História My Security - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Exo, Hunhanlovers_, Kaisoo, Lemon, My Security, Sulay, Yaoi
Exibições 420
Palavras 3.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


MEU DEUS!
EU NÃO ESPERAVA PELO APÓIO, SÉRIO! 😍 MUITO OBRIGADA ❤

Estou postando sem betar, já que a minha beta está sem net ( Fighting Unnie, eu te entendo kk)

Perdoe-me os erros, amanhã eu os corrijo ^^

Boa leitura!! >•< 💙💜

Capítulo 2 - Give up? Do not


Fanfic / Fanfiction My Security - Capítulo 2 - Give up? Do not

Chanyeol encarou os olhos inexpressivos do menor percorrerem seus corpo, da cabeça aos pés, como se o avalia-se. Tirou os fios escuros que caíam sobre os olhos e levantou a cabeça, olhando para o guarda costa, este que não identificou nada mais do que desprezo no olhar alheio. Conhecia bem aquele tipo de olhar.

— Ah, sim — A voz do cantor soou sem muito sentimento, sem se importar de fato com a presença do garoto. — Junmyeon disse que você viria. — Arrumou o roupão e tirou de dentro de um dos bolsos um iPhone 6, desbloqueando o aparelho e parecendo mandar uma mensagem. Dirigiu seu olhar novamente ao outro — Porque não avisaram que você estava subindo?

— Me disseram que eu poderia subir direto, já tinham informado sobre a minha vinda, senhor Byun. — Respondeu calmamente.

— Primeira regra, lição… encare como quiser — Entrou de volta no apartamento,um duplex. — fecha a porta — Chanyeol atendeu o pedido, fechando a porta logo após entrar — Qualquer coisa, qualquer coisinha mesmo, inclusive sair deste lugar sem a minha permissão, e você está no olho da rua — Girou os calcanhares, parando seu olhar no mais alto presente — Estamos entendidos, Park?

— Sim senhor Byun. — Disse firme, dobrando seu corpo em uma pequena reverência.

O ídolo revirou os olhos, odiava essa mania que as pessoas mais baixas tinham de curva-se por qualquer coisa.

— Tá’, Tá’. — Abanou a mão no ar, em desinteresse. — Vou para o meu quarto, tenho que terminar de me arrumar para uma entrevista. Seu quarto e no segundo andar segunda porta a do lado direito. — Começou a subir as escadas, parando assim que lembrou-se de algo — Duas coisas, uma, não me apresse. Eu sei quando tenho que ficar pronto, segundo, se Suho, o meu manager chegar, de uns tapas nele por ser tão idiota e não me convidar para a sua festa de noivado.

Chanyeol pendeu a cabeça para o lado.

— Bater nele? Porquê?

O menor encarou-o com a melhor cara de tédio existente.

— Você é meu segurança, para alguma coisa você tem que servir, não? — Disse sarcástico.

Park deu um passo a frente, colocando as mãos nos bolsos da calça.

— Sim, tomar cuidado para nenhuma fã arrancar um pedaço seu. Não vou bater no seu manager senhor Byun, desculpe-me. — Dessa vez não se curvou e nem nada, apenas manteve o contato visual com o baixinho.

Baekhyun novamente analisou seu novo segurança, pensando seriamente em ligar para a agência e perguntar se as pessoas de lá tinham algo contra si ou Suho tinha molhado a mão delas para mandarem o pior segurança.

— Poste burro. — Subiu os últimos degraus, pisando forte. Estava com raiva por não ter sido convidado para o casamento do empresário, e amigo. Bateu a porta de seu quarto com força, Chanyeol deu um pulinho para o lado com o susto.

— Como pode caber tanta chatice em uma pessoa tão pequena?

                     ♡●♡●♡●♡●♡

Terminava de se arrumar em seu quarto de tamanho médio, mas para sí enorme, se Baekhyun iria sair era mais do que óbvio que ele também iria junto. Não gostava muito de julgar as pessoas por aparência e muito menos aquelas que ele trocou algumas palavras e nada mais. Mas poderia dizer que sua visão do cantor tinha ficado pior do que já era, bem pior na verdade.

O jeito como ele olhava para Chanyeol enquanto saiam do apartamento, grande e luxuoso — ele percebeu isso apenas depois que o também ator foi terminar de se arrumar — , parecia que a qualquer hora seus olhos o transformariam em gelo, de tamanha frieza. Agradecia por estar de óculos escuros e uma máscara que cobria sua boca e nariz, no mesmo tom, pois assim Byun não perceberia ele mordendo os lábios em um ato de nervosismo.

Não pelos olhares de Baekhyun ou pelo elevador que parecia descer rápido demais em direção ao solo. Mas sim por causa das fãs da pessoa ao seu lado, já ouvira falar o quanto as mesmas eram doidas e que faziam de tudo para poder chegar perto do tão “perfeito” Baekhyun.

Tinha medo de sair na rua junto com o menor e voltar sem os braços.

Chegaram ao subsolo em pleno silêncio, do mesmo jeito que saíram do apartamento permaneceram. Baekhyun ia na frente e Chanyeol quase ao seu lado, mantendo uma distância curta do baixinho, foi quando escutaram uma voz masculina gritar pelo ídolo.

— Baekhyun!!!

Park viu o outro olhar para trás e, por força de hábito de segurança, puxou de leve o pulso do menor para atrás de si. O mais velho olhou para cima, encontrando apenas os fios de cabelo preto expostos pelo boné também escuro. Chanyeol olhava diretamente para Junmyeon, o manager de Baekhyun, com atenção redobrada.

O outro baixinho foi se aproximando dos dois, ofegante, não que tivesse corrido muito, apenas não tinha o costume de correr.

— Me solta! — Byun puxou seu pulso com força desnecessária, já que o guarda costas não segurava-o com força. — Ele é meu manager — Chanyeol abriu a boca, mas nada disse, apenas balançou a cabeça concordando. Baekhyun voltou a olhar pro amigo que andava como uma lesma, respirando pesado. Sedentário. — A proposta de bater nele ainda está de pé — disse como quem não quer nada.

Novamente colocou as mãos dentro dos bolsos da calça jeans, uma mania.

— Nem pensar.

— Aish — Cruzou os braços.

Suho chegou, alguns segundos depois, com algumas pastas em uma mãos e um celular na outra. Assim que viu que o seu amigo estava acompanhado e, ao julgar pela cara que o mesmo estava, tinha acordado de Tpm. Desejou sorte para Chanyeol por pensamento.

— Novo segurança do Baek? Park Chanyeol né? Prazer, Kim Junmyeon, me chame apenas de Suho… — Estendeu uma mão para o garoto.

Chan abaixou a máscara e sorriu, também estendendo a mão para comprimentar Suho, quando recebeu um tapa na mão, a mãozinha delicada demais para um homem.

— Você tem mãos parecidas com as de uma menina… — Apontou.

— Você parece o dumbo, com três metros de altura. — rebateu — agora vamos! Parem de socializar, eu tenho uma entrevista marcada para às nove. — virou de costas e começou a andar até seu carro.

— Você se acostuma Park — Junmyeon deu tapinhas em seu ombro — Eu vou no meu carro Okay? Avise isso pra ele. E… você sabe dirigir?

— Sei sim, porque?

— Você se importaria de dirigir? É que hoje é folga do motorista dele, e digamos que eu não quero Byun Baekhyun aparecendo mais uma vez nos jornais por bater um carro ou infringir as leis de trânsito — Deu um suspiro cansado.

— Não me importaria, até Suho hyung. — Acenou e colocou a máscara de volta.

Procurou em volta, até achar o esquentadinho encostado em um carro preto, quase igual ao que tinha ido lhe buscar, só que ainda mais caro.

Andou até lá, sobre o olhar fulminante do baixinho.

— Só pra avisar eu dirijo bem. Isso aconteceu apenas duas vezes, e eu estava bêbado. Meu antigo segurança não sabia dirigir.

— Me de as chaves do carro, por favor — Baekhyun bufou de raiva, aparentemente sem fundamento, e tirou as chaves jogando elas com força na mão de Chanyeol.

Entraram no carro e Chanyeol tirou os óculos, olhou para o lado e a pessoa a qual tinha que fazer a segurança, se encontrava com fones de ouvido e olhos fechados, quase como se estivesse dormindo.

Viu o carro de Suho indo na frente, e logo uma mensagem chegou ao celular do Byun, que se esticou e ligou o GPS, mostrando o local que Chanyeol deveria seguir.

                     ♡●♡●♡●♡●♡

Chanyeol assistia a entrevista transmitida ao vivo, sentado perto de umas das câmeras que filmavam o programa. Suho estava ao seu lado, quieto, falava com alguém no celular. Seu noivo, supôs.

Àquela entrevista estava entediante e seus olhos estavam pesados, já eram quase dez da noite e estava um pouco cansado, não por ter feito algo que realmente o cansa-se mas sim pela entrevista não lhe chamar um pingo de atenção, será que as pessoas percebiam o quanto aquilo era falso ou era só ele?

O mais falso de tudo era Baekhyun, na frente das câmeras ainda sorria e tentava fazer algumas piadas — péssimas na sua opinião — , fora dela, era o próprio capeta. O que será que suas fãs diriam ou fariam ao ver aquele lado do cantor que ele tinha honra de presenciar agora?

Depois de ver como o baixinho tratava algumas pessoas de classe mais baixa que sua, não se sentia completamente mal por julgar uma pessoa sem conhecê-la direito.

Baekhyun era igual de longe e de perto, exceto para seus fãs.

Perdeu as contas de quantas vezes sentiu o olhar do patrão sobre si, todos os olhares sem exceção de nenhum, Chanyeol sentia ser de indiferença.

Ué, ele tratava até o próprio empresário mal, por que não trataria o guarda costas?

— Vamos pra casa! — Foi tirado de seus devaneios, ao reparar que a entrevista já havia tido seu fim e Baek estava parado na sua frente de braços cruzados e batendo o pé no chão diversas vezes.

Chanyeol olhou para o lado, não encontrando Suho. Ótimo. Teria que explicar a criaturinha que tinham que esperar um pouco, pois ele tinha visto “sem querer” a agenda do Byun e ele teria que sair com Junmyeon para assinar uns papéis.

— Não podemos ir agora, senhor.

— Eu não perguntei se podíamos, eu estou mandando! Não quero mais ficar aqui…

— Temos que esperar o seu empresário voltar, seja lá onde ele estiver. Lamento, senhor.

Foi o tempo de colocar o óculos escuros e a máscara, para Baekhyun evaporar de sua visão. Levantou-se com certo desespero, ele tinha perdido uma estrela no seu primeiro dia de trabalho? Nas primeiras horas? Ah, ele era um ótimo guarda costas.

Olhou para os lados, vendo apenas alguns câmeras por aqui e ali, mas nem rastro da cobra de Baekhyun. Como a única saída daqui, era um porta branca, saiu por essa correndo. Caçando o Byun.

Saiu em um corredor branco, o qual passará para poder entrar no estúdio de gravação. Guardou os óculos no bolso da calça e voltou a correr, não tinha para onde o baixinho correr, ele não poderia entrar em nenhumas das salas e, além do mais, ele disse que queria ir para casa.

O estacionamento. O carro importado.

Chanyeol sentiu quando uma gota de suor frio desceu por suas testa, ao menos havia reparado o quão nervoso estava. Correu em direção ao estacionamento, indo pelas escadas de emergência mesmo, com a pressa esqueceu-se até para que servia um elevador.

Quando chegou na metade de uma das escadarias, ouviu passos e uma respiração pesada além da sua.

Diminuiu a velocidade dos passos, ao mesmo tempo que tentava controlar a respiração para não morrer. Odiava correr, de verdade.

Respirou fundo e sentiu o cheiro de um perfume caro, não sabia identificar o cheiro, mas sabia que era bom e que o dono do perfume era Baekhyun. Viu o mesmo quase sentado na escada, com as mãos no joelhos, respirando pesado. Enquanto murmurava algumas coisas, Chanyeol conseguiu entender algumas.

— A-ahh, será… — Puxou o ar com força — que ele vai… demorar a me encontrar? — Referia-se ao segurança — Eu quero ir embora! Será, que… ninguém entende? — Tirou as mãos do joelho e olhos para cima, com as mãos na cintura — Hum, com aquela cara de bobão que ele tem, vai ser fácil fácil fazer ele se mandar, deve estar lá em cima me procurando até ago-... AHHH!

Chanyeol desceu as escadas que faltavam para chegar ao moreno, parando na sua frente e o agarrando pelos joelhos, jogando Byun nos ombros como saco de batatas.

— Me larga!!! Eu vou chamar a polícia, seu imbecil! — Park não deu muita atenção, nem aos xingamentos e nem aos tapas e socos que recebia nas costas, mas o Byun uma coisa pode perceber, Byun era pesado. — Como você me achou?! Eu era o melhor em corrida nos tempo de colégio!

Se concentrou em responder e continuar descendo as escadas, agora de forma mais devagar por conta do peso.

— Isso deve fazer um tempo né? Por quê você está fora de forma — Ah, mas Chanyeol não conseguiu ver a mais bela cara de indignação de Baekhyun, e nem seu rosto vermelho por ter sido chamado de gordo — E você tem pernas curtas. — Sentiu a força dos tapas e socos ficarem maiores, mas nada que o machucasse de verdade. Parecia um massageador de potência média, acariciando lhe as costas.

— Ah seu imundo! Corno! Você está me chamando de gordo?! Eu posso mandar o meu advogado te meter um processo! Wu é muito bom nessas coisas! Me ponha no chão!  — Esperneou.

— O senhor não vai se livrar assim tão fácil fácil de mim, isso eu lhe garanto. E eu não tenho medo do seu advogado. — Mas por dentro tinha, sabia que o menor era mesmo capaz de tal coisa, mas rezava e acreditava que o mencionado não fizesse isso.

Ele precisava estar fora da cadeia para ajudar a família.

— Suho! Suho vai te demitir, quando ele ver o que você está fazendo comigo ele vai te mandar de volta para a agência, e eu farei questão de lhe dar péssimas recomendações. Nunca mais na sua vida você vai conseguir um emprego! — Chanyeol teve um arrepio pelo corpo ao ouvir a última frase, porém não deixou de lado sua pose.

Baekhyun sentiu-se sendo colocado no chão, e mal tinha reparado que eles tinham chegado a garagem do estúdio.

— Pois bem, Suho está logo ali, mas creio que ele já viu tudo, e achou muito engraçado por sinal — Park apontou para atrás do ídolo, onde seu empresário estava, encostado no próprio carro dando uma risadinha.

— A princesa chegou…

— Sendo carregado como um saco de batatas por um troglodita! — Baekhyun completou — Você não vai fazer nada Suho?

— Para o carro Baekhyun, conversamos quando estivermos no seu apartamento.

Byun foi para o carro, xingando Junmyeon até sua quinta geração.

— Como foi que você chegou aqui tão rápido? — Chanyeol perguntou. Não tinha visto mais velho em hora alguma.

— Pelo elevador — Apontou para a caixa metálica a poucos metros de Chanyeol. O maior murmurou um ‘Ah’. Deveria ter poupado esforço e ter usado o mesmo recurso. — Vá para o carro dele, avise que quando chegarmos no apartamento eu quero conversar a sério com ele. Tudo bem?

Assentiu e foi para o carro, vendo Suho entrar no seu e já sair na frente. Baekhyun novamente estava com seus fones de ouvido, mas escutou perfeitamente o que o mais novo disse.


                   ♡●♡●♡●♡●♡


Se encontrava sentado em uma das cadeiras da cozinha, comendo uma tigela de cereais com leite, estes que seriam seu jantar ou que seria servido para enganar-lhe o estômago. Sua barriga implorava por alguma comida, foi nessa hora sentiu saudades da comida de sua mãe e de Kyungsoo, já que seu pai não sabia fritar nem um ovo sequer. Chanyeol também sabia cozinhar, não tão bem quanto sua progenitora e irmão, mas sabia.

Enquanto mastigava os flocos coloridos, escutava alguns gritos de raiva do senhor Byun e os gritos de repreensão de Suho, era possível escutar tranquilamente tudo do andar de baixo.

— Eu já disse que você precisa! Você é um.ídolo, não posso deixar você sair por aí escapando quando quer, a toda hora Baekhyun! Uma hora você vai ter que se acostumar com isso, você não é qualquer pessoa.

— Eu sei me cuidar, não preciso de um segurança no pé o tempo inteiro, não uma criança!

— Não é uma criança — Ironizou — Mas age como uma. Pelo céus Baekhyun! Você sabe o quanto eu já gastei para ofuscar as suas burradas da imprensa ? E porque você fugiu do Chanyeol hoje?

— Eu não fugi! — Park poderia imaginá-lo batendo o pé no chão, apenas pelo tom de voz. — Eu queria vir para casa e ele queria esperar você, eu não obrigado a isso.

No andar de cima, fora do alcance das orelhas de Chanyeol, Suho passou a mão pelo rosto tentando se acalmar. Céus, Baekhyun era impossível.

— Você terá que se dar bem com o Chanyeol, não quero que sejam amigos ou algo do tipo, só não o deixe louco. Park foi o único que aceitou trabalhar para você, de toda aquela empresa. E eu entendi assim que li a ficha dele, é lógico, ele nunca aturou Byun Baekhyun.

O baixinho cerrou os punhos, fazendo seus dedos ficarem esbranquiçados.

— Está dizendo que sou um fardo?! — Olhou dentro dos olhos do empresário. Não sabia como estava tendo forças para não avançar em Junmyeon e espancá-lo

— Foi o que Sehun usou para descrevê-lo, quando pediu demissão.

— Sehun era um inútil! Eu só não quero ninguém, aqui, comigo, eu gosto da minha vida assim. Já não basta ser um ídolo e ter viver rodeado de pessoas, agora eu tenho que aturar isso até dentro da minha própria casa?! — No andar debaixo Chanyeol arrepiou, nunca tinha visto duas pessoa tão naniquinhas nervosas assim.

— Toda vez você me vem com a mesma história. Eu estou cansado okay? Eu não posso simplesmente largar o meu noivo toda vez, no meio da madrugada, por causas dos seus chiliques. Como das outras sete vezes, Baek, só dessa vez, eu peço. Não, eu imploro, pare com isso. Chanyeol tem que ficar aqui dentro, e se alguma fã descobre que você mora neste hotel? E se ela entrar no aqui? Quem irá te defender? — Indagou, tentando colocar um pouco de noção na cabeça daquele ser.

— Você está me dizendo, que aquela lombriga de dois quilômetros, sentada lá embaixo vai me proteger? Por favor… — Disse desacreditado.

— Ele protegeu um advogado criminalista, durante um bom tempo. Ele lutou contra assassinos, é lógico que pode — Suho defendeu, já mais calmo.

— Esses assassinos são fichinha perto das minhas fãs. — Rebateu.

— Cansei, quer saber? Deu por hoje! — Suho pegou seu celular e abriu a porta do quarto, descendo as escadas com rapidez. Antes de fechar a porta, gritou — Ainda não acabamos nossa conversa! E… Chanyeol, tenha paciência! — Mesmo não o vendo, Suho sabia que o mais novo se encontrava na cozinha.

Bateu a porta com força, e durante alguns minutos, a casa pareceu vazia. Só pareceu mesmo.

Chanyeol sentiu a presença de Baekhyun na cozinha, encarou um ponto fixo na parede enquanto ainda comia.

— Quem lhe deu autorização de mexer no meu cereal? — Encarou o mais alto pelas costas.

— Eu não sabia se poderia cozinhar, então, peguei a primeira, coisa que vi. Já que o senhor não me ofereceu, desde a hora que eu pisei o pé aqui dentro, nem uma gota d'água. — Escutou o outro bufar, chamou-o.— Senhor Byun?

— O que é?

— Eu não vou desistir.

Uma risada sarcástica ecoou pelo cômodo.

— É o que veremos, Park. Você não me conheçe. — Dito isso, saiu do local, subindo para o seu quarto.

— E nem quero.


Notas Finais


Desculpe novamente se tiver algum erro grotesco ( e eu sei que tem, pq meu português é uma merda kk)

Gente, no primeiro capítulo, eu queria saber... eu deixei o Chany com cara de passivo? Kkk algumas pessoas me disseram isso, ri bastante. Chanyeol com todo aquele tamanho, de quatro, gemendo... parei 😂

Vocês viram o que aconteceu com o Yixing? 😢 Eu fiquei bem preocupada com nosso bebê, ele (todos! Na verdade ) precisam de descanço. Espero que ele fique bem logo ❤

E é isso, beijinhooos e até hoje próximo capítulo! >•< ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...