História My sexy Devil.(Jungkook)+Hot - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts
Visualizações 809
Palavras 1.335
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 16 - °*Tortura*°


Fanfic / Fanfiction My sexy Devil.(Jungkook)+Hot - Capítulo 16 - °*Tortura*°

° É trágica a ideia de me apaixonar, e perigosa a ideia de te amar, me veja definhar por necessitar de seu amor°

~~~~~~~~~~       

     

              °16°


Seus gritos de dor eram como música, a melodia da minha vingança, que a maldade torne minha fiel aliada.


Para lutar contra meu oponente tenho que estar a sua altura, fria, impiedosa, por míseros segundos vou apresenta-lo a verdadeira dor.


- Tá bom me deixe ir...j-já conseguiu o que queria me m-machucar descobriu meu ponto fraco..Agora me deixe ir.


Implorava de olhos fechados, fato que contribuía para que eu negassem totalmente suas vontades.


- Quando eu pedi para você parar, você não parou, teve total prazer em ver minhas lágrimas descerem, ameaçou a vida de meu filho .


Cravei novamente a lamina em sua pele, aprofundando um corte acima do outro. Com a garrafa ainda em mãos, derramei novamente a bebida alcoólica em seu ferimento.


- Fale-me de uma vez quem são essas mulheres _ Pressiono minha destra sobre o corte que latejava.


Sua pele estava coberta por uma fina camada de suor, seus lábios tomaram uma coloração mais avermelhada que o normal.


- Isabelle é s-sua mãe...Mirabell é s-sua avo _ Escorreu sobre seu rosto uma gota de água me deixando surpresa. 


De tantas experiências que passei, ouvi isso soou tão normal. Não me surpreendi ao ponto de ficar incrédula .


- O que ele quer com minha mãe? _ O mesmo não me respondeu, virou seu rosto para o sentido oposto.


Cansada de sua teimosia, segurei firme seu rosto pressionando suas bochechas, seu olhar de fúria veio de encontro ao meu que não estava diferente.


- Eu não vou falar mais porra nenhuma _ Negou entridentes, sorri de canto negando com a cabeça.


- Fala logo _ Repito pela última vez, não vou dar privilégios .


  - Vai se ferrar _ Retrucou lentamente  .


Saiu de seu colo, e começo a retirar minha roupa deixando os tecidos que me cobriam deslizar sorrateiramente.


- O que esta fazendo? _ Retorno minha atenção para o moreno que mantinha uma expressão de desentendido, porem seus olhos não desgrudavam de meu corpo.


- Vingança .


Sorri maldosa, direcionei meus passos ate o suite, assim que adentrei vesti uma de minhas melhores lingerie, uma das coisas que descobrir, que é um de seus "pontos fracos"  é a necessidade de punir aqueles que o desafiam .


Desfiz o coque que prendia meus fios que estavam cacheados e baguncei levemente sua raiz, intensifiquei a coloração de meus lábios com um vermelho.


Encarei meu reflexo no espelho, reparei a mulher fatal que havia me tornado e principalmente vingativa .


Um sorriso perverso brotou em mim, sai do banheiro encarando o jovem que não desprendia seu olhar de minhas curvas que se tornaram mais fartas .


- O q-que esta f-fazendo? _ Seu timbre falhado fez com que eu gargalhasse. 


Ao me aproximar da cama encarei os três ferimentos profundos em sua pele.Deslizei meu indicador na sua  ferida.


- Você pensou mesmo que eu era tão indefesa? Não preciso ser do inferno para ser perigosa _ Coloquei minha perna sobre a cama enquanto mantinha a outra no chão..


Vi seus olhos percorrem todo percusso de meu corpo ate pairar sobre meus lábios.


- Te darei até meia noite, se não responder minha pergunta, esse seu corpo estará totalmente marcado por essas mãos. 


Nem mesma eu pensei que ele poderia ser tão louco ao ponto de sorrir sobre a situação, sorriso qual mantinha uma luxúria psicopatica. .


- Então vá minha bonequinha, se voce conseguir mesmo me convencer eu falarei _ Prendeu seus lábios entre os dentes, permitindo um sorriso malicioso.


Esta bem meu gatinho, vamos brincar mais dessa vez um jogo onde você vai sentir a verdadeira dor, uma tortura sexual a qual não irei te satisfazer...

 

Peguei novamente a garrafa em mãos, não deixei de ver sua expressão apavorada.


- Calma não vou precisar da ajuda dela _ A coloco em um canto qualquer do criado-mudo.


Sento novamente na cama tendo o olhar atento do jovem, reviro a caixa em busca de um objeto que sirva para cortar sua camisa, por incrível que pareça não demorei encontrar. Pulei em seu colo escutando um leve gemido.


- O que vai fazer pequena? _ Encarou o objeto em minha mão.

- Shiiu _ Coloco o indicador em seus lábios. - Caladinho . 


Peguei a barra de sua vestimenta iniciando um corte  , subi a tesoura ate chegar no colarinho, partindo a camisa em um perfeito horizontal .Abaixiei minha cabeça vendo seu abdómen exposto totalmente a mim.


Não hesitei em iniciar uma sessão de mordidas fortes, puxava sua pele com tamanha vontade e depois encarava o ferimento. 


- Eu irei te punir depois garota. 

- Não..eu te punirei a partir de hoje.


Ele sorriu de lado tendo seu sorriso respondido por mim, eu não tinha a intenção de o provocar prazer mais sim dor .


Cravei minha unha entre seu peitoral e desci deixando as marcas perfeitamente avermelhadas, logo ganhando um inchaço . 


Já sentia sua ereção começando a dar sinal, movi com força meu quadril na intenção de provocar um aperto em seu pénis.


Ele deixou um gemido de dor escapar entre seus lábios, era tão óbvio que mesmo com essa dor ele encontrava o prazer . Masoquista .


Por pura injustiça já me sentia molhada, um calor já se aflorou em meu intimo, infelizmente sou fraca para resistir ao seus encantos.


Me retirei de seu colo, coloquei minhas mãos em sua calça, subi minhas mãos sobre suas pernas pressionando com força sobre suas coxas bem malhadas, quando minhas mãos tocaram seu volume, apertei o local movendo meus dígitos em uma massagem dolorosa mais que sei que era prazerosa.


- M-malvada _ Fechou olhos judiando ele mesmo de seus lábios.


Meu sorriso vitorioso iluminava minha face. Levantei novamente e procurei na maleta um objeto para servir como arma . Encontrei ali uma vela e um chicote .


- Creio que pode fazer isso pra mim _ Ergo a vela ao perceber que não tinha algo para acender.


- Não vou contribuir para minha dor _ Sorri de canto e me levantei na cama dando uma chicotada nos locais onde estavam feridos.


- Ainda não vai? _ Ele nega com uma expressão de dor, suspirei com sua teimosia e dei mais duas chicotadas uma de cada lado de seu corpo.


- T-ta bom _ A vela ascende e ele vira o rosto com dor.


- Esse rostinho lindo..Adoraria machuca-lo _ Sento bem em cima de seu tronco escutando um suspiro de dor por eu estar bem acima de seus ferimentos.


Aproximo a vela de seu rosto e a tombo para o lado permitindo que uma gota caísse em sua bochecha, ele não reagiu, mais já me contentei em ver a marca da vela derretida em seu rosto.


Continuo deixando com que elas caíssem sobre sua pele, por fim apaguei a vela na curvatura de seu pescoço enquanto ele contorcia e gritava de dor.  E ao mesmo tempo adentrei com força o canivete em sua barriga.

 

- T-ta....e-eu falo _ Respirou ofegante, mais permaneci com a vela derretida em contato com seu corpo e com a lamina em sua pele. - A j-joia, e-era a-apenas i-isso e-ela esta com s-sua mãe..Ele não vai parar ate a ter sobre seu domínio novamente.


Antes de sair de cima dele depositei um selar bem carinhoso.


- Obrigada amor..Espero que possamos fazer isso mais vezes _ Sai de cima dele com um sorriso vitorioso 


Olhei mais uma vez para ele que se mantinha forte em não derramar lágrimas de dor, puxei a lamina de dentro dele vendo o sangue jorrar e escorrer pela sua pele sujando o cobertor.


- E-eu v-vou te matar _ Disse ofegante.


- Você precisa de mim não vai me matar.Eu tenho muitas garrafas daquela e desenvolvi um remedinho que te deixa inconsciente na mesma hora.


- Q-que remédio?


- Esse _ Aproximo dele e cravo a injeção em seu corpo injetando o remédio em suas veias vendo seus olhos se pesarem e fechar aos poucos.


E por fim me jogar ao lado dele deixando lágrimas percorrer meu rosto ate molhar a cama.


- Infelizmente eu te amo.

~~~~~~~~~~~~


° Por que amar você? Vamos nos machucar juntos, vamos morrer juntos, vamos nos torturar juntos°


~Tortura~



Notas Finais


Mds 🌚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...