História My Security - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Exo, Hunhanlovers_, Kaisoo, Lemon, My Security, Sulay, Yaoi
Exibições 411
Palavras 2.823
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIIIE! >•<

Passando aqui rapidinho hehe.

AMEI OS COMENTÁRIOS DO OUTRO CAPÍTULO!!!😄😄😄❤

FUCK? Vc vão entender... 🌚

Boa leitura!! ❤

Capítulo 3 - Fuck?


Fanfic / Fanfiction My Security - Capítulo 3 - Fuck?

Chanyeol acordou sentindo sua cabeça latejar, como se uma escola de samba estivesse fazendo uma pequena festinha dentro dela, fora de época. Não tinha bebido e muito menos se lembrava de ter batido a cabeça em algo ou alguma coisa. Sua dor de cabeça tinha nome, sobrenome e conta bancária.

Baekhyun passou a noite toda tagarelando sozinho, isso, sozinho. Ninguém mais tinha entrado na casa, havia apenas os dois. Seu quarto era de frente para o do Byun, e mesmo assim conseguia escutar tudo que vinha de lá. Tudo bem, falar sozinho é normal, joinha, todo mundo faz isso — Até G-Deus faz — mas tem uma grande diferença entre falar sozinho e gritar.

Não sabia se Byun tinha algum amigo imaginário ou um gato gordo com quem conversava e mesmo que tivesse, isso não explicava o porquê de estarem conversando as três da manhã.

Naquela hora ele odiou Kyungsoo por ter roubado seu fone na hora em que estava arrumando sua mala.

Maldito pinguim!

Resolveu se levantar da cama, e quando voltasse iria desfazer sua mala. Suho mandou-lhe uma mensagem, dizendo que como era segunda-feira, a agenda de Baekhyun estava fazia. Ou seja, ele poderia descansar o dia todo.

Estralou os dedos e o pescoço, enquanto saia do quarto e fechava a porta, um cheiro de café se fez no ar, junto com o cheiro de bolo fresquinho, sua barriga roncou. Não tinha comido nada mais do que os cereais de Baekhyun noite passada.

Apressou-se em descer as escadas, logo pensando em quem estaria fazendo café da manhã, já que — de acordo com Junmyeon — Baekhyun odiava acordar cedo, e odiava ainda mais cozinhar.

— Oh, Bom dia! — Uma voz feminina chegou aos seus ouvidos — Você deve ser o novo segurança, certo? — Chanyeol olhou para os lados, não encontrando ninguém. Franziu o cenho, será que o pouco de tempo que havia passado com o Byun o deixara louco? — Aqui em baixo. — A voz soou risonha.

Chanyeol abaixou a cabeça, vendo uma mulher, com os seus quarenta e poucos anos, baixinha e de cabelos pretos, arrumando algumas panelas no armário de baixo. Chanyeol sorriu e concordou com a senhora.

— Você pode me fazer um favor, Chanyeol?

— Claro, o que? — Perguntou animado.

— Já que você é alto… Demais — Colocou a mão na nuca, sem jeito — Coloque essas panelas que estão na mesa, nos armários de cima, por favor.

— Não precisava pedir, senhora — Pegou as panelas e colocou-as em seu lugar. Puxando uma cadeira e se sentando em seguida. — Então, Noona, quem é a senhora?

— Eu sou a empregada do Baekkie, venho aqui três vezes por semana, sabe, dar uma geral na casa. Kim Soora, prazer. — Deu uma risadinha.

— Prazer — Sorriu. — Acho que a senhora já me conhece, não é?

Soora torceu a boca em uma careta.

— Não me chame de senhora, não sou tão velha — Colocou uma jarra de suco na mesa — Junmyeon me avisou sobre você e… Sobre ontem. Sinto que terá que se acostumar ao jeito diferente do Baekhyun, mas no fundo ele é uma boa pessoa — Sorriu para Chanyeol, este que retribuiu sem muito ânimo.

— Ah que ótimo — Uma voz rouca, pela falta de uso, foi ouvida no cômodo. Chanyeol quase perdeu o apetite, quase, porque comida é comida e a gente não recusa. — Mal acordo e já tem fofoca na minha cozinha, que bela maneira de começar o dia — Ironizou, passando por Soora e indo beber água.

— Digo mesmo… Aliás, bom dia Baekhyun — Chanyeol desejou, mais por educação do que por vontade própria.

— Quem é que consegue ter um bom dia com um carrapato grudado em você em plena às onze da madrugada? — Seus olhos felinos encararam os grandes e neutros de Park, a mais velha presente acompanhava tudo no canto da cozinha, terminando de preparar algumas panquecas.

— Eu compro um remédio anti pragas para você, vende lá na esquina. — Pegou um pão e passou geleia, sem dar muita importância para seu chefe.

Baekhyun grunhiu e apertou os dedos na palma da mão, deixando-os brancos.

— Noona, prepare aquele bolo de morango e chocolate amargo para depois do almoço, um amigo vai vir me visitar. — Pegou uma maçã e voltou para o quarto, vestido com seu roupão, agora cor-pêssego.

A senhora sentou na mesa, ao lado de Park, atraindo a atenção do mesmo.

— Eu não aguento mais ver tanto homem sair dessa casa, todo dia que eu venho aqui, pelo menos em dois deles, tem alguém com uma mala na sala e escrevendo um bilhete para Suho. Aqui ‘tá pior que motel.

Chanyeol riu.

— Já foram tantos seguranças assim? — Perguntou.

— Muitos. Mas o pior deles foi Sehun… — A mulher deu um suspiro triste. Chanyeol sentiu cheiro de fofoca, e cá entre nós, ele amava uma.

— O que aconteceu com esse Sehun? — Perguntou como quem não quer nada.

Soora levantou da mesa, suspirando baixo e passando a mão nos cabelos pretos.

— Nada! Nada, quer um pedaço de torta de morango? — Mudou de assunto e Chanyeol deu de ombros, pretendia ficar muito tempo ali e descobriria quem era esse Sehun, já era a segunda vez que ouvira falar no rapaz.

— Lógico!

                     ♡●♡●♡●♡●♡

Chanyeol estava jogado na cama de seu, agora, quarto. Passando todos canais da TV, sem achar nada que realmente lhe interessasse. Parecia que hoje todos os canais resolveram falar sobre o novo comeback de Baekhyun, algumas fotos sobre o novo álbum tinham sido publicadas por sua empresa. E bastou apenas minutos para que todas suas fãs já estivessem sabendo que o cantor lançaria álbum em breve, pelas suas contas, daqui a uma semana e meia.

Desligou a televisão ao ouvir vozes no andar de baixo, uma ele identificou ser a de Soora, já a outra era completamente desconhecida para si. Curioso como só ele, se levantou da cama na ponta dos pés e saiu do quarto, do topo da escada conseguiu ver sua noona e um cara de costas para si, a única coisa que Chanyeol conseguira ver era os cabelos loiros, quase branco, e extremamente lisos. Estranhamente ele lhe parecia familiar.

— Noona? Quem é este? — Perguntou já descendo as escadas.

— Oh, Chanyeol. Esse é Kai, o amigo que o menino Baek disse que viria — O loiro se virou e Park pode ver sua face, realmente já tinha visto ele em algum lugar. O garoto fez uma reverência, sendo correspondido pelo segurança.

— Kim Jongin, mas me chame de Kai.

— Eu vou buscar três pedaços do bolo de morango, Baekhyun está no quarto Kai. — Soora informou.

— Obrigado! — Após a mais velha sair, Jongin deu um sorriso sugestivo ao perceber o quanto Chanyeol o encarava — Gosta do que vê? Sou lindo não é, pode falar…

Chanyeol ficou vermelho até as orelhas, mas não conseguiu segurar uma gargalhada.

— Ai cara, não é isso — Respondeu ainda risonho.

— É o que então? — Desfez sua pose de galã. Tirando as duas mãos da cintura e voltando a sua postura normal.

Chanyeol fez um sinal com a mão para que o mais baixo o seguisse em direção as escadas.

— Eu tenho a impressão de já ter te visto em algum lugar… — Deixou no ar, esperando que o loiro tirasse sua dúvida.

Kai deu de ombros.

— Pode ser, eu sou modelo e ator, pode ser que você já tenha me visto em algum drama ou desfile. — Chanyeol fez careta ao ouvir a palavra “desfile”.

— Não assisto muitos dramas e muito menos desfiles…

— Comerciais de perfume? Eu e Baekhyun já fizemos um juntos.

— Acho que não… — Chanyeol forçava a se lembrar de onde conhecia a cara de Jongin, mas agora depois de descobrir que ele também era famoso não se importou muito, era provável que tenha visto a cara do loiro em algum drama que sua mãe e irmão assistiam. — Alguma hora eu lembro.

Chegaram ao andar de cima.

— Como está sendo o convívio com o Baekkie? Deve ser difícil não é? — Perguntou hesitante, não gostava muito de se meter nesse assunto, mas depois de ver o tanto de gente que passou por ali, era normal que se preocupasse.

— Baekhyun é difícil, mas ele vai se acostumar. — Respondeu tentando parecer certo de suas palavras.

Kai riu.

— Te desejo sorte, vai precisar.

— Acredite, ou não, você é a segunda pessoa que me deseja isso. E eu estou mesmo precisando.

                   ♡●♡●♡●♡●♡

Baekhyun ria escandaloso em seu quarto, Jongin fazia palhaçadas e imitava algumas pessoas famosas, vez ou outra pegando algumas coisinhas que ninguém sabia que ele gostava. O que deixava tudo ainda mais engraçado.

O canto de sua boca se encontrava sujo por causa do bolo de chocolate e, em parte, por culpa do loiro que não o deixava comer, só fazendo graça. Kai era seu melhor amigo e chegou em um momento certo. Precisava espairecer, Suho e agora Chanyeol pareciam estar em um complô contra si, precisaria de muita tinta depois para esconder os seus fios brancos.

— Chega, chega! Eu quero comer porra! — Baekhyun ria, com as mãos na barriga enquanto Jongin tinha a blusa levantada e um tênis com salto, imitando uma modelo que constantemente dava em cima de si em ensaios e desfiles.

— ‘Tá, eu paro — Parou também rindo. Soora tinha explicado a “situação” da casa e então ele se via em sua obrigação de amigo, fazer Baekhyun rir.

Abaixou a blusa e se sentou na cama. Baek deu um suspiro triste por não poder mais ver o abdômen definido do garoto de pele morena, mas é a vida não é.

— Baek Hyung.

— Oi — Respondeu enquanto comia, sem tirar os olhos do bolo.

— Como está com Chanyeol aqui? Quer dizer, você se sente bem? — Deitou ao lado do amigo, mas o mesmo continuava sentado, havia parado de comer e agora encarava o bolo sem o mesmo apetite de antes.

— Não. Você sabe que eu odeio ter que viver com outra pessoa aqui, a noona é a única que pode.

— Ué, por que? — Se apoiou no cotovelo para poder encarar o menor.

— Porquê ela cozinha para mim, oras. — Disse como se fosse óbvio.

Kai começou a rir e logo sua risada contagiou Byun, mas logo a risada doce de Jongin deu lugar a um sorriso malicioso que foi entranhado pelo mais velho.

— Que sorriso é esse Kim Jongin? — Perguntou curioso e devolvendo o sorriso.

O modelo começou a se aproximar do corpo pequeno de Baek, sem tirar aquele maldito sorriso. Tirou o prato com o bolo na metade de seu colo, e colocou no criado mudo ao lado da cama.

Sentou sobre as coxas macias, colocando um braço de cada lado, se aproximando um pouco mais do rosto de Baekhyun, o mesmo mordeu o lábio se inclinando até estar completamente deitado e com Jongin a centímetros de seu rosto.

— Jongin, Jongin… Não estamos sozinhos… — O sorriso do loiro só aumentou.

Se abaixou mais, até a orelha do ídolo, sussurrando algo. Baekhyun arregalou os olhos e deu uma risadinha.

— Que tal fazermos um showzinho? Matar as saudades… — Umedeceu os lábios.

Byun pensou, pensou… Por que não?

                 ♡●♡●♡●♡●♡

Tinha cansado de ficar apenas no quarto, mofando, então foi para a sala assistir e conversar com a única pessoa da casa que não queria arrancar a sua cara a unhadas. Soora.

Ambos assistiam a um programa de variedade e riam bastante, acompanhados do maravilhoso bolo da mulher. Chanyeol fora conquistado pelo estômago.

O programa entrou no comercial, e alguns barulhos — muito estranhos — eram possíveis de se ouvir vindo do andar de cima. Juntamente com o barulho da cama rangendo, como se estivesse batendo na parede.

O rosto de Soora tornou-se vermelho, já podendo imaginar o que acontecia no andar de cima. Chanyeol engoliu em seco fazendo uma careta, sentia seu estômago embrulhar. Forçou uma tosse e colocou o prato vazio em cima da mesinha de centro. A mais velha na sala não desgrudava os olhos da TV.

— Noona — Chamou receoso, esperou a mais velha criar coragem e lhe encarar — O-Olha, não me leve a m-mal, mas… O senhor Baekhyun é… É… Bem, você sabe — Fez um gesto com a mão, tentando se explicar melhor. A mulher, meio atordoada pelos barulhos vindos do andar de cima, apenas assentiu. Chanyeol se jogou para trás, batendo a cabeça no encosto do sofá — Ah meu Deus!

Os barulhos começaram a ficar piores e mais altos, explícitos. Como se não bastasse isso, começaram algumas frases sem sentido e palavrões sendo escutados por toda parte.

Chanyeol sentiu quando Soora se levantou do sofá e desligou a televisão, olhando para o mais novo como se esperasse uma reação dele.

— Que foi? — Perguntou finalmente.

— Fala a verdade, você está louquinho para saber o que ‘tá acontecendo lá em cima — Cruzou os braços, dando um sorriso de lado.

O guarda costas ficou confuso, a mulher não estava morrendo de vergonha até agora a pouco?

— Ahn?

— Não se faça de burro, conta vai! — Ela bateu no ombro do rapaz — Eu não conto pra ninguém. — Sussurrou.

— Para falar a verdade — Começou levantando-se enquanto falava — Eu não quero saber não.

— Vamos logo! — Sem tempo para negar, ou ir contra, Chanyeol teve seu pulso segurado pela mulher baixinha e foi arrastado até a escada.

Começarem a subir a mesma com extremo cuidado, não queriam fazer barulho e chamar a atenção dos dois lá em cima. Conforme chegavam mais perto do quarto onde os dois ídolos estavam, mais alto os barulhos ficavam. Agora era possível ouvir com clareza o que diziam, gritavam…

— Ah Jonginnie! Mais! — A voz de Baekhyun saiu intensa e alta. Capaz de arrepiar todos os pelos do braço, tanto de Soora, quanto os de Chanyeol.

O mais alto sentiu uma vontade imensa de rir, até os gemidos do cantor eram escandalosos.

— Seu pedido, é uma ordem Baekkie! — Agora foi a voz de Kai a ser ouvida, menos escandalosa e rouca. O barulho da cama indo contra a parede aumentaram,

Chanyeol não aguentou e colocou uma mão sobre a boca, abafando uma risada.

— Não ria Chanyeol — Recebeu mais um tapa de Soora.

— É impossível não rir.

— Como v-você é grande Jonginnie! — Baekhyun gritou.

Chanyeol pôs a mão sobre os olhos, agora ele tinha certeza que até o recepcionista do hotel tinha escutado. Que vergonha.

— Você deveria fazer algo para eles pararem! — A mais velha deu a ideia, hoje ela dormiria ali e não queria os sons de uma foda de fundo nos seus sonhos.

— Por que eu deveria fazer algo? Eu sou um guarda costas, GUARDA COSTAS! Não guarda traseiros alheios, se ele quer dar para o moreno lá, à vontade.

Recebeu uma sequência de tapas da baixinha, e começou a rir. Mas logo parou, ao ouvir algo, ou melhor, um gemido. Dessa vez de Baekhyun. E logo um breve diálogo.

— Ah… ah… ah! Jongin! — Apenas pelo grito, os dois do lado de fora do quarto sentiram que as coisas tinham chegado ao seu ápice.

— Onde você quer que eu… erghh — Não terminou a frase, mas as duas pessoas no corredor completaram a frase mentalmente.

Chanyeol só pensava o quanto àqueles dois eram verbais na cama.

— Boca.

A Kim ouviu um barulho e olhou para o lado, vendo o mais novo bater a cabeça na parede algumas vezes, murmurando um “Meu Deus do céu, eu não sou pago para ouvir um pornô ao vivo”

— Eu acho que eles já acabaram, vou para o meu quarto… — Soora avisou e desceu as escadas, indo para o seu quarto.

Chanyeol continuou no mesmo lugar e acabou por olhar para suas calças, vendo um volume maior do que o normal. Droga, droga, droga! Não era possível que tivesse ficado excitado apenas com os gemidos vindos do quarto ao lado, se negava a acreditar nisso.

Ouviu mais barulhos vindos do quarto de Baekhyun e apressou-se em entrar logo no seu. Trancou a porta e se encostou na mesma, respirando pesado. Não queria ter que presenciar — ouvir — mais uma foda selvagem. Era vergonha alheia demais para si.

Olhou em volta no quarto, parando o olhar sobre a porta do banheiro. Mordeu o lábio inferior e olhou para um notebook no quarto.

— Chuveiro ou pornô, chuveiro ou pornô... — Murmurava indeciso, apertou o próprio membro por cima da calça. Sua ereção ainda não era evidente, e ele agradecia por isso. — Chuveiro!


Notas Finais


KaiBaek <3 eu gosto 👀🌚

Esse capítulo só vai ser mais entendido no próximo (?) Kkk Mas eu quero saber o que vocês acham 😊

Quem é Sehun? Hihi

Quem ta escutando a msk Freal Luv do Chanyeol e Far East Movement? Eu mesmaaaa. Escrevi o capítulo todo escutando ela.

A traducão é linda! Recomendo! <3

Beijooos de chocolate e bons sonhos com o Otp! (Eu já tive, muito linda a bunda de Oh Sehun desprovido de cuecas ) estou me expondo aqui 🌚

ATÉ O PRÓXIMO!!! ❤❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...