História My Quarterback - Capítulo 8


Escrita por: ~

Visualizações 272
Palavras 2.537
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EU AMO ESSE CAPÍTULO E VOCÊS TAMBÉM VÃO AMAR

Capítulo 8 - Beijo


Fanfic / Fanfiction My Quarterback - Capítulo 8 - Beijo

Cassie,

 

 

Sexta, hoje era o dia do jogo. Só mais uma semana para o castigo acabar. Eu e Justin nos aproximamos bastante. Confuso? Digo que não é o único.

 

Essa semana mil e uma coisas aconteceram. O incidente do banho de tinta, a queda na piscina, Esther doente e pneu furado na estrada foi alguns das várias coisas que aconteceu. Juro que nunca passei tanto tempo com Justin como nessa semana. Mas até que foi bom.

 

Podia dizer que convivemos como bons amigos, sem nenhuma sacanagem ou mão boba. Só amizade, era como se fôssemos irmãos. Estranho, pois a pouco tempo nos odiavamos.

 

Em relação​ ao castigo, bom isso pra mim não é classificado como castigo já que eu gosto de ajudar, mas voltando eu ia falar que tudo ocorreu bem, sem crianças doentes, chorando ou se machucando. Um semana calma e feliz. Elisa estava meio enciunada, por conta do tempo que venho passando com Justin, eu só dou risada disso pois ela pensa que vou trocar ela por ele. Mas ela também diz que eu estou voltando a gostar dele e eu estou achando que ela está louca.

 

Agora eu estava no meu quarto, em frente ao meu espelho olhando o resultado final do meu "trabalho". Estava com uma calça preta colada, um cropped branco e o casaco do time de futebol. Sim, era o casaco de Justin, ele era vermelho com as mangas brancas, os pulsos e a gola eram iguais pois em ambos as cores eram branco e vermelho. No lado esquerdo do peito tinha o símbolo do colégio, um "M" grande com "College" escrito em baixo pequeno, ambos em branco  e atrás tinha o sobrenome dele, em letras brancas e grandes.

 

Elisa entra no quarto toda pronta mas para ao me ver, sua boca abre um pouco e com o dedo indicador pede para eu dar uma volta.

 

— Garota você tá gata! — diz chegando perto de mim e segura a ponta do casaco dando uma olhada — E olha esse casaco... Meu Deus tem o cheiro dele! — surta e leva seu rosto até a gola cheirando, ficando com o rosto bem perto do meu.

 

— Sai sua louca! — a empurro pelos ombros rindo — Assim você vai tirar o cheiro dele do casaco.

 

— Então a senhorita quer ficar sentindo o perfume dele? — pergunta com um sorrisinho safado fazendo eu ficar corada, escondo meu rosto com minhas mãos rindo enquanto sua risada era alta. — Ainda diz que não gosta dele...

 

Tiro as mãos no meu rosto e eu não estava mais rindo — Eu não gosto dele! — repreendo — Ele é só meu amigo. — digo lhe dando as costas e pegando meus brincos e colocando.

 

— Então não venha me dizer que não está se arrumando para ele, por que está. — sua mãos nos meus ombros me fazem parar para a encarar pelo espelho, eu sabia que o que ela estava dizendo era verdade mas não queria acreditar — Só não deixe ele brincar com seu coração Cassie, você é uma menina maravilhosa para chorar por um quarterback cafajeste.

 

— Eu não sei o que estou sentindo Lisa. — digo depois de um tempo — Só sei que é forte e gostoso de sentir mas que machuca às vezes. — digo me virando pra ela olhando em seus olhos.

 

Seu rosto é preenchido por um sorriso fraco e carinhoso, Elisa leva sua mão para meu cabelo fazendo carinho antes de dizer: — Você está amando Cassie, é isso que está sentindo. Amor, um sentimento que não é para todos por que é forte, quente, confortante e bruto. E você, Cassie Steinfeld está na fase com que ele chega com força, confundindo todos seus pensamentos.

 

— Então eu estou... — não consigo dizer pois sou interrompida por Elisa.

 

— Você está amando Justin Bieber, o quarterback mais cafajeste do colégio. Boa Sorte! — diz com tom irônico.

 

— Obrigada. — agradeço meio perdida em meio aos meus pensamentos.

 

[...]

 

Gritos, pompons, o coro da torcida, danças, som da orquestra e pessoas conversando a espera dos jogadores. Elisa imitava ao meu lado alguns passos das líderes de torcida enquanto eu dava risada e sentia alguns olhares em mim, em relação aos olhares eles começaram quando eu amarrei meu cabelo deixando o nome de Bieber visível.

 

— Elas não param de te encarar — diz parando de dançar olhando em direção as líderes de torcida. Olho na mesma direção e vejo Johnson, Alessia Johnson me encarando. Dou um sorrisinho irônico e recebo outro só que com veneno pingando.

 

Nunca me dei bem com Alessia e pelo que eu vi ela está puta da vida. O porquê sabemos mas vamos fingir que não sabemos de nada.

 

A voz do locutor animado anuncia a entrada dos jogadores fazendo a platéia explodir em alegria. Me levanto anciosa e não demora muito para eu achar o dono dos cabelos loiros correndo com o capacete em sua mão. Ele liderava o grupo correndo até o meio do campo com todos os garotos atrás dele, fogos de artifício, banda tocando e as líderes gritando me animava ainda mais na abertura do campeonato.

 

O outro time entra e tudo acontece novamente só que do outro lado do campo virado para a torcida deles, é claro. Os dois times se enfileiram um ao lado do outro, todos se viram em direção a bandeira com a mão no peito, faço o mesmo e logo o hino é tocado. O coro cantando cada letra era bonito de se ver, todos com a mão no peito  voltados para a bandeira dos Estados Unidos. Mesmo Justin não sendo americano ele cantava o hino com respeito e amor, como se fosse um legítimo americano.

 

Hino acabado e as salva de palmas surgiu mas logo se foi dando lugar a voz da torcida cantando o hino do time. Os jogadores vão para seus bancos e eu não tirava meus olhos de Justin, que por sorte e dicas que dei antes por celular ele me achou no meio das pessoas, seu sorriso tomou conta do seu rosto fazendo eu rir da sua animação. Me viro de costas e levanto o casaco mostrando seu nome, quando me viro ele ainda está me olhando fazendo um joinha com a mão aprovando.

 

— Ele gostou — a voz de Elisa chama minha atenção.

 

— Eu sabia que ele ia gostar. — digo rindo com ela — O engraçado é que ele nem desconfiou o porquê de eu ter pegado o casaco dele ontem.

 

— Muito lerdo. — diz e eu concordo com ela.

 

Um senhor vendendo batatinha frita e cachorro quente passa por nós gritando, não demora muito e a escandalosa ao meu lado grita balançando suas notas de dólares no alto chamando atenção do vendedor que volta para nos atender. Um cachorro quente para ela e batatinha frita para mim, ótima combinação para uma pessoa só comer. Aproveito que seu cachorro quente tinha molho e pego um pouco com uma batatinha comendo, recebendo em seguida um xingamento.

 

Cheias e bem satisfeitas o jogo começa. Todos os jogadores estavam posicionados e lá estava ele pronto para chutar a bola, segundos depois do som do apito a bola já estava no ar e os olhares de todos nela. Várias pessoas gritavam nervosas e outras animadas. Os garotos eram bons e eram fortes, cada batida que eles davam nos outros jogadores doia em mim, se fosse eu ali já estava toda quebrada. Meu olhar voltou para o foco, Justin. Mesmo estando longe eu via que ele jogava com sangue nos olhos e ficava enfurecido quando alguém dava o passe errado ou acontecia alguma falta.

 

 

 

Final do terceiro quarto de tempos e eu já não tinha voz para gritar, Elisa também estava no mesmo estado. As pessoas gritavam em comemoração por nosso time estar bem na frente e os jogadores também. Os garotos vão na direção do banco e quando cada um tirava o capacete podia ver seus rostos vermelhos e suados por conta do esforço, só pode ser muita paixão para fazer isso. Por ser o o último intervalo para o último tempo de jogo ele é mais longo, então decido ir no banheiro.

 

— Vamos no banheiro comigo? — pergunto depois de ter cutucado Elisa que assente caminhando atrás de mim.

 

— Meu Deus eu estou quase sem voz, como vou chegar e dar os parabéns ao meu amor. — reclama se referindo a Chris, eu esqueci de contar mas eles estão namorando.

 

Eu vi como foi o pedido e digo a vocês que foi a coisa mais fofa de todas. Eu recebi uma mensagem de Chris pedindo para que eu fosse na casa de Elisa e fizesse ela ficar lá, que não saísse de jeito nenhum. De primeira estranhei e perguntei por que, ele me contou e eu fui toda feliz pra casa dela. Quando cheguei ela estranhou e fez mil e uma perguntas mas me deixou entrar mesmo assim. Quando estava quase escurecendo a campainha foi tocada, Elisa desceu para abrir a porta e deu de cara com Christian de smoking, com um buquê de flores e dentro do mesmo tinha uma caixinha com o anel de compromisso. Ela chorou muito mas no final acabou aceitando, saiu para jantar com ele e eu fiquei abandonada em sua casa.

 

— Não extrapola, sua voz tá ótima para dar os parabéns a ele e quem sabe pra gemer mais tarde — digo rindo e ela fica roxa de vergonha.

 

— Eu ainda te mato Cassie — diz parada em frente ao espelho checando a maquiagem.

 

— Ué, você não faz a mesma coisa comigo? Eu só dei o troco. — digo entrando em uma das cabines.

 

— Mas eu não pego tão pesado assim. — murmura.

 

— Então não quer estar morrendo de prazeres mais tarde? Eu sei que você quer. — digo depois de um tempo saindo da cabine já aliviada.

 

— Eu quero... Para de confundir minha mente Cassie! — diz pondo as mãos, uma de cada lado da sua cabeça fechando os olhos.

 

— Ok, parei mas vamos logo pegar nossos lugares de volta. — digo rindo pegando o caminho de volta.

 

Havia várias pessoas caminhando em direção ao campo pois daqui a pouco o intervalo acabava e o último tempo iria começar e com ele vinha a vitória dos Memphis, no primeiro jogo do campeonato. Não tinha mais como o outro time ganhar por isso já comemorava a vitória.

 

Subo os poucos degraus e pego o mesmo lugar onde estava antes, olho pro campo e vejo os garotos dançando, fazendo brincadeiras comemorando pois já sabiam que tinham ganhado. Então a mesma posição do primeiro tempo foi feita, todos os vinte e dois jogadores estavam em seus lugares e Bieber já estava pronto pra chutar a bola.

 

Só faltava quatro minutos e os garotos estavam jogando com vontade, é claro que o quarteto aproveitava para fazer brincadeirinhas enquanto jogava. E quando falo quarteto me refiro a Ryan, Christian, Charles e Bieber, juntos desde pequenos e desde pequenos fazendo brincadeiras. O sorriso em meu rosto era enorme, nunca me diverti tanto em uma noite quanto hoje.

 

E aquele era o último passe do jogo, Ryan corria com toda velocidade até a endzone do time rival do lado esquerdo enquanto Justin corria do lado direito. Quando viu que ficou encurralado jogou a bola para Justin que termina de correr e joga a bola no chão com força fazendo a platéia explodir em animação pelo touchdown. Fechou o jogo com chave de ouro.

 

Me viro pra Elisa gritando e pulando, ela fazia a mesma coisa e no final me abraçou ainda pulando.

 

— Vem, vamos dar o parabéns a eles! — avisa me puxando enquanto eu sentia os pingos de água cainda no meu rosto, olho pro céu e vejo as nuvens carregadas prontas para soltarem suas gotas.

 

Solto sua mão da minha quando estavamos já no campo. Eu corria sentindo o vento gelado batendo em meu rosto balançando meus cabelos que antes estava preso.

 

— Justin! — grito a poucos metros e ele se vira com seu sorriso iluminando o seu rosto, quando me vê o sorriso aumenta mais ainda e abre os braços me fazendo correr mais ainda. Quando estou perto do seu corpo dou impulso e me jogo em seus braços trancando minhas pernas em sua cintura e meus braços em seu pescoço, enquanto seus braços se prendem ao redor da minha cintura me segurando.

 

Não queria saber se ele estava suado ou com grama e terra pelo corpo, eu só queria o abraçar com força e sentir seu perfume que fica impregnado em sua pele. Afasto minha cabeça do seu pescoço e o encaro segurando seu rosto com as minhas duas mãos enquanto ele tira seus braços da minha cintura para colocar as mãos nas minhas coxas, mas isso não me incomoda.

 

— Você foi o melhor. — digo olhando dentro das suas íris carameladas.

 

— Você é a melhor. — diz e me dá um beijo na testa voltando a me abraçar.

 

[...]

 

A casa estava lotada, pessoas por todos os lados mas na parte da piscina estava vazia por conta da chuva que caiu. Empurro a porta de vidro e fecho quando passo, caminho até a borda da piscina tirando meus sapatos, jaqueta e subindo a barra da minha calça para me sentar e colocar os pés dentro da água que estava quentinha.

 

Não sei por quanto tempo fico ali mas só vejo ele sentar ao meu lado fazendo a mesma coisa. Dou um sorriso fraco e olho pra ele que me olha confuso.

 

— Está triste babe? — pergunta iria negar mas meu sorriso é grande ao escutar como ele me chamou.

 

— Não, eu só estou meio cansada. — digo suspirando vendo ele assentir.

 

O silêncio reina e o tédio também. Balanço meus pés dentro da água para me destrair mas nada fazia eu me sentir melhor.

 

Justin se levanta e eu levo meu olhar acompanhando cada movimento dele como em colocar as mãos na barra da camisa e puxar ela, tirando do seu corpo jogando em cima do casaco. Ele olha pra mim e dá um sorriso travesso.

 

— Vamos nadar um pouco? — pergunta ainda de pé me olhando.

 

— Acho melhor não, eu estou de blusa... — não consigo terminar de dizer pois meu corpo é puxado pra cima e sou jogada em seu ombro como um saco de batatas. — NÃO BIEBER, NÃO INVENTE DE FAZER ISSO! — mas já era tarde demais.

 

Sentia aquela água, que antes estava quentinha, bater contra meu corpo me encharcando toda. Volto pra superfície puxando todo o ar que conseguia, passo a mão no meu rosto tirando um pouco da água e abro os olhos vendo Bieber ainda com o sorriso travesso.

 

— Eu vou te matar! — murmuro com meus lábios tremendo — Porra, eu estou morrendo de frio! — digo cruzando os braços tentando meu esquentar, algo inútil pois eu ainda estava dentro da água.

 

Vejo uma movimentação na piscina fazendo eu levantar meu olhar vendo que ele estava bem perto de mim, e quando eu digo perto é perto com nossas respirações tocando a pele um do outro.

 

— Que porra você está fazendo? — murmuro vendo ele me deixando encurralada entre seu corpo e a borda da piscina.

 

— Dizem que calor humano ajuda. — sussurra e eu sinto seus lábios tocando os meus.

 

Ele pede passagem e eu cedo mesmo estando confusa. Porra, Justin Bieber o cara que eu odiava, que agora é meu amigo e está me beijando.

 

 

 

 

E mano, que beijo bom!


Notas Finais


ÁAAAAAAAAAAAAAAA, ACONTECEU, ACONTECEU, ACONTECEEEU!!!! FINALMENTE ROLOU O BEIJO DO CASAL MAIS SHIPPADO NA FACE DA TERRA!!

Eu estou surtando tanto e imagino que vocês também. Eu passei dois dias fazendo esse capítulo e ainda hoje dei os toques finais.

MANO, ELES SE BEIJARAM! Eu sei bem clichê mas velho akakskdxjcj EU AMEI!

Vou para de surtar aqui para ver vocês surtarem.

Xoxo, Tia Carol.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...