História My Prince - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjim, Romance, Suga, Vhope
Visualizações 17
Palavras 2.228
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


RESSURGI DAS TREVAS

Capítulo 7 - Seven


Fanfic / Fanfiction My Prince - Capítulo 7 - Seven

Autora p.o.v.s 

Palácio, 13: 43

Como dito antes, um breve cochilo, pois poucos minutos após conseguir pegar no sono, Jungkook sente um peso a mais em seu corpo.

Abre lentamente os olhos, até perceber que quem estava encima de si, não era nada mais nada menos, que Park Jimin, gemendo palavras desconexas enquanto roçava seu membro desperto com o do namorado, que em pouco tempo ficou na mesma situação. 

"E lá vamos nós"

Pensou o alfa. 

Agarrou o rosto de Jimin, e então o beijou com voracidade e desejo, de uma forma quase bruta. Em poucos segundos, ambos perdem o ar, Jungkook fita os olhos escuros desceu namorado, cujas orbes pareciam arder em pura luxúria. 

O moreno então, dá um último selinho em seu namorado, antes de se levantar, e então revira sua mochila, de onde tira a sacola com tudo que Namjoom lhe comprou, entre tudo isso, o mais importante de todos, a camisinha. 

Ele tira toda sua roupa, rasga a embalagem e por fim envolve seu membro com a mesma. Ao se virar para a cama, se depara com um Jimin praticamente agonizando.

- Kook... anda logo!

O cheiro de Jimin, agora era a única fragrância sentida no cômodo, estava tão forte e tão embriagante, A ponto de deixar Jungkook tonto por alguns segundos. Mas ao passo em que sua tontura passava, sua excitação se tornava mais presente. Bem visível em seu pênis que começou a latejar em doer em tamanha nessecidade. 

Sem mais delongas, Jungkook vai para cima do namorado, o beijando mais uma vez enquanto bombeava seu membro, ao se separarem, o mais alto se encosta na cabeceira da cama. Deixando Jimin confuso. Entendendo oque o outro queria apenas quando este bateu em suas coxas, em um sinal para que sentasse ali.

- Quer cavalgar no seu oppa?

Jimin logo deixa seu lugar na cama, indo até o colo do namorado e deixando um rastro fino de lubrificante natural no caminho. Ao se sentar no outro, sendo assim penetrado, Jimin se encolheu pelo grande alívio que lhe correu pelo corpo, começando a se movimentar, dando quicadas rápidas e precisas, vez ou outra acertando seu ponto sensível, o levando a loucura. 

Juntamente de seu namorado, que o ajudava com os movimentos, segurando sua cintura tão fortemente a ponto de tal ato deixar aquela área levemente arroxeada. Tanto quanto os chupões que eram distribuídos pelo pescoço do menor, sendo eles uma forma de abafar seus gemidos graves e sôfregos, quando não usados, eram os beijos quem faziam esse trabalho.

Ao sentir seu ápice chegando, Jimin se tornou um tanto quanto mais apertado, fazendo com que Jungkook gozasse antes do menor, que continuou com os movimentos enquanto olhava lá olhos de seu namorado. Os sentimentos passados ali eram tantos, amor, prazer, vergonha, alívio, cumplicidade. Entre outras coisas que pessoas próximas- É que se amam- Conseguem compartilhar através de um simples olhar.

Finalmente chegando ao seu ápice, o menor arqueia suas costas, tombando sua cabeça para trás enquanto seus lábios estavam entreabertos deixando um gemido manhoso e arrastado no formato do nome de Jungkook escapar.

Completamente exausto, Jungkook tira o namorado de cima de si, apenas para deita-lo calmamente ao seu lado. Um sorriso de bobo apaixonado- Não que ele não fosse um- não deixava seus lábios apesar do cansasso. 

- Oque aconteceu com aquele Jiminie fofo e tímido?- Pergunta rindo.

- Eu continuo aqui- Fala aconchegando seu rosto mais á cintura do namorado que permanecia sentado, como um gato desejando atenção do dono.

- Sei disso, bebê... agora, eu quero falar uma coisa mais séria com você.

Se deita ao lado do mais baixo,  e então o traz para seus braços. 

- Eu estava pensando, já não está na hora de nós tornarmos isso público?

Jimin podia sentir até o último pelo de seu corpo se arrepiar pela proposta, não que ele não quisesse tirar seu namoro de debaixo dos panos, longe disso, mas ele sabia muito bem as consequências.

- Kook eu... Mas... não é um pouco cedo?

- Cedo?- Jungkook o olha incrédulo- Jimin já fazem dois anos, e você me diz que ainda é Cedo?

- Desculpa, eu só queria que você entendesse que eu tenho medo das consequências, não viu como foi com o Jin e o Namjoom? Com você seria um desastre maior ainda! Não é o tipo de estrago que eu quero causar na sua vida!

- Estrago você estaria fazendo se não aceitasse isso de uma vez!- Fala sentindo o menor se encolher, recuando um pouco para longe de si.

Sim, sem ter percebido, Jungkook usou sua voz de alfa. Tipo de coisa que deixava Jimin completamente assustado, e como estava em seu cio, seus sentimentos estavam muito mais frágeis, fazendo logo o menor se encolher e chorar baixo.

Jungkook ao perceber tal ato, se arrepende. Acolhe o de cabelos rosas em seus braços, como se pudesse protege-lo de tudo no mundo, balbuciando milhares de pedidos de desculpa baixinho no meio de seu próprio choro causado pela culpa, se sentia um completo idiota e insensível por ter feito uma criaturinha tão pequena e frágil chorar.

- Desculpa anjinho, desculpa- Dizia acariciando os cabelos de Jimin- Não era minha intensão usar esse tom com você, shhh, calminha, já passou.

Este parecia um pai tentando acalmar o filho pequeno apavorado. Mas não, eram dois adolescentes em conflitos internos e externos. 

- Vamos só esquecer isso, ok?- Pergunta Jimin, claramente abalado- Tá tudo bem amor- Deposita um beijo doce nos lábios do moreno. 

- Desculpa fazer você se sentir mal amor.

- Eu já disse que está tudo bem não é?- Procura mudar de assunto- Agora... acho melhor nos vestirmos e trocar os lençóis da cama. Não acho que vá gostar de alguém nos achar assim, ou de alguma camareira ver o estado desses lençóis- Diz rindo.

- Tudo bem- Concorda rindo.

Se levantam, trocam de roupa, arrumam a cama e Jungkook joga a camisinha no lixo. Quando terminaram essas tarefas, suas disposições haviam voltado. Estavam ativos e com energia.

Voltaram para a cama, porém dessa vez, para não fazer nada além de mexer em seus celulares enquanto vez ou outra trocavam carinhos.


Jimin p.o.v.s 

Palácio, 14: 31

Tudo normal, estava mexendo em meu celular, enquanto estava na posição mais estranha possível com Jungkook. No seu colo, de frente pra ele enquanto meus braços estavam entrelaçados em seu pescoço e eu usava minhas mãos para mexer no celular enquanto ele fazia o mesmo. De certa forma, era cômico.

Estávamos mexendo em nosso aparelhos como seres sedentários que somos, até eu sentir um peso a mais na cama. Me fazendo perceber que a porta estava entreaberta, como se algo pequeno tivesse passado por ali. 

"Jinhae''

Foi uma das únicas coisas que passou em minha cabeça antes de perceber ela, a coisinha mais fofa da face da terra, ao meu  lado na cama, me assustando brevemente.

- Tá fazendo oque no meu quarto hein peste?

- Aigoo- Digo enquanto saio de seu colo, trago a menina pequena para meus braços e falo manhoso- Kookie como você trata nossa filha assim?

- Pra você ela pode até ser sua filha, mas pra mim, é minha irmã, e é uma pestinha- Fala enquanto estende sua língua para fora em um ato infantil.

- Seu chato, por isso eu gosto mais do Minie - Fala abraçando meu pescoço, e quase me sufocando, digamos que ela era forte demais pra uma criança de seis anos.

- Wowowowowoooow, calma aí sua fadinha do Paraguai- Fala se referindo às asinhas de fantasia que a menina usava- Desde quando você fala assim com o meu namorado?

Ah não, vai começar, não sei se eu rio ou se eu choro vendo esses dois.

- Desde que eu gosto muuuito mais dele, seu biscoito feio- Desta vez ela fala estendendo sua língua.

- Ora sua- Ele tira a pequena de meus braços e começa a fazer cócegas nela, cujos olhinhos grandes de boneca já estavam lacrimejando de tanto rir- Desiste agora pestinha?- Pergunta fazendo ainda mais cócegas, fazendo sua risada gostosa ecoar pelo quarto.

- S-sim... eu desisto hahahah- Dizia ainda se matando de rir.

- Me chama de oppa e eu paro.

- Oppa! Haha- Foi cortada pela própria risada- Para oppa! Por favor. 

Após Jungkook se cansar de torturar aquela pobre criaturinha, ele a solta. Esta vem diretamente pro meu colo.

- Minie, ele é muito mau! Bate nele.

Finjo dar um soquinho em Jungkook, que cai na brincadeira comigo, tendo uma reação completamente exagerada, fazendo nos dois rirmos. 

-... Vocês podem se beijar?

- Peste porque você gosta tanto de ver a gente se beijando?

Ela pensa por alguns, e então coloca as mãozinhas na cintura e fala mostrando que era a alfa mais fofa do mundo.

- Porque é mais bonito meninos com meninos e meninas com meninas, por isso eu gosto de meninas.

Ok, é oficial, eu vou adotar essa menina e ai de Jeon Jungkook se me contrariar. 

Olho para Jungkook, que assente revirando os olhos e sorrindo derrotado.

Nos aproximamos mais um pouco, e selamos os lábios de forma lenta. Ao nos separarmos, nos olhamos nos olhos durante alguns segundos, até percebermos uma Jinhae nos olhando com os olhinhos grandes brilhando, e a boca aberta formando um perfeito "o".

- Vocês... SÃO TÃO LINDOS.

Ela pula encima de nós, enquanto nós três ríamos.


Jungkook p.o.v.s

Palácio, 15:02

Estávamos rindo, até que Jinhae para, nos olha por alguns segundos e fala:

- Vocês já podem se casar?

Engulo seco e olho para o Jimin, que também procurava a resposta em mim, como se dissesse "Eu vou te matar se você não colocar uma aliança no meu dedo".

- Então né Jinhae - Diz Jimin a deixando em seu colo- Acho que nós dois vamos ter que esperar seu irmão tomar coragem- Diz semiserrando os olhos.

- Eu prometo que providenciarei este casamento para minhas duas damas o mais rápido possível- Digo embolando as palavras de uma forma esnobe e engraçada enquanto gesticulo com as mãos de forma mais esnobe ainda.

Voltamos a rir, até eu sentir meu coração falhar uma batida, ao sentir o Palácio inteiro tremer, seguido de um estrondo monstruoso.

Logo a porta é aberta de forma violenta por um guarda completamente desesperado, ele deve ser novo aqui, seu rosto não me é muito familiar. Mas isso não importa agora.

- Senhores! O castelo está sendo atacado! Me sigam, eu os instruirei até um dos abrigos do castelo!

Por puro insisto, tomo Jinhae que estava perdida e sem entederanda em meus braços, tomo as mãos de Jimin e saímos rapidamentedo quarto, seguindo o guarda por todos aqueles corredores que pareciam não ter fim. Mesmo sem o guarda eu saberia onde ficam os abrigos. 

Continuei correndo com os três, até achar um dos quadros da família. Torço uma parte da moldura, fazendo uma passagemse abrir pela parede que ia para trás aos poucos, revelando uma escada.

Eu estava indo em direção às escadas, até sentir alguém puxar Jinhae dos meus braços.

Eu olho para trás, seu rostinho molhado pelas lágrimas mostrava desespero, quem a carregava... era o mesmo guarda que eu desconhecia, este mostrava um sorriso assustador em seus lábios. 

- Oppa!- Sua vozinha assustada foi a única coisa que consegui ouvir com clareza, antes de sua figura sumir pelo corredor junto do homem que a levara. Nesta hora era como se tudo passasse em câmera lenta. Eu mais uma vez por instinto ia atrás dela, mas a porta mais uma vez se fecha. Sendo trancada por fora.

No meio do desespero, um Jimin completamente desesperado e perdido em lágrimas me puxava mais para o final da escadas para enfim chegarmos ao abrigo.

- Não dá tempo!- Foi tudo que consegui ouvir, seguido de um barulho de tiro, outro estrondo monstruoso, junto com as estruturas do castelo que tremiam junto comigo.

Sou puxado até o abrigo, depois de descer aquelas escadas que pareciam mais do que nunca, infinitamente grandes, ao chegarmos, encontramos mais algumas pessoas lá. Não consegui enxerga-las com clareza. Pois as lágrimas em meus olhos embaçavam minha visão completamente. 

- Minha irmã- Saiu um suspiro, seguido de um choque de desespero- MINHA IRMÃ!- Seguro meus cabelos, os puxando para trás no mais completo caos interno. Não ligando para qualquer uma das outras presenças ali além de mim e Jimin. 

Sou tirado de meu transe, assim que sinto um corpo se chocar contra o meu em um abraço.

- Namjoom?- Pergunto ao sentir seu cheiro, vendo seus cabelos roxos irem para perto de meus olhos.

- Cara, nós vamos ter ela de volta, ficar desesperado não vai ajudar  em nada.

E naquele abraço, eu pela primeira vez no dia, me permiti ser fraco, Namjoom apesar de ser outro alfa, era quem conseguia me trazer segurança, era quem me tornava seguro em momentos de fragilidade os quais apenas ele conhecia. 

Escondo meu rosto em seu peito e começo a chorar. Sentindo vários beijinhos em minha bochecha.

- Minha irmãzinha- Falo fraco entre o choro. 

Após alguns minutos, consigo me recuperar do choro. E então percebo que quem mais estava no abrigo conosco eram: Taehyung, Hoseok, Jin e Namjoom. 

- Onde está o Yoongi?- Pergunto aumentado ainda maior a angústia de seus ômegas.

- E-eu não sei- Responde Hobi se encolhendo ainda mais nos braços do irmão. 

- Calma seokie... ele deve estar em outro abrigo- Fala tentado manter o irmão mais novo calmo, mas ele mesmo já estava desesperado. 

Tudo que estava acontecendo, em meio a barulhos de tiro,  de explosões, às paredes do Palácio tremendo cada vez mais, o choro e desespero dos ômegas, enquanto eram acalmados uns pelos outros, e um milhão de dúvidas em minhas cabeça. 


"Quem está fazendo isso, e porquê pegaram minha irmã?"




Notas Finais


Soltei e saí correndo (Dash run run run)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...