História My Rose, Lisa - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Tags Blackpink, Bts, Chaelisa, Jensoo, Jikook
Visualizações 56
Palavras 1.065
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


aish, q vergonha

Capítulo 5 - . V .


                                                                  [JungKook on]

Sai da casa da Rosé sábado à noite, aproximadamente umas 20h, logo, pude aproveitar indo a um dos meus lugares prediletos da grande Seul. A boate hot’s. Geralmente vou para a boate em dias que a minha “namorada” faz programas chatos com suas amigas ou vai estudar.

A boate hot’s é a boate gay mais famosa da cidade, nela eu consigo esquecer todas as frustações que me rondam como problemas de aceitação, faculdade e principalmente um namoro falso.

A realidade é que na minha adolescência toda eu sempre tive todos os recursos para ser um garoto popular, pegador, jogador de basquete, entre outros. De fato, eu exercia todas as “funções”, mas eu nunca gostei de ficar com meninas. Desde pequeno me sentia estranho por não ter a mesma excitação no sexo oposto que todos os meus amigos tinham. Com o tempo eu percebi que isso era algo completamente natural, mas infelizmente a sociedade não pensa o mesmo.

Então no terceiro ano do ensino médio, eu arranjei uma nova namorada chamada Rosé. Quando o ano estava acabando, meu plano era dispensar ela – assim como eu fazia com todas – e seguir minha vida sendo livre, longe de qualquer preconceito do colegial.

Mas infelizmente ela não passou na faculdade e passou dias praticamente em coma chorando. Eu como ser humano senti pena dela e resolvi manter a farsa para ela pelo menos ter um apoio.

Enfim, chegando à boate passei pela segurança sem complicações por ser frequentador da casa.

Após muitas músicas e muitos drinks, já me encontrava na pista de dança dançando e ficando com diversas pessoas sem me preocupar com nada. Poderia viver assim. Enquanto eu dançava, lembrei-me que a mesma música que tocava, tocou no dia que fui a uma balada com Rosé e os outros. E me lembrei da forma que Rosé e Lalisa se olhavam, espero que elas não demorem em se entender como um casal, engraçado que elas nem tentam disfarçar. Crianças.

Após voltar do banheiro sujo da boate, olhei para a porta e vi dois meninos – muito bonitos – entrando, um deles parecia já estar enturmado, já rebolando ao som da música e puxando o outro que olhava tudo com muita curiosidade e certo desconforto. Hétero?

Dei a volta no lugar de uma forma que comecei a caminhar atrás deles, o mais tímido tinha uma bela bunda redonda e cheinha, não me segurei e fui até ele o encoxando levemente ao som da música enquanto dançava com ele.

Ele rapidamente se virou com um rosto assustado, que quando me viu piorou drasticamente.

- JungKook?! – perguntou praticamente gritando pela música alta. – O que faz aqui?

- Nada demais e você? – Perguntei sem parar de me mexer ao ritmo da música e falando com a maior cara de pau. Efeitos do álcool claramente, pois nunca teria essa coragem. – Você é gay? O que faz aqui?

- Vim acompanhar um amigo – Falou meio desengonçado colocando as mãos no bolso. – Não sou gay, eu tenho namorada que por sinal é tia da sua namorada. Esquceu?

- Esqueci não. – Falei com tom sarcástico e o levei até o bar. – Enfim, o que te trouxe aqui? – Perguntei enquanto me sentava nas cadeiras em frente ao bar, sendo acompanhado de Jimin.

- Um amigo me puxou pra cá porque eu estava sozinho em casa só jogando videogame. Só não esperava que ele iria me trazer pra este tipo de ambiente. – Falou se ajeitando na cadeira e olhando de um lado pro outro do teto.

- Relaxa cara, aqui é um ótimo ambiente. –Sorri e fui acompanhado do mesmo. Não foi um sorriso devido a minha fala, ele sorriu após ver meu sorriso. Interessante. – Duas vodcas, por favor, Mark! – Pedi ao barman, que no caso já era meu amigo.

Após muitos drinks e muita conversa, eu e Jimin fomos pra pista de dança e encontramos o amigo dele – Que me foi apresentado como Hoseok – Que Já estava no colo de um rapaz aos beijos. Após horas de dança eu e Jimin saímos como dois bêbados da pista. Beijando-nos.

Entramos no banheiro da balada nos esbarrando em outro casal e rapidamente Jimin me empurrou para uma das cabines tirando minha camisa e tirando a sua. Ajoelhei-me na cabine apertada de modo que minha batata da perna ficava pra fora e abaixei as calças junto com a cueca de Jimin. Ele se sentou na privada fechada – ofegante assim como eu – e puxou meus cabelos com brutalidade até seu membro já ereto. Olhei de relance para cima e vi Jimin em um momento de extrema necessidade, na qual eu pretendia tirar. Sorri com a cena e joguei meu cabelo pra trás com os dedos e abocanhei seu membro, sem perder contato visual. Todos os movimentos que eram feitos por mim, recebiam como resposta puxões de cabelo e palavras sujas no ouvido. Muito excitante para um hetero.

Comecei a acelerar os movimentos com a boca e com as mãos – se é que era possível – enquanto Jimin gemia alto sem se importar com as pessoas que entravam e saiam do banheiro de balada que nos encontrávamos. Os gemidos foram se intensificando e quando senti que o ápice de Jimin estava próximo, parei com os movimentos e o empurrei para trás. Logo, Jimin estava com as costas deitadas na privada e com as pernas em cima de meus ombros. Abri as nádegas de Jimin e comecei a lamber toda a área e dar rápidos selinhos molhados em seu ânus. O Jimin que antes estava controlando meus movimentos com gemidos graves, alterou estes para gemidos agudos e para pedidos manhosos para que eu não parasse nunca. Uau.

Sem delongas, comecei a fazer o beijo grego em Jimin e ele rapidamente gozou.

Levantei-me rápido e o ajudei a levantar. Os dois já vestidos e em pé olhamos um para o outro e sorrimos. Beijamo-nos, mas não consegui me conter e o empurrei com força na parede o prensando. Jimin começou a tentar subir minha camisa e a arranhar meu peitoral, ri enquanto o beijava e finalizei o beijo.

- Hoje não, Jimin. Quem sabe amanhã? – Ri enquanto o soltava e destrancava a cabine. Ele também saiu logo em seguida e nós dois arrumamos nossa roupa e cabelos em frente ao espelho.

- Gostoso! – Surrurei no ouvido dele apertando a bunda dele enquanto saiamos do banheiro.

Sem me despedir, fui embora da boate, pois já estava cansado.

 


Notas Finais


muito curto, af
perdão, recu ta ai


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...