História My Quarterback - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 304
Palavras 1.549
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi oi meus amores, esse capítulo acabou de sair do forno e se tiver algum erro não se preocupem pois vou revisar.

Capítulo 4 - Doente


— Eu não quero repetir de novo! — ela eleva o tom dá sua voz me fazendo tremer. Ok, Pattie nunca me assustou tanto assim. 

Um pingo cai em meu rosto e é quando eu noto que Justin ainda continuava em cima de mim. Solto meus braços dá sua mão e o empurro pro lado. Me levanto passando a mão na bunda limpando, como se adiantasse. 

Acho que eu devo ter aberto a boca umas cinco vezes e nenhum som saia dela. Escuto Justin se levantar e ficar atrás de mim, eu rezava para ele inventar uma desculpa. 

— Cassie escorregou na borda da piscina e me puxou junto, aí quando saímos eu corri atrás dela brincando. — diz e eu quase chorava de alegria por ele não ter colocado a culpa toda em mim. 

— Ok, entrem logo se não pegam um resfriado. — diz se afastando da porta, Justin é o primeiro a andar em direção a porta, enquanto eu ainda fico parada.

Ele vira o rosto para trás e dá um sorrisinho safado e olha para a minha blusa é quando eu me lembro que estou de blusa branca. Cubro meus seios com os braços e caminho atrás dele, estava frio aqui fora e agora toda molhada estava quase congelando. 

E lá estava eu na sala em cima de um pano enquanto Jazmyn dava umas olhadas sapecas para mim, eu não estava entendendo nada. É quando ela se aproxima de mim devagar e pede com a mão para eu me abaixar, me agacho na sua frente e antes de vir até meu ouvido ela olha para os lados vendo se alguém estava olhando. Vendo ninguém ela se aproxima para cochichar. 

— Você e o Justin já se beijaram? — pergunta. 

Ok, todos estão querendo nos juntar?

Dou uma risada nervosa quando o vejo descer as escadas todo limpinho mas com o cabelo molhado. Ele olha para mim e dá um sorriso fazendo eu novamente cruzar meus braços na frente dos meus seios. Isso era constrangedor. 

— Não Jazmyn e nunca vamos... f-fazer isso — digo me levantando quando vejo minha mãe vinda da cozinha com Pattie. 

— Vamos mãe? — pergunto nervosa olhando para Justin que saia da cozinha comendo biscoito e me olhando com um olhar malicioso. Tá bom Bieber, já pode parar eu estou ficando nervosa!

— Vamos! Tchau Pattie, tchau crianças! — Justin faz um careta com o "crianças" o que me faz rir e faz sua atenção voltar para mim, o que é nada bom. 

Abro a porta e saio daquela casa às pressas, mais um minuto lá com o olhar safado de Justin em cima de mim e eu morreria. 

O sinal toca e minha alegria vai embora quando eu me lembro que irei ficar de tarde no colégio, com Justin. Como se não bastasse a vergonha que passei ontem ainda tenho que ficar a tarde toda olhando para ele. 

— Boa sorte amiga! — Elisa diz com seu sorriso irônico, eu vou matar essa garota.

— Enfia essa sorte no seu cú — digo colocando com raiva a bolsa no armário enquanto ela ria.

— Você está com raiva de Justin, então desconte nele — diz encostada no armário do lado me olhando risonha.

— A raiva é minha e eu desconto em quem eu quiser — digo e fecho o armário com força. 

— O armário não te fez nada Steinfeld — sua voz rouca adentra meus ouvidos e a risada baixa de Elisa também.

— Você fica bem de moletom vermelho Justin — diz Elisa e ele dá um sorriso para ela, eca. — Tchau amiga, te amo — diz e me dá um beijo na bochecha. 

— Vai pra lá falsa. 

Me viro para ele e dou um sorriso forçado. Hoje estava frio e ele estava de moletom vermelho e doia em mim admitir que ele estava lindo. Para tudo, nesses dias eu tô falando que ele está muito bonito, isso é muuuito estranho. 

— Vamos começar? — diz me olhando. 

— Quanto antes começarmos mais cedo vamos embora. — digo segurando seu pulso o puxando até a secretária. 

A Sra. Rocker tinha pedido para que depois que nossas aulas tenham acabado era para nós dois, irmos até a sua sala. Ainda puxava Justin pelo pulso e ele nem se incomodava com isso, enquanto passávamos no corredor as pessoas nos olhava estranho, bem não estava entendendo que nós dois estávamos juntos. Não juntos no sentindo de ficar, por favor não pensem isso, e sim no sentindo de estar no mesmo lugar andando juntos. 

Bato na porta e ouço o seu entre, solto o pulso de Justin e abro a porta dando um sorriso para a Sra. Rocker. Temos que ser legais vai que ela se revolte e dê uma suspensão logo próximo da semana de provas.

— A senhora pediu para nós virmos aqui... 

— Sim, sim! Eu pedi — ela se levanta da sua cadeira e dá a volta na mesa — Me sigam por favor. — e é isso que fazemos. 

A seguimos e pude notar que estava nos levando para o segundo prédio, onde ficava as séries do fundamental I. Iríamos ajudar as professoras com os alunos? 
Enquanto passávamos pelas salas do jardim eu babava nas crianças fofas que tinha lá dentro, eles pareciam aqueles bonequinhos. 

Bato em algo e quando vejo é na Sra. Rocker, dou um sorriso nervoso pedindo desculpas enquanto Justin ri, como sempre. 

— O trabalho de vocês será o seguinte — diz e eu acenava para uma menininha da sala do primeiro ano — Vocês vão ajudar as professoras do segundo ano até o maternal. 

Eu não podia estar surtando menos. Eu amava crianças e saber que iríamos ajudar as crianças calmas e fofas eu surtava mais ainda. Meu sorriso era enorme no rosto, ao contrário de uma pessoinha. 

— Podemos começar logo? — pergunto animada e ela ri assentindo. 

Quando vou entrar na sala ela chama nossos nomes. — Por favor, se forem brigar não briguem na frente das crianças. — e sai.

Assinto e eu entro na sala com um sorriso no rosto atraindo todos aqueles olhares curiosos.

— Oi crianças! 

Já estávamos aqui a duas horas e eu estava amando. Enquanto eu estava no primeiro ano, Justin estava no jardim I e eu o invejava tanto. Dou o lápis amarelo para Carolina, uma menininha que tinha me apegado bastante. Ela levanta seu desenho e me entrega para pendurar em um varal onde tinha os desenhos de toda a turma. 

Ouço uma tosse falsa e quando olho para trás, sendo mais específica eu olhei para a porta e é onde eu encontro um Justin pálido e preocupado. O que ele fez?

Me apresso em pendurar o desenho e dar uma desculpa esfarrapada para Carolina, vou até Justin é o puxo pra fora da sala.

— O que você fez? — sou direta.

— Eu estou sozinho com as crianças e uma passou mal e eu não sei o que fazer. — diz eu arregalo os olhos.

— VOCÊ DEIXOU A CRIANÇA SOZINHA?! — grito e ele se apressa em tapar minha boca, tiro a sua mão de mim horrorizada — Você deixou a criança sozinha? 

— Eu tinha que vir te avisar, mas pedi para os amiguinhos dela olhar até eu voltar com ajuda — diz nervoso, respiro fundo e levo a mão até minha cabeça.

— Pera aí — digo e entro na sala — Amores, titia vai ali e eu quero que vocês se comportem e não saiam da sala, ok? 

— Sim, tia! — dizem juntos me fazendo sorrir, essas crianças são uns amores. 

Volto para fora da sala e fecho a porta e encaro Justin preocupado.

— Onde fica a sala? — pergunto e ele segura meu pulso fazendo a mesma coisa que eu fiz mais cedo, ele anda comigo pelos corredores e logo chegamos na sala onde várias crianças estavam ao redor de uma menininha que tinha os olhinhos vermelhos de tanto chorar.

Me aproximo da pequena e me agacho em sua frente. Levo minha mão a sua testa e vejo que esta com febre. 

— Oi meu amor, o que você está sentindo? — ela leva a mãozinha até a barriga e faz cara de dor. — Justin, pega olha na ficha qual é o nome dela. 

Ele logo faz o que eu peço, vai até o computador que tem na sala e olha as fichas não demora muito e olha para mim me chamando. Me levanto e vou até ele que aponta para o computador onde tem a ficha da menininha que se chamava Esther, mas tinha uma observação na sua ficha e dizia que ela precisava tomar um remédio as três horas. Olho para o relógio e vejo que são quase quatro horas o que faz eu correr até sua mochila procurando o remédio. Nele tinha um papel dizendo quantas gotas era para ela tomar e que causava sono. 

Com o remédio tomado e a professora da sala onde eu estava avisada que precisava ficar no Jardim I, aqui esta eu com Esther no braço a balançando enquanto Justin conta uma história para as crianças. 

A cena era fofa, pois eu nunca pensei na minha vida que veria Justin lendo para crianças com menos de 6 anos. Nem vi mas quando vejo estava com um sorriso no rosto observando a cena. Justin leva o olhar para Esther no meu colo desde que ela dormiu e depois olha pra mim, sorrindo mas era um sorriso feliz e não um sorriso malicioso.

É... Pela primeira vez em anos Justin e eu não estávamos nos matando. 


Notas Finais


Espero que gostem e eu amei todos os comentários no último capítulo, saibam que já amo vocês 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...