História My Punk, My Princess - LS (Punk!Harry) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ed Sheeran, One Direction
Personagens Ed Sheeran, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Baby!harry, Daddy!louis, Daddykink, Harry Styles, Harry!bottom, Larry Stylinson, Liam Payne, Louis Tomlinson, Louis!tops, Ned, Nerd Louis, Niall Horan, One Direction, Punk Harry, Zayn Malik, Ziam Mayne
Exibições 119
Palavras 3.818
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Esse capitulo está enorme, espero que gostem dele tanto como eu gosto. Ele é o meu fav até agora. <3
Espero que estejam gostando <3

Capítulo 13 - Baby, we could be enough.


Na manhã de domingo, Louis acordou se sentindo em algum filme clássico da Disney. Ele faltava ver passarinhos cor-de-rosa em volta de sua cabeça, o ajudando a ter uma manhã melhor.

O final da noite de ontem não poderia ter acabado melhor com seus lábios e de Harry colados. Aquela sensação foi maravilhosa, a melhor que o garoto de olhos azuis já teve.

Harry, Harry, Harry. Motivo do sorriso de Louis essa manhã.

Normalmente, quando Louis acorda, ele acorda com cara fechada e falta tacar uma bomba no apartamento do seu vizinho que sempre escuta músicas Country no último volume seis da manhã. Ele até faria isso, se o homem não fosse o dono do pequeno prédio.

Mas hoje foi diferente. Graças a Styles e todos os seus detalhes que o fez se apaixonar um pouco, ou, talvez, bastante.

Louis mora sozinho e isso, muitas das vezes, é deprimente porque ele não pode mais ser acordado por seus irmãos mais novos com puxões de cabelo ou tê-los se enrolando em sua coberta e fazendo a maior zona em sua cama.

O barulho da abertura de Bob Esponja ecoou pela sala e se estendeu pela cozinha, fazendo Louis adoçar seu chá o mais rápido possível para que não perdesse o episódio.

Louis praticamente se jogou no sofá e aumentou o som da TV, sorrindo bobo ao que o episódio começou. As vezes ele parece uma criancinha.

Adorável.

Por mais que Bob Esponja seja um desenho "infantil", ele não se importa porque ele e Os Simpsons são os únicos desenho que não o deixa entendido ao ponto de achar coisas sexuais escondidas nos desenhos.

E essa é a simples rotina de Louis de manhã durante os fins de semanas e feriados, exceto quando Liam e Niall vão para sua casa fazer companhia.

Normalmente, Louis passa a tarde inteira estudando, lendo livros ou assistindo séries porque essas são as únicas coisas que tem para ele fazer. E ele até gosta, porque ele tem sua privacidade e não tem ninguém para dizer o que ele tem que fazer ou não.

Tomlinson respirou fundo quando escutou sua campainha tocar com desespero e revirou os olhos deixando a xícara em cima da mesinha do centro e foi em direção a porta.

ㅡ Já vai! ㅡO garoto gritou irritado e abriu a porta.

Merda, merda, merda!

Era o Nick.

ㅡ Vai embora. ㅡLouis disse fechando a porta mais foi impedido, já que o outro colocou o pé.

ㅡPor que eu deveria ir? - Grimshaw o olhou sério. ㅡ Nós não podemos terminar desse jeito, Lou. Temos que conversar melhor...

ㅡNão temos nada para conversar, Nick. Tudo o que eu queria dizer foi dito ontem. Não adianta chorar, você sabe como eu sou. ㅡ Louis respondeu frio enquanto fazia aspas no ar e Nick empurrou a porta.

ㅡSim, nós temos que conversar. Você não pode me deixar assim. Eu quero saber o porquê.

ㅡ Será que o fato de eu não estar mais apaixonado por você conta como argumento? ㅡTomlinson arqueou uma de suas sobrancelhas.

ㅡNão está mais apaixonado? ㅡ Nick perguntou desconfiado e entrou da casa, mesmo com Louis o impedindo e trancou a porta.ㅡProve.

Dito isso, ele empurrou Louis no sofá e subiu em cima de seu colo. O coração de Louis parecia que sairia pela boca aquilo não poderia acontecer.

As mãos de Nick foram até a calça de moletom de Tomlinson e a puxou para baixo junto com sua boxer. Louis negou com a cabeça, mas o outro deu de ombros passando sua própria mão em seus lábios.

Aquilo não podia acontecer. Louis disse a Liam que não se relacionaria com Nick de nenhuma forma, mas isso está acontecendo agora. Porra, ele está necessitado disso. Nick apenas está usando o moreno e ele sabe disso, mas não é algo fácil evitá-lo.

Quando Louis deu conta, Nick já estava com seu membro todo na boca e fazendo movimentos rápidos de vai e vem enquanto arranhava suas coxas com força, o fazendo se arrepiar involuntariamente.

Ele não tinha como evitar aquilo ou impedir que ele continuasse. Droga, a boca do Nick era tão quente e habilidosa. Quem negaria um boquete dele? Só um louco e Louis não é louco, e está muito longe de ser.

Os gemidos altos de Louis, faziam Nick achar que o garoto ainda gostava dele. Mas na verdade, Louis só estava necessitado daquilo, muito mesmo.

Os dois não transam a um tempo e Louis tem tido tantos pensamentos impuros com Harry. E ontem, após ter levado Harry em casa, ele se masturbou pensando em Styles, sem aquelas roupas e apenas com sua calcinha e suas meias 3/4 de quatro em sua cama. Deus, aquele pensamento o deixa tão exitado e necessitado.

Ele agarrou nos cabelos de Nick e empurrou a cabeça do garoto para baixo, podendo sentir sua glande bater em sua garganta e o mesmo engasgar com o ato. Louis abriu seus olhos um pouco e seu pênis ficou mais duro e sua glande ficou bem mais sensível que já estava.

Ele via o Harry ali.

Ele via o Harry com suas bochechas coradas e os cabelos longos jogados para frente com alguns fios colados em sua testa. Ele via Harry com orelhas de gatinhos enquanto seus olhos mantinham-se fechados. Ele via a face inocente e infantil dele brincando com sua mente e o deixando em piores situações. Tudo parecia tão real.

A forma que a língua do cacheado passava em sua extensão, o vinco formado em suas bochechas quando ele sugava sua glande era tudo maravilhoso, os lábios carnudos e avermelhados molhado com a própria saliva e com o pré-gozo do outro. Era o paraíso e inferno misturados em um só naquela visão.

-O-oh..Uhm, H-Harry! - Louis gemeu alto e, em seguida, Nick se afastou subitamente e olhou com os olhos arregalados, não acreditando no que havia acontecido ali.

ㅡ Harry? HARRY? - Grimshaw gritou furioso e saiu de cima do sofá, limpando sua boca. - EU ESTOU AQUI TENTANDO TE RECONQUISTAR E VOCÊ GEME O NOME DAQUELE PUNK BASTARDO? ㅡ Ele gritou mais ainda e o ódio corria por suas veias de uma forma impressionante. Será que Nick ainda não percebeu que não se conquista ninguém chupando-o? ㅡ NÃO ME DIGA QUE VOCÊ ESTA ME TROCANDO POR... NÃO, PERA. VOCÊ, O NERD DA ESCOLA, ESTÁ APAIXONADO PELO PUNKZINHO HÉTERO? ㅡ Ele gargalhou alto e Louis se levantou, subindo suas calças. ㅡVOCÊ É UM MERDA MESMO, LOUIS. EU TENHO DÓ E NOJO E VOCÊ. ㅡNick gritou e saiu do apartamento, batendo a porta com força.

ㅡ Nick! Volte aqui! ㅡ Louis correu até a porta e abriu a mesma. Mas Nick já havia descido as escadas. ㅡ Merda, merda! - Ele grunhiu batendo a porta e se jogado no sofá.

Ótimo, Louis, você ferrou com tudo.

O resto do domingo havia se passado rápido, com ele um Louis preocupado e que para não ir atrás de Nick resolveu quebrar a cabeça fazendo cálculos.

Era quase meia-noite, quando Liam ligou para Louis e perguntou como tinha sido conversar com Harry e ele conseguiu se sentir mais leve contando como foi retirar tudo o que pensava e sentia a respeito de Harry para o mesmo. Porém, tudo foi a merda ao lembra de mais cedo e ele não disse nada ao amigo porque ele sabe como Payne reagiria.

Segunda chegou e com ela trouxe um Louis ansioso e preocupado. O garoto mal conseguiu dormi sabendo que no dia seguinte veria Harry e teria que ficar uma hora com ele na detenção, mas também ele estava preocupado em relação ao Nick. Ele estaria fodido.

Mas por alguma ironia, já era a terceira aula e ele não teve sinal de vida de Harry ou Nick. Ele só viu seus amigos uma vez no dia e ganhou um abraço deles pelo feito de sábado.

A mão de Louis suava porque era aula de biologia e ele poderia ver Harry, finalmente, depois de um dia inteiro se roendo por não vê-lo.

Ele tinha inúmeras perguntas rodando sua mente e o perturbando.

Será que Harry falará comigo? Será que Harry me ignorará? Será que ele fingirá que nada aconteceu? Ou, será que ele perguntará que merda tenho na cabeça para beijá-lo?

Louis se sentou em sua cadeira e manteve seu olhar para a porta o tempo todo a espera que o cacheado passasse por ela.

O sinal nem havia tocado ainda e ele estava ali olhando para a porta que nem um tolo enquanto permanecia na sala vazia.

ㅡ Bom dia, Senhor Tomlinson. ㅡ O professor o cumprimentou sorrindo e colocou suas coisas em cima da mesa.

ㅡ Bom dia. ㅡ Respondeu com um sorriso fraco e voltou a encarar a porta.

O sinal tocou e o coração de Louis bateu forte e rápido a cada pessoa que passava pela porta. Harry não era nenhuma delas.

O garoto já esta a desistindo de ver Styles passando pela porta e até deitou a cabeça na mesa, até o professor dar bom dia a Harry e ele levantar o olhar quase na velocidade da luz.

Harry estava lindo, não como na noite passada, mas estava. Afinal, é Harry Styles, ele fica lindo de qualquer forma até caraca e sem dentes.

O sorriso de Louis estava enorme e ele não receava em evitá-lo, já Harry mantinha as bochechas coradas e o olhar baixo enquanto caminhava até sua mesa. O que há de errado?

O professor começou a explicar a matéria, mas o mundo de Tomlinson estava apenas focado em Harry. O garoto mal piscava enquanto o olhava e tentava adivinhar o que ele está pensando ou o que ele diria quando ambos tivessem que se encarar na detenção.

ㅡ Senhor Tomlinson, pode me responder com detalhes os três tipos de drogas? ㅡ O professor tirou Louis a força de seus pensamentos e ele olhou confuso o professor. ㅡ Ande, longo com a resposta a aula está acabando!

E aqueles era um dos momentos que Louis queria poder cavar um buraco e se esconder porque o professor o viu olhando para Harry.

ㅡ Ahn... Os tr-...

ㅡ Não sabe? Muito bom. Quero para a próxima aula uma redação com no mínimo trinta linha a respeito da legalização das drogas e mais uma trabalho explicando com suas próprias palavras as definições, tipos e consequências. ㅡ Ele disse frio e Louis sentiu suas mãos soarem. Tudo aquilo apenas por não prestar atenção na aula pela primeira vez na vida?- E espero que em minha próxima aula pare de ficar encarando o Styles e preste atenção na matéria. Ele pode ser bonito, mas não é a beleza dele que te fará passar de ano.

Louis queria poder ter o poder de ficar invisível, mas ele guardou esse desejo e se segurou por causa do seu transtorno. Ele não pode explodir, não ali e perto do garoto de olhos verdes.

Tomlinson ficou sentando por alguns segundos enquanto a sala era esvaziado e recebia algumas piadinhas. Após Harry ter saído da sala acompanhado de Zayn, ele pegou seu material e se levantou da cadeira e foi para fora da sala, indo em direção ao seu armário para guardar suas coisas.

Tinha como seu dia ficar pior?

ㅡ Hey dude! ㅡ Niall disse animado, se encostando no armário ao lado de Louis e cruzando os braços em cima do peito.

ㅡ Oi. ㅡ Tomlinson murmurou sem ânimo e fechou o armário, colocando suas mãos em seu bolso e caminhando em direção ao refeitório, sem esperar por Niall.

ㅡ Não me abandona dessa forma! ㅡ Resmungou o loiro correndo atrás dele. ㅡ Por que está com essa cara?

ㅡ "Por que eu estou com essa cara?" Porque está tudo uma merda. Harry nem olha para mim, o babaca do professor de biologia me constrangeu na frente dele e me mandou entregar um monte de coisas só porque eu não estava prestando atenção na aula dele e eu não sei mais o que fazer. Eu sinto que tudo que fiz no sábado foi em vão! ㅡ Ele aumentou o tom de voz e Horan levantou as mãos em sinal de rendição.

ㅡ Como pode saber que tudo foi em vão? Já falou com Harry por acaso? Não, né? Então não tire conclusões precipitadas. ㅡ Niall retrucou e parou em frente ao moreno, impedindo que ele continuasse a andar. ㅡ Eu, Zayn e Liam ajudamos você com Harry duas vezes e você me diz que "tudo foi em vão". Eu passei o final de semana com Harry, eu sei o que ele sente, eu vi um Harry que você ainda não viu. E ficar se lamentando só porque ele não olhou para essa sua cara de retardado, não que dizer que ele não se importe, porque ele se importa, Louis. Ele está confuso e você tem que entender isso. Harry tem medo de alguém que não é confiável descobrir seu segredo, ele tem medo de você não aceitá-lo. Ele tem tantos medos, Louis, que se eu fosse você, eu pararia de reclamar que nem um velho e ir fazê-lo se sentir confiante! ㅡ Niall jogou todas as palavras na cara de Louis enquanto segurava em seus ombros com força.

Horan estava completamente certo. Louis deveria parar de ser que nem o Harry e ficar tirando conclusões precipitadas. Ele não sabe nem dos próprios sentimentos, imagine os do Harry que devem estar bem piores.

ㅡ Acha que eu devo falar com ele? ㅡ O moreno perguntou e mordeu o canto do bochecha enquanto pensava.

ㅡ Não, magina. Deixe que rainha vá falar com Harry no seu lugar. ㅡ O loiro debochou e Louis o olhou sério. ㅡ É claro que sim, seu idiota. Mas não agora, quando estiverem a sós como na detenção e melhor, não terá ninguém para entrar no meio da conversa e...

ㅡ Por favor não fale o resto e me lembre de colocar seu nome na lista do papai noel de bons garotos de dois mil e dezesseis.ㅡ Louis disse e ambos riram e Niall deu um soco de leve no braço do amigo.

(...)

As aulas já haviam acabado e Louis se dirigia para a sala onde teria que ficar em detenção. E se ele estava nervoso? É claro que estava. Ele, finalmente, conseguiria falar com Harry sem que ele tivesse a chance de ignorá-lo ou de alguém olhar feio para ele por ser um nerd e está conversando com um "famosinho" da escola. Mas isso também não é nada, afinal, Louis foi a festa do Stan e isso não seria nada de mais.

Tomlinson sorriu ao ver Harry sentado em uma das cadeiras dentro da sala e caminhou até a de trás com um sorriso.

ㅡ Atrasado, senhor Tomlinson. ㅡA professora disse se sentando na ponta da mesa e olhando o moreno que acabou por se assustar.

ㅡ Me desculpe. ㅡ Louis murmurou se sentando atrás de Harry e colocando sua bolsa sobre a mesa.

ㅡ Sem problemas. Só não se atrase novamente. ㅡ Ela sorriu simpática e pegou seu celular. ㅡ Bom, não pedirei que façam nada hoje, então podem conversar entre si. Minha mãe está hospitaliza e a qualquer momento terei que sair para fazer ligações ou atender a uma. Espero que não se importem.

ㅡ Espero que fique tudo bem com ela.ㅡ Harry murmurou com um sorriso fraco nos lábios e a mulher sorriu murmurando um "obrigado".

Louis deu um sorriso apaixonado e olhou para sua mochila por alguns segundos. Ele tinha que falar com Harry, mas não sabia como começar aquela conversa.

O celular da professora tocou e ela pediu licença antes de sair da sala e fechar a porta.

A mão de Tomlinson suava e ele se inclinou sobre a mesa, colocando seu rosto próximo a orelha de Harry.  Ele deveria fazer isso desse modo?

ㅡ Harry? ㅡ Ele sussurrou o nome do outo, fazendo o mesmo se assustar e se virar com abrupto por conta do susto.

ㅡ Que foi? ㅡ Ele sussurrou de volta e Louis sentiu seu coração se aquecer por não ter sido ignorado ou xingando.

ㅡ Eu só queria falar com você. ㅡ Tomlinson continuou a falar entre sussurros com o garoto. ㅡ Você me ignorou o dia todo e-...

ㅡOh... Me desculpe, Lou. ㅡ Harry abaixou o olhar para suas próprias mãos. Era tão incrível a capacidade do garoto de cachos uma hora parecer tão arrogante e frio e, de repente, num piscar de olhos, ele parecer tão sensível e tímido. As pessoas deviam ver isso e admirar. ㅡ Eu só... Eu só estiva com um pouco de vergonha pelo... Pelo que aconteceu no sábado e eu não quero conversar sobre...

A forma que, na qual, Harry conseguia dizer as coisas com um pouco de facilidade para Tomlinson o impressionava porque ele, porque ele não tinha receio muitas das vezes do que diria.

E Louis, por outro lado, só queria poder rodear Harry com seus braços e acariciar seus cachos enquanto o protege de todo mal do mundo. Porque Harry é especial de todas formas possíveis.

ㅡ Não precisamos conversar sobre aquilo se não quiser. ㅡ O moreno suspirou passando a mão em seu curto cabelo e, em seguida, ajeitando o óculos. Aquela cena era tão maravilhosa para Harry, por favor Louis. ㅡ Eu só... ㅡ Ele respirou fundo. Ele deveria dizer aquilo mesmo? Ou, talvez, devesse gravar para si mesmo?

ㅡ "Você só..."?ㅡ Harry sussurrou de volta e riu ao perceber o quão tosco estava sendo aqueles sussurros.ㅡ Por que estamos sussurrando? ㅡ O cacheado perguntou e Louis sentiu um peso sair de suas costas porque ele desviou o assunto.

ㅡ Eu não sei... Mas é ótimo ouvir seus sussurros.ㅡ Tomlinson disse sorrindo e as bochechas do outro coraram no mesmo instante.

E com isso, o silêncio se instalou na sala vazia. É tão incrível a capacidade que é formada uma tensão entre os dois, na verdade, a tensão não é formada, ela já existe há tempos. Até um cego conseguiria ver. Mas, sabe, é uma tensão tão gostosa que ambos não ligam para ela e a aproveita para ficar um admirando a face perfeita um do outro enquanto tentam saber o que o outro pensa ou sente. Aquele lance de tentar ver a alma do outro pelos olhos e eles conseguem isso, porque eles tem uma química tão perfeita. Eles tem algo que muitos casais por ai não tem... Não que eles sejam um casal, mas é basicamente isso.

Os olhos de Louis nos de Harry, o de Harry nos de Louis. Uma combinação perfeita de azul e verde, que talvez, possa até lembrar a cor do planeta Terra. Tudo tão lindo. Esses dois poderiam pintar mundo de verde e azul sem ao menos ter noção de tais coisas.

Tomlinson se deslumbrava cada dia mais com a beleza do outro e vice-versa. Quando ele poderia descobrir mais de Styles? Ele não sabia quando ele poderia ou se algum dia chegaria a descobrir, mas ele sabe que os lados ocultos dele podem ser os mais maravilhosos e belos e todos deveriam ter a chance de ver.

ㅡ Você é realmente uma das coisas mais lindas que eu já vi. ㅡ Louis quebrou o silencio e levou uma de suas mãos até o rosto de Harry, acariciando sua bochecha com o polegar. Ele já não falava mais por si porque seu coração era quem o comandava. ㅡ Na verdade, você é a coisa mais linda que já vi... ㅡ Ele se corrigiu.

Harry estava sem reação. Porra, ele tem tanto medo de tudo, seu segredo foi exposto para tantas pessoas em tão pouco tempo que ele mal consegue raciocinar. Ele desenvolveu sentimentos por Louis tão rapidamente também e está tudo uma bagunça de sentimentos confusos dentro si. Aquele beijo de sábado anoite, as palavras de Louis, tudo fez um impacto enorme no peito de Harry e porra, é um impacto tão bom e gostoso que ele quer poder sentir também.

A borboleta tatuada em seu estômago parece ganhar vida a cada vez que ele e Louis estão juntos e é a melhor sensação que Harry já sentirá em sua vida. E ele quer sentir isso novamente e novamente, sem se importar se Louis o achará tolo e brega por isso.

ㅡ Me beija. ㅡ Styles sussurrou tímido e Tomlinson sentia que poderia morrer ali mesmo com o que acabou de ouvir. Harry queria beijá-lo, aquilo era realmente real?

ㅡ O-o que? ㅡ Louis perguntou sem reação ainda enquanto matinha seus olhos arregalados. Harry já sentia as lagrimas se formarem em seus olhos.

Louis não queria beijá-lo?

ㅡ Eu disse para me beijar, seu idiota. ㅡ Ele sussurrou novamente e um sorriso enorme apareceu nos lábios de Tomlinson. Sim ele havia ouvido direito.

HARRY QUERIA BEIJÁ-LO.

Sem delongas, Louis se inclinou mais sobre a mesa e puxou Styles pela nuca, colando seus lábios mais do que imediato e sentindo inúmeras vibrações boas invadirem seu corpo. Era aquilo que ele queria sentir.

A língua dos dois brincando suavemente, os dedos de Louis entrelaçados nos fios de cabelos de Harry, a borboleta no estômago de Harry ganhado vida e batendo sem parar, o coração de ambos acelerados, aquela tensão se esvaindo por conta do beijo e o gosto metálico do piercing que Styles tinha nos lábios que deixava tudo mais exitante.

Quando Tomlinson se deu conta, ele estava de joelhos em cima da cadeira e Harry também, imagine o que mais eles poderiam fazer sem perceber.

Infelizmente, a necessidade de respirar foi algo que se tornou importante naquele momento e os dois tiveram que quebrar o beijo com pequenos selinhos vindos de Louis que foi espalhado pela boca e bochechas de Harry, que riu com o ato.

ㅡ Você ainda não terminou de falar o que iria dizer. ㅡ Styles sussurrou e o moreno mordeu os lábios com força, tentando se lembrar o que iria dizer. ㅡ Então... " Você só..."? ㅡ Ele o relembrou.

O beijo dos dois teve tanto efeito em Louis que o pobre garoto até se esqueceu do que falaria.

ㅡ Eu só... Eu só quero poder cuidar de você e poder descobrir mais de você, quero poder te abraçar e te fazer confiante, como Niall havia me dito. Quero poder descobrir junto com você tudo o que eu sinto e tudo o que você sente. Podemos fazer isso juntos? Eu sei que tudo é precipitado, mas se me der uma chance Harry, nós podemos ser o suficiente e você nunca se sentirá sozinho.

Louis poderia ser algo melhor do que aquilo? Chega até parecer um pequeno clichê que demorou para ocorrer e Harry não poderia estar mais feliz e confuso. Era aquilo mesmo que Louis queria dizer? Mas de qualquer forma, isso não importa.

As palavras de Louis causaram tanto impacto nele, que ele só queria beijá novamente e dizer que: sim, eles são o suficiente e, talvez, sempre serão.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...