História My Psychologist - 2 - Capítulo 11


Escrita por: ~

Visualizações 257
Palavras 2.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


"Como não?"

boa leitura

NOTAS FINAIS
NOTAS FINAIS

Capítulo 11 - How not?


Fanfic / Fanfiction My Psychologist - 2 - Capítulo 11 - How not?

POV EMA HALE 

 Eu estava em um sono tão bom, até que tive a inconsciente e automática ideia de me virar, e então, infelizmente cai da cama, levando um susto logo em seguida 

  -Inferno! –disse me levantando do chão e me sentando na cama 

 Fiquei alguns minutos olhando para o nada, até que tive forças para procurar meu celular. Enquanto eu procurava, eu vi que tinha uma arminha de brinquedo em cima do criado mudo, e um bilhete escrito: “se eu fosse você, não desceria sem isso. Ass: o amor da sua vida” 

 Eu gargalhei lendo o bilhete e fui para o banheiro rindo do quanto o Justin era convencido. Eu tomei um banho rápido, escovei os dentes e fui para o closet. Coloquei um short jeans escuro, uma blusa branca um pouco grande, que, depois que eu já tinha colocado-a em meu corpo eu percebi que estava escrito “Justin is my babe”, ótimo, agora mesmo que ele vai se achar. 

 Eu não tinha colocado sutiã, pois meus peitos estavam doloridos e o sutiã só ajudaria a doer ainda mais. Passei hidratante no meu corpo e um pouco de perfume, como sempre. Porém, logo depois de passar o perfume eu me arrependi amargamente. 

 Meu perfume estava me deixando enjoada, e eu demorei alguns minutos tentando respirar fundo, na intensão de não vomitar. Eu também me arrependi do meu banho rápido, pois eu deveria ter lavado o meu cabelo. 

 Meu cabelo não tinha acordado de bom humor, então eu fiz uma trança boxeadora e minutos depois eu já estava descendo a escada com a arminha d'Água na mão. 

 Assim que desci o último degrau da escada, Christian passou correndo do King Bach, e o mesmo levou um escorregão na minha frente. Ele se virou antes de cair no chão, fazendo assim deslizar no chão e não deixar de atirar água no King 

  -Aí meu Deus –eu disse com os olhos arregalados 

 Eu também me arrependi de ter dito aquelas palavras, pois até o momento ninguém tinha reparado a minha presença, mas, depois da minha voz soar pela sala, eles notaram. Os dois pararam de espirar água e me olharam. Nos encaramos por alguns poucos segundos que passou em câmera lenta, e então, os dois se olharam e riram, logo começando a espirrar água em mim 

 Eu dei um grito, fino e estridente, o que fez todos os meninos virem aparecendo pouco a pouco. Com tanta água vindo em minha direção eu não estava sendo capaz de visualizar muita coisa, mas eu pude perceber que Alfredo filmava toda a brincadeira com sua câmera profissional –como sempre– mas, ele também tinha uma arminha em sua mão, e outra na cintura. O que mostrava que ele também não estava fora da guerra 

 Chaz e Ryan se juntaram a Christian e o King, começando a atirar água em mim. Eu vi Justin se aproximando, e por um momento eu pensei que ele fosse me ajudar, me defender e jogar água nos meninos, porém, ele se juntou a eles e começou a jogar água em mim. 

  -Se defende! –Nolan gritou –Se defende, sua anta! 

 Eu tentei secar meu rosto, na intensão de conseguir enxergar, porém, eles não paravam de jogar água em mim, então era impossível se manter seca. Eu desisti de tentar secar meu rosto, e preparei a arminha em minha mão, e então eu comecei a atirar para todos os lados, acertando todos 

 E então, finalmente o complô acabou. Os meninos começaram a atirar água uns nos outros, correndo pela casa e se jogando em cima das pessoas, enquanto Alfredo nos filmava. 

 Eu passei a mão no meu rosto, tirando o excesso d'Água e Justin se aproximou sorrindo. Ele me deu um selinho e me abraçou, sussurrando um: bom dia, baby 

 Eu sorri para ele, e joguei minha arminha no chão. Segurei seu rosto com minhas duas mãos e o puxei para um beijo, que ele logo cedeu. 

 De repente, alguns dos meninos começaram a atirar água em nós dois, enquanto riam e gritavam. Eu coloquei minha mão no rosto e as apoiei no Justin. Justin passou suas mãos por mim, me escondendo dentro dele e me virando, me fazendo ficar de costas para os meninos, porém, na frente do Justin e ser um alvo mais visível. 

 Porém, isso ajudou, pois Justin começou a atirar água nos meninos com suas duas arminhas, nos defendendo. Eu me abaixei e passei por baixo das pernas do Justin, peguei minha arminha e sai correndo atrás dos meninos, espirrando água e gritando ao mesmo tempo 

  -Abortar missão, aportar missão –Chaz gritava enquanto eu corria atrás dele 

  -Volte aqui e me enfrente –eu gritei ainda correndo atrás dele 

 Alguns passos depois a água da minha arminha acabou e Chaz percebeu, pois ele parou de sentir a água sendo espirrada em seu corpo. E então, ele se virou para mim, dando um sorriso maligno enquanto eu arregalava os olhos e balançava a cabeça em negação 

  -Maldição! –eu gritei, dando meia volta e saindo correndo 

  -Volte aqui, eu vou te enfrentar –Chaz gritou correndo atrás de mim e me espirrando água 

 Eu passei pelo Alfredo, que nos filma gargalhando enquanto Nolan dizia “a caça correndo atrás do caçador” 

 Alfredo ainda rindo foi tentar vim atrás de nós dois, para ver onde essa batalha ia dar, e então ele escorregou e caiu, o que fez todos gargalharem, inclusive ele mesmo 

  -Terceiro tombo no ao vivo! –Ryan gritou rindo, ele deu um pulo mostrando o quanto estava animado, e então, escorregou e foi de bunda no chão 

  -Quarto! –Justin gritou rindo 

 No momento de distração deles, eu fui para a cozinha, de fininho. Coloquei a arminha em cima da mesa e peguei um pano. Sequei meus braços, minhas pernas, barriga e rosto. Minha blusa estava molhava, então secar a barriga não adiantou de nada. 

  -Dona, Ema –Maria, uma das empregadas me chamou –Você precisa comer alguma coisa para tomar seus remédios 

  -Se não fosse você eu estaria morta, Maria –eu disse e ela riu 

  -Ema, você só regride –Chaz disse entrando na cozinha com Rudy 

  -Explique –disse enquanto eles dois iam até a pia para encher suas arminhas  

  -Ontem com a blusa dos Beatles –Chaz disse –Hoje com a blusa do Justin 

  -A tendência é só piorar –disse entrando na brincadeira 

  -Amanhã aparece com uma blusa do Trump –Rudy disse gargalhando 

 No segundo seguinte a Maria começou a expulsar os meninos da cozinha, dizendo para encherem as arminhas em outra pia, ou no quintal. 

 Eu ri da bronca que a Maria estava dando nos meninos e peguei uma maçã. Me sentei na mesa e logo comecei a comer. Maria fez minha vitamina de morango  e trouxe junto com meus remédios. Eu terminei de comer a maçã e tomei os remédios, bebendo minha vitamina. Eu me levantei e coloquei o copo na pia enquanto conversava com a Maria 

  -Ema –Justin me chamou com a voz meia surpresa 

 Eu me virei para ele, e o mesmo sorriu com seus olhos brilhando. Ele deu aquele sorriso que eu amava, o sorriso sincero e puro. 

  -A sua barriga, baby –ele disse olhando enquanto sorria 

 Eu não tinha entendido muito bem, porém eu olhei para minha barriga, e aí eu pude perceber. Minha blusa tinha colado na minha barriga, fazendo assim minha barriga ficar visível. E, pela primeira vez desde então, conseguimos reparar que a minha barriga estava finalmente crescendo. 

 Eu estava de três meses, porém minha barriga era inexistente até aquele momento. A médica disse que o bebê nasceria pequeno, porém não tinha nada de errado com a formação dele. 

 Eu engoli em seco, sorrindo logo em seguida. O meu bebê estava crescendo, estava mostrando que ele estava querendo atenção. Minha barriga ainda estava pequena, porém, era notável que alguma coisa –um bebê– estava crescendo ali dentro 

  -O bebê está crescendo, Justin –eu olhei para ele com água nos olhos 

 Justin sorriu ainda mais, ele colocou rapidamente as três arminhas que carregava em cima da mesa e veio até a mim, me apertando em seus braços. Ele levou sua mão até a minha barriga e nós dois a olhamos enquanto sorriamos 

  -Ele está crescendo –Justin disse sorrindo, extasiado  

POV JUSTIN BIEBER 

UMA SEMANA DEPOIS..... 

 Eu estava deitando na cama do hotel, a vendo se arrumar. Era tudo tão deliciosamente familiar, que eu não conseguia desviar o olhar. O jeito como ela passava o batom, como esfregava os lábios e abria e fechava os olhos, verificando seu delineado, como se aproximava do espelho para passar algo em seus cílios. 

 Eu deixei uma risada escapar, fazendo a Ema levantar uma de suas sobrancelhas e me olhar pelo reflexo do espelho 

  -Se chegarmos atrasados é comigo que seu pai vai se estressar –ela disse –Levante a bunda da cama e vá logo se arrumar, Bieber 

 Eu não me movi nem um centímetro, fazendo assim ela estreitar seus olhos e falar com sua voz autoritária 

  -Agora, Justin! –ela disse 

 Estávamos em Miami, para o casamento do meu pai. Só que, tinha um único problema: meu pai e a Ema não se davam bem. 

 No começo, ele não se incomodava com ela, porém, agora ela é o que mais o incomoda. Depois que anunciamos a gravidez, meu pai teve um pequeno surto. Ele dizia que era um golpe, que eu tinha encontrado alguém mais manipuladora e inteligente do que a Selena e que eu era muito novo para me prender a alguém. Que eu era muito novo para ter um filho 

 De certa forma, era verdade. Porém, eu amava a Ema mais do que qualquer coisa e eu estava pronto para construir uma família ao seu lado. 

 Eu achei que eu nunca mais amaria alguém mais do que eu amei Selena, mas, olhando para trás eu vejo que eu estava absurdamente errado. Eu não sabia o quão intenso esse sentimento de encontrar a pessoa certa pode ser. 

  -Eu juro por Deus, que se o seu bendito pai vier reclamar comigo porque chegamos atrasados, eu engulo você, Justin! –ela disse irritada 

  -Engole? –perguntei sorrindo malicioso –Vai começar por qual parte? 

 Ema se virou, jogando o pó compacto na direção da minha cabeça. Eu o peguei no ar antes que me atingisse e criasse um galo em minha cabeça, se isso acontecesse aí sim meu pai iria inferniza-lá 

  -Eu digo que foi minha culpa –eu disse me levantando e começando a vestir a calça social 

  -Como se ele fosse acreditar –ela disse voltando a se maquiar –Para ele, a culpa é sempre minha. 

  -Não seja dramática, Hale –eu disse vestindo a blusa social e logo depois o blazer 

 Ema não respondeu nada, ela revirou os olhos e suspirou. 20 minutos depois já estávamos prontos, descendo pelo elevador. 

 Ema estava linda. 

 Ela estava com um vestido roxo escuro, ele era apertado até sua cintura, depois ele dava uma leve armada. O vestido ia até a metade de sua cocha e tinha uma espécie de pano preto-transparente, assim escondendo sua barriga. 

 Seu salto era roxo, seu batom claro e seu delineado pesado. Ela carregava um bolsinha preta, que segundo ela era uma porcaria pois apenas o celular dela já ocupava todo o espaço da bolsa. 

 10 minutos depois já estamos entrando no salão. 

  -Justin, venha aqui –Jeremy disse vindo até nós –Deixa eu te levar a Hellie, aquela sobrinha da Chelsey que você gostava  

POV EMA HALE 

 Assim que eu vi Jeremy se aproximando eu comecei a fazer um ‘ohnnnn’ mentalmente e meditativo, para manter a calma. 

  -Não vai cumprimentar a Ema, pai? –Justin perguntou sugestivo 

 Justin sempre o chamava de pai quando queria suavizar alguma coisa. Porém, eu já tinha o explicado em dois idiomas diferentes, cantado e até com ilustrações que aquela merda de chamamento falso não funcionava 

 Jeremy continuava me odiando e eu continuava não dando a mínima para ele, independente de como o Justin o chama em situações assim. 

  -Eae, Ema –ele disse seco 

  -Jeremy –fiz um curto cumprimento com a cabeça, dando um sorriso falso 

 Justin suspirou sacudindo sua cabeça, como se estivesse desistido de nós dois, mas eu e Jeremy sabíamos que ele não tinha desistido 

  -Olha, pai, por que você não fica aqui com a Ema enquanto eu vou lá falar com a Hellie? –Justin sugeriu 

 Justin saiu antes que pudéssemos protestar, antes que eu pudesse ir com ele ou que Jeremy pudesse. Jeremy olhou para mim, nada satisfeito em estar na minha presença, e antes que eu pudesse lhe dar algum fora, Allie –filha de Chelsey, noiva de Jeremy–, Jazzy e Jaxon vieram correndo em minha direção 

  -Como você está bonita –Allie falou 

  -Eu amei seu vestido –Jazzy continuo –Eu quero um igual 

  -Eu posso te dar quando você crescer mais um pouco –eu sugeri sorrindo 

 Eu me abaixei, abraçando cada um, e logo depois disfarcei, saindo de perto do Jeremy, levando as crianças comigo 

 Eu me sentei no banco vazio, que era reservado apenas para a família do Justin. 

   -Como que tá o bebê? –Jaxon sussurrou no meu ouvido, animado para saber 

 Eu estava sentada entre Jazzy e Allie, enquanto Jaxon estava em meu colo 

  -Tá crescendo –sussurrei de volta e todos sorriram 

 Os três sabiam que não podiam contar para ninguém da gravidez, até que eu e Justin anunciássemos para a mídia. E, ao contrário de toda a expectativa, eles estavam realmente conseguindo guardar esse segredo 

  -Ele já está chegando, né? –Jaxon perguntou 

  -Não seja burro, Jaxon –Jazzy o repreendeu –Ainda falta muito tempo 

  -O bebê vai chegar no mês de junho –eu disse baixinho 

  -Perto do aniversário da Jazzy –Allie disse –Podemos fazer uma festa só, seria muito legal! 

  -Não, eu não vou dividir minha festa com ninguém –Jazzy disse de cara fechada 

 No mesmo momento Justin chegou, se sentando do lado da Jazzy e a abraçando enquanto falava: 

  -Vai ter que dividir a festa com quem? –Justin perguntou, levantando a Jazzy e a colocando em seu colo, chegando mais para perto de mim 

  -Com seu bebê –ela disse sussurrando 

  -Ninguém tem que dividir festa com ninguém –Justin disse –Ele não vai nascer no mesmo dia que você 

  -Justin... –o repreendi, pois não tinha como ter certeza disso. E, se ele nascesse no mesmo dia que a Jazzy, seria um grande problema 

  -Provavelmente, ele não vai nascer no mesmo dia que você –Justin corrigiu a frase 

  -E o bebê do Chris? –Jaxon perguntou 

  -Deve nascer em Abril –eu disse –Antes do meu 

  -Vocês já escolheram o nome? –Allie perguntou animada 

 E o quarto? –Jazzy perguntou tão animada quanto Allie 

  -Ema, essas crianças são mais preparadas do que a gente –Justin disse assustado 

 Eu ri, e ficamos brincando com as crianças por alguns minutos. A cerimônia começou e as crianças foram se sentar com os avós paternos no Justin. 

 Mesmo eu não gostando do Jeremy, eu admito que a cerimônia foi linda. Chelsey estava maravilhosamente perfeita. Os votos deles foram lindos, a entrada na noiva foi incrível e as rosas caindo depois do tão esperado ‘sim’ dos noivos, foi surpreendente. 

 Os noivos saíram, sendo atingidos por pétalas de rosas, indo direto para o salão de festa. A valsa dos noivos começaram, e logo depois estávamos todos dançando na pista de dança. 

  -Daqui a um tempo seremos nós –Justin disse enquanto dançávamos uma música lenta 

  -Não, não mesmo –eu disse simples enquanto ria 

  -Como assim não? –Justin perguntou sem entender 

  -Eu não vou me casar, Justin –eu disse ainda mais simples, parando de rir


Notas Finais


ROUPA DA EMA NA GUERRA D'ÁGUA: https://t.co/3xL8yQJ8Ft
ROUPA DA EMA NO CASAMENTO: https://t.co/k4Of9dhQdS

espero que tenham gostado...não deixem de comenta!!!

desculpem-me pelos erros


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...