História My reflection - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 10
Palavras 1.294
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


ANTES DE TUDO: Muito obrigada pessoas💙 Pelos fv e comentários

Esse cap vai ser... Leiam
Hoje eu tô muito sla, realmente sem não sei, provavelmente indecisa.
Enfim, espero que vocês gostem do capítulo<3
Eu aqui trouxa deixei de fazer o cap para ir ver o novo episódio de yuri on ice e adivinha?? EXATAMENTE não lançou ainda.

BOA LEITURA

Capítulo 4 - Um adeus


Fanfic / Fanfiction My reflection - Capítulo 4 - Um adeus

No termino das aulas eu voltei para casa, meu pai não estava no sofá achei bem estranho, então fui para o quarto dele proucura-lo, bati na porta, mas ninguém falou nada, muito menos abriu a porta. Tentei abri-la, mas estava trancada. 

Não parava de me perguntar o que estava acontecendo. Um sentimento de tristeza invadiu o meu corpo, mesmo sem entender nada eu sentia vontade de chorar, vontade de sair dali, de fingir que nada daquilo estava acontecendo... Mas o que era aquilo? Algo estava errado, muito errado, muitos porquês invadiram minha mente, sossegar era impossível. Sentei-me encostada na porta do quarto de meu pai, esperando que algo acontecesse, e algo aconteceu.

Ouvi batidas na porta, por um instante meu rosto se iluminou, pois pensei que fosse ele, mas a realidade veio e lembrei-me que a mesma não estava trancada, portanto só poderia ser alguém que era estranho. Fui em direção a sala, abri a porta, haviam dois homens vestidos com um macacão de mangas longas azul marinho, com faixas laranjas verticais nos braços e uma faixa horizontal branca abaixo do peito e outra nos pés, eles usavam botas pretas, tinham um sorriso gentil no rosto. Mas não foi isso que me chamou atenção, e sim a ambulância que estava na frente da minha casa.

—Quem são vocês? O que está acontecendo? Por que tem uma ambulância aqui?— Eles pareceram bem preocupados, o mais alto dos dois então tomou coragem para falar.

—Nós viemos aqui buscar uma coisa, seu pai nos ligou para que levemos isso, ele também pediu que você ficasse no seu quarto enquanto isso.— Sim, eu já suspeitava, mas eu queria ter a esperança, eu queria acreditar que ele não tinha feito isso, que isso tudo não passava de um pesadelo, que nada disso estivesse acontecendo. 

—... O quarto dele é aquele alí.— Apontei para o primeiro quarto do corredor.—Se tiver uma carta com o nome "Alice", é minha... Cuidem bem dele...—Depois que eu disse isso dava para ver os olhares de pena de ambos os dois homens. Enquanto me dirigia ao meu quarto mais dois homens entraram, provavelmente para ajudar.

Fiquei dentro de meu familiar cômodo retangular onde eu passada minhas noites de pesadelos. Sentei em minha cama, me cobri com o cobertor azul de veludo que estava sobre ela, me abracei com o travesseiro, enquanto minhas lágrimas já não se continham, caindo e molhando o mesmo, e fiquei pensando sobre o meu pai. "Ele foi para um lugar melhor... É melhor ficar lá do que sofrendo aqui, ele não aguentou, desculpa pai, não fui forte o suficiente para te ajudar, nem para me ajudar, talvez eu devesse me encontrar com o senhor e a mamãe aí... Também não estou aguentando tudo isso, todas essas coisas, me sentir culpada por tudo, ser culpada por tudo... Me perdoem, acho que eu não vou aguentar nem mais um dia aqui... Eu quero morrer..."

Meia hora depois os homens de macacão azul marinho bateram na porta do meu quarto. Enxuguei minhas lágrimas no banheiro e fui em direção a mesma. Após abri-la, o mais alto, o mesmo que falou comigo naquela hora, estava com um sorriso gentil no rosto, mas ainda tinha o olhar de pena. Em sua mão estava um envelope branco, com meu nome escrito de caneta azul, sem adesivos prendendo a parte superior à inferior, o homen estendeu a mão para me dar o envelope, encarei um pouco aquele retângulo de cor clara que ele segurava, depois peguei a carta.

—Meus pêsames, espero que fique tudo bem com você, Alice.— O mais baixo disse, sua voz era tranquilizadora, tão gentil e serena, que até me fez ficar um pouco mais calma.

—Obrigada...— Eu consegui tirar forças para falar essa palavra, por mais que me doesse dizer alguma coisa, eu precisei agradecê-los, aliás, nada daquilo era culpa deles, e sim minha.

—Desculpa, não chegamos a tempo... Tchau.— "Não se desculpem a culpa foi minha...", eu acenei e eles foram embora.

Depois que eles saíram tornei a olhar para o envelope na minha mão, finalmente tomei coragem para abri-lo, dentro tinha uma folha de caderno, com palavras em sua frente e verso, escritas com a letra do meu pai..., eu não queria acreditar ainda que ele tinha cometido suicídio, mas era verdade eu tinha que acreditar, que encarar a realidade. Quando comecei a ler as lágrimas voltaram a cair, e a medida que eu ia lendo elas caiam ainda mais.

"Alice, me desculpe por tudo o que eu fiz você passar... Me perdoe por não ser um pai forte, por não te protejer quando você precisava, por não estar aí...

Quando sua mãe morreu, eu me senti culpado, me senti um lixo, no final eu não pude salvá-la. Todos me diziam que a culpa não era minha, que ela fez isso pois estava sofrendo, mas me senti um inútil do mesmo jeito. Então eu fiquei responsável  por cuidar da nossa filha sozinho.

Prometi para mim mesmo que não iria desistir que iria continuar seguindo em frente, mas você foi crescendo, não só o seu físico, como o seu modo de agir, pensar, se expressar... Tudo me lembrou a sua mãe. E a culpa por tê-la deixado morrer continuava, sempre esteve aqui. Tentei de todas as formas possíveis suprimi-las mas não dava. Espero que você me perdoe...

Alice, eu sei que não querias me mostrar que você sofria, mas eu já sabia dos seus pesadelos. Mesmo que você nunca me falasse às vezes durante a noite você começava a gritar "PAI" "MÃE" ou "SOCORRO" "ME AJUDA", sempre esperei que a minha filha chegasse para mim no quarto e dissesse "pai, eu tive um pesadelo", mas você sempre ficou com isso só para você. Eu devia ter te ajudado.

Ontem foi a minha festa de despedida, queria que você sorrisse de verdade para mim, fiquei muito feliz já que meu pedido se concretizou. Eu quero apenas que essa Alice triste aí sorria desse jeito para todos e sempre, então para de chorar, levanta a cabeça e segue em frente. Sei que não tenho o menor direito de estar te dizendo isso, mas você é bem mais forte do que eu, e se você desistir eu jamais me perdoarei.

Sua avó chega aqui amanhã, eu já tinha falado com ela antes sobre isso, cuide dela também, minha mãe disse que se esse era o melhor para mim eu fizesse isso, mentira, ela chorou muito e disse que eu não podia fazer isso disse um monte de coisas sobre apoio moral eu acabei chorando também, mas eu fiz isso...

Por falar na sua avó ela vai ir te buscar no colégio amanhã (por favor vá ao colégio amanhã, não desista dele por minha causa), ela vai trazer um presente que eu pedi para a mesma buscar, espero que você goste, e que te faça bem, enfim eu vou dizer o meu adeus agora.

Tchau filha, muito obrigado por tudo, você me fez muito feliz como pai, eu não podia ter tido filha melhor, eu te amo de verdade, mesmo que eu tenha cometido suicídio eu não desejo essa dor a ninguém nem a você, sei que tomar esses anti depressivos desde que nasceu deve ser um saco, mas aguenta mais ainda, eu sempre estarei te observando, Te amo, não desista Alice." 

O último parágrafo me fez chorar mas do que nenhum, pai..., pai..., espero que o senhor esteja bem. E mesmo que me peça para não desistir, como você acha que eu farei isso? Eu, Eu não consigo, mas eu vou tentar, porque me pedistes... Mas só por isso. Amanhã eu vou para o colégio não se preocupe, mesmo que eu não queira ver ninguém ou falar com ninguém eu vou...

Eu estarei lá...

 

 


Notas Finais


Enfim né, me deu até uma bad aqui :(
E agora? O que será que vai acontecer? o que será que é o presente? Quem será que eu vou shippar? Não sabemos eu criarei amanhã, acho.
Espero que vcs tenham gostado.

YURI ON ICE AQUI VOU EU


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...