História My Professor - Imagine Suho - EXO - Capítulo 70


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanyeol, Imagine Exo, Imagine Exok, Imagine Hot Exo, Imagine Hot Exok, Imagine Hot Kim Junmyeon, Imagine Hot Suho, Imagine Kim Junmyeon, Imagine Suho, Kim Jun Myeon, Kim Junmyeon Exo, Kpop, Sexo, Suho, Suho Exo
Exibições 1.233
Palavras 2.792
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa noite, manas!

Por GDEUS eu fiquei tão assustada por achar que a minha fic foi deletada que eu me esqueci de comentar dos +1000 favoritos. Sério quando eu vi que cheguei a esse número inimaginável pra mim eu dei um grito. Fiquei tão empolgada e emocionada que surtei.

Finalmente tomei vergonha na cara e mudei a capa da fic. Sei que não está à oitava maravilha do mundo, até porque eu sou péssima com o photoshop, mas está bem melhor do que a lixosa que estava antes. E quanto à menina na capa é a Yujin, mas acho que isso era meio obvio.

Boa leitura!

Capítulo 70 - 70


Fanfic / Fanfiction My Professor - Imagine Suho - EXO - Capítulo 70 - 70

 

-Eu adorei o Chen. – falei abrindo o meu lámen, depois de sentar a mesa. – ele é muito ele é engraçado.

-Eu também gostei dele. – Yujin se sentou a minha frente. – e também adorei as caras do Suho quando ele te chamava de Jagiya na frente do Channie e ele não podia bater nele. – perguntou me fazendo rir.

-Ele ficou puto. –falei rindo - Eu adoro quando ele fica nervosinho, mas precisa esconder, ele faz uma carinha tão fofa, dá vontade de morder.

-Dá mesmo. – ela falou ergui uma sobrancelha a olhando.

-Como é que é?

-Só estou brincando.

-Sabe o que eu quero saber?

-O que? - Ela perguntou olhando minha comida. – Eu devia ter pedido de carne de porco também. – ela pegou um pedaço da minha carne e comeu.

-Para de pegar minha comida. – empurrei o hashi dela. – E me fala logo o que o Sehun ficou falando com você quando ele voltou a se sentar a seu lado?

-Ele ficou falando do filme, e perguntou se eu gostava de ir ao cinema. – ela deu de ombros.

-E você respondeu o que? – comi um pouco.

-Que adoro ir ao cinema, principalmente com meu namorado.

-Gostei de ver, corta logo as asinhas dele, antes que ele se iluda demais como o Baek ou se demonstre um maníaco como o Jongin.

-Não acho que o Sehun faça esses tipos. Acho que ele tenta se não der não deu e parte para outra.

-Também acho, não é possível que exista dois Jongin em um único grupo de amigos né?

-Pois é... –ela me olhou e deu mais um de seus sorrisos pervertidos.

-Esta me olhando assim, por quê?

-Nada, só me lembrei de uma coisa. - ela comeu um pouco.

-Já vi que é besteira, que coisa foi essa?

-Que puxão foi aquele que o Lay te deu hein? – ela ergueu as sobrancelhas duas vezes ainda com aquele sorriso pervertido no rosto.

-Eu levei um susto com aquilo, do nada cai com tudo no colo dele. Acabei machucando o coitado.

-Machucando como?

-Você não viu? Eu cai bem em cima do membro dele.

-E como é? – ela mordeu o lábio.

-Como é o que?

-Ele é bem dotado?

-Yujin! Isso é pergunta que se faça.

-O que tem? – ela deu de ombros. – Agora me fala, ele é ou não?

-Pra que você quer saber disso?

-Curiosidade, vai falar que quando você o viu você no ficou curiosa?

-Não...

-Guarda esse papinho para o Suho, agora me fala, é grande ou não?

-Eu não sei. – falei ficando com vergonha, mexendo minha comida.

-Para de graça e me fala logo, se você sentou tão forte que chegou machucar ele, então deu pra sentir se ele é ou não. - ela comeu um pouco. – Ele tem um quadril maravilhoso – ela ficou pensativa, balancei a cabeça negativamente, e enchi a boca de macarrão. – tá na cara que tem algo bem grande ali. – me engasguei ao ouvir aquilo.

-Yujin! – comecei a rir.

-Tô vendo que você gostou do que sentiu e agora está se fazendo de santa disfarçando.

-Mas que saco hein, tá legal eu conto. Ele me pareceu ser grande sim, não dá para saber com exatidão, – ela me olhava interessada - foi coisa de segundos... Não é como se eu tivesse visto. – gesticulei – Satisfeita, agora? – a olhei.

-Quase.

-O que mais quer saber? – a olhei.

-Foi bom? – ela ergueu a sobrancelha.

-Vai a merda Yujin. – ela começou a rir – Eu vou contar para o Channie sobre esse seu interesse.

-Interesse em que? – Channie chegou com o Baek por trás de mim me assustando. E beijou minha cabeça antes de ir para seu lugar.

-Oi Channie, é que sua querida namorada estava falando so... –parei de falar quando ela chutou minha perna.

-Nada bebê. Porque você demorou? – ela deu um selinho nele.

-Estava pegando uma explicação com a professora. – ele me olhou – então (s/n) quando seu namorado e os amigos dele vão aparecer de novo?

-Bem, eu não sei...

-Como assim de novo? – Baek perguntou.

-É que ontem quando eu fui para casa delas eles estavam lá. – Channie falou.

-Você chamou eles e esqueceu de convidar nós dois? – Baek me olhou.

-Claro que não. – tomei um pouco de refrigerante- Na verdade eu nem sabia que eles iriam lá. Yujin e eu estávamos nos preparando para assistir um filme quando eles chegaram.

-Pois é acabou atrapalhando a gente a assistir Django Livre.

-Isso não é nada, quando eu cheguei lá eles tinham acabado com o brigadeiro. E essas duas aqui, - ele apontou para Yujin e eu - nem para guardar um pouco para mim.

-Mas a gente nem sabia que você iria aparecer. Muito menos eles, eu fiz para Yujin e eu comermos, e acabou que eu mesma não comi. E para de reclamar que eu fiz mais para você.

-É mesmo bebê, e outra eu quase nem comi também porque quando nós duas estávamos nos trocando eles devoraram quase tudo.

-Bando de esganados. Ate o que a (s/n) fez para mim depois eles comeram. – Baek ficou só nos olhando – Mas admito que apesar de não ter gostado da parte do brigadeiro, os caras são maneiros. Eu só não gostei muito daquele Sehun.

-Porque não? Pelo que eu vi naquele dia na boate ele é o mais legal dali. – Baek falou.

-Ele é legal, mas eu o vi olhando para a Yujin algumas vezes e eu não gostei nada disso.

-Que bonitinho com ciúmes. – Yujin falou e mordeu a bochecha do namorado.

-Abre os olhos com ele, tá? Não deixa ele ficar de gracinha contigo não ok?

-Pode deixar bebê.

-Oi gente!

-Junmyeon! – Channie falou sorrindo – veio se sentar com a gente?

-Bem que eu gostaria, mas não posso. – ele sorriu.

-Então o que quer com a gente? – o olhei.

-Eu nada, mas meu primo ligou e ele queria falar contigo. Será que você teria um minuto?

-Para o Xiumin? Eu tenho todo tempo do mundo. – me levantei. – vejo vocês na sala. – mandei beijo para eles.

-Aqui! – Suho me entregou o celular dele após fingir ligar para o primo, sai de perto dos meus amigos fingindo falar ao telefone. Suho foi me guiando até minha sala de aula que estava vazia. Ele fechou a porta e se apoiou nela me segurando pela cintura e me beijou.

-Gostei da tática de hoje, faz tempo que você não faz isso. – sorri para ele entrelaçando meus dedos em sua nuca. – mas aconteceu alguma coisa para me trazer aqui?

-Não, só estava mesmo com saudade. – ele sorriu dei um selinho nele. – Você vai mesmo lá para casa hoje né?

-Depende.

-De que?

-Você vai direto para casa ou terá algum compromisso depois da aula?

-Não, hoje vou direto para casa. – ele fazia carinho em minha cintura com os polegares.

-Então se você me der uma carona, não vejo porque não passar à tarde com meu amor. – falei sorrindo.

-Só à tarde? – ele fez um beicinho.

-Achou pouco? – o olhei e ele acenou que sim. – e se eu ficar a noite também? – dei outro selinho nele.

-Ai melhorou, mas ainda é pouco. – ele deu um beijinho em meu pescoço, me fazendo arrepiar.

-E se eu disser que vou ficar para dormir agarradinha contigo?

-Gostei, mas só aceito se antes de dormir você fizer algumas coisas comigo.

-E que coisas você tem em mente? – sorri.

-Digamos que começa com a gente tirando a roupa, - ele beijou meu ombro - depois muitos beijos, - beijou meu pescoço, me fazendo me encolher um pouco, sorrindo. - e nossos corpos colados, se movendo um sobre o outro – ele mordeu meu lábio de leve – corpos suados, e você gemendo meu nome para mim.  – ele sussurrou em meu ouvido. – então gostou da ideia?

-Pode se dizer que sim. – o beijei.

(...)

-Então o que o Xiumin queria? – Yujin me perguntou. Fiquei a encarando, Como assim ela está perguntando isso, será que ela não entendeu que era mentira do Suho? Mas quando ela olhou para o Baek de rabo de olho, entendi que ele deveria ter ficado reclamando por eu ter saído com o Suho.

-Ah ele queria saber o quanto ele precisava usar de chocolate para fazer o brigadeiro.

-Eles gostaram mesmo né?

-Gostaram. Eles... –comecei a falar, mas Baek me interrompeu.

-Vamos parar de falar deles? – Baek pediu.

-Tudo bem então.

-Amiga a gente estava combinando de ir para nossa casa assistir ao filme, o que acha?

-Acho maravilhoso, mas terei que dispensar essas 3 horas maravilhosas na companhia dos melhores amigos do mundo.

-Por quê? – Baek perguntou.

-Porque ontem eu prometi que iria para casa do meu namorado.

-Não porque eu ainda pergunto. – Baek balançou a cabeça e copiou algo no caderno.

-Mas a sexta é nossa como sempre.

-Que seja! – ele deu de ombros. O Baek precisa arrumar uma mulher logo.

(...)

-Tchau gente! – me despedi, Baek apenas acenou com a cabeça.

-Tchau amiga, até amanhã! - Yujin se despediu e os dois seguiram para o lado oposto indo em direção à sala do Chanyeol. Coloquei meus fones e caminhei em direção a saída. Em um corredor próximo à saída vi que Jongin estava encostado em uma das paredes, parei no mesmo momento e apesar de ter que dar uma grande volta até a próxima saída, resolvi dar meia volta dali. Não queria passar por ele, mas ouvi ele gritar meu nome. O ignorei e continuei andando, mas ele apareceu na minha frente e tirou meus fones.

-Fugindo de mim? – ele sorriu.

-Fugindo não, apenas tentando evitar ficar no mesmo lugar que você. – voltei a colocar meus fones e dei as costas para ele para poder sair dali.

-Espera um pouco eu só quero conversar.

-Não tenho nada para falar contigo.

-Mas eu tenho. – ele me puxou pelo braço e me encostou na parede colocando as mãos ao lado da minha cabeça me prendendo, o olhei nos olhos procurando algum resquício de perversidade em seus olhos, mas não encontrei.  

O que será que ele está tramando?

-O que você quer?

-Pedir desculpas pelo que fiz ontem. Eu não deveria ter te assustado daquele jeito. Mas quando eu vi que a porta do banheiro estava aberta eu não resisti e precisei te olhar.

-Você acha que é fácil assim? Você pede desculpas e tudo fica bem entre nós?

-Não, mas não custa tentar. – ele deu de ombros e ficou me olhando.

-Posso ir agora?

-Ainda não.

-Fala logo Jongin se o Suho nos ver assim ele vai te bater.

-O Suho não vai nos ver, porque eu o vi sair faz uns cinco minutos.

-E o que você quer?

-Saber o que eu preciso para ganhar um beijo seu.

-Você só pode estar zoando com minha cara. – ri debochada.

-Por que eu estaria? Você sabe que eu já estava louco por você antes e depois de te ver no banho isso só se intensificou.

-Me deixa ir, por favor.

-Porque você tinha que ser tão irresistível? – ele passou o polegar na minha boca. Engoli em seco.

-Jongin você disse que só me beijaria se eu pedisse, então, por favor, me deixa ir.  – pedi olhando em seus olhos.

-Porque você sempre acha que eu vou forçar você fazer algo? – ele voltou a por a mão na parede.

-Jongin, você está me assustando.

-Fica calma, eu não te beijaria a força, mas talvez você queira fazer isso.

-E porque acha que eu ia querer te beijar?

-E porque não iria querer?

-Quer que eu liste tudo mesmo?

-Quero, eu tenho um argumento que talvez faça você mudar de ideia. – ele me olhou sereno, o olhei desconfiada, ele estava calmo demais.

-Então vamos lá. Eu namoro com o seu amigo, já são dois motivos. – fui contando nos dedos – você quase estragou o namoro dos meus amigos, por um capricho seu você fez com que o Lay me beijasse, e isso não envolveu apenas o Suho e eu, mas o casamento de outro amigo seu, e agora fica agindo desse jeito estranho. Que mais motivos?

-Posso falar os meus motivos para você mudar de ideia?

-Fique a vontade. – o olhei sorrindo. Não tem nada que ele possa dizer que me faça mudar de ideia.

-Bem eu sou lindo, sexy, se todas se interessam por mim é porque eu tenho algo bom né? Sem falar que eu beijo muito bem, e sei que depois que você provar do meu beijo nunca mais vai querer beijar outra boca. – ri soprado.

-Era isso? Desculpe, mas você precisaria de muito mais para me convencer. Posso sair agora?

-Tem mais uma coisa.

-Que seria? – ele mexeu no celular.

-O que será que o Sr Jung diria ao ver essa foto? – ele virou a tela do seu celular para mim, me mostrando uma foto minha com o Suho aos beijos. Engoli em seco eu sabia que ele usaria isso contra mim, mas não assim, não agora.

-Você não teria coragem? – tentei ser firme para não transparecer meu medo.

-Foi um beijo de dar inveja. – ele me olhou.

-Você não vai mostrar isso né? – o olhei.

-Não sei, só depende de você. – tentei pegar o celular, mas ele o guardou no bolso.

-O que você quer?

-Um beijo.

-Não!

-Então acho que o Sr Jung terá alguns problemas para solucionar em breve. – ele fez menção de sair, mas eu o segurei pelo braço.

-Você teria mesmo coragem de fazer seu amigo perder o emprego por causa de um beijo?

-Não sei, você teria coragem? Você mesmo disse, é só um beijo. – ele me olhou, fiquei em silencio.

 E agora o que devo fazer? Eu beijo Jongin e corro risco dele contar ao Suho e ele terminar comigo ou não beijo e corro o risco de ser entregue para o Sr Jung?

-Pelo jeito acho que vou ter uma conversa longa com o Sr Jung. O que é uma pena. – ele saiu.

-Jongin espera! – chamei e ele se virou para mim.

-E então? – ele se aproximou.

-Eu... – ouvimos risadas no corredor nos viramos para olhar quem era.

-(s/n), porque ainda está aqui? – Yujin me perguntou.

-Esse cara está te perturbando? – Channie perguntou tirando o braço do ombro da Yujin e vindo até mim encarando o Jongin.

-Acho melhor terminarmos essa conversa depois. – Jongin falou e saiu.  Suspirei aliviada. E abracei forte o Channie.

-Obrigada por aparecer.

-Ele estava fazendo algo contigo?

-Não, mas eu não gosto de ficar perto dele. – soltei ele do abraço.

-Então desistiu de ir para casa do Lay? – Baek perguntou.

-Não, pra falar a verdade eu estou bem atrasada.

-Quer que a gente te acompanhe até uma parte do caminho? – Channie perguntou.

-Não precisa não, muito obrigada. Agora preciso mesmo ir. – mandei beijo para eles e sai dali o mais rápido possível para não ter risco do Jongin me parar no caminho.

Que inferno agora terei mesmo que ceder a chantagens dele? Eu preciso arrumar um jeito de me livrar dele. Como? Eu não faço a mínima ideia.

-Você demorou, já estava ficando preocupado, o que houve? – Suho falou quando entrei no carro.

-Me desculpa, tive um imprevisto. – coloquei o cinto. – Vamos logo.

-Agora você está com pressa né? – ele balançou a cabeça.

-Ou a gente pode ficar aqui. Você quem sabe. – o olhei ele sorriu de lado.

-Vamos logo para casa, eu estou cansado. - ele ligou o carro e fomos para casa dele.

(...)

-Jagiya? – Suho estalava os dedos na minha frente.

-Oi? – o olhei saindo dos meus pensamentos.

-O que está te incomodando?

-Do que você está falando? – tentei disfarçar e coloquei um pouco de arroz na boca, fiz uma cara de nojo já que ele estava frio. Empurrei meu prato um pouco para frente.

-Como do que? Você ficou quieta o tempo todo, estava falando sobre algumas ideias para nosso fim de semana e você ai em um universo paralelo.

-Me desculpa, é que hoje a aula foi tensa.

-Imagino. Mas agora eu queria te pedir um favor.

-Que favor? – o olhei e ele sorriu.

-Você poderia fazer uma massagem nas minhas costas? Eu estou todo tenso.

-É claro que eu faço amor.

-Então vem logo porque eu estou realmente precisando. – fomos para o quarto, ele se deitou na cama e eu me sentei em sua bunda.

-Realmente você esta cheia de nós nos ombros. – disse depois de tocar suas costas, comecei a massageá-lo.

-Ai! – reclamou de dor quando eu apertei em cima de um nó.

-Desculpa!

-Preciso me livrar dessas dores, porque mais tarde quero estar em ótimas condições. – ele sorriu safado.

-Você não presta nem quando está com dores.

-A culpa é sua. – ele riu. Suspirei, eu preciso fazer algo para conter o Jongin, não quero e não posso perder esse homem. – me inclinei pra frente e beijei seu rosto, ele sorriu, voltei a minha posição para massagea-lo.


Notas Finais


Channie salvador da pátria. Ainda bem que ele chegou né gente?
O que fazer para se livrar do Jongin agora?
Manas, desculpem os erros que possa ter. vou responder aos comentários e depois corrijo o que for preciso.
Beijos, amo vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...