História My Quarterback - Capítulo 9


Escrita por: ~

Visualizações 270
Palavras 2.060
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Sim eu precisava colocar uma foto desse filme merecedor de oscar.

Capítulo 9 - Filme da Barbie


Fanfic / Fanfiction My Quarterback - Capítulo 9 - Filme da Barbie

Eu não sei o que pensar e o que fazer depois do beijo, eu só encarava seus olhos perdida em pensamentos. A ideia de ele ter me beijado só por que estava bêbado se passou por minha mente e juro que isso me irritou bastante.

— Justin... — murmuro fazendo ele abrir os olhos depois de tanto eu o encarar — Você está bêbado?

Eu tinha que fazer essa pergunta mesmo que a resposta possa me machucar.

— Eu acho que sim. — diz e olha pro nada dando uma risada fraca.

Merda!

O empurro e saio de perto dele, não queria mais ver a cara dele, não por esse final de semana. Apoio meus braços na borda da piscina e faço força subindo. Torço um pouco meu cabelo fazendo algumas gotas caírem no chão, faço a mesma coisa com o cropped e é quando vejo que ele está transparente. Por que eu fui usar uma blusa branca logo hoje?

Pego o casaco de Justin e visto o fechando, pego meus sapatos seguro só com uma mão e me viro vendo Bieber boiando na piscina com um sorriso bobo no rosto. Balanço a cabeça em negação e saio dali sem o chamar, não sabia como iria pra casa já que fui pro jogo com Elisa de carro e vim pra festa com Justin. O jeito era procurar Elisa e atrapalhar, talvez, sua foda.

Caminho até a porta de vidro e a abro fazendo a música que antes estava com o som abafado, entre nos meus ouvidos me incomodando por estar alta demais. Olho ao redor e fico na pontas dos pés procurando Elisa e não demora muito para eu a achar dando alguns amassos com Chris na parede perto do sofá.

Me enfio no meio das pessoas empurrando algumas e pisando no pés de outras ignorando seus xingamentos. Quando atravesso aquele mar de gente se esfregando ao som de algum rap solto um suspiro de alívio, eu saí viva! Me aproximo do casal do ano e cutuco o ombro de Chris, que separa sua boca da de sua amada e me encara entendendo nada.

— Por que você está molhada? — pergunta me encarando confuso e Elisa também.

— A história é longa, depois te conto pois agora eu preciso de uma carona pra casa. — digo o resto da frase virando meu rosto pra Elisa, que bufa dá um selinho em Chris e sai me puxando em direção a saída. — Tchau Christian! — grito acenando e ele acena de volta rindo.

A rua estava deserta, só se ouvia a música vindo de dentro da casa e os nossos passos até o carro. Abro a porta e entro me sentindo quentinha quando fecho. Elisa entra, coloca o cinto e liga o carro saindo da vaga.

Ela não estava falando comigo, sério mesmo que estava brava por ter atrapalhado sua pegação com Chris? Ela teria o resto da vida pra fazer isso.

— Eu não estou com raiva de você. — diz do nada como se tivesse lido meus pensamentos.

— Como você...

— Eu cogitei que isso seria a primeira coisa que você iria pensar se eu não falasse nada. — me interrompe explicando — Mas me responde uma coisa, por que está molhada? — pergunta virando seu rosto na minha direção me encarando rápido.

Suspiro e passo a mão no cabelo tirando uma mecha que insistia em cair no meu rosto.

— Justin me chamou para nadar, como eu neguei ele me pegou no colo e pulou comigo. — digo não lhe contando do beijo.

— Vamos Cass, eu sei que não aconteceu só isso. Se não tivesse acontecido mais alguma coisa você ainda estaria na festa gritando com Bieber. — diz e eu odiava ela por me conhecer tanto.

— Justin me beijou. — digo baixo e rápido, pois a vergonha era enorme.

— O que? Fala pra fora Cassie!

— Justin me beijou. — digo alto e devagar. 

De primeira Elisa não surta, quer dizer, ela demorou bastante para surtar e isso me incomodou bastante. Eu prefiro ela surtando do que ela calada. Tomo coragem e olho para seu rosto, ela estava com a boca aberta e os olhos arregalados.

— Puta merda, você beijou o Bieber! — diz a última parte com o tom de voz elevado e com um sorriso no rosto — Porra Cassie, você beijou o Justin e saiu dá festa? Que merda você tem na cabeça? Ein? — Ok, eu não estava entendendo nada. Ela estava brigando comigo por eu não ter ficado na festa com Justin?

— Eu não tenho merda nenhuma na cabeça e eu digo que ele só me beijou por que estava bêbado! — digo cruzando os braços enquanto a observava parar o carro no sinal vermelho.

Ela se vira pra mim indignada, como se eu tivesse falado a maior merda do mundo.

— Você nunca ouviu falar que quando a pessoa está bêbada, ela faz coisas que não consegue quando está consciente? — bufo e descruzo os braços a olhando.

— Por isso mesmo que eu saí da festa, ele precisou ficar bêbado para me beijar Elisa! — grito a última parte e sinto meus olhos cheios de lágrimas.

Porcaria, eu só podia estar na tpm pra estar tão sensível.

— Cassie, você tá chorando? — pergunta com a voz em um tom baixo como se não quisesse piorar as  coisas.

—  SIM ELISA, EU ESTOU CHORANDO POR QUE O MERDA DO BIEBER ME BEIJOU E ELE TEVE QUE FICAR BÊBADO PARA FAZER ISSO.  — grito irritada com toda essa situação, um soluço escapa dos meus lábios e eu fecho os olhos.

Que merda Cassie, pare de chorar!

Sinto seus braços me puxarem e me abraçarem com força. Ela não ligava se eu estava molhada ou irritada, ela só se importava em me acalmar. Me aconchego em seu peito e deixo que os soluços escapem e que as lágrimas molhem mais ainda meu rosto.

O sinal já tinha ficado verde mas ainda estávamos ali, paradas dentro de um carro com ela me abraçando e eu chorando que nem um bebê. Suas mãos acariciam meus cabelos e sua voz doce e calma me propõe uma coisa:

— Que tal fazermos deste final de semana o final de semana das garotas? — sua ideia me faz sorrir e eu assinto com alguns soluços escapando — Ok, agora pare de chorar pois como eu disse pra você é maravilhosa demais para chorar por um quarterback.

[...]

Era tarde de sábado, Elisa estava do meu lado e nós duas estávamos na sala fazendo uma maratona de filmes da Barbie. Qualé, os filmes da Barbie são bons!

Estávamos assistindo Barbie: A princesa e a plebéia quando a campainha tocou. Nós duas bufamos e olhamos uma para a outra pedindo pra abrir a porta, mas Elisa solta uma.

— A casa é sua então é sua obrigação ir atender. — valeu mesmo, ein!

Bufo e tiro a bacia de pipoca das minhas pernas colocando na mesinha de centro, me espeguiço e me levanto.

— Pausa o filme, eu não quero perder nenhuma cena. — digo e ouço ela reclamar baixinho.

A campainha não parava de tocar e eu juro, que se essa pessoa tocasse mais uma vez eu iria enfiar a campainha em um canto não muito bom. Rodo as chaves e abro a porta dando de cara com Bieber pronto para apertar a campainha mais uma vez. Ele me olha com um sorriso no rosto e eu reviro os olhos fechando a porta.

Ele coloca o pé me empedindo de fechar, abro a porta de novo com raiva e o encaro, ele estava totalmente confuso.

— Se você não tirar esse pé eu fecho a porta com ele. — ameaço e ele ri, filho de uma mãe.

— Calma aí Cass, o que eu fiz? — pergunta me chamando pelo meu apelido. Esse idiota ainda tem a audácia de perguntar o que fez, bem não deve se lembrar.

— Você fez muitas coisas Bieber. — digo e ele desmancha seu sorriso brincalhão.

— Me explicar isso direito, só que lá dentro. — ele me empurra pelo ombro e fecha a porta atrás de si — Ah, oi Elisa! — ele a vê no sofá e comprimenta.

— Oi Bieber. — diz e se levanta — Eu vou deixar vocês conversarem a sós. — Ei! Não me deixe sozinha com ele, Elisa!

O silêncio reina depois que ela sobe as escadas. Caminho até o sofá e me sento pegando a bacia de pipoca e comendo algumas olhando para a imagem congelada da Barbie cantando. Sinto ele se aproximar e se sentar ao meu lado, sua risada fraca chama minha atenção e eu olho para ele o vendo balançar a cabeça.

— Sério que estão assistindo Barbie? — pergunta e eu me sinto ofendida.

— Qual é o problema? Barbie é legal! — me defendo comendo algumas pipocas.

— Porra Cassie, Jazmyn tem cinco anos e assiste Barbie, você tem dezessete e é meio estranho assistir isso com essa idade. — diz enfiando a mão entre as pipocas e levando um punhado pra boca.

— Não vejo nenhum aviso me proibindo de assistir Barbie com dezessete anos. — balanço os ombros o encarando o fazendo bufar.

— Eu não vim aqui pra dizer que é estranho você assistir Barbie mas vim aqui perguntar o que ouve com você. — diz e eu juro que gelei — Chris me procurou depois que você foi embora e perguntou por que você foi e eu não sei, mas me responde agora. Por que você foi embora ontem? — pergunta me encarando nos olhos, eu já estava nervosa sem o olhar imagina como eu estava com ele me encarando nos olhos.

Eu abria a boca e fechava diversas vezes sem conseguir dizer nada. Porra, eu estava complicando tudo. Fecho minha boca novamente, respiro fundo e abro a boca para falar.

— Eu estava cansada e bolada com você — e eu digo a maior mentira do mundo, quer dizer não foi mentira e sim uma verdade. Oi? O que eu estou pensando? Ignorem por favor.

— Não minta pra mim Cassie, eu sei que não foi por isso. — diz se aproximando mais — Você foi embora por que eu te beijei e disse que estava bêbado, não foi? — pergunta me fazendo engolir em seco.

— Foi. — digo baixo parando de o encarar.

— Por que Cass, você não gostou? — ele pega minha mão e a segura apertando. Os pelos do meu corpo se arrepiam com o seu toque.

Olha o que você faz comigo garoto.

— Eu gostei mas... — paro e penso. Eu conto que fiquei bolada por ele estar bêbado e só me beijar por estar nessa condição ou não? Que saber, foda-se — Eu fiquei irritada por você ter me beijado só por que estava bêbado.

— Mas eu não estava bêbado — diz e eu o encaro confusa — Quer dizer, tinha sim álcool no meu organismo mas não ao ponto de me deixar bêbado.

— Então você mentiu pra mim? — pergunto irritada.

— Aham, queria brincar com você.

— Seu filho da mãe — vou pra cima dele lhe dando tapas — Você me fez ir pra casa com raiva e chorando horrores, pensando que você só me beijou por que estava bêbado.

Então só depois de um tempo eu vi a merda que tinha feito. Eu e minha boca grande.

— Pera, você chorou? — pergunta segurando meus braços — Você chorou por que pensava que te beijei só por que estava bêbado?

Fico calada mas assinto, não olhava pra ele e sim pro tapete marrom da sala. Sinto os seus dedos no meu queixo e meu rosto é virado fazendo eu olhar pra ele. Encaro aqueles olhos caramelados que fazem eu sofrer de amores. Caramba Bieber, você voltou a me enlouquecer.

— Me desculpa mesmo — diz e eu fecho os olhos sentindo seu carinho em minha bochecha — Para me redimir eu vou fazer um coisa.

— Que coisa? — pergunto de olhos abertos e com a testa franzida.

— Eu estou consciente, sem nenhum pingo de álcool no organismo — diz e aproxima seu rosto do meu fazendo que nossos lábios se toquem — Eu vou te beijar mostrando que eu quero e faço isso não estando bêbado.

E novamente eu sinto aqueles lábios macios colado com os meus.


Notas Finais


Me respondam um coisa, os bc do capítulo da foto e do beijo estão com o gif rodando? Pq eu vejo só parado e isso tá me deixando puta.

Bom, precisava matar vocês mais uma vez kkkksksdk amo vocês.

Espero que gostem mesmo e AAAAAA QUASE IA ME ESQUECENDO!

OBRIGADA PELOS 80 FAVORITOOOOOOOOOOS!! JÁ ESTÃO NO MEU CORAÇÃO, AMO VOCÊS MEUS BEBÊS 💜💜

Xoxo, Carol.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...