História My Protection - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Donzela Em Perigo, Jackbam, Jikook, Lobo, Namjin, Yoonseok
Exibições 325
Palavras 996
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Kodomo, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Não sei se posso chamar esse capítulo de prólogo, não sei mesmo :/
Enfim, espero que gostem e fiquem curioso hehe

Capítulo 1 - Primeiro.


Fanfic / Fanfiction My Protection - Capítulo 1 - Primeiro.

A noite estava fria, Hoseok tentava dormir debaixo de três camadas de cobertas, por mais que fechasse os olhos o moreno não conseguia pegar no sono, estranhamente tinha vontade de se levantar e andar pela casa. Talvez assim seu sono aparecia.

Jogou as cobertas para o lado se sentando, quando colocou os pés no chão e estremeceu, estava gelado; não encontrando seus chinelos Hoseok optou por ficar descalço mesmo, apesar de sua mãe sempre lhe alertar que poderia começar a espirrar por causa do chão frio.

O jovem sai de seu quarto indo até a porta do lugar onde seus pais dormiam tranquilos, Hoseok pensava que se ainda tivesse seus dez anos poderia se enrolar ali com os mais velhos, mas com seus dezesseis anos pegaria mal para si.

Passou pelo corredor rumando até a escada disposto a descer para o primeiro andar daquela pequena casa humilde, mas percebeu certo movimento nas árvores lá embaixo. Limpou o vidro embaçado da pequena janelinha no final da escada tentando ver o que ocasionou; não viu nada, talvez fosse somente o vento.

Desceu de forma silenciosa pela escada que rangia, chegando enfim ao seu final Hoseok suspirou, olhou pela sala encontrando um pouco de bagunça, era época de caça e seu pai possuía diversas armas, e um arco e flecha que Hoseok queria poder usar algum dia.

Coçou o nariz e seguiu em direção à cozinha, pegou um caneco com água virando de uma vez na boca. Algo, que Hoseok não saberia dizer o que era exatamente, chamou sua atenção o fazendo olhar para a porta da cozinha que levava para o quintal de trás de sua casa, Hoseok deixou a caneca cair quando pôde ver um vulto passar rapidamente fazendo sombra pela fresta de baixo da porta.

Prendeu a respiração mas mesmo com medo não conseguiu se mover, ficou ali encarando o mesmo lugar por um bom tempo; atitude de se estranhar já que Hoseok se assustava fácil e com isso poderia sair correndo para seu quarto.

Voltou a respirar com certas dificuldades e com a coragem que nunca pensou que poderia ter mas convicto do que pretendia fazer, Hoseok deu os cinco passos até ficar próximo da porta, levou a mão até a trinca e tirando e logo depois a levou para a maçaneta girando-a lentamente, olhando por uma pequena brecha, não viu nada. Foi abrindo a porta e saindo devagar.

Bem, em seu quintal não havia nada demais.

Hoseok se arrependeu de não ter vestido um casaco de lã assim que o vento ficou mais forte fazendo o garoto abraçar a si mesmo.

O jovem então ouviu um barulho, e este vinha da rua. Mesmo temeroso o garoto seguiu e abriu o pequeno portão de madeira de sua casa colocando os pés descalços no chão de terra vermelha, teria que lavá-los assim que voltasse para casa.

Olhou para seu lado direito mas não viu nada demais, o mesmo com o esquerdo. Mas Hoseok era um jovem curioso e por isso deu de ombros e começou a andar pelas ruas desertas daquele pequeno vilarejo. As casas possuíam todas as luzes apagadas, nenhum som saía delas.

Tudo em um completo silêncio.  

Hoseok esfregava suas mãos em seus braços tentando inutilmente aquecê-los, não fazia ideia do porquê de estar ali, na rua, sozinho, naquela hora da noite, (ou madrugada não sabia), sentia algo o chamando, era estranho mas tinha uma enorme vontade de entrar na floresta onde a pequena casa da árvore estava, mas sabia que era perigoso e estava muito escuro para isso, não poderia arriscar.

Já estava em um tipo de praça da aldeia, onde ficava a pequena capela. Hoseok sentia as pedras pressionado seus pés lhe causando um pouco de dor, mas não se importava, já estava ali mesmo, resolveu ficar.

Se sentou em um dos banquinhos de madeira entrelaçando os pés, assoprou e pôde ver o ar saindo de sua boca, estava ficando cada vez mais frio.

Um tipo de rosnado fez o jovem se assustar, olhando para os lados a procura de um cachorro, não encontrou. Hoseok resolveu que já era hora de voltar para casa, estava com medo e já não suportava mais o frio.

Se levantou mas quando se virou para o caminho de onde havia vindo, acabou parando de repente ficando em alerta; podia ver uma sombra, que parecia com a de um cachorro só que grande demais.

Hoseok tinha medo, muito medo. Não sabia o que fazer, o que era aquilo afinal?

Quando o dono da sombra saiu do escuro e Hoseok pôde o ver nitidamente, o coração do jovem acelerou e seus olhos se arregalaram.

Droga

Hoseok deu alguns passos lentos e temerosos para trás e o animal fez o mesmo indo em sua direção, quando o mesmo abriu a boca rosnando com raiva Hoseok se virou em direção contrária à sua casa e correu.

O caminho escuro e as pedras não o ajudavam, Hoseok corria o máximo que podia pois sabia que se fosse pego seria seu fim.

Saiu do vilarejo e sentiu que estava perdido, seus pés doíam, ele estava cansado e podia ouvir as patas do animal tocando o chão com força bem próximo de si. Com lágrimas rolando por seu rosto Hoseok caiu, se virou ficando praticamente sentado olhando para a frente e vendo aquele animal a poucos metros de si.

Engoliu em seco, já era.

O animal se aproximava e Hoseok rastejava para trás por puro instinto. Chorava baixinho com a respiração falha quando o animal enorme se encontrava com o corpo acima do seu. Estava ainda mais escuro ali fora da aldeia mas Hoseok podia ver bem os olhos escuros do animal que o encaravam. Aqueles olhos negros hipnotizaram o jovem que mesmo com medo não conseguia fechar os seus, eram lindos, e isso era de se admirar. Os dentes do animal se aproximavam cada vez mais e o rosnado se ouvia mais alto.

Hoseok se arrependeu amargamente de ter saído de casa.


Notas Finais


Vão entender algumas coisas nos próximos, relaxem ;-)
XoXo 。^‿^。


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...