História My rapist, my daddy. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Originais
Personagens Kai, Personagens Originais
Tags Ayase, Baby And Daddy, Daddy Kink, Exo, Kai, No Money, Okane Ga Nai, Sexting, Texting
Visualizações 190
Palavras 649
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Por que eu tenho que passar por isso?


Fanfic / Fanfiction My rapist, my daddy. - Capítulo 5 - Por que eu tenho que passar por isso?

  Acordei no dia seguinte com muita dor no corpo, após aquele estupro. Me levantei lentamente e vi que ao lado de minha cama, em cima da minha escrivaninha, tinha remédio pra dor, água e comida. No começo havia achado que tinha sido minha mãe que deixou aquela comida lá, mas ela não deixaria aquele remédio ali sem motivo algum. Vejo meu celular vibrando em cima da escrivaninha, era ele.


Número desconhecido – Bem, achei que acordaria com dor agora de manhã, então deixei um remédio aí, também deixei um pouco de comida para meu Baby. Vou te visitar novamente hoje.


  Ah não, não estou preparado pra isso, de novo não. Tomo o remédio e começo a comer os bolinhos de arroz, desci comendo e fui olhar meu calendário escolar. Minhas provas estavam chegando, eu tinha que estudar. Bem, vou aproveitar que é final de semana pra poder começar a estudar.


  Subi novamente e coloquei uma música pra tocar em meu celular, começo a me trocar enquanto dançava ao som de Lu. Logo terminei e comecei a me trocar enquanto tocava Seize The Day, era um ótimo rock. Assim que começou Heads Will Roll, eu não me aguentei e comecei a dançar e cantar, a música deu um pequeno pause quando eu recebi uma mensagem.


Número desconhecido – Você dança bem, vou entrar aí e quero que dance pra mim de pertinho, e se me trancar, quando eu entrar irei te matar.


  Eu estava assustado, se eu o tranças se pro lado de fora não duvido nada que ele não conseguiria entrar, já que ele conseguiu entrar em minha casa. Fiquei encarando a porta me preparando mentalmente pra entrada dele, assim que ouvi passos fechei meus olhos com força.


  Ouvi alguém entrar em meu quarto e vir até mim, ele passou suas mãos em meu rosto e a outra passou pela minha cintura fazendo eu me aproximar.


– Abra os olhos, quero ver a cor de teus olhos.


  Abri lentamente sentindo minhas pernas tremulas, ele era um lindo homem que usava um terno que parecia ser muito caro, sua boca era carnuda, acho que foi por isso que escolhi ele no Daddy Free, mas não imaginava que isso iria acontecer.


– Você tem belos olhos, Baby, agora feche-os


  Ele passo seu polegar em meus lábios e eu fechei meu olhos, logo ele começou a me beijar. Tento empurra-lo, aquilo me dava nojo, ele me puxou para mais perto e se sentou em minha cama comigo no colo dele.


  Ele me segurou com força em seu colo e senti ele começar a arrancar minha roupa com força, logo ele parou de me beijar e eu olhei pra ele assustado. Enquanto ele tirava sua gravata eu tentei correr, mas ele foi mais rápido e correu pra porta me trancado pra dentro, ele me colocou de frente a parede e amarrou minhas mãos pra trás com sua gravata. Logo ele me colocou contra a parede e passou uma fita em minha boca para que eu não gritasse como eu já estava fazendo quando ele conseguiu me trancar, logo ele se aproximou de meu ouvido e sussurrou.


– Hoje eu não vou te foder porque vou foi um baby muito mal e tentou fugir de mim, eu vou te bater até você não conseguir sentar mais.


  Logo ele começou a me bater com a mão, ele me batia tão forte, da onde sai tanta força? Em pouco tempo eu já comecei a chorar em desespero, aquilo doía demais, mas passou a doer ainda mais quanto ele tirou seu cinto e começou a me bater. Aquilo realmente estava me matando, eu tinha certeza que ele já havia me batido umas 100 vezes contando com a mão e o cinto. Logo aquela tortura acabou e eu fui deixado na cama, coberto com meu edredom que fazia com que minhas nádegas ficassem aliviada, mas ainda doía muito e eu não conseguia parar de chorar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...