto te amava… Eu até pensei em tentar juntar vocês dois mais aí eu vi que não poderia viver sem você e seria muito egoísta da minha parte ter você só pra mim, eu pensei em sermos um trio mas…

— Jeongguk. — ele me olhou serio.

— Hunh?…

— Você sabia que eu não iria concordar, não é?

— Sim… mas, porquê?

— Por quê eu te amo mais do que tudo e se fossemos um casal a trio eu não iria conseguir a dar atenção pois eu somente iria pensar em você, em seus lábios e o quando você é lindo. Eu me sinto praticamente vivo estando ao seu lado.

— Jimin…

— Sabe que eu te amo muito, mas eu não iria aceitar. E eu espero que cuide de Jihyun tanto quando cuidou de Choi. Ele é seu verdadeiro irmãozinho.

— Eu espero que ele não se apaixone por você. — Jimin riu.

— E não vai, podoe deixar. Você é o único em meu coração.

(…)

O enterro havia acabado e eu e Jimin havíamos ficado mais um pouco. Observando o túmulo dela com seus flores preferidas, as tulipas.

Por um lado eu me sentia triste e pelo outro feliz. Eu não sei mas parece que a presença de Choi estava por perto, eu sentia que ela não queria me ver triste e não vou, não mais.

— Jimin, vamos nos mudar ou continuar na mesma casa?

— Na mesma casa, porque nos mudar?

— Você sabe, a Jisoo… eu tenho medo que ela sequestros novamente Jihyun.

— Fique calmo, da última vez que a vi no aeroporto foi caída no chão de tanto ser humilhada.

— E você acha que ela não vai voltar?

— Eu tenho certeza meu anjo, se acalme. — me deu um beijinho na testa.

— Não consigo, eu penso que a qualquer momento ela irá aparecer.

— Vamos dormir então, já está tarde.

— Tudo bem… — suspirei. — Irei dormir com Jihyun.

— A não, quero dormir juntingo contigo. Sentindo seu cheiro…

— Mas…

— Coloque ele no nosso quarto.

— Tudo bem.

Subimos para o quarto, Jimin havia levado o berço de Jihyun para o nosso quarto. Ambos de banho tomados estávamos deitados na cama. Jimin me abraçava tão forte que eu me sentia a pessoa mais segura deste mundo.

Eu sentia seus beijos pelo meu pescoço até meu ombro, eu sei que ele queria algo e eu também queria. Me virei de frente para si, tendo a visão de seu peitoral exposto. Me sentei em seu colo e o vi sorrir malicioso.

Eu o adorava quando me pegava de jeito. Eu corava tão fácil que me sentia envergonhado. Jimin é uma pessoa possessiva e particularmente eu adoro esse lado dele. 

Jimin era a pessoa mais pervertida que eu conhecia, sempre queria por mais e não se cansava de nada. Até eu mesmo ficava surpreso por isso.

Rebolei em seu colo sentindo algo em baixo de mim endurecer, suas mãos ágeis se pousaram em minha cintura. Me abaixei para poder beijá-lo porém a Luiz havia sido acesa do nada.

— Estou atrapalhando? — ouvimos aquela bendita voz.

J-JISOO?

Eu arregalei os olhos saindo totalmente de cima de Jimin enquanto o mesmo estava paralisado.

Jisoo estava mexendo em sua bolsa, eu poderia enxergar que poderia ser algo perigoso.

— Então, que vai se juntar ao lado de Choi? — ela gargalhou.

— Jimin? Jeongguk ou Jihyun?

Foi quando a vi sacar uma arma e apontar diretamente para mim.


Notas Finais


Não me matem akskas

Meu perfil ↪ @ParkNanah

Me Sigam no Twitter

↪ @TopeiraBiased


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...