História My Sea - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Sasuke Uchiha
Tags Boys Love, Drama, Itachi, Itasasu, Naruto, Oneshot, Romance, Sasuke, Shounen Ai, Uchiha, Yaoi
Exibições 84
Palavras 912
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Incesto
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi pessoal!
Bom, quem me acompanha sabe que eu fiquei mais de meses sem postar e realmente eu gostaria de pedir desculpas. infelizmente eu ando com o tempo curtíssimo e não vou mentir, sem inspiração.

Esses dias pra trás me surgiu uma ideia ótima para um texto e mesmo demorando consegui finalizá-lo, e vim aqui compartilhar com vocês.

Revisei duas vezes, mas se algum erro passou me desculpem estou sem beta <3

Quem quiser ouvir enquanto lê, selecionei duas músicas :

Ailee: I'm in love
T-Ara: My Sea

Espero que gostem.

----

-NÃO contém cenas de sexo explicito a classificação se deve ao aviso sobre conter esses temas no enredo.

-Os personagens não me pertencem

-Enredo inteiramente meu. PLÁGIO É CRIME, não copie!

- Essa oneshot aborda homossexualidade, se você não gosta, não leia.

Capítulo 1 - Capítulo único - Horizonte


Minhas mãos subiram até o rosto apertando as têmporas com força enquanto soltava mais um longo suspiro. Mais uma vez eu acordava de madrugada... Mais uma vez pelo mesmo motivo.


  Levantei-me pegando o maço de cigarros e o isqueiro. Quando eu havia começado a fumar tanto?...


  Acendi o último do maço, apoiando os braços na grade da sacada, apertando os olhos com os dedos. Quando eu havia começado a me comportar assim?...


  Desestabilizado, Confuso, iludido... Os pensamentos embaralhados reviravam meu estomago. Quando eu havia começado a me importar tanto? Desde quanto eu passei a ser tão dependente?...


  Talvez o que me fizesse perder o sono seja ter a resposta a todas essas perguntas e ela ser sempre a mesma... Uma única palavra, assim como a seis meses atrás quando isso começou...

"Ele".

Tudo que eu conheço havia tomado outra forma a três anos. Uma única declaração depois de beber muito e parecia que o mundo que eu conhecia havia se quebrado em mil pedaços e desaparecido... Houve rejeição, incertezas, negação, medo... Nada que durou muito mas que foi capaz de deixar marcas que hoje são só cicatrizes.


  No inicio eu custei a entender... Neguei até onde pude, fui rude como consegui... Agimos como dois estranhos por meses para evitar entrar no assunto ou admitir se tudo aquilo era verdade ou só o efeito da bebida. Eu não queria essa responsabilidade.... Fiz tudo pra me ver livre da responsabilidade de amar, amar um alguém proibido e distante, que ainda sim era o mais presente de todos.


  Quantas vezes eu me perguntei o motivo disso tudo?Quantas vezes eu o culpei simplesmente para retirar o peso de mim mesmo?


  Deito-me no chão frio encarando o céu escuro e nublado.


  "Estou voltando" era tudo o que estava escrito na ultima carta. Um pedaço de papel amaçado e amarelo com a caligrafia conhecida...Duas palavras á duas semanas atrás.


 Qual era o seu problema, afinal? Por que a demora? Por que não me dizer como estava, onde estava, com quem...


  Respiro fundo levando as mãos aos cabelos. Não era justo me irritar tanto... Será que ele estava sentindo o mesmo?


  Fecho os olhos soltando o ar devagar.


  Eu sempre soube que aquela relação não era tão normal quanto eu achava, mas na minha cabeça, as trocas de olhares, os toques, tudo aquilo nunca passaria do que era, imaginação, dedução... O problema começou quando os olhares e os toques passaram a ser diferentes... Correspondidos.


  Até o dia daquela briga por culpa de uma garota qualquer minha vida era uma, minha indiferença forçada e minha paciência se foram com um estalar de dedos, sai de casa, passei dias fora, me embebedei até quase chegar ao coma, e ainda sim aquela dor não passava.


  Perdi a cabeça em uma conversa ainda bêbado, falei mais do que devia e consequentemente, ouvi o que talvez não quisesse ouvir... Ou o que não queria admitir.

Foram meses turbulentos até as coisas se encaminharem, foram dias e mais dias enfrentando situações e sentimentos que eu as vezes preferia nunca ter que enfrentar.


  Chegar ao hoje nesse estado faz com que eu pense se tudo aquilo valeu a pena, mas ao mesmo tempo faz com que eu pense nas proporções do meu sentimento.


  Lembrei de seu sorriso,lembrei dos olhos profundos e da voz baixa ao pé do ouvido. Senti meu rosto esquentar. Debochei de mim mesmo rindo, soltando um suspiro pesado.


-Como você pode?...-Sussurrei comigo mesmo, cobrindo os olhos com o antebraço.


  As batidas do meu coração aceleravam, os locais onde ele havia tocado antes de ir queimavam...


 Toquei o cós da calça, subindo os dedos pressionados contra a pele, relembrando a última noite que ele esteve por aqui... O cheiro de perfume parecia continuar no ambiente, era quase como se eu pudesse sentir sua respiração em meu pescoço.


  Meu coração apertou ao tocar os lábios... Eu não queria sentir tanto sua falta assim, eu não queria me excitar com suas lembranças, não queria depender tanto desse sentimento...
  Senti uma gota mais quente do que as outras em meu rosto, fechando os olhos com força e cerrando os punhos, trinquei os dentes dando um soco no piso frio.

 

- Faça parar.... Faça isso parar....- Pedi baixo, cobrindo o rosto com as mãos.

 

Eu me sentia frágil... Ridiculamente frágil, como se o mundo todo pesasse as minhas costas. A que ponto cheguei... E como fui parar ali, afinal? Em que momento?...

Talvez eu me culpasse tanto por estar no caminho dele que eu só conseguia converter isso nesse sentimento, ou talvez eu estivesse tentando recompensa-lo... Ou talvez fosse simplesmente amor.

Levantei-me apoiando as mãos na grade.


  Sem saber o por que, caminhei até a porta do quarto apoiando uma das mãos sob a madeira fria, o coração aflito de repente.

 

- Eu não suporto mais...- sussurrei.

 

Passaram-se segundos até eu conseguir ouvir ao longe o som da fechadura... A porta foi aberta e logo pude sentir aquele perfume tão conhecido. Meu corpo ficou tenso.

 

-Estou em casa- A voz soou baixa e calma como sempre. - Levantei o rosto, a iluminação fraca do quarto me permitia ver apenas uma parte de seu rosto.

 


Minhas mãos finalmente eram guiadas para o rosto que tanto precisava ver... Um sorriso gentil apareceu ao tocar sua pele e junto dele uma pequena lágrima.

 

 

-Estou em casa, Sasuke.- Sussurrou fechando os olhos apertando minhas mãos.

 

 

Finalmente eu podia relaxar... Finalmente eu podia ver que não era o único a sentir tudo aquilo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado pessoal.
Criticas construtivas? Sugestões?

Fanfic também postada em : https://fanfiction.com.br/historia/716432/My_Sea/

até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...