História My Quarterback - Capítulo 12


Escrita por: ~

Visualizações 226
Palavras 2.125
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tô até com vergonha de aparecer aqui scrr
VIRAM A NOVA CAPA DA FIC? TÁ UM LACRE SÓ.
Não vou enrolar aqui pois sei que querem capitulo.

Não se esqueçam que amo vocês 💜

Capítulo 12 - Apreciar mais tarde.


Um mês depois.

Sim, um mês depois. O tempo passou voando e o clima frio do inverno estava começando a aparecer, fazendo com que eu tire meus casacos pesados do armário e com que eu fique os finais de semana na minha casa ou na de Justin tomando chocolate quente, só eu já que ele não gosta.

Visto o casaco preto e grosso, estava pronta. Caminho até parar em frente ao espelho me encarando, uma blusa branca se destacando da calça, casaco e sapato preto. Dou de ombros ignorando as cores da minha roupa pegando meu celular e saindo do meu quarto. Hoje era uma noite de sábado não muito fria e por isso Justin me convenceu a sair com ele.

Não que a gente nunca tenha saído juntos, só nós dois. Já saímos muitas vezes e todas as vezes os encontros acabavam com ele se despedindo de mim com um beijo. Elisa dizia que ele me olhava com um olhar apaixonado e eu o olhava do mesmo jeito, não negava que estava apaixonada por ele mas sobre ele estar apaixonado por mim sim. Ele estava mostrando para mim que não era aquele garoto galinha, mesquinho e esnobe, ele está me mostrando que é o oposto. Suspiro e noto o sorriso bobo em meu rosto, só é pensar nele que eu fico assim, toda apaixonadinha.

Termino de descer os degraus encontrado aquela cabeleira loira conversando com minha mãe no sofá. Ela sempre gostou dele e agora ao notar que eu e ele estamos em um rolo, está gostando mais ainda dele. Me aproximo do sofá e minha mãe já nota minha presença voltando a olhar para Justin quando vê eu fazendo um sinal de silêncio.

Coloco minhas mãos em seus olhos e aproximo meu rosto do seu ouvido sussurrando.

— Adivinha quem é? — digo deixando uma risada escapar. Claro que ele sabia que era eu mas é sempre bom fazer isso.

Tiro minhas mãos de seus olhos o deixando olhar pra trás para me olhar. O sorriso em seu rosto é grande, me alegrando. Céus, eu amo esse garoto. Levo minhas mãos ao seu rosto e o puxo dando um selinho rápido.

— Só por sentir suas mãos nos meus olhos já sabia que era você. — diz se levantando me fazendo rir — Vamos antes que esfrie mais e você fique aqui trancada bebendo chocolate quente. — diz fazendo uma careta ao falar sobre o chocolate.

— O que você tem contra ao chocolate? — pergunto saindo de casa mas antes acenando para minha mãe que acena de volta. O vento frio chicoteia meu rosto, meu corpo todo se arrepia fazendo eu me encolher, Justin percebe e me puxa abraçando meu corpo de lado.

— Eu só não gosto, você sabe. — diz caminhando comigo até seu carro.

Paro em frente a porta do passageiro e dou as costas pro carro ficando de frente a ele. Eu não tinha parado para o observar, mas agora meus olhos o avaliam desde o tênis preto até o casaco branco mas com alguns detalhes preto. Ele está lindo!

— Gosta do que está vendo? — sua voz rouca naturalmente adentra meus ouvidos me trazendo de volta. O encaro nos olhos e sorriso.

— Gosto e muito! — digo sussurrando pois ele tinha aproximado seu rosto do meu me emprenssando no carro.

Quando vejo seus lábios vindo na direção dos meus eu fecho meus olhos e em poucos segundos sinto aquela maciez. Sua língua quente pede passagem e eu cedo anciosa para sentir aquele gosto de menta que só ele tinha. Nosso beijo era calmo, sem pressa nenhuma para acabar só queríamos aproveitar o momento o máximo que podemos. Acaricio sua língua com a minha arrancando um sorriso seu fazendo sua mão apertar forte minha cintura me levando mais pra perto dele, como se desse. A falta de ar começa nos atingir, terminamos o beijo com selinhos e uma mordida no seu lábio inferior.

— Você está danadinha senhorita Steinfeld. — diz rodeando seus braços na minha cintura enquanto minhas mãos estava em seus braços, e que braços!

— Eu não fiz nada, ora. — me faço de santinha o arrancando uma risada.

— Ok, a senhorita é muito santinha e não faz nada. — diz e ouço o som do alarme do carro sendo desligado, logo a porta é aberta e eu a sinto nas minhas costas. — Entre pois já está começando a esfriar mais.

— Se está começando a esfriar vamos entrar, pra assistir filmes e tomar chocolate quente. — digo com um sorriso travesso no rosto.

— Nada disso, eu não esperei você tomar banho e demorar meio século pra se arrumar. — diz e eu franzo o cenho.

— Como sabe que eu tomei banho? — pergunto me separando dele e me sentando no banco do carro, ele fecha a porta e o observo dar a volta pela frente do carro abrindo a porta e se sentando ao meu lado.

— Eu fui no seu quarto, ué. — diz eu arregalo os olhos, como assim ele entrou no meu quarto sem eu saber — Fique calma, eu não te espiei tomando banho mesmo querendo fazer isso.

— Maravilhosa sua tentativa de me deixar menos constrangida. — digo rindo de nervoso e se eu tivesse saído pra pegar um creme ou sei lá o que.

— Não precisa ficar constrangida babe — diz soltando uma risada fraca — Quando eu te ver nua eu sei que vou amar cada detalhe.

Imediatamente sinto meu rosto pegando fogo. Eu não sabia aonde enfiar a cara então só tinha uma saída, que era rir. Ele sabe que eu fico constrangida quando nossa conversa vai para esse lado e ele faz questão de me ver constrangida. Ele vira o rosto pra me olhar e sua gargalhada é alta e gostosa.

— Meu Deus, você está muito vermelha! — diz rindo enquanto ligava o carro saindo do acostamento — Parece um moranguinho, meu moranguinho.

— Isso foi muito meloso, menos Bieber. — digo mais calma.

— Você sabe que eu gosto de te dar apelidos assim, amor. — sorrio ao ouvir ele me chamado de "amor", não era a primeira vez mas sempre que ouvia sorria.

— Adoro quando você me chama de amor. — revelo meu não segredo o fazendo sorrir.

— Bom saber, amor. — fala e tira sua mão da marcha para segurar a minha.

Um silêncio surge, não por estarmos sem assunto mas estávamos assim para apreciar nosso momento juntos. Viro minha cabeça em direção a janela e observo as casas passando rapidamente, faltava dois meses para o natal e as pessoas já se preparavam para colocar as luzes nas suas casas, mesmo eu achando cedo demais.

— Já decidiu o que vai fazer no seu aniversário? — a voz de Justin me faz voltar para realidade.

— Eu ia fazer uma pool party mas esses dias estão tão frios. — murmuro a única ideia que eu tinha e que ele sabia — O que você fez no seu aniversário de 18 anos? — pergunto de súbito.

— Viajei com os garotos, fomos de carro até Daytona Beach na Flórida — diz e solta uma risada em seguida — Fomos na mesma semana que a escola ficou fechada e foi nessa viajem que Chris beijou um travesti. — diz já se acabando em risadas e eu não estava diferente.

— Como assim ele beijou um travesti? — pergunto limpando as lágrimas que escaparam de tanto rir.

— Estávamos em um boate aí Chris já estava meio louco por conta da bebida, chegou uma morena e mano não parecia um travesti. — diz parando para rir enquanto eu prestava atenção rindo também — Só percebemos quando vimos uma coisa alta na parte de baixo... me lembro direitinho, foi Ryan que percebeu primeiro. Quando todos vimos começamos a rir e Chris quebrou o beijo pra saber do que estávamos rindo, quando viu quase vomitava. Ele passou o resto da viajem sem pegar ninguém, diz que ficou com um trauma. — Eu já estava acabada de tanto rir e Justin também, eu queria tanto ver essa cena e a cara de Chris.

— Agora quando eu ver ele vou me lembrar dessa situação na hora. — digo parando com as risadas aos poucos.

— Você deveria viajar pra lá — diz depois de um tempo — Não é muito badalado igual Miami mas é um bom lugar.

— É pode ser. — digo pensando na ideia — Elisa vai surtar com essa ideia.

— Vai mesmo — diz estacionando o carro, estávamos em uma das praças mais lindas da cidade.

Era daqui onde podíamos ver toda Memphis, sua luzes iluminando a noite fria dava um toque meio romântico para quem estava na praça. Viro meu rosto em sua direção sorrindo, ele sabia que eu amava a vista dessa praça.

— Acertei né? — pergunta saindo do carro.

— É claro que acertou, olha a vista desse lugar! — respondo depois que saio do carro.

Estava virada em direção a cidade apreciando sua vista, eu sempre amei vir pra cá. De dia, tarde ou noite esse era o melhor canto para vir pensar ou até mesmo andar com seu amor, e é o que estou fazendo agora.

Sinto suas mãos rodearem minha cintura me puxando pra trás me encostando no seu corpo quente. Encosto minha cabeça em seu peito continuando a admirar a visão e sentindo seu perfume forte como brinde.

Já estamos no mês de outubro e como se fosse um ritual a escola iria fechar por uma semana nos dando um descanso e aproveitando para preparar o baile de inverno. Elisa já estava me atormentando para procurarmos o vestido e também para organizar minha festa de aniversário. Como não vou poder fazer a pool party acho que a ideia de Justin pode ser meu mais novo plano.

Justin aperta mais ainda seus braços ao meu redor beijando minha bochecha arrancando um sorriso meu. — Quer um cholocate quente? — pergunta baixinho perto do meu ouvido.

— Quero sim, mas não se esqueça...

— Com muito chantilly e um canudinho de chocolate. — me interrompe falando o resto da minha frase como se já tivesse decorado.

— Isso mesmo, esse meu namorado é perfeito mesmo! — digo me virando pra ele e logo percebo que o chamei de namorado. Ainda não tinha sido pedida em namoro mas nossa relação está tão igual a um namoro que saiu sem querer.

Seu sorriso ilumina seu belo rosto quando eu o chamo de namorado.

— Tenho que ser perfeito para minha namorada. — diz me deixando surpresa e com um sorriso bobo — Vou buscar seu chocolate quente, já volto. — diz e antes de se afastar ele me dá um selinho.

O observo andar até a lojinha que tinha aqui perto o admirando. Tudo nele é perfeito, sua altura, a largura de seus ombros, seu físico, o seu jeito de andar, até a forma de balançar os braços enquanto anda é perfeito. Opa, acho que temos aqui uma garota boba e apaixonada!

O vejo entrar na lojinha e como ela tinha uma parte só de janela deu pra ver ele se debruçar sobre o balcão fazendo meu pedido. A moça loira assente e se afasta indo até a cozinha enquanto ele fica ali olhando ao redor batucando seus dedos no balcão. Sua cabeça vira em direção a vidraça e mesmo longe sinto meu corpo todo se arrepiar quando meu olhar encontra o dele, o seu rosto é preenchido por seu sorriso bem alinhado e branco arrancando de mim um suspiro.

Sorrio de volta e dou as costas pra ele voltando a olhar a paisagem. Me xingo mentalmente ao notar que não tinha trazido comigo a câmera fotográfica que eu levava toda vez que saia com Justin. Abraço meu corpo quando um vento gelado bate no meu corpo, não estava tão frio assim mas eu sou exagerada.

Escuto passos e quando viro o vejo com minha caneca de chocolate quente com muito chantilly e um canudinho de chocolate, do jeito que eu amo.

— Aqui está! — ele estica a caneca pra mim que pego com rapidez a sentindo quente.

Dou uma bebericada e é quando eu sinto um flash em minha direção, quando olho Justin estava com seu celular apontado em minha direção tirando outra foto.

— Tirando foto minha enquanto estou apreciando meu chocolate, Bieber? — pergunto com um pingo de diversão.

— Claro, pois enquanto você aprecia seu chocolate eu preciso marcar esse momento para apreciar mais tarde. — diz tirando outra foto minha rindo.

E aquela foi mais um noite fria de outubro, só que essa era recheada de chocolate quente e fotografias.


Notas Finais


FOI BEM MELOSO, MAS NOIS GOSTA!
Se preparem para esse aniversário de Cassie pois vou fazer ele ser uma loucura rsrsrsrs.

Desculpem mesmo pela demora, não tava com inspiração e tava me sentindo uma merda por isso. Espero que esse capítulo esteja bom e que vocês amem como eu amei.

Xoxo, Titia Carol 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...